Serdab (em farsi: سرداب), que significa literalmente "água fria", que se tornou um empréstimo em árabe para "adega") é uma antiga estrutura tumular egípcia que servia de câmara para a estátua de um indivíduo falecido. Usado durante o Império Antigo, o serdab era uma câmara selada com uma pequena fenda ou buraco para permitir que a alma do falecido se movesse livremente. Esses buracos também deixam entrar os cheiros das oferendas apresentadas à estátua.[1]

Serdab da estátua de Djoser.

A palavra serdab também é usada para um tipo de câmara não decorada encontrada em muitas pirâmides.[2] Devido à falta de inscrições, tem sido impossível determinar a função ritual desta câmara, mas muitos egiptólogos vê-lo como um espaço de armazenamento, semelhante aos depósitos subterrâneos em túmulos privados e reais da segunda dinastia.[3]

Referências

  1. Bard, KA (1999). Encyclopedia of the Archaeology of Ancient Egypt. NY, NY: Routledge. ISBN 0-415-18589-0 
  2. Billing, Egyptens pyramider, 2009. Page 236
  3. Ägypten Die Welt der Pharaonen, 1998. Pages 68
  Este artigo sobre o Egito é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.