Abrir menu principal

O Condado de Barcelona foi criado no ano 801 por Carlos Magno no território da Marca de fronteira. O título nobiliárquico de Conde de Barcelona começou por ser usado por dignitários nomeados pelo rei franco, mais tarde soberanos dos Condados catalães (o que se tornaria a partir de 1064 de forma incipiente o Principado da Catalunha). O título passa a ser hereditário com Vifredo I de Barcelona e a partir de 1137, com a união dinástica com Aragão levada a cabo por Raimundo Berengário IV de Barcelona, passa a ser ostentado pelos reis da Coroa de Aragão. Durante alguns períodos tumultuosos e bélicos o título foi atribuído a dignitários de diferentes nacionalidades.

Esta lista indica as diferentes localizações dos sepulcros dos Condes de Barcelona.


Dinastia de Barcelona do Condado de BarcelonaEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
1 Vifredo I de Barcelona Ripoll16 (tumba Guifré).jpg 878 - 897 Mosteiro de Santa Maria de Ripoll Em batalha Esteve primeiramente sepultado na Abadia de San Martín del Canigó
2 Vifredo II de Barcelona (também foi chamado Borrel I) Sant-pau-del-camp-repor-int-guifre-DSCF0209.jpg 897 - 911 Mosteiro de São Paulo do Campo em Barcelona - Morre sem descendência, as suas posses passam para o seu irmão Suniário
3 Suniário I de Barcelona Interior Esglèsia.JPG 911 - 947 Crê-se ter sido sepultado no Mosteiro de Santa Maria de Ripoll - O sepulcro tem paradeiro desconhecido.
4 Miron I de Barcelona Interior Esglèsia.JPG 911 - 947 Crê-se ter sido sepultado no Mosteiro de Santa Maria de Ripoll - Governou com o irmão Borrel e não casou nem teve descendência. O sepulcro tem paradeiro desconhecido.
5 Borrel II de Barcelona 947 - 992 É provável que tenha feito testamento em La Seu d'Urgell seis dias antes de morrer - Governou com os filhos a partir de 986. O sepulcro tem paradeiro desconhecido.
6 Raimundo Borrel I de Barcelona 992 - 1017 Crê-se ter sido sepultado na Igreja românica anterior à Catedral de Barcelona - O sepulcro tem paradeiro desconhecido.
7 Berengário Raimundo I de Barcelona Sepulcre romànic d'Ermessenda de Carcassona2.jpg 1021 - 1035 Crê-se ter sido sepultado no Mosteiro de Santa Maria de Ripoll, Principado da Catalunha - A mãe Ermesinda de Carcassona foi regente. O sepulcro tem paradeiro desconhecido. Na imagem o sepulcro românico de Ermesinda na Catedral de Girona.
8 Raimundo Berengário I de Barcelona Barcelona Cathedral Interior - Sepulchres of Ramón Berenguer I and Almodis.jpg 1035 - 1076 Catedral de Barcelona, Principado da Catalunha - O sepulcro esteve até 1545 na Catedral de Girona.
9 Raimundo Berengário II de Barcelona Sepulcre de Ramon Berenguer II Catedral de Girona.jpg 1076 - 1082 Catedral de Girona, Principado da Catalunha Assassinato, talvez instigado pelo irmão, durante uma caçada
10 Berengário Raimundo II de Barcelona 1076 - 1097 Catedral de Girona, Principado da Catalunha Morreu em peregrinação à Terra Santa. Governou com o irmão Raimundo. O sepulcro tem paradeiro desconhecido.
11 Raimundo Berengário III de Barcelona RamonBerenguerIIITomba.jpg 1097 - 1131 Mosteiro de Santa Maria de Ripoll, Principado da Catalunha
12 Raimundo Berengário IV de Barcelona Cenotafi-Ramon Berenguer IV.jpg 1131 - 1162 Mosteiro de Santa Maria de Ripoll, Principado da Catalunha Trata-se de um cenotáfio pago pela Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém em 1893. O sepulcro original foi profanado durante a Campanha do Rossilhão, e alguns anos mais tarde quando se despoletou a primeira guerra carlista, foi novamente profanado, incendiado e destruído.


Dinastia de Barcelona da Coroa de AragãoEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
13 Afonso II de Aragão e I de Barcelona AlfonsCastPoblet.jpg 1163 - 1196 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
14 Pedro II de Aragão e I de Barcelona Pere-II-aragó-tomba-sixena.jpg 1196 - 1213 Mosteiro de Santa Maria de Sixena Morreu na batalha de Muret.
15 Jaime I Jaume-I-aragó-santa-maria-poblet.jpg 1213 - 1276 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
16 Pedro III de Aragão e II de Barcelona Santes Creus, monestir-PM 66193.jpg 1276 - 1285 Mosteiro de Santes Creus, Principado da Catalunha
17 Afonso III de Aragão e II de Barcelona Barcelona Cathedral Interior - Royal tombs in the Cathedral of Barcelona.jpg 1285 - 1291 Catedral de Barcelona, Principado da Catalunha O seu sepulcro é o da esquerda na foto.
18 Jaime II Santes Creus, monestir-PM 66192.jpg 1291 - 1327 Mosteiro de Santes Creus, Principado da Catalunha
19 Afonso IV de Aragão e III de Barcelona Sepulcre d'Alfons el Benigne.jpg 1327 - 1336 Sé Velha de Lérida, Principado da Catalunha
20 Pedro IV de Aragão e III de Barcelona PereCerimoniosPoblet.jpg 1336 - 1387 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
21 João I Monestir de Poblet-PM 26327.jpg 1387 - 1396 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
22 Martim I MartiHumaPoblet.jpg 1396 - 1410 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha É o último rei em linha direta da Dinastia de Barcelona. Morreu sem sucessor legítimo.



Dinastia de TrastâmaraEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
23 Fernando I   1412 - 1416 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
24 Afonso V de Aragão e IV de Barcelona   1416 - 1458 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
25 João II 1458 - 1462 Esteve em guerra com as instituições catalãs (Generalidade e Conselho de Cento).


Guerra civil com as instituições catalãs (1462 - 1472): Condes nomeados pela GeneralidadeEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
26 Henrique IV de Castela e I de Barcelona   1462 Mosteiro Real de Santa Maria de Guadalupe, Coroa de Castela Renuncia pelo Tratado de Baiona no mesmo ano.
27 Condestável de Portugal e Pedro IV de Barcelona   1464 - 1466 Igreja de Santa Maria do Mar, Principado da Catalunha Provavelmente envenenado.
28 Renato I   1466 - 1472 Catedral de Angers, Ducado de Anjou Envia João II de Lorena para levar a cabo algumas campanhas militares e com a morte deste fica decidida a guerra.


Dinastia de Trastâmara (continuação)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
29 João II   1472 - 1479 Mosteiro de Poblet, Principado da Catalunha
30 Fernando II   1479 - 1516 Capela Real de Granada, Reino de Granada (Coroa de Castela)


Dinastia de HabsburgoEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
31 Carlos I   1516 - 1558 Mosteiro do Escorial, Coroa de Castela Malária Após abdicar da Coroa continuará como Conde de Barcelona até à data de morte. Sepultado no Escorial em 1574.
32 Filipe II de Castela e I de Barcelona   1558 - 1598 Mosteiro do Escorial, Coroa de Castela
33 Filipe III de Castela e II de Barcelona   1598 - 1621 Mosteiro do Escorial, Coroa de Castela
34 Filipe IV de Castela e III de Barcelona 1621 - 1641 Ao invadir o Principado da Catalunha em janeiro de 1641, no seguimento da Guerra dos Segadores, a Generalidade da Catalunha retira-lhe o título de Conde de Barcelona.


Guerra catalã contra Castela (1641 - 1659)Editar

O Presidente da Generalidade da Catalunha, Pau Claris, proclama a República a 16 de janeiro de 1641, morrerá envenenado no mês seguinte, mas a República será vigente até ao final desse ano.

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
35 Luís XIII de França e I de Barcelona 1642 - 1643 Basílica de Saint-Denis, Reino da França Nomeado pela Generalidade da Catalunha. Sepulcro destruído em 1793.
36 Luís XIV de França e II de Barcelona 1643 - 1659 Basílica de Saint-Denis, Reino da França Nomeado pela Generalidade da Catalunha. Sepulcro destruído em 1793.


Dinastia de Habsburgo (continuação)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
37 Filipe IV de Castela e III de Barcelona   1659 - 1665 Mosteiro do Escorial, Coroa de Castela Por segunda vez, após o Tratado dos Pirinéus.
38 Carlos II   1665 - 1700 Mosteiro do Escorial, Coroa de Castela Múltiplos e graves problemas de saúde; sem descendência.

Dinastia de BourbonEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
39 Filipe V de Castela e IV de Barcelona 1700 - 1705 Durante o reinado despoleta a guerra de sucessão espanhola.


Guerra da sucessão espanhola (1701 - 1713/15)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
40 Carlos VI do Sacro Império Romano-Germânico e III de Barcelona   1706 - 1714 Cripta Imperial de Viena, Sacro Império Romano-Germânico


Dinastia de Bourbon (continuação séc. XVIII)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
41 Filipe V de Castela e IV de Barcelona 1714 - 1724 Palacio Real de La Granja de San Ildefonso, Coroa de Castela Faz aprovar os Decretos da Nova Planta que tratam de abolir os antigos Reinos medievais e respetivos direitos. Em 1724 abdica a favor do filho.
42 Luís I de Espanha   1724 Mosteiro do Escorial, Espanha Varíola
43 Filipe V de Castela   1724 - 1746 Palacio Real de La Granja de San Ildefonso, Espanha Acidente vascular cerebral Volta a reinar após a morte prematura do filho.
44 Fernando VI de Espanha 1746 - 1759 Convento das Salesas Reales (Madrid) Loucura e demência [1]
45 Carlos III de Espanha   1759 - 1788 Mosteiro do Escorial, Espanha
46 Carlos IV de Espanha 1788 - 1808 Abdica a favor do filho em 1808, que conspira contra ele no que ficou conhecido como "Conjura do Escorial" e que provocou depois o Motim de Aranjuez.


Guerra PeninsularEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
47 Fernando VII de Espanha 1808 Abdica a favor do pai quando reunida a família real espanhola com Napoleão Bonaparte em Baiona.
48 Carlos IV de Espanha   1808 Mosteiro do Escorial, Espanha Abdica a favor de José Bonaparte quando reunida a família real espanhola com Napoleão Bonaparte, seu irmão, em Baiona.
49 José Bonaparte   1808 - 1812 Palácio dos Inválidos, França
50 Napoleão Bonaparte   1812 - 1814 Palácio dos Inválidos, França Anexa o Principado da Catalunha em 1810, cujos Decretos de anexação são publicados a 2 de fevereiro de 1812. O armistício foi assinado a 25 de abril de 1814, com a consequente evacuação das tropas francesas.


Dinastia de Bourbon (continuação 1a metade séc. XIX)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
51 Fernando VII de Espanha   1814 - 1833 Mosteiro do Escorial, Espanha
52 Isabel II de Espanha   1808 - 1868 Mosteiro do Escorial, Espanha Exilada em França como consequência da Revolução de 1868, deixando um vazio de poder.


Dinastia de SaboiaEditar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
53 Amadeu I de Espanha   1871 - 1873 Basílica de Superga, Reino de Itália Abdica em 1873 por iniciativa própria, após vários dilemas, entre os quais a Terceira Guerra Carlista e abrindo passo à implantação da Primeira República Espanhola.


III Guerra Carlista (1872 - 76) e I República Espanhola (1873 - 74)Editar

Período de grande agitação popular, política e bélica. Carlos VII é pretendente ao trono espanhol e promete ao governo da Catalunha o restabelecimento da Generalidade e de outros direitos perdidos com os Decretos da Nova Planta. Em Madrid a República tem por Presidente dois catalães: primeiro Estanislao Figueras e depois Francisco Pi i Margall, ambos demitem sem conseguirem implementar as suas políticas.


Dinastia de Bourbon (continuação 2a metade séc. XIX)Editar

# Nome Período de governação Sepulcro Causa da morte Notas
54 Afonso XII de Espanha   1874 - 1885 Mosteiro do Escorial, Espanha Tuberculose e disenteria
55 Afonso XIII de Espanha   1885 - 1873 Mosteiro do Escorial, Espanha Abdica em 1930 após a vitória republicana nas eleições municipais.


Segunda República EspanholaEditar

Francesc Macià proclama a República Catalã em Barcelona a 14 de abril de 1931 e ato seguido Niceto Alcalá-Zamora faz o mesmo em Madrid. Lluís Companys proclamará o Estado Catalão a 6 de outubro de 1934, sendo preso em seguida e libertado em 1936. Exila-se em França, mas é capturado pelas forças nazis e entregue aos franquistas que o fuzilam em Barcelona em 1940.

Guerra civil e FranquismoEditar

A guerra desenrola-se entre 1936 e 1939 com a vitória do que se tornaria a ditadura franquista.

# Nome Período Sepulcro Causa da morte Notas
56 João de Borbon e Battenberg 1987 - 1993 Mosteiro do Escorial, Espanha Auto-proclama-se Conde de Barcelona durante o seu exílio, só sendo ratificado o título com o Real Decreto de 6 de novembro de 1987. Negociou com Franco os direitos dinásticos, que finalmente foram atribuídos ao filho Juan Carlos pelo ditador.


Referências