Abrir menu principal

Wikipédia β

Shopping Vale do Aço

Shopping Vale do Aço
Vista parcial do Shopping Vale do Aço
Localização Ipatinga, Minas Gerais, Brasil
Inauguração 24 de setembro de 1998 (19 anos)
Slogan Muito mais Shopping para o Leste Mineiro. Muito mais completo para você.
Proprietário Intermall Empreendimentos e Participações
Números
Lojas 300
Área 70 mil m²
Área locável 35 mil m²
Estacionamento 1 700 vagas
Andares 2
Salas de
cinema
4 salas Moviecom, sendo duas em 3D
Página oficial www.shoppingvaledoaco.com.br

Shopping Vale do Aço, também conhecido como Shopping do Vale, é um shopping center localizado no município brasileiro de Ipatinga, no interior do estado de Minas Gerais. O empreendimento foi inaugurado em 24 de setembro de 1998 e pertence à Intermall Empreendimentos e Participações, configurando-se como o maior centro de compras da Região Metropolitana do Vale do Aço e do leste mineiro e entre os maiores do interior do estado.[1]

Além da importância comercial, o shopping center é considerado o maior equipamento de lazer e entretenimento da Região Metropolitana do Vale do Aço e suas salas de cinema são as únicas da região. Segundo o SEBRAE, está entre os atrativos que mais seriam indicados a viajantes por empresários e profissionais que recebem turistas de negócios no Vale do Aço.

Índice

HistóriaEditar

 
Shopping Vale do Aço em 2010.

O projeto do Shopping Vale do Aço foi iniciado em 1994, gerando uma parceria entre a Intermall Empreendimentos e Participações, a Fundação São Francisco Xavier e a Cooperativa de Consumo dos Empregados da Usiminas (Consul).[2] No local funcionava o depósito central da Consul, que também serviu para a execução do canteiro de obras, mas foi demolido antes do início da instalação das fundações do shopping.[3] A Intermall também administrava outros centros comerciais em Minas Gerais, a exemplo do Itaú Power Shopping, em Contagem, e o Shopping Cidade, em Belo Horizonte,[4] porém vendeu boa parte de sua representatividade a uma firma do Canadá, restringindo suas atividades posteriormente apenas ao shopping de Ipatinga.[5]

A criação do shopping acompanhou um processo de descentralização da atividade comercial em Ipatinga, que entre as décadas de 1980 e 90 havia registrado uma considerável ascensão no Centro da cidade.[6] Sua construção teve início em 1997 e durou cerca de 11 meses, sendo executada quase exclusivamente com o encaixe de estruturas de aço.[7] A estrutura metálica empregada foi fornecida pela Usiminas Mecânica, subsidiária da Usiminas.[3] A inauguração ocorreu em 24 de setembro de 1998, sendo um dos primeiros empreendimentos do ramo em uma região cuja fonte de renda predominante é originada do setor industrial.[8] Juntamente com o shopping também foi inaugurada a primeira etapa da construção do Centro Cultural Usiminas, com a criação da Galeria de Arte Hideo Kobayashi. Em 31 de outubro de 2002, foi inaugurado o teatro do centro cultural, com capacidade para 724 lugares, tido como um dos mais modernos do Brasil.[9]

O projeto inicial previa expansões tanto vertical quanto horizontal.[7] Desde a sua criação, o centro de compras recebeu três expansões, concluídas em 23 de março de 2006, 12 de junho de 2007 e 24 de setembro de 2015.[10] Até 2013, o shopping contava com um andar e área construída de 30 mil m², que abrangiam 112 lojas.[4] A última expansão, iniciada em 8 de julho de 2013[11] e inaugurada dois anos mais tarde em homenagem a seu 17º aniversário, resultou em um estacionamento coberto com sete andares e um segundo andar locável, elevando a quantidade de lojas para além do dobro.[8] No decorrer das obras da última ampliação, duas mortes foram registradas, sendo uma por atropelamento de um caminhão de uma empresa terceirizada e outra por eletrocussão.[12]

Sistemas construtivosEditar

 
Praça de alimentação do Shopping Vale do Aço.

O terreno plano, o fácil acesso, a proximidade com a fornecedora das estruturas metálicas e os materiais pré-moldados foram fatores que favoreceram a rápida execução da obra.[3] O shopping foi construído originalmente com a junção de estruturas de aço, grande parte delas de aço "SAC-41". Nas áreas de circulação são visíveis as vigas treliçadas que sustentam a cobertura.[3] O uso de sistemas pré-moldados tinha a intenção de favorecer expansões posteriores, com elementos adaptáveis a outros tipos de estruturas. Diferentemente da construção original, na qual empregou-se exclusivamente o aço, nas expansões posteriores foram usados sistemas mistos de aço e concreto.[7]

O revestimento foi feito em alvenaria de blocos de concreto e cerâmicos pré-moldados, com aberturas de esquadrias metálicas e com vidro temperado,[7] enquanto que as fachadas exteriores receberam acabamento de cerâmicas padrão castor e branco.[3] Cabe ressaltar que a estrutura sofre efeitos das vibrações produzidas pela BR-381 e Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), que passam paralelas ao shopping, mesmo com a existência de uma canaleta anti-vibratória. Isso, aliado a ocasionais vazamentos hidráulicos ou mesmo a ação do tempo, gera necessidade de ocasionais reparos e redimensões na estrutura ou no revestimento. A corrosão de componentes metálicos devido à umidade também implica tratamento anti-corrosivo.[13]

Outras características são a cobertura metálica, lajes de concreto maciças e a calafetação das juntas estruturais, além do fechamento vertical e horizontal, conferindo condições de climatização e isolamento acústico.[7] Certos setores do interior da edificação, inclusive a praça de alimentação, receberam iluminação zenital.[3] No hipermercado Consul as vigas em treliças vencem vãos de 21 a 24 metros e sua cobertura é de telha trapezoidal galvanizada, com isolamento térmico e acústico. A alvenaria empregada no hipermercado foi produzida pela Usimix com escória (rejeitos siderúrgicos).[14]

InfraestruturaEditar

 
Interior do centro de compras.

Em uma área total de 70 mil m²,[10] a área bruta locável passou a 35 mil m² ao fim da ampliação de 2015.[15] O número de lojas foi aumentado para 300, sendo nove âncoras,[8][16] distribuídas em dois andares. Localizado em meio às pistas da Avenida Pedro Linhares Gomes (trecho urbano da BR-381), a área do shopping também abrange o estacionamento coberto com sete andares, além do estacionamento aberto e do Centro Cultural Usiminas.[8] Os estacionamentos coberto e aberto totalizam 1 700 vagas[8] e há cobrança pelo seu uso desde janeiro de 2016.[17] O centro de compras, lazer e serviços emprega direta e indiretamente aproximadamente 3 mil pessoas[8] e recebia um fluxo médio mensal de 60 mil pessoas e 18 mil veículos segundo informações de 2016. Dentre os clientes, cerca de 37% pertencem à classe AB e 42% à classe CD.[18]

As quatro salas de cinema, que são administradas pela Moviecom, foram inauguradas no segundo piso em dezembro de 2014 para substituírem as duas antigas e contam com 146, 212, 212 e 163 cadeiras, respectivamente, sendo duas delas equipadas com tecnologia 3D.[19] São as únicas salas de cinema do Vale do Aço em atividade.[20] Em 2016, foi inaugurada uma casa noturna com capacidade para 800 pessoas no andar superior do empreendimento.[18] Além do Centro Cultural Usiminas, a Usiminas é a responsável por 17 mil m², cuja área foi cedida pelo shopping em um empréstimo de 99 anos para a instalação do hipermercado Consul (Cooperativa de Consumo dos Empregados da Usiminas).[21]

CulturaEditar

 
Entrada do Centro Cultural Usiminas.

Ocasionalmente o Shopping Vale do Aço é palco de apresentações artísticas tanto de âmbito regional quanto nacional. O Centro Cultural Usiminas oferece oficinas, espetáculos teatrais e musicais e seu teatro é considerado um dos mais modernos do país,[22] sediando recorrentemente atrações como a Campanha de Popularização do Teatro e da Dança[23] e o Ipatinga Live Jazz.[24] A praça de alimentação do shopping também acolhe apresentações de diferentes estilos e gêneros musicais, em especial artistas regionais.[25] No período do Natal, são realizadas promoções e sorteios entre as lojas e o centro de compras recebe decoração especial com guirlandas, brinquedos, cascata de luzes, árvore de Natal, além do "trenzinho" em meio à decoração natalina e do trono para crianças tirarem fotos com Papai Noel.[26] Outras ocasiões que normalmente também contam com decorações temáticas e promoções são a Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados e as festas juninas.[27]

O centro de compras é considerado como o principal equipamento de lazer e entretenimento da Região Metropolitana do Vale do Aço.[20] Segundo uma pesquisa divulgada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), em 2012, 98% dos profissionais que recebem turistas de negócios na região apontavam conhecer o shopping (mesma porcentagem do Parque Ipanema), bem como 98% dos administradores de hotéis, restaurantes e operadoras de turismo (seguido pelo Parque Ipanema, com 95%), sendo assim o atrativo mais conhecido dentre outros lugares do Vale do Aço que foram citados em um questionário.[28] Dentre o primeiro grupo citado, 79% indicariam o centro de compras a um viajante em alguma ocasião, posicionando-se em segundo lugar nessa lista, ficando atrás de bares e restaurantes locais (98%).[29] De acordo com a mesma pesquisa, o shopping é mencionado por alguns empresários como o único atrativo adequadamente divulgado na região.[30]

Uma das entradas principais do Shopping Vale do Aço.
Fluxo de consumidores no shopping no período do Natal.
Vista do palco do Centro Cultural Usiminas.
Entrada para as salas Moviecom.

Referências

  1. Vale do Aço Convention & Visitors Bureau (24 de setembro de 2015). «Inauguração da terceira expansão do Shopping Vale Do Aço 17º Aniversário». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  2. Alves 2011, p. 78
  3. a b c d e f Alves 2011, p. 112–116
  4. a b Douglas Couto (3 de fevereiro de 2012). «Shopping do Vale do Aço vai dobrar de tamanho». Jornal Diário do Comércio. Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  5. Revista Ipatinga Cidade Jardim. «Linha do tempo - 11 de março de 1965». Eu Amo Ipatinga. Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  6. Almeida 2004, p. 21
  7. a b c d e Alves 2011, p. 107–110
  8. a b c d e f Jornal Diário do Aço (23 de setembro de 2015). «Shopping inaugura terceira expansão». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  9. Revista Fator Brasil (19 de setembro de 2008). «Festival de Teatro Usicultura 15 anos e realiza semana cultural gratuita». Consultado em 28 de agosto de 2017.. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2017 
  10. a b Vale do Aço Convention & Visitors Bureau (12 de junho de 2007). «Shopping do Vale do Aço - Histórico». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  11. Jornal Diário do Aço (26 de junho de 2013). «Início da expansão do shopping anunciada para dia 8 de julho». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  12. Jornal Diário Popular (14 de setembro de 2015). «Operário morre eletrocutado em obras de expansão no Shopping». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  13. Alves 2011, p. 139–143
  14. Alves 2011, p. 144–146
  15. Nádia de Assis (14 de outubro de 2015). «Shopping Vale do Aço inaugura expansão». Jornal Diário do Comércio. Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  16. Plox (24 de setembro de 2015). «Shopping Vale do Aço comemora 17 anos com abertura de expansão». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  17. Jornal Diário do Aço (7 de janeiro de 2016). «Shopping define cobrança pelo estacionamento». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  18. a b Jornal Hoje em Dia (11 de setembro de 2016). «Shopping Vale do Aço tem meta ambiciosa de crescimento». Consultado em 28 de agosto de 2017.. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2017 
  19. Jornal Diário Popular (8 de dezembro de 2014). «Cinema reabre dia 18». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  20. a b PDDI 2014, p. 691
  21. Plox (13 de julho de 2015). «"A Usiminas não poderá vender o imóvel da Consul para terceiros", afirma presidente da Cooperativa». Consultado em 9 de fevereiro de 2016.. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2016 
  22. Instituto Cultural Usiminas. «Teatro do Centro Cultural». Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  23. InterTV dos Vales (21 de fevereiro de 2013). «Ipatinga recebe a 10ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança». G1. Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  24. Jornal Diário Popular (6 de novembro de 2013). «Ipatinga Live Jazz começa na sexta com João Bosco». Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  25. Jornal Diário do Aço (6 de maio de 2016). «Happy Sunday no Shopping». Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  26. Jornal Diário do Aço (27 de outubro de 2015). «Shopping lança campanha de Natal». Consultado em 7 de junho de 2016.. Cópia arquivada em 7 de junho de 2016 
  27. Revista Ipatinga Cidade Jardim. «Xerimbabo 2015 mostra a vida no planeta em seu passado, presente e futuro». Eu Amo Ipatinga. Consultado em 7 de junho de 2016. 
  28. Ramos 2012, p. 11; 39–44
  29. Ramos 2012, p. 36
  30. Ramos 2012, p. 26

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar