Seul

capital da Coreia do Sul
(Redirecionado de Seoul)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Seul (desambiguação).

Seul (em coreano hangul e hanja: 서울, romanização revisada: Seoul, romanização McCune-Reischauer: Sŏul, pronunciado: [sʰʌ.ul] (Sobre este somescutar )), oficialmente Cidade Especial de Seul, é a capital e a maior metrópole da República da Coreia, mais conhecida como Coreia do Sul. A cidade é o núcleo da Região Metropolitana de Seul, que inclui a metrópole vizinha de Incheon e a província de Gyeonggi, a segunda maior área metropolitana do mundo, com mais de 25 milhões de habitantes.[2]

Seul

서울시

Cidade Especial de Seul
서울특별시

Símbolos
Bandeira de Seul
Bandeira
Brasão de armas de Seul
Brasão de armas
Gentílico seulés(a), seulense, seulita
Localização
Seul está localizado em: Coreia do Sul
Seul
Localização em mapa dinâmico
Coordenadas 37° 34' N 126° 58' E
País Coreia do Sul Coreia do Sul
Região Região Metropolitana de Seul
Administração
Distritos 25
Tipo Governo Metropolitano de Seul
Prefeito Seo Jung-heop (interino)
Características geográficas
Área total 605,21 km²
População total (2018) [1] 9 838 892 hab.
 • População metropolitana 25 600 000
Densidade 16 257 hab./km²
Sítio www.seoul.go.kr

Situado às margens do rio Han, a história de Seul remonta a mais de dois mil anos, quando foi fundada em 18 a.C. por Baekje, um dos Três Reinos da Coreia. A cidade continuou como a capital coreana sob a Dinastia Joseon. A região de Seul contém cinco Patrimônios Mundiais da UNESCO: Complexo de Palácios de Ch'angdokkgung, Fortaleza de Hwasong, Santuário de Chongmyo, Namhansanseong e os Túmulos Reais da Dinastia Joseon.[3] Seul é cercada por montanhas, sendo o monte Bukhan a mais alta delas, o parque nacional mais visitado do mundo por metro quadrado.[4] Entre os marcos modernos estão a icônica N Seoul Tower, o dourado KLI 63 Building, o neofuturista Dongdaemun Plaza, o Lotte World, o segundo maior parque temático coberto do mundo,[5] e a Ponte Banpo, a mais longa ponte-fonte do mundo.[6] A capital sul-coreana foi eleita o destino turístico mais procurado do mundo por turistas chineses, japoneses e tailandeses por três anos consecutivos (2009-2011)[7] e, com mais de 12 milhões de visitantes internacionais em 2013,[8] é a 10ª cidade mais visitada do mundo.[9]

Atualmente, Seul é considerada uma cidade global importante, resultado do boom econômico chamado de "Milagre do rio Han", que transformou-a de um amontoado de ruínas durante a Guerra da Coreia para a 4ª maior economia metropolitana do mundo, com um PIB de 774 bilhões de dólares em 2012, depois de Tóquio, Nova York e Los Angeles. A metrópole é a sede de empresas da Fortune Global 500, como a Samsung, a maior empresa de tecnologia do mundo, a LG e a Hyundai-Kia. Em 2013, o PIB (PPC) per capita da cidade de 39.448 dólares era comparável ao da França e Finlândia.

Seul é a cidade mais conectada do mundo[10] e o seu sistema de metrô é um dos mais extensos do planeta. A cidade está conectada ao Aeroporto Internacional de Incheon, classificado como o melhor aeroporto do mundo por nove anos (2005-2013) pelo Conselho Internacional de Aeroportos.[11] O Lotte World Tower, um arranha-céu de 556 metros de altura e com 123 andares, está em construção e será o mais alto da OCDE.[12] A capital foi anfitriã dos Jogos Asiáticos de 1986, os Jogos Olímpicos de Verão de 1988 e a Copa do Mundo FIFA de 2002.

EtimologiaEditar

A cidade foi conhecida no passado por sucessivos nomes como Wirye-seong (위례성; 慰禮城, Era Baekje), Namgyeong (남경; 南京, Era Goryeo), Hanseong (한성; 漢城, Era Joseon) ou Hanyang (한양; 漢陽). O nome atual, Seul deriva da anciã palavra coreana Seorabeol (서라벌; 徐羅伐) ou Seobeol (서벌; 徐伐), que significa "cidade capital", que originalmente referia-se à cidade de Gyeongju, a capital de Silla, depois chamada de Geumseong (금성; 金星).

Diferentemente de outros topônimos coreanos, Seul só se pode escrever em hangul, 서울, não admitindo escritura em caracteres hanja (chineses), por tratar-se de uma palavra completamente coreana, sem raiz chinesa.

No dia 19 de janeiro de 2005 aconteceu uma certa controvérsia quando Seul pediu publicamente à China que a deixasse de chamar pelo seu nome tradicional em chinês Hànchéng (漢城, em coreano Hanseong, nome antigo da cidade), e que adotasse em seu lugar o nome Shǒu’ěr (首爾), adaptação fonética ao chinês do nome coreano atual. Essa decisão do governo de Seul foi recebida com um certo desdém na República Popular da China e em Taiwan. Entretanto, alguns meios de comunicação chineses já começaram a utilizar o nome acunhado pelo governo de Seul, enquanto que este já utiliza o novo nome em seus folhetos de informação turística em língua chinesa.

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

O povoamento da área do rio Han, onde hoje está localizada Seul, começou por volta de 4000 aC.[13] Seul é registrada pela primeira vez com o nome de Wiryeseong, a capital de Baekje (fundada em 18 aC) na área nordeste de Seul.[13] Existem várias antigas muralhas da cidade restantes na área, que datam desse período. Pungnaptoseong, uma parede de terra na área externa da cidade, é amplamente considerada como o local onde Wiryeseong existiu. Como os Três Reinos competiam por essa região estratégica, o controle passou de Baekje para Goguryeo no século V e para Silla no século VI.[14]

No século XI, Goryeo, que sucedeu a Silla Unificada, construiu um palácio de verão em Seul, que foi referido como a "Capital do Sul". Foi só a partir deste período que a cidade tornou-se um assentamento maior. Quando Joseon substituído Goryeo, a capital foi transferida para Seul (também conhecido como Hanyang e mais tarde como Hanseong), onde permaneceu até a queda desta dinastia.[13]

O palácio Gyeongbokgung, construído no século XIV, serviu como residência real até 1592. O Complexo de Palácios de Ch'angdokkgung, construído em 1405, serviu como o principal palácio real de 1611 a 1872.[13]

Originalmente, a cidade era totalmente cercada por uma muralha feita de pedra maciça e construída em formato circular para proporcionar segurança aos cidadãos contra animais selvagens, ladrões e ataques estrangeiros. A cidade cresceu para além dos muros e, embora o muro não exista mais (exceto ao longo da montanha Bugaksan (북악산 / 北岳 山), ao norte do centro da cidade[15]), os portões permanecem intactos perto do distrito da baixa de Seul, incluindo mais notavelmente Sungnyemun (vulgarmente conhecida como Namdaemun) e Honginjimun (vulgarmente conhecido como Dongdaemun).[16]

Durante a dinastia Joseon, os portões eram abertos e fechados diariamente, acompanhado do toque de sinos grandes no campanário Bosingak.[17]

Domínio japonês e Guerra da CoreiaEditar

 
Sede do governo japonês em Seul, 1929
 
Parte dos danos causados pela Guerra da Coreia em Seul

No final dos anos século XIX, depois de centenas de anos de isolamento, Seul abriu as suas portas aos estrangeiros e começou a se modernizar. A cidade se tornou a primeira no leste da Ásia a introduzir a energia elétrica no palácio real, construído pela Edison Illuminating Company[18] e, uma década mais tarde, Seul também implementou um sistema de iluminação pública.[19]

Após o tratado de anexação em 1910, o Império do Japão anexou a Coreia e rebatizou a cidade para Gyeongseong ("Kyongsong" em chinês e "Keijo" em japonês). A tecnologia japonesa foi importada, as muralhas da cidade foram removidas e alguns dos seus portões demolidos. As estradas foram pavimentadas e edifícios de estilo ocidental foram construídos. A cidade foi libertada do domínio japonês no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945,quando foi nomeada oficialmente para Seul e designado como uma cidade especial no ano de 1949.[13]

Durante a Guerra da Coreia, durante a Guerra Fria, Seul mudou de mãos entre as forças norte-coreanas, apoiadas pela União Soviética e pela República Popular da China, e as forças sul-coreanas, apoiadas pelos Estados Unidos, o que deixou a cidade muito danificada após o fim dos conflitos militares. A capital do país foi temporariamente transferida para Busan[13] Uma estimativa dos danos pós-guerra afirma que pelo menos 191 mil edifícios, 55 mil casas e mil fábricas ficaram em ruínas. Além disso, uma inundação de refugiados entrou em Seul durante a guerra, o que inchou a população da cidade e sua área metropolitana em 1,5 milhão de pessoais em 1955.[20]

Período contemporâneoEditar

 
Seul em 2016

Depois da guerra, Seul começou a se concentrar em sua reconstrução e modernização. Como a economia da Coreia do Sul começou a crescer rapidamente a partir dos anos 1960, a urbanização também acelerou e os trabalhadores começaram a se mudar para Seul e outras cidades maiores.[20] A partir de 1970, o tamanho da área administrativa de Seul foi bastante expandida, visto que anexou uma série de cidades e vilas de diversos municípios vizinhos.[21]

De acordo com dados do censo 2012, a população da área de Seul representa cerca de 20% da população total da Coreia do Sul.[22] A cidade tornou-se o centro econômico, político e cultural do país,[13] sendo a sede de várias empresas listadas na Fortune 500, como Samsung, SK Group, Hyundai, POSCO e LG Group.[23] Seul também foi a cidade anfitriã dos Jogos Asiáticos de 1986 e dos Jogos Olímpicos de Verão de 1988, bem como uma das sedes da Copa do Mundo FIFA de 2002.[13]

GeografiaEditar

Seul está ao noroeste da península coreana. A área que compreende a cidade é de 605.39 km², dividida pelo rio Han na metade norte e sul. O rio Han e os arredores que o envolvem tiveram um importante papel na história coreana. Os três reinos antigos da península tentaram assumir o controle desta terra, onde o rio era usado como uma rota comercial para a China (via Rio Amarelo). Entretanto, hoje, o rio Han não é mais usado para navegação porque o seu estuário está localizado na divisa entre as duas Coreias, em que é proibida a entrada de civis. A cidade é demarcada por oito montanhas, bem como pelas mais altas terras da planície do rio Han e áreas ao oeste.

ParquesEditar

 
Parque Hangang

A poluição do ar de Seul agora está no mesmo nível de Tóquio e significativamente inferior à de Pequim.[24] A área metropolitana de Seul acomoda seis grandes parques, incluindo o Seoul Florest, que teve início em meados 2005. A Seoul National Capital Área também contém um cinturão verde destinado a evitar a cidade a partir de sprawling ao longo da vizinha província de Gyeonggi. Essas áreas são frequentemente procuradas por pessoas que vão descansar nos fins de semana e durante as férias. Destaca-se também o parque urbano Cheonggyecheon, criado à beira do rio homônimo. Além disso, Seul também é lar de um parque gigante, o Lotte World. Outros centros de atividades recreativas incluem os estádios que já foram usados para as Olimpíadas de Seul e para a Copa do Mundo da Câmara Municipal e o gramado público do City Hall's.

ClimaEditar

Em comum com o resto da Coreia do Sul, Seul tem influência de monção, apesar do fato de a Coreia do Sul ser cercada pelos três lados por mares. Verões são geralmente quentes e úmidos,[25] com monções acontecendo no período entre junho e setembro. Agosto, o mês mais quente do ano, tem uma temperatura média de 22°C a 30 °C, com temperaturas mais altas possíveis. Os invernos da cidade são normalmente frios quando comparados com outros lugares de latitudes próximas, com uma média de temperatura em janeiro que varia de -7 °C a 1 °C. Os invernos são geralmente mais secos que os verões, mas há neve em aproximadamente 28 dias todo o ano em Seul.

Dados climatológicos para Seul
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 14,4 18,7 23,8 29,8 34,4 37,2 38,4 38,2 35,1 30,1 25,9 17,7 38,4
Temperatura máxima média (°C) 1,5 4,7 10,4 17,8 23 27,1 28,6 29,6 25,8 19,8 11,6 4,3 17
Temperatura média (°C) −2,4 0,4 5,7 12,5 17,8 22,2 24,9 25,7 21,2 14,8 7,2 0,4 12,5
Temperatura mínima média (°C) −5,9 −3,4 1,6 7,8 13,2 18,2 21,9 22,4 17,2 10,3 3,2 −3,2 8,6
Temperatura mínima recorde (°C) −22,5 −19,6 −14,1 −4,3 2,4 8,8 12,9 13,5 3,2 −5,1 −11,9 −23,1 −23,1
Precipitação (mm) 20,8 25 47,2 64,5 105,9 133,2 394,7 364,2 169,3 51,8 52,5 21,5 1 450,5
Dias com precipitação (≥ 0,1 mm) 6,5 5,8 7,4 7,8 9 9,9 16,3 14,6 9,1 6,3 8,7 7,4 108,8
Umidade relativa (%) 59,8 57,9 57,8 56,2 62,7 68,1 78,3 75,6 69,2 64 62 60,6 64,4
Horas de sol 160,3 163,3 189 205 213 182 120 152,5 176,2 198,8 153,2 152,6 2 066
Fonte: Korea Meteorological Administration (normal climatológica de 1981–2010; recordes de temperatura: 1913–presente).[26][27][28]
Panorama de Seul a partir de Namhansanseong

DemografiaEditar

 
Vista de Seul, com destaque para o KLI 63 Building à esquerda, ao fundo.
 
Edifício comerciais com a Torre de Seul ao fundo

Quase todos os residentes de Seul são coreanos, com alguma minoria chinesa e japonesa. Um rápido aumento da população de residentes internacionais representa hoje cerca de 2% da população total de Seul.[29] A população de Seul superou 10 421 000 ao final de 2007 e, o número de estrangeiros era de nada menos que 229 000. A maioria estuda em universidades coreanas ou trabalha na cidade.[30]

O índice de criminalidade em Seul é muito baixo. As duas maiores religiões dos habitantes de Seul são o budismo e o cristianismo. outras religiões incluem o xamanismo e o confucionismo, o último visto mais como uma invasora filosofia social, em vez de uma religião.

Ano População
1428 103 328
1660 200 000
1881 199 100
1890 192 900
1899 211 200
1902 196 600
1906 230 900
1910 278 958
1915 241 085
1920 250 208
1925 336 349
1930 355 426
1935 404 202
1940 930 547
   
Ano População
1944 947 630
1949 1 418 025
1952 648 432
1955 1 574 868
1960 2 445 402
1966 3 793 280
1970 5 433 198
1975 6 889 502
1980 8 364 379
1985 9 639 110
1990 10 612 577
1995 10 231 217
2000 9 895 972
2005 10 349 312
Panorama da capital sul-coreana

PolíticaEditar

GovernoEditar

 
Sede da prefeitura de Seul

O prefeito é de Seul eleito para um mandato de quatro anos pelos cidadãos e é responsável pela administração do governo da cidade, que é formado por 5 secretarias, 32 escritórios e 107 divisões. A sede está localizada no prédio da Prefeitura de Seul, que fica em Jung-gu. O governo teve início em 28 de setembro de 1946 sob o nome "Governo da Cidade de Seul", mas se tornou o "Governo Metropolitano de Seul" em 15 de agosto de 1949. A administração local é composta por um prefeito e três vice-prefeitos, sendo o primeiro encarregado de assuntos políticos e os outros dois encarregados de assuntos administrativos.[31][32]

O Instituto de Seul (SI), a think tank da cidade, foi estabelecido em 1992 pelo Governo Metropolitano de Seul e apoia os processos de formulação de políticas da administração municipal por meio da realização de pesquisas intensivas e da cooperação com institutos de pesquisa nacionais e estrangeiros. O SI procura colaborar e se comunicar com os cidadãos de Seul "para garantir a validade de suas várias pesquisas políticas".[33][34]

Relações internacionaisEditar

Seul tem 23 cidades-irmãs:[35]

SubdivisõesEditar

 Ver artigo principal: Distritos de Seul
 
Distritos de Seul

Seul é dividida em 25 divisões administrativas da Coreia do Sul gu (구) (distrito), que são subdivididas em 522 divisões administrativas da Coreia do Sul dong (동) (vizinhança), que são subdivididas em 13 787 tong (통), que são subdivididas em 102 796 ban (반).

EconomiaEditar

 
Sede da Samsung em Gangnam, a maior companhia de produtos eletrônicos do mundo[36]
 
Panorama do distrito de Jung

Seul é o centro financeiro e de negócios da Coreia do Sul. Embora represente apenas 0,6% da área terrestre do país, 48,3% dos depósitos bancários da Coreia do Sul foram realizados em Seul em 2003[37] e a cidade gerou 23% do PIB geral do país em 2012.[38] Em 2008, o Índice Mundial de Centros de Comércio classificou Seul na nona posição.[39]

Em 2015, o Global Financial Centers Index listou Seul como a sexta cidade financeiramente mais competitiva do mundo.[40] A Economist Intelligence Unit classificou Seul em 15º lugar na lista de competitividade futura das cidades.[41]

Indústria e finançasEditar

As indústrias de manufatura tradicionais e intensivas em mão de obra foram continuamente substituídas por indústrias de tecnologia da informação, eletrônica e de montagem;[42][43] no entanto, a produção de alimentos e bebidas, bem como impressão e publicação permaneceram entre as principais indústrias.[42]

Os principais fabricantes estão sediados na cidade, como Samsung, LG, Hyundai, Kia e SK. Empresas de alimentos e bebidas notáveis ​​incluem Jinro, cujo soju é a bebida alcoólica mais vendida no mundo, superando a vodka Smirnoff;[44] os produtores de cerveja mais vendidos são a Hite (fundido com a Jinro) e a Oriental Brewery.[45]

Seul abriga grande concentração de sedes de empresas e bancos internacionais, incluindo 15 empresas na lista da Fortune 500.[46] A maioria das sedes bancárias e da Korea Exchange estão localizadas em Yeouido (ilha Yeoui),[42] que é frequentemente chamada de "Wall Street da Coreia do Sul" e tem servido como distrito financeiro da cidade desde os anos 1980.[47]

Comércio e tecnologiaEditar

O maior mercado atacadista e varejista da Coreia do Sul, o Mercado Dongdaemun, está localizado em Seul.[48] Myeongdong é uma área de compras e entretenimento no centro de Seul, com lojas de médio a alto padrão, butiques de moda e lojas de marcas internacionais.[49] O Mercado Namdaemun, nomeado em homenagem ao Namdaemun, é o mais antigo mercado em funcionamento contínuo em Seul.[50]

O Insa-dong é o mercado de arte cultural de Seul, onde são vendidas obras de arte coreanas tradicionais e modernas, como pinturas, esculturas e caligrafia.[51] Os mercados Hwanghak-dong e Janganpyeong também oferecem produtos antigos.[52][53]

Algumas lojas de designers locais abriram em Samcheong-dong, onde estão localizadas várias pequenas galerias de arte. Apesar Itaewon atendeu principalmente a turistas estrangeiros e soldados estadunidenses baseados na cidade, os coreanos agora são a maioria dos visitantes da área.[54]

O distrito de Gangnam é uma das áreas mais ricas de Seul[54] e é conhecido pelas áreas elegantes e luxuosas de Apgujeong-dong e Cheongdam-dong e pelo COEX Mall. O Yongsan é o maior mercado de eletrônicos da Ásia,[55] enquanto o centro de compras Times Square é um dos maiores shopping centers de Seul com o CGV Starium, a maior tela de cinema permanente de 35 mm do mundo.[56]

Seul foi descrita como a "cidade mais conectada do mundo",[57] classificada em primeiro lugar em prontidão tecnológica pelo relatório Cities of Opportunity da PwC.[58] Seul tem uma infraestrutura muito avançada tecnologicamente[59][60] e está entre os líderes mundiais em conectividade com a Internet, com a maior penetração de banda larga de fibra óptica do mundo e a maior velocidade média global da Internet de 26,1 Mbit/s.[61][62]

Desde 2015, Seul fornece acesso Wi-Fi gratuito em espaços ao ar livre por meio de um projeto de 44 milhões de dólares com acesso à Internet em 10.430 parques, ruas e outros locais públicos.[63] A velocidade da Internet em alguns prédios de apartamentos chega a 52,5 Gbit/s com assistência da Nokia e, embora o padrão médio consista em serviços de 100 Mbit/s, os provedores em todo o país estão lançando rapidamente conexões de 1 Gbit/s ao equivalente a 20 dólares por mês.[64]

InfraestruturaEditar

Educação superiorEditar

Existe um grande número de universidades na cidade. A Universidade Nacional de Seul é considerada a mais prestigiosa do país. As outras universidades de Seul são:

  • Universidade de Hankuk de Estudos Estrangeiros
  • Universidade Yonsei
  • Universidade Sung Kyun Kwan
  • Universidade Sejong
  • Universidade Nacional da Coreia de Educação Física
  • Universidade Nacional da Coreia de Arte
  • Universidade Coreia
  • Universidade Chungang
  • Universidade Chugye de Arte
  • Universidade Dankuk
  • Universidade Dongduk
  • Universidade Feminina Dongduk
  • Universidade Feminina Duksung
  • Universidade Hansung
  • Universidade Hanyang
  • Universidade Feminina Hanyang
  • Universidade Hong-ik
  • Universidade Induk
  • Universidade Konkuk
  • Universidade Kookmin
  • Universidade Kang-woon
  • Universidade Kyunggi
  • Universidade Kyunghee
  • Universidade Myongji
  • Universidade Sahmyook
  • Universidade Sangmyung
  • Universidade Seogyeong
  • Universidade Nacional de Seul
  • Universidade Municipal de Seul
  • Universidade Feminina de Seul
  • Universidade Sogang
  • Universidade Feminina Songshin
  • Universidade Feminina Sookmyung
  • Universidade Soongsil

TransportesEditar

 
Aeroporto Internacional de Incheon, o melhor aeroporto do mundo, 90% de eficiência em voos, hotel, hospital, lojas de grife, robôs.
 
KTX. O trem expresso coreano atinge mais de 300 km/h.

O "boom" dos transportes em Seul remonta a era do Império Coreano, quando as primeiras ruas foram definidas e uma ferrovia ligando Seul a Incheon foi construída. Hoje, com o resultado da diversificação de sua rede de transportes, a cidade de Seul se tornou um grande polo de transportes na Ásia.n Seul tem mais de três milhões de veículos registrados e o congestionamento generalizado é comum.

Existem dois aeroportos que servem Seul. O Aeroporto Internacional de Gimpo, anteriormente na cidade de Gimpo e anexado a Seul em 1963, era o único aeroporto de Seul da sua construção original durante a Guerra da Coreia. Múltiplos aeroportos foram construídos rapidamente ao redor de Seul antes, durante e depois da guerra. O mais famoso foi em Yeouido, uma vez que serviu como porta de entrada do país para o mundo afora. O Aeroporto Internacional de Incheon se tornou, juntamente com o Aeroporto Internacional de Hong Kong e o Aeroporto Changi de Singapura, um importante centro de transporte do Sudeste Asiático. A pesquisa de opinião AETRA 2005 administrada pela IATA e o Airports Council International (Conselho Internacional dos Aeroportos) classificaram Incheon como o melhor aeroporto do mundo.[65] O Aeroporto Internacional de Incheon também foi nomeado pelo Skytrax como um dos 5 melhores aeroportos de 2006.[66]

O sistema de ônibus de Seul é operado pelo Governo Metropolitano de Seul, com quatro configurações primárias de ônibus disponíveis servindo a maior parte da cidade.Seul tem muitos grandes terminais expressos. Esses ônibus ligam Seul e cidades em toda a Coreia. Os grandes terminais de ônibus são: Terminal Expresso de ônibus Seul em Seocho-gu; Cidade Central em Seocho-gu; Terminal Seul Nambu, também em Seocho-gu; Terminal de ônibus Dongseoul em Gwangjin-gu; Terminal Sangbong em Jungnang-gu.

O Metrô de Seul foi inaugurado em 1974 e tem 287 km[67] em 10 linhas que interligam todos os distritos da cidade entre si e com a área circundante. São 293 estações em uma rede de 319,3 quilômetros de extensão.[68]

A cidade de Seul está ligada a todas as principais cidades da Coreia por ferrovias. O trem expresso coreano, KTX (Korean Express Train), um trem-bala que opera a uma velocidade superior a 300 km/h, também liga Seul à maioria das grandes cidades coreanas, tornando os bate-voltas entre cidades extremamente convenientes para trabalhadores pendulares e turistas.

CulturaEditar

MuseusEditar

Seul abriga 115 museus,[69] incluindo quatro museus nacionais e nove municipais oficiais. Entre os museus nacionais da cidade, o Museu Nacional da Coreia é o mais representativo dos museus não apenas de Seul, mas de toda a Coreia do Sul. Desde a sua criação em 1945, o museu construiu uma coleção de 220 mil artefatos.[70]

O Museu Folclórico Nacional está localizado nos terrenos do palácio Gyeongbokgung no distrito de Jongno e usa réplicas de objetos históricos para ilustrar a história folclórica do povo coreano.[71] O Museu do Palácio Nacional da Coreia também está localizado nos terrenos do Gyeongbokgung. Finalmente, a filial de Seul do Museu Nacional de Arte Moderna e Contemporânea, cujo museu principal está localizado em Gwacheon, abriu em 2013, em Sogyeok-dong.[72]

Bukchon Hanok e Namsangol Hanok são antigos distritos residenciais que consistem em casas, parques e museus tradicionais coreanos hanok que permitem aos visitantes experimentar a cultura tradicional coreana.[73][74]

O Memorial da Guerra das Coreias, um dos nove museus municipais de Seul, oferece aos visitantes uma experiência educacional e emocional de várias guerras nas quais a Coreia esteve envolvida, incluindo temas da Guerra da Coreia.[75][76] A Prisão Seodaemun é uma antiga prisão construída durante a ocupação japonesa e é usada atualmente como um museu histórico.[77]

EsportesEditar

Seul foi sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 1988 e dos Jogos Paraolímpicos dessa mesma competição. A cidade também foi uma das cidades que hospedou a Copa do Mundo FIFA em 2002. O Seoul World Cup Stadium foi sede da cerimônia de abertura e do primeiro jogo da Copa.

O Taekwondo é o mais influente esporte nacional coreano, e em Seul é onde se localiza o Kukkiwon, o quartel-general da World Taekwondo Federation (WTF), a Federação Mundial de Taekwondo, a sede mundial do taekwondo "moderno", ou olímpico.

A cidade também abriga dois times de beisebol que estão na Liga Coreana de Beisebol (Korean Baseball Organization): o Doosan Bears e o LG Twins. Também dois times de basquetebol que estão na Korean Basketball League (Liga de Basquetebol Coreana): o Seoul Samsung Thunders e o Seoul SK Knights.

Há um clube profissional de futebol em Seul, o FC Seoul, que está na K-League, e dois times que estão na K3 League, o Seoul United FC e o Eungpyeong Chung-goo FC.

Referências

  1. https://www.mois.go.kr/frt/sub/a05/totStat/screen.do
  2. «Current population of the Seoul National Capital Area». Statistics Korea 
  3. «Lists: Republic of Korea». UNESCO 
  4. «Bukhansan National Park (북한산국립공원)». English.visitkorea.or.kr. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  5. «Lotte World – Seoul Attractions». Viator.com. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  6. «Longest bridge fountain». Guinnessworldrecords.com. 1 de janeiro de 2008. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  7. «The Chosun Ilbo (English Edition): Daily News from Korea – Seoul Voted Asians' Top Travel Destination Again». English.chosun.com. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  8. «서울 통계정보 시스템». stat.seoul.go.kr 
  9. MasterCard-Global Destination Cities index
  10. «50 reasons why Seoul is world's greatest city». cnn.com. 12 de julho de 2017 
  11. Herald, The Korea (27 de maio de 2014). «Incheon Airport tops service quality for 9th year». koreaherald.com 
  12. «Lotte World Premium Tower». CTBUH. Consultado em 10 de abril de 2011 
  13. a b c d e f g h «Seoul». Encyclopædia Britannica. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  14. «Pungnap-toseong (Earthen Ramparts)». Seoul Metropolitan Government. Consultado em 7 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  15. «Bugaksan Mountain». Korea Tourism Organization. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  16. «Seoul City Wall». UNESCO. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  17. «Bosingak Belfry». Korea Tourism Organization. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  18. Nam Moon Hyon. «Early History of Electrical Engineering in Korea: Edison and First Electric Lighting in the Kingdom of Corea» (PDF). Promoting the History of EE Jan 23–26, 2000. Institute of Electrical and Electronics Engineers. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  19. Kyung Moon Hwang (2010). A History of Korea. [S.l.]: Palgrave Macmillan. p. 142. ISBN 9780230364523 
  20. a b Stephen Hamnett, Dean Forbes, ed. (2012). Planning Asian Cities: Risks and Resilience. [S.l.]: Routledge. p. 159. ISBN 9781136639272 
  21. «Urban Planning of Seoul». Seoul Metropolitan Government. 2009. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  22. «Facts about Korea». Korea.net. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  23. «GLOBAL 500». CNN Money. 23 de julho de 2012. Consultado em 7 de fevereiro de 2014 
  24. «- Environment Report». iges.or.jp. Consultado em 9 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 4 de julho de 2007 
  25. «BBC Weather - Country Guide». bbc.co.uk 
  26. Climate data in Seoul, 1981 ~ 2010 (em coreano), Korea Meteorological Administration.
  27. «기후자료 극값(최대값) 전체년도 일최고기온 (℃) 최고순위, 서울(108)» (em coreano). Korea Meteorological Administration. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  28. «기후자료 극값(최대값) 전체년도 일최저기온 (℃) 최고순위, 서울(108)» (em coreano). Korea Meteorological Administration. Consultado em 18 de agosto de 2013 
  29. Park, Chung-a (24 de julho de 2007). «Foreign Population in Seoul Stands at 195,000» (em inglês). Korea Times. Consultado em 6 de janeiro de 2008 
  30. [1]
  31. «서울특별시청 Seoul Metropolitan Government» (em coreano). Doosan Encyclopedia. Consultado em 7 de maio de 2008. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2013 
  32. «Organization Chart». Official site of Seoul Metropolitan Government. Consultado em 7 de maio de 2008 
  33. «Seoul Think Tank Changes Its Name». Official site of Seoul Metropolitan Government. Consultado em 30 de março de 2015 
  34. «Objective of the Foundation». The Seoul Institute. Consultado em 30 de março de 2015 
  35. «Seoul – Sister Cities». Seoul Metropolitan Government. Consultado em 2 de março de 2021 
  36. «OLED TV – displays – screens – gadgets: About OLED» (em inglês). Oled.si. 2007. Consultado em 7 de abril de 2010. Arquivado do original em 5 de fevereiro de 2012 
  37. Yim, Seok-hui. «Geographical Features of Social Polarization in Seoul, South Korea» (PDF). In: Mizuuchi, Toshio. Representing Local Places and Raising Voices from Below. Osaka City University. p. 34. Consultado em 19 de abril de 2016. Arquivado do original (PDF) em 23 de abril de 2016 
  38. Industrial Policy and Territorial Development: Lessons from Korea. [S.l.]: OECD Development Center. 16 de maio de 2012. p. 58. ISBN 9789264173897 
  39. «Worldwide Centers of Commerce Index» (PDF). MasterCard. Consultado em 13 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 24 de junho de 2008 
  40. «The Global Financial Centres Index 12» (PDF). Z/Yen Group. 2012. Consultado em 11 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 23 de março de 2014 
  41. «Hot Spots 2025: Benchmarking the Future Competitiveness of Cities» (PDF). The Economist Intelligence Unit. 2013. Consultado em 13 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 9 de janeiro de 2014 
  42. a b c «Seoul: Economy». Encyclopædia Britannica. Consultado em 13 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  43. «The primacy of Seoul and the capital region». United Nations University. Consultado em 13 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 4 de novembro de 2014 
  44. «It's official: Jinro soju is the world's best-selling liquor». CNN Travel. 12 de junho de 2012. Consultado em 29 de abril de 2013. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2014 
  45. «Fiery food, boring beer». The Economist. 24 de novembro de 2012. Consultado em 24 de abril de 2013. Arquivado do original em 1 de julho de 2017 
  46. «Global : Cities». CNN. Consultado em 3 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de maio de 2010 
  47. «Neon shines brightly during the bustle on Yeouido stock street». Korea JoongAng Daily. 5 de janeiro de 2010. Consultado em 13 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 17 de maio de 2014 
  48. «Dongdaemun Market». Visit Seoul. Consultado em 11 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  49. «Myeong-dong». Korea Tourism Organization. Consultado em 11 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2014 
  50. 서울공식여행가이드. Visit Seoul Net. Consultado em 16 de maio de 2018. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2016 
  51. «Insa-dong». Korea Tourism Organization. Consultado em 11 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2014 
  52. «Hwanghak-dong Flea Market». Korea Tourism Organization. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  53. «Antique Markets». Seoul Matropolitan Government. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 8 de outubro de 2010 
  54. a b «Itaewon: Going Gangnam Style?». The Korea Times. 14 de fevereiro de 2013. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  55. «Yongsan Electronics Market, Asia's largest IT shopping mall». KBS World. 1 de março de 2011. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2014 
  56. «Largest Permanent 35mm Cinema Screen». Guinnessworldrecords.com. 18 de agosto de 2009. Consultado em 7 de agosto de 2013. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2013 
  57. «50 reasons why Seoul is world's greatest city». 12 de julho de 2017. Consultado em 24 de outubro de 2014. Arquivado do original em 22 de outubro de 2014 
  58. PricewaterhouseCoopers. «Cities of Opportunity» (PDF). Consultado em 20 de maio de 2014. Arquivado do original (PDF) em 20 de maio de 2014 
  59. «KOREA: Future is now for Korean info-tech». AsiaMedia. Regents of the University of California. 14 de junho de 2005. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2008 
  60. «Tech capitals of the world – Technology». The Age. Melbourne, Australia. 18 de junho de 2007. Consultado em 18 de junho de 2009. Arquivado do original em 12 de setembro de 2009 
  61. akamai's [state of the internet] Q4 2016 report (PDF) (Relatório). Akamai Technologies. Consultado em 18 de dezembro de 2017. Arquivado do original (PDF) em 13 de maio de 2018 
  62. «Hi Seoul, SOUL OF ASIA – Seoul Located In the Center of Asian Metropolises». English.seoul.go.kr. Consultado em 7 de agosto de 2013. Arquivado do original em 10 de julho de 2012 
  63. Wifi in All Public Areas Arquivado 2011-06-17 no Wayback Machine
  64. CJ헬로비전-에러페이지. Consultado em 18 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2017 
  65. «Airport Service Excellence Awards for 2005». ACI. 7 de março de 2006. Consultado em 25 de agosto de 2006. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2008 
  66. «Airport of the Year 2006». World Airport Awards. Skytrax. Consultado em 25 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2006 
  67. «Cópia arquivada». Consultado em 11 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 30 de agosto de 2005 
  68. Metrô de Seul (ed.). «Message from the CEO». Consultado em 19 de fevereiro de 2022 
  69. «Status of Museum». Seoul Metropolitan Government. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 11 de setembro de 2014 
  70. «Seoul's best museums». CNN. 27 de outubro de 2011. Consultado em 2 de junho de 2013. Arquivado do original em 16 de setembro de 2014 
  71. «National Folk Museum of Korea». Korea Tourism Organization. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 16 de julho de 2014 
  72. Kwon, Mee-yoo (20 de novembro de 2013). «A city intrigued». The Korea Times. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  73. «Namsangol Hanok Village». Korea Tourism Organization. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 12 de outubro de 2014 
  74. «Bukchon Hanok Village». Korea Tourism Organization. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 15 de setembro de 2014 
  75. Veale, Jennifer. «Seoul: 10 Things to Do». Time. Time (revista). Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 27 de setembro de 2014 
  76. «The War Memorial of Korea». Korea Tourism Organization. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2015 
  77. «Seodaemun Prison History Museum». Korea Tourism Organization. Consultado em 18 de setembro de 2014. Arquivado do original em 4 de junho de 2014 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Categoria no Wikinotícias
  Guia turístico no Wikivoyage

Precedido por
Capital de Baekje
18 a.C.–475 d.C.
Sucedido por
Ungjin
Precedido por
Gaegyeong
Capital da Coreia
1394–1948
Sucedido por
Precedido por
Nova criação
Capital da Coreia do Sul
1948–atualmente
Sucedido por
Incumbente