Abrir menu principal
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2016). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sisleide do Amor Lima, mais conhecida como Sissi (Esplanada-BA, 2 de junho de 1967) é uma ex-futebolista brasileira.[1]

Sissi
Informações pessoais
Nome completo Sisleide do Amor Lima
Data de nasc. 2 de junho de 1967
Local de nasc. Esplanada-BA, Brasil
Altura 1,61
Informações profissionais
Posição Meia-atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996
1997–1998
1999
2000
2001–2003
2004–2008
2009
Saad Esporte Clube
São Paulo
Palmeiras
Vasco da Gama
San Jose CyberRays
California Storm
FC Gold Pride




00 65 00(5)

000 3 00(0)
Seleção nacional
1988-1999 Flag of Brazil.svg Brasil
Medalhas
Competidor do  Brasil
Copa do Mundo FIFA
Bronze Estados Unidos 1999 Jogadora

Índice

BiografiaEditar

Natural de Esplanada, Sisleide Lima do Amor, popular Sissi, nasceu no dia 2 de junho de 1967 e começou jogando futebol na rua, junto com os meninos, onde desenvolveu toda sua habilidade. Aos 14 anos, a meio-campista saiu de sua cidade para ir morar em um alojamento, onde começaria a treinar e profissionalizar-se.

Apareceu pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, levando o bom time da seleção, no entanto ainda desconhecido, para a semifinal, terminando a competição na quarta colocação.

No ano de 1999, na Copa do Mundo Feminina, organizada pela Fifa e disputada nos Estados Unidos, a jogadora comandou a equipe nacional que terminou a competição em terceiro lugar e ainda conquistou a chuteira de ouro, como artilheira do torneio.

A meio-campista muito habilidosa ainda participaria da campanha dos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, sempre como referência na armação de jogadas da equipe brasileira.

Imortalizada pelos belos lances e conquistas, Sissi tornou-se inspiração para garotas como Marta e Cristiane, que no futuro viriam a defender a Seleção Brasileira feminina.

CarreiraEditar

SeleçãoEditar

Disputou pela Seleção Brasileira Feminina duas Copas do Mundo: 1995 e 1999 (3º lugar), quando foi uma das artilheiras, com sete gols, empatada com a chinesa Sun Wen. Participou, também, dos Jogos Olímpicos de 1996 (4º lugar),[2] e de Jogos Olímpicos de 2000.

São Paulo Futebol Clube

A atleta foi um dos pilares da equipe tricolor na Era de Ouro da modalidade no Clube do Morumbi, entre 1997 e 2000, quando o São Paulo formou um super-time, que era a base da Seleção Brasileira do período. Jogavam bonito, passavam por cima das adversárias e conquistaram inúmeros títulos para a equipe paulista. O auge foi na a final do Brasileiro de 1997, em que as tricolores venceram a Lusa Sant'Anna por 4 a 0. Sissi ganhou tal notoriedade nessa época que a torcida tricolor chegou a "gritar para o o técnico do time masculino na época, Muricy Ramalho: "Ei, Muricy, coloca a Sissi"[1].

TreinadoraEditar

Atualmente, é a técnica da equipa feminina Las Positas College Women's, em Livermore, na Califórnia.

ArtilhariaEditar

Referências

  1. esportes.yahoo.com/ Por preferir jogar bola a ser sex symbol, primeira craque da Seleção Brasileira foi apagada da história
  2. «Perfil na Sports Reference». Consultado em 13 de fevereiro de 2016 

Ligações externasEditar