Semiologia médica

(Redirecionado de Semiologia (médica))

Semiologia ou Propedêutica é a área da saúde (Medicina, Medicina Veterinária, Enfermagem, Biologia, Biomedicina, Farmácia, Fisioterapia, Educação Física, Fonoaudiologia, Psicologia, Terapia, Odontologia, Nutrição e Terapia Ocupacional), relacionada ao estudo dos sinais e sintomas das doenças humanas e de outros animais. Tem sua etiologia do grego σημειολογία, "semeîon" e "lógos", que significam, respectivamente "sinal" e estudo"[1]. A Semiologia é muito importante para o diagnóstico da maioria das enfermidades.

Sintoma é toda a informação subjetiva descrita pelo paciente. Não é passível de confirmação pelo examinador, já que é uma sensação do paciente (dor de cabeça, por exemplo). Refere-se, unicamente, à percepção de uma alteração por parte do doente. A anamnese é a parte da semiologia que visa revelar, investigar e analisar os sintomas. Cerca de 80% dos diagnósticos são realizados baseados nessa parte do exame, um dos pilares da história clínica do paciente. A história clínica compreende, além da anamnese, o exame objetivo, os exames complementares e a história pregressa.

Por outro lado, um sinal refere-se a toda alteração objetiva, que é passível de ser percebida pelo examinador (uma mancha na pele, um sopro cardíaco, por exemplo). A anamnese é um elemento constitutivo de uma ferramenta da semiologia médica, o exame clínico, que, para além da anamnese, é constituído pelo exame físico geral e exame físico específico. O exame físico faz uso de técnicas próprias, denominadas semiotécnicas, que envolvem a inspeção, palpação, ausculta e percussão.[2] Para alguns autores, a capacidade olfativa também seria uma semiotécnica, integrante da inspeção, pois permite ao examinador identificar odores característicos de determinadas doenças, como é o caso das infecções ginecológicas por[3] Gardnerella vaginalis.

A semiologia médica estuda, também, a maneira de revelar (anamnese, exame clínico, exames complementares) e de apresentar (observação, tabelas, síndromes etc.) esses sintomas, com o propósito de se estabelecer um diagnóstico.

A semiologia pode e normalmente defere um diagnóstico com mais precisão em uma investigação médica.

Referências

  1. «DELPo: Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa». delpo.prp.usp.br. Consultado em 14 de junho de 2023 
  2. Celeno, Celmo (2019). Semiologia Médica. [S.l.]: Grupo Gen. ISBN 9788527734998 
  3. «Exame Físico». semiologiamedica.ufop.br. Consultado em 14 de junho de 2023 

Bibliografia

editar

MacBryde, Cyril Mitchell; Blacklow, Robert Stanley (Editores) Sinais e Sintomas, Fisiopatologia Aplicada e Interpretação Clínica. RJ. Guanabara Koogan, 1975

Rocco, José Rodolfo. Semiologia Médica. SP Elsevier, 2010 Google Livros Acesso Dez. 2010

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP). Núcleo de apoio à pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa. Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa. São Paulo: USP, 2016.

PORTO, Celmo C. Semiologia Médica, 8ª edição. Rio de Janeiro: Grupo GEN, 2019. E-book. ISBN 9788527734998.

  Este artigo sobre medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.