Abrir menu principal

Wikipédia β

Stanislavs Ladusãns

Professor de Filosofia, membro da Academia Brasileira de Filosofia.

Stanislavs Ladusãns (vila de Rudzeisi, paróquia de Zvirgzdene, região de Latgale, Letônia, 22 de agosto de 1912 - 25 de julho de 1993) foi um letão-brasileiro professor de filosofia, membro da Academia Brasileira de Filosofia[1] e padre da Igreja Católica enviado ao Brasil pela Companhia de Jesus em 17 de fevereiro de 1947. Apesar de ter nascido na Letônia, construiu sua carreira na Polónia, na Itália e no Brasil.[2]

Stanislavs Ladusãns
Nome completo Stanislavs Ladusãns
Nascimento 22 de agosto de 1912
Rudzeisi, Letônia
Morte 25 de julho de 1993 (80 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade letão
Brasileiro (naturalizado)
Progenitores Mãe: Agata Massals Ladusãns
Pai: Constantino Ladusãns
Ocupação Padre e professor de Filosofia
Principais trabalhos Rumos da filosofia atual no Brasil, em auto-retratos

Índice

CarreiraEditar

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, fundou em 1970 a Sociedade Brasileira de Filósofos Católico e, posteriormente, o Centro de Pesquisas Filosóficas em São Paulo.[3] A partir de 1953 o Prof. Pe. Stanislavs Ladusãns assumiu a direção da Biblioteca do Centro de Estudos Superiores da Companhia de Jesus, especializada em Filosofia e Teologia, que foi iniciada em Nova Friburgo (RJ).[4]

Já com pós-doutorado, Ladusãns não pôde retornar à Letônia por conta das ocupações soviéticas. Ele escondeu sua identidade dos órgãos de segurança, pois, na época, letões estavam sendo repatriados à força para a União Soviética. Suas ideias emergem do século XIII e sintetizam o Tomismo sob a ótica da filosofia moderna e da fenomenologia. Também foi um estudioso do filósofo prussiano Immanuel Kant, a quem dedicou sua tese de doutorado.[2]

Ele foi um dos primeiros a divulgar a filosofia concreta de Mário Ferreira dos Santos. Durante uma pesquisa científica sobre a situação do pensamento filosófico brasileiro, entrou em contato com a filosofia de Mário com quem passou a ter frequentes contatos pessoais.[3]

Stanislavs Ladusãns ainda organizou quatro congressos de filosofia,[2] foi membro da Pontifícia Universidade São Tomás de Aquino e Presidente da Associação Católica Interamericana de Filosofia.[5][6]

Foi professor do filósofo, jornalista, escritor e ensaísta Olavo de Carvalho na PUC-RJ.[7]

BibliografiaEditar

  • Humanismo pluridimensional, Loyola, 1974, v. 2, 1037 p.
  • Rumos da filosofia atual no Brasil; em auto-retratos, Loyola, 1976, v. 1. il.
  • Pensamento parcial e total, Loyola, 1977, 294 p.
  • Criatividade filosófico-cristã hoje, Presença, 1982, 27 p. (Coleção tema atual, 50).
  • Gnosiologia pluridimensional; fundamentos fenomenológico-críticos do conhecimento da verdade, Presença, 1982, 2ª ed., 59 p. (Collectio "tema atual", 51-52).
  • Originalidade cristã da filosofia, Presença, 1984, 24 p. (Coleção tema atual, 72).
  • Verdade e certeza, Presença, 1986, 50 p.
  • A análise social filosófico-cristã, Presença, 1988, 361 p.
  • Questões atuais de bioética, Loyola, 1990, 361 p.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Falecidos». Academia Brasileira de Filosofia. Consultado em 21 de maio de 2017 
  2. a b c Māra Kiope. «PĒTĪJUMS par pasaules mēroga latviešu intelektuāli» (em letão). Consultado em 21 de maio de 2017 
  3. a b «Mário Ferreira dos Santos». Revista Filosofia. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  4. Faculdade Jesuita. «História». Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia. Consultado em 21 de maio de 2017 
  5. Ladusãns, Stanislavs (2002). Gnosiologia pluridimensional. fundamentos fenomenológico-críticos do conhecimento da verdade. [S.l.]: Loyola. p. 1-20. ISBN 9788515005536. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  6. «lª Semana Gandhi 1982». Palas Athena. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  7. Tanga, Júlio. «O Brasil tem filósofo». Consultado em 6 de junho de 2017 
  Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.