Abrir menu principal

Stella Maris Bortoni-Ricardo

Stella Maris Bortoni-Ricardo, São Lourenço - Minas Gerais, 12 de fevereiro de 1945, é uma professora universitária brasileira, linguista, sociolinguista e escritora.


Índice

BiografiaEditar

Ela nasceu no ano de 1945, em São Lourenço, estação de águas no sul de Minas, aonde Manuel Bandeira e outros doentes iam veranear em busca dos bons ares e águas minerais, que lhes pudessem restituir a saúde.

De uma família modesta, mas letrada.Seu pai, Geraldo Bortoni, neto de um imigrante, Afonso Bortoni, que deixou a província de Salerno, no sul da Itália, e chegou ao Brasil no final do século XIX, era um brilhante autodidata. Como pôde estudar muito pouco, ganhou a vida sempre como comerciante. Sua mãe, Maria Aparecida da Silva Bortoni, era uma ilustrada professora de Português e de Latim - uma raridade naquele tempo. Foi ela quem escolheu o nome de Stella Maris, de uma ladainha à Nossa Senhora, em Latim. O casal teve três filhas e ela é a filha do meio.

Viveu poucos anos em sua cidade natal, que a agraciou, no ano 2000, com uma comenda de “Filha ilustre da cidade”.[1] Entre os 11 e os 15 anos, estudou interna no Colégio Sion de Campanha. Depois disso, seus pais mudaram-se para o Rio e ela foi estudar no Colégio Bennett, onde fez o Curso Normal e teve a certeza de que queria ser professora.

Em 1964,teve oportunidade de ir para os Estados Unidos, para o Lake Erie College, em Painesville, Ohio. Entre outras disciplinas, cursou ali dois semestres de Shakespeare. De volta ao Brasil, concluiu o Curso de Letras na Universidade Católica de Goiás, para onde suas circunstâncias familiares a haviam levado. Foram essas circunstâncias de comenda casada e mãe de Larissa, Clécio José e Ana Karina que a conduziram depois para Rio Verde, no sudoeste goiano, onde havia o embrião de uma faculdade. Ali, recém-formada, dedicou-se a regularizar a situação da faculdade, o que resultou na criação de uma Fundação Municipal de Ensino Superior , a FESURV, e em uma Faculdade de Filosofia, que hoje já evoluiu para uma universidade – A Universidade de Rio Verde. Por conta dessa dedicação nos anos 70, recebeu, em 2001, o título de Cidadã Honorária de Rio Verde.[2]

Ingressou na Universidade de Brasília como aluna de mestrado e auxiliar de ensino em 1975. Dois anos depois concluiu o mestrado em Lingüística e no ano seguinte foi com toda a família, como Fulbright scholar, para a Universidade de Austin, no Texas. No período de 1980 a 1983 dedicou-se ao doutorado em Lingüística, na Universidade de Lancaster, no Reino Unido. Sua pesquisa voltou-se para a integração de migrantes de origem rural ao ambiente urbano e foi conduzida na cidade de Brazlândia, no Distrito Federal. A análise sociolingüística desse processo apoiou-se no paradigma de redes sociais, desenvolvido na Antropologia Social. Defendeu sua tese de doutorado em dezembro de 1983 , duas semanas antes do falecimento de sua mãe. Em 1985, a tese foi publicada em forma de livro, pela Cambridge University Press, com o título : The Urbanization of Rural Dialect Speakers : A Sociolinguistic Study in Brazil .

Em 1989, permaneceu um ano em estágio de pós-doutorado na Universidade da Pennsylvania, na Filadélfia, trabalhando com William Labov, no Departamento de Lingüística e com Frederick Erickson, na Graduate School of Education, na área de Etnografia escolar. Em 1993, tornou-se professora titular de Linguística, na UnB. Foi presidente da ANPPOL, entre 1992 e 1994, e Diretora do Instituto de Letras da UnB, entre 1993 e 1997. Ao término desse período, aposentou-se e reingressou na carreira docente, mas aí já como professora da Faculdade de Educação.


Vida ProfissionalEditar

É uma reconhecida especialista no Brasil em linguística, sociolinguística e alfabetização, que lecionou na Universidade de Brasília - UnB[3] e integrou a comissão do Acordo Ortográfico de 2014[4]. Em 2016, participou de um congresso sobre Linguística Aplicada na Universidade de Brasília[5].

Stella Maris Bortoni-Ricardo é celebrada como uma das maiores sociolinguistas do Brasil, lugar legitimado pelo linguista Marcos Bagno autor do e-book "Dramatica da língua portuguesa: tradição gramatical, mídia&exclusão", que fala do trabalho dela: "A importância deste modelo, em minha opinião, reside no fato de propor, como diz sua autora, uma perspectiva macro-social..."[6][7]

Muito investida no mundo editorial é dona da Editora Parábola Editorial, [8] mas tem livros publicados por outras editoras.[9]

Foi integrante da Associação Brasileira de Linguística - Abralin, no período de 2003-2005. Em 2014, representou-a na Comissão de discussão do Acordo Ortográfico de 2014[10].


Prêmios e TítulosEditar

  • Patrona do Grupo de Pesquisa (Socio)Linguística, Letramentos Múltiplos e Educação (SOLEDUC), Universidade de Brasília, Campus de Planaltina (2017)
  • Parceiro da Imprensa 2016, Universidade de Brasília (2016)
  • Festschriften para Stella Maris Bortoni-Ricardo- livro organizado por Maria Cecília Mollica et alii, São Paulo: Parábola Editorial- Sujeitos em ambientes virtuais- (2015)
  • Professor Parceiro da Imprensa - edição 20015, www.unb.br (2015)
  • Professor Parceiro da Imprensa- 2014, Universidade de Brasília (2014)
  • Diploma comemorativo dos 30 anos de fundação da Academia de Letras de Brasília como reconhecimento por seu trabalho em prol da cultura de Brasília, Academia de Letras de Brasília (2012)
  • Letras UnB- Cinquenta anos, Universidade de Brasília/ IL (2012)
  • Pesquisador Parceiro da Imprensa 2011, Universidade de Brasília/SECOM (2011)
  • Professor Parceiro da Imprensa- 2010, Universidade de Brasília (2010)
  • Melhor pesquisa de iniciação científica na área de Humanas no DF (orientadora), Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação- UnB (2010)
  • Professor Parceiro da Imprensa - 2009, UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (2009)
  • Professor Parceiro da Imprensa- 2008, Secretaria de Comunicação da Universidade de Brasília (2008)
  • Professor Parceiro da Imprensa 2007, Universidade de Brasília (2007)
  • Título de Cidadania, Câmara Legislativa de Rio Verde - GO (2001)
  • Comenda Cidade de São Lourenço, Fundação Municipal de Cultura de São Lourenço (2000)


PublicaçõesEditar

  • Educação em língua materna - A Sociolinguística em sala de aula (2004)
  • O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa (2008)
  • Educação de Jovens e Adultos (2012)
  • Os doze trabalhos de Hércules (2013)
  • Manual de Sociolinguística (2014)
  • Por que a escola não ensina (gramática) assim? (2014)
  • Nós cheguemu na escola, e agora? (2015)
  • Transculturalidade, linguagem e educação (2016)


Referências

  1. Uma palavra depois da outra by Ednardo Leão - issuu. Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  2. [www.stellabortoni.com.br/index.php/perfil Perfil - Stella Bortoni]. Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  3. [lattes.cnpq.br/444415903226607 bortoni-ricardo s.m. Plataforma Lattes - CNPq].Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  4. {www.stellabortoni.com.br/.../4326-stella-maris-bortoni-ricardo-acordo-ortográfico... TV Senado: Stella Maris Bortoni-Ricardo - Acordo Ortográfico]. Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  5. UnB Notícias - Desafios de ensinar e aprender idiomas. Página visitada em 19 de janeiro de 2019
  6. Dramática da língua portuguesa: tradição gramatical, midia&.... Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  7. A terra do 'véi', 'oxe', 'treta' e outras mil gírias - Made in Brasília.... Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  8. [cnp.info/PARABOLAEDITORIAL-LTD/<'bK/ Endereços e CNPJ Parábola Editorial Ltda -CNPJ.info]. Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  9. Magazinos. Página visitada em 18 de janeiro de 2019.
  10. [www.cspba.com.br/tecendo-ideias/detalhes/2318/ Especialistas criticam problemas no acordo... - Colégio São Paulo]. Página visitada em 18 de janeiro de 2019

BibliografiaEditar