Serra do Engenho Novo

A Serra do Engenho Novo se constitui em um limite natural entre os bairros da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

HistóriaEditar

É formada por Tijuca, Andaraí, Maracanã, Grajaú, Usina e Vila Isabel e aqueles do subúrbio da Central do Brasil, cujos bairros que a margeiam são: São Francisco Xavier, Riachuelo, Rocha, Sampaio e Engenho Novo. Por se constituir em uma barreira à circulação entre a Zona Norte e os subúrbios, foi perfurado o túnel Noel Rosa, que originalmente seria parte integrante da Linha Verde, parcialmente concluída(outro trecho existente dessa via é a avenida Pastor Martin Luther King Jr., antiga Automóvel Clube) e que fazia parte do plano de mobilidade urbana da cidade.

A serra do Engenho Novo se constitui em um marco na paisagem dos subúrbios e da Zona Norte da cidade. Embora não seja muito elevada e não apresentar nenhum escarpamento muito acentuado, paralelamente a ela existem importantes vias de circulação como as ruas 24 de Maio e Ana Nery, Av. Marechal Rondon e ainda as ruas Visconde de Santa Isabel e Barão do Bom Retiro, sendo que esta última atravessa uma estreita garganta que a separa do maciço da Tijuca, por onde também se inicia a estrada Grajaú-Jacarepaguá, denominada de Av. Menezes Cortes.

A sua visão da esplanada das ruas Uruguai e Conde de Bonfim, na Tijuca, nos induz a pensar que ela se constitui em um limite a expansão da cidade e também à vista infinita das baixadas da Guanabara e Fluminense, com a serra dos Órgãos ao fundo. O que se observa pela vertente norte, é um morro ondulado, com poucos afloramentos e toda coberta por capim colonião. Atualmente já se pode observar também, o crescimento das árvores do reflorestamento implantado pela prefeitura. A serra do Engenho Novo deixa clara a diferenciação de infraestrutura entre os bairros da Zona Norte e dos subúrbios da Central.

OcupaçãoEditar

Como em todos os morros da cidade, a serra do Engenho Novo teve parte de suas encostas invadida por favelas. São elas: Macacos, Quieto, Matriz, São João e Silva Pinto. No entanto, ao contrário de outros morros do Rio de Janeiro, muitas vertentes estão livres das invasões, principalmente aquelas voltadas para o norte e que estão sendo reflorestados.

Ligações externasEditar