Abrir menu principal

Os Quatro Livros de Sentenças (em latim Libri Quattuor Sententiarum) é um livro de teologia escrito por Pedro Lombardo no século XII. É uma compilação sistemática de teologia, escrita por volta de 1150, que deriva seu nome das sententiae ou declarações abalizadas sobre passagens bíblicas que se reuniam.

ConteúdoEditar

Os Quatro livros das Sentenças representam uma primeira forma de dialética, oferecendo um apanhado da economia cristã, desde a criação até o juízo final.[1] O conteúdo do Sentenças corresponde às quatro partes em que se apresenta normalmente a catequese cristã:[2]

  1. Deus, Unidade e Trindade, em sua Essência e em suas Pessoas, sua presença no mundo e pelo dom da graça;
  2. Deus criador e a obra da criação;
  3. A Encarnação do Verbo, sua obra redentora e santificadora pela graça, as virtudes e os dons do Espírito;
  4. Os sacramentos e os fins últimos.

ImportânciaEditar

O escrito mais importante produzido por Tomás de Aquino foi justamente um comentário sobre a obra de Lombardo chamada de Escrito sobre os livros das Sentenças.[3] O escrito é o fruto de seu primeiro ensino como bachareal sentenciário em Paris, de 1252 a 1254.[2]

Referências

  1. SESBOÜÉ, Bernard. História dos dogmas 4 - A palavra da salvação. Edições Loyola; ISBN 978-85-15-02232-8. p. 73.
  2. a b Frei Carlos Josaphat. Tomás de Aquino e a nova era do Espírito. Edições Loyola; 1998. ISBN 978-85-15-01752-2. p. 61.
  3. NASCIMENTO, Carlos Arthur Ribeiro do. Santo Tomás de Aquino. Editora da PUC-SP; 1992. p. 21.