Abrir menu principal

Squel Jorgea

(Redirecionado de Squel)
Squel
Mangueira encerra o desfile das campeãs 2016 16.jpg
Squel no desfile das campeãs de 2016.
Informações pessoais
Nome completo Squel Jorgea Ferreira da Silva
Data de nasc. 4 de outubro de 1983 (36 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro,  Brasil
Informações profissionais
Escola atual Estação Primeira de Mangueira
Escolas de samba
Anos Escolas
1999-2012
2013
2014-presente
Grande Rio
Mocidade Independente
Mangueira

Squel Jorgea Ferreira da Silva (Rio de Janeiro, 4 de outubro de 1983) é uma porta-bandeira brasileira, duas vezes campeã do carnaval carioca pela Estação Primeira de Mangueira. Também é vencedora de dois Estandartes de Ouro, considerado o "Óscar do carnaval carioca", entre outros prêmios como o Tamborim de Ouro.[1][2]

BiografiaEditar

Squel Jorgea Ferreira da Silva nasceu no dia 4 de outubro de 1983, no bairro do Estácio, no Rio de Janeiro. Sua ligação com o carnaval vem de berço. Sua mãe desfilava na Estação Primeira de Mangueira. Seu pai, na Acadêmicos do Grande Rio. É neta de Xangô da Mangueira, histórico sambista do carnaval carioca. Desde pequena seu pai lhe levava para frequentar a quadra da Grande Rio, escola de Duque de Caxias. Começou a desfilar na escola aos nove anos, primeiro como baianinha, depois como passista e porta-bandeira mirim. Em 1999, ganhou um concurso para segunda porta-bandeira da escola. Em 2002, aos 18 anos, assumiu o primeiro posto.[3][4]

Como primeira porta-bandeira da Grande Rio, conquistou três vice-campeonatos (2006, 2007 e 2010). Em 2011, um incêndio destruiu o barracão da escola na Cidade do Samba. A agremiação não foi julgada. Após o desfile de 2014, se desligou da Grande Rio.[5] Em 2013, desfilou pela Mocidade Independente de Padre Miguel, mas no mesmo ano deixou a escola.[6] Para o carnaval de 2015, foi contratada pela Mangueira para substituir Marcella Alves, formando par com o mestre-sala Raphael Rodrigues.[7][8] Em 2014, foi uma das personalidades homenageadas no desfile da Unidos do Porto da Pedra, em homenagem aos casais de mestre-sala e porta-bandeira.[9] No carnaval de 2015, dançando na chuva, Squel e Raphael conquistaram a nota máxima de todos os jurados. Squel também recebeu seu primeiro Estandarte de Ouro, prêmio considerado o "Óscar do carnaval". No desfile, em homenagens às mulheres brasileiras, Squel incluiu em sua coreografia o gesto do "V de vitória", eternizado pela porta-bandeira mangueirense Neide.[10] No final de 2015, Squel se casou com o carnavalesco Leandro Vieira, com quem se relacionava desde 2008. No mesmo ano, Leandro foi contratado como carnavalesco da Mangueira.

Em 2016, Squel conquistou seu primeiro título no carnaval carioca. Mais uma vez, ela e Raphael receberam a nota máxima de todos os jurados. No desfile em homenagem à cantora Maria Bethânia, Squel se destacou pelo seu figurino, representando uma iaô iniciada no candomblé. A porta-bandeira cortou o cabelo para utilizar uma touca que fizesse ela parecer careca.[11] Com a saída de Raphael Rodrigues da Mangueira, a escola subiu de posto Matheus Olivério, seu segundo mestre-sala. Matheus é filho de Xangô da Mangueira e tio de Squel.[12] No final de 2018, Squel e Leandro Vieira terminaram o relacionamento de dez anos. Os dois seguiram trabalhando juntos na Mangueira.[13] Em 2019, Squel conquistou seu segundo título de campeã pela Mangueira. Pelo terceiro ano seguido, Squel e Matheus receberam nota máxima de todos os jurados. Squel também recebeu seu segundo Estandarte de Ouro.[14]

CarnavaisEditar

Abaixo, a lista de carnavais de Squel Jorgea e seu desempenho em cada ano.

Legenda:  0  Nota descartada  N  Escola foi campeã
Ano Grupo Escola Classificação Mestre-sala Notas Ref.
1999 Especial Acadêmicos do Grande Rio 6.º Lugar Márcio Luis Segunda Porta-Bandeira [15]
2000 Especial Acadêmicos do Grande Rio 9.º Lugar Márcio Luis Segunda Porta-Bandeira [16]
2001 Especial Acadêmicos do Grande Rio 6.º Lugar Jorge Luiz Segunda Porta-Bandeira [17]
2002 Especial Acadêmicos do Grande Rio 7.º Lugar Sidclei Santos 9,8 10 9,8 9,7 - [18][19]
2003 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Sidclei Santos 9,9 10 10 9,9 - [20][21]
2004 Especial Acadêmicos do Grande Rio 10.º Lugar Sidclei Santos 9,8 10 9,9 9,8 - [22][23]
2005 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Sidclei Santos 10 10 9,9 10 - [24][25]
2006 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Sidclei Santos 9,9 10 10 10 - [26][27]
2007 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Sidclei Santos 9,9 10 9,9 9,9 - [28][29]
2008 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Sidclei Santos 10 9,9 10 10 - [30][31]
2009 Especial Acadêmicos do Grande Rio 5.º Lugar Sidclei Santos 9,9 10 9,9 9,9 - [32][33]
2010 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Sidclei Santos 10 10 10 10 9,9 [34][35]
2011 Especial Acadêmicos do Grande Rio A escola não foi julgada [36]
2012 Especial Acadêmicos do Grande Rio 5.º Lugar Luís Felipe Rosa 10 9,9 9,9 9,8 - [37][38]
2013 Especial Mocidade Independente de Padre Miguel 11.º Lugar Feliciano Júnior 9,9 9,8 9,8 9,7 - [39][40]
2014 Especial Estação Primeira de Mangueira 8.º Lugar Raphael Rodrigues 9,9 9,9 9,9 9,8 - [41][42]
2015 Especial Estação Primeira de Mangueira 10.º Lugar Raphael Rodrigues 10 10 10 10 - [43][44]
2016 Especial Estação Primeira de Mangueira Campeã Raphael Rodrigues 10 10 10 10 - [45][46]
2017 Especial Estação Primeira de Mangueira 4.º Lugar Matheus Olivério 10 10 10 10 - [47][48]
2018 Especial Estação Primeira de Mangueira 5.º Lugar Matheus Olivério 10 10 10 10 - [49][50]
2019 Especial Estação Primeira de Mangueira Campeã Matheus Olivério 10 10 10 10 - [51][52]

Títulos e estatísticasEditar

Squel foi duas vezes campeã do carnaval carioca. Em outras três ocasiões foi vice-campeã.

Divisão  
Campeonato
Ano  
Vice
Ano  
Terceiro lugar
Ano
 
Grupo Especial
2 2016 e 2019 3 2006, 2007 e 2010 3 2003, 2005 e 2008

PremiaçõesEditar

2015 - Melhor Porta-Bandeira (Mangueira) [10]
2019 - Melhor Porta-Bandeira (Mangueira) [14]
2006 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Sidclei Santos - Grande Rio) [53]
2009 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Sidclei Santos - Grande Rio) [54]
2010 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Sidclei Santos - Grande Rio) [55]

Referências

  1. «Squel Jorgea – primeira Porta-Bandeira». Acadêmicos do Grande Rio. 29 de maio de 2016. Consultado em 28 de abril de 2019. Arquivado do original em 29 de maio de 2016 
  2. Moção 61/2007. Alerj
  3. «Squel: dona do sorriso e do pavilhão da Mangueira». O Globo. 14 de fevereiro de 2016. Consultado em 27 de abril de 2019. Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2019 
  4. «Squel: 'Momento marcante é o que estou vivendo em Mangueira'». SRzd. 9 de janeiro de 2014. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  5. Squel não é mais porta-bandeira da Grande Rio. SambaSul, 29 de fevereiro de 2012
  6. Porta-bandeira Squel deixa a Mocidade. SRZD, 21 de fevereiro de 2013
  7. Mangueira confirma contratação da porta-bandeira Squel. O Dia, 2 de maio de 2013
  8. «Squel na Mangueira: A continuação de um histórico familiar». Site Carnavalesco. 7 de maio de 2013. Consultado em 27 de abril de 2019. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2016 
  9. Porta-bandeira Squel Jorgea, da Mangueira, também será homenageada pelo Tigre. Porto da Pedra
  10. a b «Estandarte de Ouro 2015». Site do Jornal O Globo. Consultado em 26 de março de 2017. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  11. Porta-bandeira Squel fez ritual para dar corpo a uma filha de santo na Mangueira. Extra, 12 de fevereiro de 2016
  12. Fern, Alice. «Casos de família! Tio de Squel, mestre-sala realiza sonho: 'O momento chegou'». Sambarazzo. Consultado em 27 de abril de 2019. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2017 
  13. Fern, Alice. «Casamento chega ao fim! Após 10 anos juntos, Leandro Vieira e Squel se separam». Sambarazzo. Consultado em 27 de abril de 2019. Cópia arquivada em 27 de abril de 2019 
  14. a b Confira a lista dos vencedores do Estandarte de Ouro de 2019. O Globo, 5 de março de 2019
  15. «Acadêmicos do Grande Rio 1999». Galeria do Samba. Consultado em 27 de abril de 2019 
  16. «Acadêmicos do Grande Rio 2000». Galeria do Samba. Consultado em 27 de abril de 2019 
  17. «Acadêmicos do Grande Rio 2001». Galeria do Samba. Consultado em 27 de abril de 2019 
  18. «Notas 2002». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  19. «Carnaval 2002». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  20. «Notas 2003». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  21. «Carnaval 2003». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  22. «Notas 2004». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  23. «Carnaval 2004». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  24. «Notas 2005». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  25. «Carnaval 2005». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  26. «Notas 2006». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  27. «Carnaval 2006». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  28. «Notas 2007». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  29. «Carnaval 2007». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  30. «Notas 2008». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  31. «Carnaval 2008». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  32. «Notas 2009». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  33. «Carnaval 2009». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  34. «Notas 2010». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  35. «Carnaval 2010». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  36. «Carnaval 2011». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  37. «Notas 2012». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  38. «Carnaval 2012». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  39. «Notas 2013». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  40. «Carnaval 2013». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 16 de março de 2016 
  41. «Notas 2014». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  42. «Carnaval 2014». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 2 de junho de 2017 
  43. «Notas 2015». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  44. «Carnaval 2015». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 2 de junho de 2017 
  45. «Notas 2016». Site Apoteose. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 2 de junho de 2017 
  46. «Carnaval 2016». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 2 de junho de 2017 
  47. «Notas 2017». Site Apoteose. Consultado em 1 de junho de 2017. Cópia arquivada em 1 de junho de 2017 
  48. «Carnaval 2017». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 2 de junho de 2017 
  49. «Estação Primeira de Mangueira 2018». Galeria do Samba. Consultado em 27 de abril de 2019 
  50. «Notas 2018 – Grupo Especial». Site Apoteose. Consultado em 8 de junho de 2018. Cópia arquivada em 8 de junho de 2018 
  51. «Estação Primeira de Mangueira 2019». Galeria do Samba. Consultado em 27 de abril de 2019 
  52. «Notas 2019 – Grupo Especial». Site Apoteose. Consultado em 23 de abril de 2019. Cópia arquivada em 23 de abril de 2018 
  53. «Tamborim de Ouro 2006». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  54. «Tamborim de Ouro 2009». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  55. «Tamborim de Ouro 2010». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 

Ver tambémEditar