Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas da Coreia

O Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas da Coreia (STAC; ou Federação Coreana de Trabalhadores Agrícolas[1]) é um sindicato e uma organização de massas para trabalhadores agrícolas na Coreia do Norte.[2] É uma das organizações de massa mais importantes do país.[3] O STAC foi fundado em 1946 e reformada em 1965 segundo as linhas do líder norte-coreano Kim Il-sung, Teses sobre a Questão Rural Socialista em Nosso País. A organização faz parte da Frente Popular Frente Democrática para a Reunificação da Pátria e é diretamente controlado pelo Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia.

Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas da Coreia
조선농업근로자동맹
Logótipo
Tipo Sindicato e organização de massas
Fundação 31 de janeiro de 1946 (76 anos)
Propósito Agricultura
Sede Pyongyang, Coreia do Norte
Membros 1,6 milhões (2014)
Línguas oficiais coreano
Filiação Frente Democrática para a Reunificação da Pátria
Presidente Kim Chang-yop
Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas da Coreia
Nome em coreano
Hangul 조선농업근로자동맹
Hanja 朝鮮農業勤勞者同盟
Romanização revisada Joseon-nongeop-geulloja-dongmaeng
McCune-Reischauer Chosŏn-nongŏp-kŭlloja-dongmaeng
Abreviação
Hangul 농근맹
Hanja 農勤盟
Romanização revisada Nonggeunmaeng
McCune-Reischauer Nonggŭnmaeng

O UAWK educa seus 1,6 milhão de membros — tanto fazendeiros quanto trabalhadores de escritório e trabalhadores braçais no setor agrícola — sobre questões agrícolas. Além disso, a organização educa em questões ideológicas, incluindo Juche. O atual presidente é Kim Chang-yop.

HistóriaEditar

O Sindicato foi fundado como Sindicato dos Agricultores da Coreia do Norte em 31 de janeiro de 1946.[4] Em fevereiro de 1951, foi fundido com seu equivalente sul-coreano, a Federação Geral de Sindicatos de Agricultores, para formar o Sindicato dos Agricultores da Coreia. A organização adotou seu nome atual em 25 de março de 1965. A razão por trás da mudança de nome foi a decisão de renovar a organização de acordo com as diretrizes estabelecidas no trabalho de Kim Il-sung sobre política agrícola de 1964, Teses sobre a Questão Rural Socialista em Nosso País.[5]

OrganizaçãoEditar

A organização está sediada na capital Pyongyang.[6] É controlado diretamente pelo Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia.[7] O STAC é um membro da Frente Popular Frente Democrática pela Reunificação da Pátria.[8]

O atual presidente do STAC é Kim Chang-yop.[9] Seu antecessor foi Ri Myong-kil,[10] que por sua vez foi precedido por Seong San-sop em abril de 1998. Seong foi precedido por Choe Seong-suk, que era o presidente desde 1993.[5]

FiliaçãoEditar

O número de membros atuais do sindicato de 1,6 milhão é inferior aos três milhões da década de 1980.[1][11] Os cidadãos norte-coreanos devem ser membros de pelo menos uma organização de massa afiliada ao partido, entre elas a STAC, a Federação Geral dos Sindicatos da Coreia e a União Socialista das Mulheres da Coreia. A afiliação ao STAC está aberta a agricultores em fazendas coletivas com idades entre 31 e 65 (60 para mulheres),[11] bem como a trabalhadores de escritório e trabalhadores manuais no setor agrícola.[4]

Além de educar sobre questões agrícolas, a organização oferece educação ideológica,[11] incluindo a ideia Juche.[12] O papel da organização por vezes é caracterizada como "doutrinar e controlar ... em vez de [representar] os trabalhadores".[2]

Referências

  1. a b Kim & Scalapino 1983, p. 102.
  2. a b Hassig & Oh 2015, p. 63.
  3. Kim & Scalapino 1983, p. 84.
  4. a b Yonhap 2002, p. 389.
  5. a b Yonhap 2002, p. 390.
  6. TEWYB 2004, p. 2486.
  7. CRNRP 2015.
  8. Lansford 2015, p. 3330.
  9. «6th Session of the 13th SPA Held». North Korea Leadership Watch. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  10. «Workers' Organizations». North Korea Leadership Watch (em inglês). 1 de novembro de 2010. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  11. a b c Understanding North Korea 2014 2015, p. 367.
  12. Cha 2013, p. 43.

BibliografiaEditar

Leitura adicionalEditar