Soledade (Paraíba)

Município brasileiro do estado da Paraíba
Soledade
  Município do Brasil  
BR-230 na entrada de Soledade.
BR-230 na entrada de Soledade.
Símbolos
Bandeira de Soledade
Bandeira
Brasão de armas de Soledade
Brasão de armas
Hino
Gentílico soledadense
Localização
Soledade está localizado em: Brasil
Soledade
Localização de Soledade no Brasil
Mapa de Soledade
Coordenadas 7° 03' 25" S 36° 21' 46" O
País Brasil
Unidade federativa Paraíba
Região intermediária[1] Campina Grande
Região imediata[1] Campina Grande
Municípios limítrofes Juazeirinho, São Vicente do Seridó, Pocinhos, Olivedos, Gurjão e Boa Vista
Distância até a capital 165 5 km
História
Fundação 24 de setembro de 1885
Aniversário 24 de setembro
Administração
Prefeito(a) Geraldo Moura Ramos[2] (PP, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 560,042 km²
População total (IBGE/2010[4]) 13 739 hab.
Densidade 24,5 hab./km²
Clima semiárido
Altitude 521 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [5]) 0,639 médio
PIB (IBGE/2008[6]) R$ 52 443,102 mil
PIB per capita (IBGE/2008[6]) R$ 6 214,16
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora Santa Ana

Soledade é um município brasileiro do estado da Paraíba, localizado na Região Geográfica Imediata de Campina Grande. Sua população estimada é de 14.987 habitantes, segundo o Diário Oficial da União, publicado em 30 de agosto de 2017. Área territorial de 560 km². A cidade de Soledade, localizada a 186 km da capital João Pessoa, e a 54 km de Campina Grande, está situada no Cariri paraibano, onde além do Cariri, polariza grande parte do Curimataú e Seridó do estado[7], atingindo doze municípios: Soledade, Boa Vista, Pocinhos, Olivedos, Cubati, São Vicente do Seridó, Juazeirinho, Tenório, Junco do Seridó, Assunção, Santo André e Gurjão.

HistóriaEditar

 
Igreja Matriz Nossa Senhora Santa Ana.

O município começou pelo núcleo de Soledade, primitivamente chamada "Malhada das Areias Brancas", parte componente de uma fazenda adquirida pelo português João de Gouveia e Sousa. Este se instalara numa das terras do riacho do Padre, que começa no Olho d'água do Tapuia-pega e estende-se até Barra das Vacas. Os netos do primeiro proprietário, José Alves de Miranda e José de Gouveia e Sousa, fizeram doação do patrimônio para uma capela, mas a primeira construção foi um cemitério levantado pelo missionário Ibiapina, para inumação de vítimas da segunda cólera-morbo que grassou no lugarejo, em 1864. Antes disto, os enterros se faziam em São João do Cariri, numa distância de 70 quilômetros. No cemitério, edificou o referido missionário uma capelinha, a qual, tempos depois, foi ampliada, ocupando toda a área do antigo Campo Santo. Em torno da capela, que depois se tornaria a igreja matriz de Nossa Senhora Santa Ana, surgiu e cresceu a povoação que, anos adiante, foi elevada a sede de distrito com a denominação de Soledade, pela Lei provincial n.º682, de 3 de outubro de 1879. A Lei n.º 791, de 24 de setembro de 1885, elevou-a à categoria de vila, criando-lhe o município.

GeografiaEditar

Está situado no estado da Paraíba, na microrregião do Curimataú Ocidental, tendo como coordenadas geográficas 7º 03' 30" de latitude Sul e 36º 21' 47" de longitude Oeste. Limita ao Norte com o Município de São Vicente do Seridó, ao Leste com os Municípios de Olivedos e Pocinhos, ao Oeste com o Município de Juazeirinho e ao Sul com os Municípios de Gurjão e Boa Vista, apresentando uma extensão territorial de 631,96 km.. Sua localização está as margens da BR - 230, com as seguintes distâncias entre essas cidades (ver Mapa).

EducaçãoEditar

A cidade dispõe de várias instituições de ensino público e privado.

Na rede pública, têm-se:

  • Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Trajano Nóbrega;
  • Escola Municipal Professor Luiz Gonzaga Burity;
  • Escola Estadual Padre Ibiapina;
  • Escola Municipal Lúcia Matias;
  • Escola Municipal Maria do Carmo.

Na rede privada, podem-se citar:

  • CDI-Colégio Dinâmico Ibiapinópolis (Conhecido pelo CDI,Colégio administrado pela diretora Eliane Marinho)
  • Centro Educacional André Celestino de Gouveia (conhecida como a Escola de Kennedy - seu diretor)

BairrosEditar

Centro, Jardim Cruzeiro, Alto São José, Bela vista, Gouveião, Chico Pereira, Santa Tereza, Conjunto da CEHAP, Mutirão, Nova Olinda e Distrito Industrial.

Clima e vegetaçãoEditar

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[8]. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Sua vegetação é predominantemente a Caatinga, típica do semiárido nordestino.

Dados do Departamento de Ciências Atmosféricas, da Universidade Federal de Campina Grande, mostram que Soledade apresenta um clima com média pluviométrica anual de 400,9 mm[9] e temperatura média anual de 24,2 °C.[10]

Dados climatológicos para Soledade
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 31,0 30,5 29,9 29,1 27,7 26,6 26,3 27,5 29,0 30,7 31,4 31,5 29,3
Temperatura média (°C) 25,2 25,2 25,1 24,6 24,1 22,9 22,3 22,5 23,8 24,5 25,0 25,3 24,2
Temperatura mínima média (°C) 20,0 20,2 20,1 19,8 19,2 18,0 17,0 17,0 18,0 18,7 19,3 19,8 18,9
Precipitação (mm) 23,1 54,6 99,7 88,0 38,3 32,9 28,5 8,4 2,8 5,4 3,3 10,8 400,9
Fonte: Departamento de Ciências Atmosféricas.[9][10][11][12]

ComunicaçãoEditar

Soledade possui uma agência da empresa brasileira de Correios e Telégrafos e um posto da TELEMAR. Possui telefonia celular da TIM, CLARO e VIVO e recebe também o sinal da repetidora Globo (TV Paraíba - Campina Grande).

Na parte de internet, existem empresas que distribuem acesso à internet banda larga através de cabos de fibra ótica ou via rádio tanto para zona urbana com para zona rural.

A cidade atualmente possui apenas uma rádio a Caruá FM.

EconomiaEditar

Suas atividades principais são agricultura e pecuária, possuindo expressividade no comércio e pouca industrialização. Possuem 156 empresas atuantes no município nos diferentes setores da economia (IBGE - 2001). Sua avenida principal é larga e possui estabelecimentos de alimentação.

A cidade possui uma estação experimental da EMEPA, localizada na localidade pendência, PB-176 próximo a fronteira com Gurjão.

Apesar do clima seco a criação de caprinos, animais resistentes as altas temperaturas, é bem sucedida e movimenta a economia da cidade. A economia dos rebanhos caprinos sustem-se por produtos como queijo e leite, além da exposição dos animais em leilões por todo o Brasil.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. Portal Eleições 2016. «Resultado das Eleições: Soledade-PB». Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  7. “Soledade e Região Um Campus Já” deve ser uma luta de cada paraibano; Disponível em <[1] Arquivado em 20 de novembro de 2012, no Wayback Machine.> Acesso em 22 de Julho de 2012.
  8. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro Arquivado em 26 de março de 2010, no Wayback Machine..
  9. a b «Precipitação Mensal». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1990. Consultado em 13 de julho de 2018. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  10. a b «Temperatura Compensada Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  11. «Temperatura Máxima Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1980. Consultado em 13 de julho de 2018. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  12. «Temperatura Mínima Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 

Ligações externasEditar