Abrir menu principal
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

D. Soeiro Viegas (? - Lisboa, 9 de Janeiro de 1232) foi o quarto Bispo de Lisboa após a restauração da diocese em 1147. Ascendeu à cadeira episcopal ulixibonense em 1210, tendo-se tornado um dos conselheiros favoritos de Afonso II de Portugal (subido ao trono em 1211), tendo auxiliado o novo monarca nas disputas que o opuseram às suas irmãs Mafalda, Sancha e Teresa. Nesse sentido, como as irmãs do rei apresentaram queixa ao Papa Inocêncio III, o rei enviou a Roma D. Soeiro Viegas a fim de o representar na sua causa, tendo conseguido resolver, com admirável talento, a situação em favor do rei.

Na sua jornada até Roma, teria contactado com três exemplos de santidade que se começavam a manifestar nos meados do Renascimento dos Séculos XII-XIII: São Domingos, São Francisco de Assis e São Boaventura; a este último teria mesmo feito saber as acções praticadas pelo seu conterrâneo Fernando Bulhões, duas décadas mais tarde canonizado como Santo António de Lisboa (ou de Pádua).

Em 1217, aproveitando o atracar de uma frota de cruzados a Lisboa, convidou-os a atacar o poderoso porto muçulmano de Alcácer do Sal, a partir do qual os almóadas procediam a várias investidas sobrea a costa portuguesa. Auxiliado assim pelos cruzados e por uma força de cavaleiros da Ordem de Santiago, comandou pessoalmente a expedição (dada a doença do rei, que lhe impedia do manejo das armas), tendo o castelo de Alcácer caído em 18 de Outubro daquele ano.

Com a subida ao trono do novo rei, Sancho II de Portugal, em 1223, ainda relativamente jovem, iniciou-se um período de relativa anarquia patrocinado pelos filhos segundos da nobreza, homens desprovidos de riqueza, desejosos de cometer feitos militares, e pilhando frequentemente os bens eclesiásticos para sobreviver. Por esse motivo, D. Soeiro viu-se obrigado a abandonar a sua diocese, tendo deslocado-se em peregrinação ao estrangeiro, donde só voltou com a ajuda do Papa Gregório IX.

Há quem afirme que, para o fim da vida, renunciou ao bispado para tomar o hábito de São Domingos, que conhecera durante a sua primeira viagem a Itália, mas não há provas que o corroborem.

D. Soeiro Viegas faleceu em 9 de Janeiro de 1232, tendo sido sepultado na Sé de Lisboa.

Precedido por
Soeiro Anes
Brasão episcopal
Bispo de Lisboa

12101232
Sucedido por
Vicente
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.