Abrir menu principal
Solos
Soloi, Pompeioúpolis
Localização atual
Solos está localizado em: Turquia
Solos
Localização de Solos na Turquia
Coordenadas 36° 44' 31" N 34° 32' 24" E
País  Turquia
Região geográfica Cilícia Traqueia
Província Mersina

Solos (em grego clássico: Σόλοι; transl.: Sóloi) foi uma antiga cidade portuária na Cilícia Traqueia, na atual Turquia, hoje na província de Mersina.

HistóriaEditar

Colonos de Argos na Grécia e Lindo em Rodes são descritos como seus fundadores, com ela sendo mencionada pela primeira vez no tempo da campanha de Ciro, o Jovem. No século IV, era tão rica que Alexandre, o Grande exigiu multa de 200 talentos. Nas Guerras Mitridáticas, foi destruída pelo rei Tigranes, o Grande (r. 95–55), mas foi em seguida reconstruída pelo romano Pompeu, que assentou ali muitos dos piratas que capturou em suas campanhas e chamou-a Pompeópolis (em grego clássico: Πομπηιούπολις, Pompeioúpolis).[1]

Solos era cidade natal do estoico Crísipo e dos poetas Filemão e Arato. O mal grego falado em Solos levou ao surgimento do solecismo (σολοικισμός).[1] Em 260, o Sapor I (r. 240–270) fez grande campanha contra a Cilícia ao derrotar o imperador Valeriano (r. 253–260) na Batalha de Edessa. Solos foi uma das cidades atacadas na campanha, mas seria libertada após a vitória naval de Balista contra os invasores no mesmo ano.[2][3]

Suas ruínas, que se encontram na margem direita do Mezetlü Su, foram saqueadas para fornecer material de construção para Mersina, e pouco resta, exceto parte da colunata que ladeava a rua principal que levava ao porto. É facilmente acessado desde Mersina com carro em cerca de 1 ½ hora.[1]

Referências

  1. a b c Chisholm 1911.
  2. Dodgeon 2002, p. 311, nota 41.
  3. Potter 2004, p. 259.

bibliografiaEditar

  • Chisholm, Hugh (1911). «Soli». Enciclopédia Britânica. 11. Cambrígia: Cambridge University Press 
  • Dodgeon, Michael H.; Lieu, Samuel N. C. (2002). The Roman Eastern Frontier and the Persian Wars (Part I, 226–363 AD). Londres: Routledge. ISBN 0-415-00342-3 
  • Potter, David Stone (1990). Prophecy and history in the crisis of the Roman Empire. A historical commentary on the Thirteenth Sibylline Oracle. Oxônia: Oxford University Press