Sheila Leirner

Sheila Leirner (São Paulo, 1948) é uma curadora, jornalista e crítica de arte brasileira.[1]

Sheila Leirner
Sheila Leirner em 2009
Nascimento 25 de setembro de 1948 (71 anos)
São Paulo
Residência  França
Nacionalidade  Brasil e  França
Ocupação crítico de arte, curador, jornalista, ensaísta, memorialista e escritor
Prêmios Melhor Crítico de Arte ABCA (1976)
Personalidade artística da América Latina - AACA (1987))
Homenagem ABCA-AICA (2009)
Chevalier dans l'Ordre Français des Arts et des Lettres
Prêmio Mário de Andrade, pela trajetória - ABCA-AICA (2014)
Página oficial
Sheila Leirner

Vive e trabalha em Paris desde 1991. Estudou cinema, sociologia da arte e urbanismo na França e, em 1975, tornou-se crítica de arte no jornal O Estado de S. Paulo.[2] Ingressou na Associação Brasileira de Críticos de Arte, recebendo o prêmio Melhor Crítico do Ano dado pela ABCA e pela Secretaria da Cultura do Estado. Na ocasião da entrega dos prêmios ABCA 2009, recebeu homenagem da mesma Associação que, novamente, distinguiu o seu trabalho crítico.

Foi curador-geral de duas bienais internacionais de São Paulo (1985 e 1987), obtendo o prêmio Personalidade Artística do Ano na América Latina, dado pela Associação Argentina de Críticos de Arte, e a condecoração Chevalier de l'Ordre des Arts et Lettres do governo francês.

Membro do International Council of Museums, representante da Galerie nationale du Jeu de Paume para a América Latina de 1993 a 1999, entrou para a Associação Internacional de Críticos de Arte e, em 1992, para a AICA (secção França). É autor de apresentações de artistas, ensaios e traduções publicados em revistas e suplementos nacionais e internacionais como D'Ars, Beaux-Arts Magazine, Europe Magazine Littéraire, DNA, Ars, Revista da USP, Jornal de Resenhas (Folha de S. Paulo), Cadernos de Literatura Brasileira, entre outros.

Curador de exposições, membro de júris e conferencista convidada na América Latina, África, Estados Unidos, Ásia e Europa, realizou o vídeo Trilogia Amorosa (no acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo).

Em Paris, integra a comissão internacional de seleção para as bolsas UNESCO-ASCHBERG organizado pelo Fundo internacional para a promoção da cultura da Unesco e a comissão regional da Ile-de-France, encarregada de examinar os projetos do "1% artístico" dos ministérios franceses do Interior e da Educação Nacional.

LivrosEditar

  • Visão da Terra, participação na antologia de ensaios (Ed. Atelier de Arte e Edições, Rio de Janeiro, 1977)
  • Arte como Medida, Coleção Debates/Crítica (Ed. Perspectiva, São Paulo, 1983)
  • Arte e seu Tempo, Coleção Debates/Crítica (Ed. Perspectiva, São Paulo, 1991)
  • Enciclopédia Arco Data Latino Americana, coordenação geral da parte dedicada ao Brasil (Madri, 1993)
  • Ars in Natura, participação na antologia de ensaios (Ed. Mazzota, Milano, 1996)
  • Horizontes del arte latinoamericano, participação na antologia de ensaios (Ed. Tecnos, Madrid, 1999)
  • Lateinamerikanische Kunst, participação na antologia de ensaios (Ed. Prestel, Munique, 1993)
  • Leopoldo Nóvoa (Fundação Caixa Galícia, Corunha, Espanha, 1999)
  • Millôr Fernandes, participação na antologia de ensaios (Cadernos de Literatura Brasileira, Instituto Moreira Salles, São Paulo, 2003)
  • Céu acima - Para um tombeau de Haroldo de Campos, participação na antologia de ensaios (Ed. Perspectiva, São Paulo, 2005)
  • 35 Segredos para chegar a Lugar Nenhum, participação na antologia de contos (Editora Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2007).
  • O Surrealismo, com J. Guinsburg. Antologia de ensaios, coleção Stylus (Editora Perspectiva, São Paulo, 2008).
  • Felícia Leirner. Textos Poéticos e Aforismos, participação na antologia de textos críticos e biográficos sobre a autora (Editora Perspectiva, São Paulo, 2014).
  • Direi Tudo e um Pouco Mais, Crônicas, coleção Paralelos 34 (Editora Perspectiva, São Paulo, 2017).

Principais catálogosEditar

  • "I Trienal de Tapeçaria de São Paulo", apresentação, Museu de Arte Moderna, São Paulo, 1976
  • "Fantastic Art in Latin America", coletiva, Museu de Indianápolis, USA, 1983
  • "3.4 Grandes Formatos", coletiva,Centro Empresarial Rio, Rio de Janeiro, 1983
  • Participação no catálogo da coleção do Museu de Arte Contemporânea da USP, 1984
  • Catálogos das 18a e 19a Bienais Internacionais de São Paulo, 1985 e 1987
  • "Arthur A. Barrio", Kate Art Gallery, São Paulo, 1989
  • "Painterly/Pictorico" (Brazil Projects/90), coletiva, Municipal Art Gallery de Los Angeles e Museu de Arte de São Paulo (MASP), 1990
  • "O Pequeno Infinito e o Grande Circunscrito", coletiva, Galeria Arco, São Paulo, 1990
  • "A Forma Selvagem", Marcia Grostein, Museu de Arte de São Paulo (Masp), 1994
  • "Los siete dias de la creacion", Instituto de Cooperacion Iberoamericana, Buenos Aires, 1990
  • "Joan Miró", comemoração do primeiro centenário do nascimento do artista, UNESCO, 1993
  • "Ameriques Latines, art contemporain", Hôtel des Arts, exposição ligada à retrospectiva "Art Latinoamericain" no Centro Pompidou durante o quinto centenário do "Rencontre des Deux Mondes", Paris, 1993
  • "Art Latinoamericain" (Art contemporain), coletiva, Musée Ludwig, Taschen, Colônia, 1994
  • "Anna Maria Maiolino, Desenhos" - Galeria Debret, Paris, 1995
  • "Escultura Brasileira - Perfil de uma identidade", coletiva, Centro Cultural BID Banco Interamericano de Desenvolvimento, Washington D.C. - EUA, 1997
  • "Iris Sara Schiller" - CRÉDAC - Centre de Recherche, d'Échange et de Diffusion pour l'Art Contemporain, Ivry-sur-Seine, 1995 · XXVI FIAC, (com Christine Frérot) Paris, 1999
  • "Emaranhados", Anésia Pacheco Chaves, Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2002
  • "Caminhos do Contemporâneo 1952-2002", coletiva, Paço Imperial, Rio de Janeiro, 2002
  • "2080", coletiva, Museu de Arte Moderna, São Paulo, 2003
  • "Onde está você, Geração 80?", coletiva, CCBB, Rio de Janeiro, 2004
  • Catálogos para as exposições monográficas "Julio Le Parc": Bienal do Mercosul, Porto Alegre; Pinacoteca do Estado, São Paulo; Galeria Nara Roesler, SP; Museu de Belas-Artes de Buenos Aires; Museu de Belas-Artes de Mendoza.

ColaboraçõesEditar

Caderno 2, O Estado de S. Paulo , Jornal da Tarde, Guia das Artes, Módulo, Artworld/MundoArte (New York), Revista do Masp, Arcolatina (Madrid), Arte en Colombia, D'Ars, Bravo!, República, Vogue, Beaux-Arts Magazine, Ars, Revista da Usp, Jornal de Resenhas (Folha de S.Paulo), Cadernos de Literatura Brasileira - Instituto Moreira Salles (Número 15, dedicado a Millôr Fernandes).

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Mazetti, Henrique; Freire Filho, João (2020). «"Apenas uma garota": Greta Thunberg e os enquadramentos da raiva». Revista Mídia e Cotidiano. 31 páginas. Consultado em 12 de abril de 2020. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2020 
  2. Souza, Robson Fernando de (3 de setembro de 2019). «Artigo de blogueira do Estadão ataca Greta Thunberg com preconceito contra autistas aspies». Observatório da Imprensa. Consultado em 12 de abril de 2020. Cópia arquivada em 2 de abril de 2020 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.