Sight & Sound

Sight & Sound é uma revista de cinema britânica de publicação mensal. Publicada pela primeira vez em 1932, o filme com maior aparição nas listas divulgadas é Citizen Kane (1941).[1][2]

Sight & Sound
Editor Nick James
Frequência Mensal
Fundação 1932
Empresa British Film Institute
País  Reino Unido
Idioma Língua inglesa
ISSN 0037-4806

Distribuída pela British Film Institute, o atual editor-chefe é Nick James.

Enquete da Sight & Sound dos maiores filmes de todos os temposEditar

A cada década, a Sight & Sound pede a um grupo internacional de profissionais de cinema que vote em seus dez melhores filmes de todos os tempos. Até 1992, os votos dos críticos e diretores convidados foram compilados para formar uma lista. No entanto, desde 1992, os diretores foram convidados a participar de uma pesquisa separada.

Os resultados individuais são ecléticos; na pesquisa de 2002, 2.045 filmes diferentes receberam pelo menos uma menção de um dos 846 críticos.

O prêmio Sight & Sound passou a ser considerado uma das mais importantes das pesquisas sobre o "melhor filme de todos os tempos". Roger Ebert descreveu como "de longe a mais respeitada das inúmeras pesquisas de grandes filmes - a única que as pessoas mais sérias levam a sério".[3] A primeira pesquisa, em 1952, foi encabeçada por Bicycle Thieves. As cinco pesquisas subsequentes (1962–2002) foram vencidas por Citizen Kane (que terminou em 13º em 1952), enquanto a Vertigo recebeu o maior número de votos em 2012.[4] Apenas La Règle du jeu (As Regras do Jogo) apareceu em todas as sete pesquisas decenais da revista. Entre os diretores que participaram em 2012 estão Quentin Tarantino, Martin Scorsese, Ken Loach e Francis Ford Coppola.

No passado, a Sight & Sound foi alvo de críticas, principalmente de Raymond Durgnat, que frequentemente o acusava de elitismo, puritanismo e esnobismo, embora ele tenha escrito para isso nos anos 50 e novamente nos anos 90.[5][6] A contraparte americana da revista é a Film Comment, uma revista publicada pela Film Society do Lincoln Center em Nova York.[7]

Top 10 dos CríticosEditar

2012Editar

 
Um Corpo que Cai (1958), o maior filme de todos os tempos, segundo a mais recente enquete dos críticos.[8]
  1. Um Corpo que Cai (191 menções)
  2. Cidadão Kane (157 menções)
  3. Era Uma Vez em Tóquio (107 menções)
  4. A Regra do Jogo (100 menções)
  5. Aurora (93 menções)
  6. 2001: Uma Odisseia no Espaço (90 menções)
  7. Rastros de Ódio (78 menções)
  8. Um Homem com uma Câmera (68 menções)
  9. A Paixão de Joana d'Arc (65 menções)
  10. (64 menções)

Mais próximo do Top 10: O Encouraçado Potemkin (63 menções)

[9]

Top 10 dos CineastasEditar

2012Editar

  1. Era Uma Vez em Tóquio (48 menções)
  2. 2001: Uma Odisseia no Espaço (42 menções)
  3. Cidadão Kane (42 mentions)
  4. (40 menções)
  5. Taxi Driver (34 menções)
  6. Apocalypse Now (33 menções)
  7. O Poderoso Chefão (31 menções)
  8. Um Corpo que Cai (31 menções)
  9. O Espelho (30 menções)
  10. Ladrões de Bicicletas (29 menções)

Mais próximo do Top 10: Acossado (27 menções)

[10]

Os Maiores Diretores de Todos os TemposEditar

 
Orson Welles foi votado tanto pelos críticos quanto pelos diretores como o maior diretor da história do cinema, e sua obra-prima Cidadão Kane, o maior filme de todos, igualmente.

A lista foi elaborada reunindo os diretores dos filmes individuais em que os críticos e diretores votaram. 2002 foi o único ano em que a Sight & Sound compilou a lista.

Top 10 dos CríticosEditar

2002Editar

  1. Orson Welles
  2. Alfred Hitchcock
  3. Jean-Luc Godard
  4. Jean Renoir
  5. Akira Kurosawa
  6. Charlie Chaplin
  7. Federico Fellini
  8. John Ford
  9. Sergei Eisenstein
  10. Francis Ford Coppola
  11. Yasujiro Ozu

[11]

Top 10 dos CineastasEditar

2002Editar

  1. Orson Welles
  2. Federico Fellini
  3. Akira Kurosawa
  4. Alfred Hitchcock
  5. Francis Ford Coppola
  6. Billy Wilder
  7. Ingmar Bergman
  8. Stanley Kubrick
  9. David Lean
  10. Jean Renoir
  11. Martin Scorsese

[12]

Referências

  1. Miller, Henry K. «Poetry in motion». BFI Film Forever. BFI. Consultado em 14 de novembro de 2014 
  2. Gough-Yates, Kevin. «Raymond Who?». Raymond Durgnat.com. The Estate of Raymond Durgnat. Consultado em 14 de novembro de 2014 
  3. Roger Ebert. «'Citizen Kane' fave film of movie elite». Chicago Sun-Times. Consultado em 1 de janeiro de 2008 
  4. Johnson, Eric C. Sight and Sound Poll 1952: Critics, Caltech.
  5. Miller, Henry K. «Poetry in motion». BFI Film Forever. BFI. Consultado em 14 November 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. Gough-Yates, Kevin. «Raymond Who?». Raymond Durgnat.com. The Estate of Raymond Durgnat. Consultado em 14 November 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. Academic Journals
  8. Vertigo-Renegade Cut on YouTube
  9. «Critics Top Ten Poll 2002». Sight & Sound. British Film Institute. Consultado em May 10, 2018. Cópia arquivada em August 16, 2002  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata= (ajuda)
  10. «Directors' Top 100». Sight & Sound. British Film Institute. 2012 
  11. https://web.archive.org/web/20160303181654/http://old.bfi.org.uk/sightandsound/topten/poll/critics-directors.html
  12. [1]

Ligações externasEditar