Stranger Things

Série de televisão americana de ficção científica

Stranger Things é uma série de televisão via streaming estadunidense dos gêneros ficção científica, terror, suspense e drama adolescente, criada, escrita e dirigida pelos irmãos Matt e Ross Duffer para a plataforma Netflix. Os irmãos Duffer, Shawn Levy e Dan Cohen são também os produtores executivos.[1][2] A série apresenta em seu elenco os nomes de Winona Ryder, David Harbour, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin, Noah Schnapp, Natalia Dyer, Charlie Heaton, Joe Keery, Cara Buono e Matthew Modine, enquanto Sadie Sink, Dacre Montgomery, Sean Astin, Paul Reiser, Maya Hawke, Priah Ferguson e Brett Gelman foram incluídos no elenco em temporadas posteriores.

Stranger Things
Informação geral
Formato série
Gênero
Duração 42–98minutos
Criador(es) The Duffer Brothers
País de origem Estados Unidos
Idioma original inglês
Produção
Produtor(es) executivo(s)
Cinematografia
  • Tim Ives
  • Tod Campbell
Distribuição Netflix, Inc.
Elenco
Tema de abertura "Stranger Things"
Composto por
  • Kyle Dixon
  • Michael Stein
Empresa(s) produtora(s)
  • 21 Laps Entertainment
  • Monkey Massacre
Localização Jackson, Geórgia, Estados Unidos
Exibição
Emissora original Netflix
Formato de exibição
Formato de áudio Dolby Digital 5.1
Transmissão original 15 de julho de 2016 (2016-07-15) – presente
Temporadas 4
Episódios 32 (lista de episódios)
Ligações externas
Site oficial

A primeira temporada da série estreou em 15 de julho de 2016[3] e se passa na cidade fictícia de Hawkins, Indiana, Estados Unidos, durante a década de 1980, quando um menino de doze anos chamado Will Byers desaparece misteriosamente. Pouco depois, Onze, uma garota aparentemente fugitiva com poderes telecinéticos, conhece Mike, Dustin e Lucas, amigos de Will, e os ajuda na busca por Will.[4][5] A segunda temporada estreou em 27 de outubro de 2017 e se passa um ano após os eventos da primeira temporada. É abordado as tentativas dos personagens de retornar à normalidade e das consequências que persistem desde o ano anterior, onde Will fica com sequelas do mundo invertido. A terceira temporada estreou em 4 de julho de 2019 e é ambientada no verão americano de 1985, onde os personagens precisam lidar com o início da adolescência e de novos eventos sobrenaturais após a abertura de um shopping na cidade e a chegada de uma perigosa equipe russa que planeja abrir o portal do mundo invertido.[6][7][8]

Em 30 de setembro de 2019, a Netflix renovou a série para uma quarta temporada, posteriormente a Netflix confirmou a estreia da quarta temporada, dividida em 2 volumes, prevista para estrear em 27 de maio 2022 e 1 de julho de 2022. Também foi confirmado que a quinta temporada será a última da série.

Os irmãos Duffer desenvolveram a premissa da série em meados de 2015, e no roteiro original, o projeto se chamaria Montauk, e seria ambientado na cidade de mesmo nome localizada em Nova Iorque, abordando as teorias da conspiração envolvendo os experimentos secretos do governo americano em uma base militar na cidade no início da década de 1980. Após a definição do roteiro, os irmãos Duffer incluíram várias referências aos elementos culturais daquela década, como filmes de ficção científica, terror sobrenatural e ação e aventura, bem como videogames, animes e música, além de inúmeras referências a obras de Steven Spielberg, John Carpenter e Stephen King, considerados as grandes inspirações dos irmãos Duffer para a realização do projeto.[9] Eles também se inspiraram em estranhos experimentos que aconteceram durante a Guerra Fria e em teorias da conspiração do mundo real envolvendo experimentos secretos do governo.

Após seu lançamento, Stranger Things recebeu aclamação do publico e da crítica especializada, que elogiaram a caracterização, ritmo, atmosfera, atuações, trilha sonora, direção, roteiro e homenagens a filmes do gênero da década de 1980.[10][11] Devido sua popularidade, a série acabou gerando alguns produtos, como livros, brinquedos, videogames e histórias em quadrinhos. A série também recebeu vários prêmios e indicações em premiações, como Emmy Awards, Globo de Ouro, British Academy Television Award, entre outros.

ResumoEditar

TemporadaEpisódiosOriginalmente lançado
1815 de julho de 2016 (2016-07-15)
2927 de outubro de 2017 (2017-10-27)
384 de julho de 2019 (2019-07-04)
4[12]9727 de maio de 2022 (2022-05-27)
21 de julho de 2022 (2022-07-01)

1ª temporada (2016)Editar

 Ver artigo principal: Stranger Things (1.ª temporada)

Durante o mês de novembro de 1983, o estudante Will Byers é abduzido por uma criatura de uma realidade alternativa chamada "Mundo Invertido", causando mistério e pavor aos habitantes de Hawkis, Indiana. Sua mãe, Joyce Byers, tenta encontrar seu paradeiro com a ajuda do xerife Jim Hopper, enquanto Mike Wheeler, Dustin Henderson e Lucas Sinclair fazem outra investigação para encontrá-lo, porém são surpreendidos quando uma estranha garota com poderes telecinéticos chamada Onze aparece na cidade. Onze é uma fugitiva do Laboratório Nacional de Hawkins, localizado nas proximidades, que faz ostensivamente pesquisas científicas para o Departamento de Energia dos Estados Unidos e realiza secretamente experimentos paranormais e sobrenaturais em humanos.[13]

2ª temporada (2017)Editar

 Ver artigo principal: Stranger Things (2.ª temporada)

Ambientada em outubro de 1984, Will foi resgatado, mas poucos sabem dos detalhes dos acontecimentos. Quando é descoberto que Will ainda está sendo influenciado por entidades do Mundo Invertido, principalmente pela figura de uma criatura chamada Devorador de Mentes, seus amigos e familiares se juntam para salvar Will da criatura e fechar o portal do mundo invertido.[14]

3ª temporada (2019)Editar

 Ver artigo principal: Stranger Things (3.ª temporada)

Em julho de 1985, as crianças precisam lidar com os dilemas da adolescência, como romances e amizades. Um dos novos pontos da cidade é o shopping Starcourt Mall, que começa a atrair atenção dos moradores de Hawkins, colocando a maioria das outras lojas fora do mercado. Hopper fica cada vez mais preocupado com o relacionamento de Onze e Mike enquanto ainda tenta cuidar de Joyce. Sem o conhecimento da cidade, um laboratório secreto soviético está escondido nas profundezas do shopping, procurando abrir a porta de entrada para o Mundo Invertido, permitindo que as entidades de lá possuam pessoas em Hawkins e criando um novo horror para lugar.[15][16]

4ª temporada (2022)Editar

 Ver artigo principal: Stranger Things (4.ª temporada)

Depois de seis meses do conflito de Starcourt, a cidade foi tomada por um rastro de terror e destruição. Os efeitos da batalha são sentidos pelo grupo de amigos, que se separam pela primeira vez, enquanto passam por um período turbulento típico da adolescência na escola. Em um momento em que todos estão mais vulneráveis, uma nova ameaça sobrenatural surge. No entanto, o novo mistério pode conter a resposta para acabar com os terrores do Mundo Invertido.

Elenco e personagensEditar

 
The Duffer Brothers e o elenco da segunda temporada de Stranger Things na San Diego Comic-Con, em 2017

A lista abaixo contém os atores que foram creditados como regulares da série. Atores que são apenas recorrentes e convidados são listados nas páginas individuais das temporadas.

  • Winona Ryder como Joyce Byers:[17] a mãe de Will e Jonathan Byers. Ela é divorciada de Lonnie Byers. Seu filho Will desaparece, iniciando a trama. Na segunda temporada, ela mantém um relacionamento com seu antigo colega de classe, Bob, embora ela e o delegado Hopper tenham sentimentos um pelo outro.
  • David Harbour como Jim Hopper:[17] delegado do Departamento de Polícia de Hawkins. Depois que sua filha, ainda criança, morreu de câncer, ele se divorciou e tornou-se alcoólatra. Ele demonstra sua responsabilidade e capacidade ao salvar o filho de Joyce, e ao adotar Onze como sua filha.
  • Finn Wolfhard como Michael "Mike" Wheeler:[18] filho de Karen e Ted Wheeler, irmão mais novo de Nancy, e um dos três filhos dos Wheeler. É um inteligente e consciente estudante, comprometido com seus amigos. Desenvolve sentimentos amorosos por Onze.
  • Millie Bobby Brown como Onze / Jane Hopper:[18] uma jovem que tem habilidades em telecinesia e um vocabulário limitado. Seu nome verdadeiro é Jane, filha de Terry Ives. Foi sequestrada e enviada para o Laboratório de Hawkins. É salva pelo amigos Mike, Dustin e Lucas e, ao final da segunda temporada, adotada pelo delegado Hopper. Desenvolve sentimentos amorosos por Mike.
  • Gaten Matarazzo como Dustin Henderson:[18] um dos amigos de Will. Sua displasia cleidocraniana faz com que ele tenha a língua presa. Na segunda temporada, ele está orgulhoso de seus novos dentes da frente, além de se apaixonar por Max.
  • Caleb McLaughlin como Lucas Sinclair:[18] um dos amigos de Will. A princípio cauteloso com o surgimento de Onze, torna-se grande amigo dela. Ao se aproximar de Max, na segunda temporada, os dois acabam se tornando namorados.
  • Natalia Dyer como Nancy Wheeler:[18] filha de Karen e Ted, irmã mais velha de Mike. Estudiosa e regrada, ela descobre um outro lado de sua personalidade quando começa a investigar o Laboratório de Hawkins e o sumiço de sua amiga Barbara. Vive um romance com Steve Harrington mas, ao terminar com ele, descobre uma paixão por Jonathan Byers.
  • Charlie Heaton como Jonathan Byers:[18] irmão mais velho de Will e filho de Joyce. Um adolescente tímido, auto-excluído na escola e aspirante a fotógrafo. É muito próximo de sua família, e se vê apaixonado por Nancy Wheeler.
  • Cara Buono como Karen Wheeler (temporadas 1 – 3; recorrente na temporada 4):[19] mãe de Nancy, Mike e da criança Holly.
  • Matthew Modine como Martin Brenner (temporadas 1 e 4; convidado na temporada 2):[20] o cientista encarregado do Laboratório Hawkins. Manipulativo e remoto, ele e sua equipe estão procurando por Onze.[21]
  • Noah Schnapp como William "Will" Byers (temporada 2 – presente; recorrente na temporada 1):[18] o filho de Joyce Byers e irmão de Jonathan, e um dos amigos de Mike. Foi capturado por um monstro do "Mundo Invertido", uma dimensão alternativa descoberta no Laboratório de Hawkins.[22][23]
  • Sadie Sink como Maxine "Max" Mayfield (temporada 2 – presente):[23] uma menina que se muda para Hawkins, chamando a atenção de Dustin e Lucas - mais tarde, escolhendo Lucas. Tem um meio-irmão mais velho, Billy.
  • Joe Keery como Steve Harrington (temporada 2 – presente; recorrente na temporada 1):[24][23] um estudante popular e mulherengo do ensino médio, que namora Nancy Wheeler. Se envolve no resgate de Will, o que o ajuda a evoluir sua personalidade.
  • Dacre Montgomery como Billy Hargrove (temporadas 2 e 3; convidado na temporada 4):[23] meio-irmão de Max. Violento, imprevisível e abusivo, ele desafia a popularidade de Steve Harrington.
  • Sean Astin como Bob Newbie (temporada 2; convidado na temporada 3): antigo colega de classe de Joyce e Hopper, mantém um relacionamento com Joyce e possui uma loja de eletrônicos.[25]
  • Paul Reiser como Sam Owens (temporadas 2 e 4; convidado na temporada 3): substituto de Brenner no Laboratório. Ele é comprometido com a pesquisa científica, mas empático com os moradores de Hawkins.[25]
  • Maya Hawke como Robin Buckley (temporada 3 – presente): uma garota alternativa que trabalha junto de Steve Harrington na sorveteria do Shopping de Hawkins.[26]
  • Priah Ferguson como Erica Sinclair (temporada 3 – presente; recorrente na temporada 2): irmã mais nova de Lucas Sinclair, teimosa e manipuladora.[26]
  • Brett Gelman como Murray Bauman (temporada 4; recorrente nas temporadas 2 e 3): um detetive conspiratório que investiga o sumiço de Barbara. É procurado por Nancy e Jonathan para ajuda-los, e acaba os unindo num relacionamento.

Dublagem brasileiraEditar

Estúdio de dublagem - Delart[27]
Produção
Elenco
  • Mike: Arthur Salerno[27]
  • Joyce: Miriam Ficher[27]
  • Hopper: Maurício Berger[27]
  • Lucas: Daniel Pim[27]
  • Dustin: João Victor Granja[27]
  • Nancy: Ana Elena Bittencourt[27]
  • Will: Victor Hugo[27]
  • Jonathan: Luiz Sérgio Vieira[27]
  • Steve: João Cappelli[27]
  • Onze: Isabelle Cunha[27]
  • Karen: Márcia Coutinho[27]
  • Dr. Brenner: Marco Antonio Costa[27]
  • Sr. Clarke: Claudio Galvan[27]

ProduçãoEditar

DesenvolvimentoEditar

Os irmãos Duffer, Ross e Matt, criadores da série.

Stranger Things foi criado por Matt e Ross Duffer, conhecidos profissionalmente como The Duffer Brothers ("os irmãos Duffer").[28] Os dois terminaram de escrever e produzir seu filme de 2015 Hidden, que eles tentaram imitar no estilo de produções feitas por M. Night Shyamalan, no entanto, devido a mudanças na Warner Bros., sua distribuidora, o filme não teve um grande lançamento e os Duffers não tinham certeza de seu futuro. Para sua surpresa, o produtor de televisão Donald De Line os abordou, impressionado com o roteiro de Hidden, e lhes ofereceu a oportunidade de trabalhar em episódios de Wayward Pines ao lado de Shyamalan. Os irmãos foram orientados por Shyamalan durante a produção do episódio, então, quando terminaram, sentiram que estavam prontos para produzir sua própria série de televisão.[29]

Os Duffer montaram um roteiro que seria essencialmente semelhante ao episódio piloto real da série, juntamente com um livro de 20 páginas para ajudar na comprar da série por uma emissora.[30] Eles mostraram a história para quinze redes de TV a cabo,[31] todas as quais rejeitaram o roteiro com base no fato de que um enredo centrado em crianças não funcionaria, pedindo-lhes para transformá-lo em um programa infantil, ou retirassem as crianças como protagonista e concentrem-se na investigação de Hopper sobre o paranormal. No início de 2015, Dan Cohen, vice-presidente da 21 Laps Entertainment, trouxe o roteiro para seu colega Shawn Levy. Eles posteriormente convidaram os Duffer para seu escritório e compraram os direitos da série, dando aos irmãos autoria total. Depois de ler o piloto, o serviço de streaming Netflix comprou a temporada inteira por um valor não revelado.[32] Mais tarde, o programa foi anunciado para um lançamento planejado para 2016 na Netflix no início de abril de 2015.[33] Os Duffer afirmaram que, quando foram lançados na Netflix, o serviço já havia sido reconhecido por sua programação, como House of Cards e Orange Is the New Black, com produtores conhecidos por trás deles, e eles estavam prontos para ir, dando uma chance a futuros produtores como eles. Os irmãos começaram a escrever a série e trouxeram Levy e Cohen como produtores executivos para começar o elenco.[34]

"Montauk é um épico de terror de ficção científica de oito horas. Situado em Long Island em 1980 e inspirado nos clássicos sobrenaturais da época, exploramos a encruzilhada onde o ordinário encontra o extraordinário... Emocional, cinematográfico e baseado em personagens, "Montauk" é uma carta de amor à era de ouro de Steven Spielberg e Stephen King: um casamento de drama humano e medo sobrenatural".

—— Descrição original dos irmãos Duffer para Montauk[35]

Originalmente, a série era conhecida como Montauk, já que o cenário do roteiro se passava em Montauk, Nova Iorque e cidades próximas em Long Island. [33][36] Os irmãos escolheram Montauk por ter laços adicionais com o filme de Steve Spielberg, filme Jaws, onde Montauk foi usado para o cenário fictício de Amity Island.[37] Depois de decidir mudar a narrativa da série para se passar na cidade fictícia de Hawkins, os irmãos sentiram que agora poderiam fazer coisas na cidade, como colocá-la em quarentena, que não conseguiam imaginar um local real.[37] Com a mudança de local, eles tiveram que criar um novo título para a série sob a direção de Ted Sarandos, da Netflix, para que pudessem começar a comercializá-la para o público. Os irmãos começaram usando uma cópia do romance Firestarter, de Stephen King, para considerar a fonte e a aparência do título, e chegaram a uma longa lista de alternativas possíveis. Stranger Things surgiu porque soava semelhante a outro romance de King, Needful Things, embora Matt tenha notado que eles ainda tinham "muitas discussões acaloradas" sobre este título final. Para lançar a série, os Duffers apresentaram imagens, filmagens e músicas de filmes da década de 1980 como ET, The Extra-Terrestrial, Close Encounters of the Third Kind, Poltergeist, Hellraiser, Stand by Me, Firestarter, A Nightmare on Elm Street e Jaws para lançar a série. definir o tom da série.[35]

Com o sucesso crítico da primeira temporada após seu lançamento em julho de 2016, surgiram especulações sobre uma possível segunda temporada. Os irmãos Duffer inicialmente pretendiam que Stranger Things fosse uma minissérie independente[35] ou uma série antológica.[38] Eles também consideraram definir uma potencial segunda temporada (que eles chamam de "sequela") no início dos anos 1990 e apresentando uma versão mais antiga dos personagens, juntamente com todos os novos personagens, que são atraídos por Hawkins após eventos sobrenaturais começarem a acontecer novamente.[35][38] No entanto, após o lançamento da primeira temporada, eles perceberam que a simpatia dos personagens, principalmente das crianças, era fundamental para o sucesso da série, e decidiram definir a segunda temporada em 1984 e focar nos mesmos personagens. No final de julho, os Duffers haviam feito um plano para uma temporada seguinte e receberam uma luz verde para criá-la[39] e o CEO da Netflix, Reed Hastings, disse no início agosto que a empresa "seria tola" de não renovar Stranger Things para uma segunda temporada.[40] Em 31 de agosto de 2016, a Netflix anunciou que havia renovado Stranger Things para uma segunda temporada de nove episódios, a ser lançada em 2017.[41] Os irmãos Duffer então revelaram que a série havia sido renovada para uma segunda temporada. Quanto à decisão de esperar mais de um mês após a estreia da primeira temporada para anunciar a renovação, Matt Duffer disse: "Na verdade, acabou dando certo porque chegou a esse ponto de inflexão. Acho que era isso que a Netflix tinha em mente fazer o tempo todo."[42]

Os Duffer escreveram a segunda temporada para combinar com a primeira, assim como um trabalho completo, estabelecendo elementos para avançar com temporadas adicionais se obtivessem uma luz verde para lançá-las futuramente.[43] Enquanto a maior parte da história para a segunda temporada foi decidida antes da primeira temporada ir ao ar, os Duffer capturaram as reações do público da primeira temporada para ajustar alguns detalhes para a segunda temporada. Eles sabiam que não teriam o mesmo elemento de surpresa do público como quando a série foi ao ar novamente, e eles sabiam que os fãs queriam ver certos elementos, mas Ross disse "... o objetivo não é dar a todos o que eles pensam que querem. Eu não acho que eles realmente sabem o que querem." [44] Os Duffer sentiram que a segunda temporada deveria ser tratada mais como uma sequência do que como uma continuação e, portanto, optaram por chamar a segunda temporada de Stranger Things 2. Essa abordagem era temida pela Netflix, pois a empresa acreditava que as sequências de filmes geralmente recebiam um rap ruim, mas os Duffer notaram que havia muitas sequências de sucesso que superaram o filme original, e eles se sentiram seguros com esse nome.[45] Apesar de revelar os títulos dos episódios da temporada no comercial para "dar uma dica de onde estavam indo na segunda temporada sem revelar nada",[46][42] Matt Duffer afirmou que alguns dos títulos mudariam, e que segundo ele havia algumas coisas que não queriam colocar porque achavam que iria revelar muito, e porque "as pessoas são espertas na internet". Matt disse: "Há vídeos feitos por fãs discutindo os títulos dos episódios.... em grande parte 'sobre como os títulos se relacionam com o enredo da temporada'."[47] No início de outubro de 2017, os irmãos Duffer revelaram os títulos finais para os seis primeiros episódios da temporada.[48]

Levy observou em novembro de 2016 que ele e os Duffer Brothers já haviam começado a planejar uma possível terceira temporada, dizendo: "Não seremos pegos de surpresa e não queremos fazer coisas como no dia anterior. Nós fazemos, então estamos definitivamente otimistas e começamos a pensar no futuro." Os Duffer Brothers anteciparam que a série teria de quatro a cinco temporadas para trabalhar. Eles desejam "um final realmente finito" enquanto a série permanece no auge do sucesso, de acordo com Matt, em vez de deixá-lo se arrastar indefinidamente. Em agosto de 2017, os irmãos Duffer confirmaram que haveria uma terceira temporada, com a probabilidade de mais uma temporada depois disso, com Ross dizendo: "Achamos que seria uma coisa de quatro temporadas e depois sairíamos". No entanto, o produtor executivo Shawn Levy sugeriu mais tarde que quatro ou cinco temporadas no total eram possibilidades, afirmando que a verdade é que definitivamente vamos fazer quatro temporadas e há a possibilidade de uma quinta. Além disso, acho altamente improvável."[49] Matt Duffer comentou mais tarde que nenhuma decisão oficial foi tomada, afirmando que "é difícil, como quatro parece curto, cinco parece longo. Então eu não sei o que fazer."[50] Em dezembro de 2017, a Netflix confirmou oficialmente que eles deram sinal verde para a terceira temporada,[51] composta por oito episódios. Levy também confirmou que uma quarta temporada estava "definitivamente acontecendo" e que havia potencial para uma quinta temporada.

Escolha do elencoEditar

 
Os irmãos Duffer elogiaram David Harbour como Hopper acreditando que esta era a chance dele de interpretar um personagem principal.

Em junho de 2015, foi anunciado que Winona Ryder e David Harbour haviam se juntado à série como Joyce e o chefe de polícia de Hawkins, respectivamente.[17] A diretora de elenco dos irmãos, Carmen Cuba, sugeriu Ryder para o papel de Joyce, que o dois foram imediatamente atraídos por seu domínio nos filmes dos anos 1980. Levy acreditava que Ryder poderia "arruinar a urgência emocional e ainda encontrar camadas e nuances e lados diferentes de [Joyce]". Ryder elogiou que as múltiplas histórias da série a forçaram a atuar para Joyce como "ela é louca, mas ela está realmente em alguma coisa", e que os produtores tinham fé de que ela poderia conseguir o papel difícil.[52] Os irmãos Duffer já haviam se interessado pelo trabalho de Harbor antes, e que Stranger Things teria papéis menores como personagens vilões e Harbour estava encantado com o roteiro e a chance de interpretar "um personagem anti-herói quebrado e falho".[53]

Dois meses depois, Finn Wolfhard como Mike, Millie Bobby Brown em um papel não revelado, Gaten Matarazzo como Dustin, Caleb McLaughlin como Lucas, Natalia Dyer como Nancy e Charlie Heaton como Jonathan foram anunciados em setembro de 2015.[18] Cara Buono se juntou ao elenco como Karen,[19] seguida por Matthew Modine como Martin Brenner um mês depois.[20] O elenco recorrente incluiu Noah Schnapp como Will,[18] Shannon Purser como Barbara "Barb" Holland, Joe Keery como Steve Harrington e Ross Partridge como Lonnie, entre outros.

Os atores que fizeram o teste para os papéis das crianças leram as falas de Stand by Me. Os irmãos Duffer estimaram que passaram por cerca de mil atores mirins diferentes para os papéis. Eles notaram que Wolfhard já era "um cinéfilo" dos filmes da década de 1980 e facilmente conseguiu o papel, enquanto eles acharam a audição de Matarazzo muito mais autêntica do que a maioria das outras fitas de audição, e o selecionaram após uma única visualização de sua fita de audição. Quando o elenco começou a trabalhar imediatamente após a série ser aprovada pela Netflix, e antes que os roteiros fossem totalmente concluídos, isso permitiu que algumas das cenas do elenco fossem refletidas no roteiro. A escolha dos jovens atores para Will e seus amigos foi feita logo após a conclusão do primeiro roteiro, e os roteiros subsequentes incorporaram aspectos desses atores. Os irmãos disseram que Modine forneceu uma contribuição significativa sobre o personagem do Dr. Brenner, que eles não haviam desenvolvido antes, pois o consideravam o personagem mais difícil de escrever, devido às suas aparições limitadas na narrativa.[54]

FilmagensEditar

 
O antigo Georgia Mental Health Institute da Universidade Emory serviu como local do Laboratório Nacional de Hawkins.

Os irmãos desejavam filmar a série ao redor da área de Long Island para combinar com o conceito inicial de Montauk. No entanto, com as filmagens programadas para novembro de 2015, foi difícil filmar em Long Island no tempo frio, e a produção começou a explorar locais em torno da área de Atlanta, Geórgia. Os irmãos, que cresceram na Carolina do Norte, encontraram muitos lugares que os lembravam de suas próprias infâncias naquela área, e sentiram que a área funcionaria bem com a mudança de narrativa para a cidade fictícia de Hawkins, Indiana.[37]

As filmagens da primeira temporada começaram em novembro de 2015 e foram extensivamente feitas em Atlanta, Geórgia, com os irmãos Duffer e Levy cuidando da direção de episódios individuais.[55] Jackson serviu como base da cidade fictícia de Hawkins, Indiana.[56][57] Outros locais de filmagem incluíram o Georgia Mental Health Institute como o local do Laboratório Nacional de Hawkins, Bellwood Quarry, Patrick Henry High School em Stockbridge para as cenas das escolas de ensino fundamental e médio.[58] O Departamento de Educação Continuada da Universidade Emory, a antiga prefeitura em Douglasville, o Georgia International Horse Park em Conyers, o tribunal de sucessões em Butts County, Old East Point Library e East Point First Baptist Church em East Point, e as cidades de Fayetteville, Stone Mountain Park, Palmetto e Winston também serviram nas filmagens.[59] O set de filmagem foi feito no Screen Gem Studios em Atlanta[59] e a série foi filmada com uma câmera RED Dragon.[54] As filmagens da primeira temporada foram concluídas no início de 2016.[56]

Depois que a terceira temporada terminou de filmar, os produtores consideraram a ideia de manter o Starcourt Mall como uma atração permanente para os fãs visitarem, mas acabaram decidindo contra isso.[60] As filmagens da quarta temporada estavam programadas para começar em janeiro de 2020 e durar até agosto.[61] Com o lançamento de um teaser de fevereiro de 2020 para a quarta temporada, os Duffers confirmaram que a produção havia começado.[62] Algumas filmagens para a quarta temporada ocorreram na prisão de Lukiškės e nas proximidades de Vilnius, Lituânia.[63] Em março de 2020, a produção foi interrompida devido à pandemia de COVID-19.[64] A produção foi retomada em setembro de 2020.[65]

RecepçãoEditar

AudiênciaEditar

Winona Ryder (esquerda) foi indicada ao Globo de Ouro, Satellite e Screen Actors Guild Award, enquanto Millie Bobby Brown (à direita) foi indicada ao Emmy Award e Screen Actors Guild Award por seu trabalho na série.

Como a Netflix não revela os números de audiência dos inscritos para nenhuma de suas séries originais, Symphony Technology Group compilou os datos da temporada com base nas pessoas que usam software em seus telefones móveis que medem a visualização de televisão ao detectar o som de um programa. De acordo com a Symphony, nos primeiros 35 dias de lançamento, Stranger Things teve uma média de audiência de cerca de 14,07 milhões de adultos entre 18 e 49 anos nos Estados Unidos. Isso a tornou a primeira temporada da série como a terceira mais assistida do conteúdo original da Netflix nos Estados Unidos na época, atrás da primeira temporada de Fuller House e da quarta temporada de Orange Is the New Black.[66]​ Em uma análise de setembro de 2016, a Netflix descobriu que Stranger Things "fisgou" os espectadores no segundo episódio da primeira temporada, afirmando que o segundo episódio foi "a primeira parcela que levou pelo menos 70% dos espectadores a assistir a esse episódio para completar a toda a primeira temporada".[67]

Em agosto de 2017, a empresa de análise de marketing Jumpshot determinou que a segunda temporada foi a sétima mais vista da Netflix nos primeiros 30 dias após sua estreia, ganhando pouco mais de 20% dos espectadores que a segunda temporada de Demolidor recebeu e que foi a temporada mais assistida de acordo com a Jumpshot. A Jumpshot disse que "analisa dados de fluxo de cliques de um painel online de mais de 100 milhões de consumidores" e analisou o comportamento e a atividade de visualização dos membros dos EUA. Da empresa, com base no número relativo de espectadores da Netflix que assistiram a pelo menos um episódio da temporada.[68]

Em 9 de julho de 2019, a série quebrou recordes de audiência, com 40 milhões de espectadores, seguida por Murder Mystery, com quase 31 milhões de espectadores[69]

CríticaEditar

Temporada Portal crítico
Rotten Tomatoes Metacritic
1 90% (90 críticas) 76 (34 críticas)
2 95% (149

críticas)

79 (35 críticas)
3 90% (136 críticas) 72 (26 críticas)

Primeira temporadaEditar

Stranger Things recebeu críticas positivas tanto da imprensa especializada quanto do público. O portal Rotten Tomatoes atribui à série uma classificação de 95%, com base em 55 avaliações com uma pontuação média de 8,5/10. Os comentários concordam que é “emocionante, angustiante e, às vezes, aterrorizante. Stranger Things é uma homenagem viciante ao cinema de Spielberg e aos clássicos da televisão dos anos 80."[70] No Metacritic, a série tem uma pontuação de 76 em 100, com base em 31 comentários, indicando "críticas geralmente favoráveis".[71]

O IGN deu a pontuação de 8 em 10 e chamou a série de "ótima", dizendo que "Stranger Things é uma recomendação fácil, oferecendo aos espectadores uma série atmosférica e cativante que é um retrocesso nostálgico sem parecer uma simples cópia".[72] Uma resenha no San Francisco Chronicle, Dave Wiegand escreveu: "Stranger Things nos lembra de uma época marcada por um tipo de escapismo sem compromisso. E ao fazê-lo, ficamos com um formigamento porque os irmãos Duffer fizeram isso de forma irresistível. Este verão pode haver outros programas tão bons quanto, mas garanto que você não vai se divertir mais assistindo nenhum deles do que assistindo Stranger Things".[73] Joshua Alston do The A.V. Club também comentou positivamente dizendo: "Equilibrar estilo e substância é sempre um desafio para uma série como Stranger Things, mas a série está perfeitamente calibrada. Parece assistir a uma série produzida durante a época em que se passa, mas com a arte do prestígio de hoje."[74] Revisando para a HitFix, Alan Sepinwall disse: "Ao longo das oito horas, a história e os personagens ganham vida própria o suficiente para que as referências não pareçam indulgentes, e para que a série possa ser apreciada mesmo se você não souber a trama de ET de cor ou a fonte do título dos primeiros romances de Stephen King (uma grande influência nos créditos de abertura do programa)."[75]

Emily Nussbaum do The New Yorker também aplaudiu a série, escrevendo: "É uma narrativa incrivelmente eficiente, oito horas passando em um piscar de olhos, mesmo com personagens menores recebendo diálogos nítidos, humor ácido ou momentos de patetismo".[76] A crítica de TV Mary McNamara do Los Angeles Times disse: "Na maioria das vezes, e de forma alguma desafia as probabilidades, Stranger Things honra seu material de origem da melhor maneira possível: contando uma história doce e aterrorizante em que os monstros são reais, mas também são os poderes transformadores do amor e da lealdade".[77]

Segunda temporadaEditar

No Rotten Tomatoes, a segunda temporada tem um índice de aprovação de 94% com base em 126 comentários e uma classificação média de 7,79/10. O consenso crítico do site afirma que "Stranger Things 2 equilibra momentos de humor e doçura nostálgica contra um horror crescente, tornado ainda mais eficaz pelos personagens encorpados e tom evocativo do programa".[78] No Metacritic, a segunda temporada tem uma pontuação normalizada de 78 em 100, com base em 33 comentários, indicando "críticas geralmente favoráveis".[79]

Terceira temporadaEditar

A terceira temporada no Rotten Tomatoes tem um índice de aprovação de 89% com base em 136 avaliações e uma classificação média de 7,86/10. O consenso afirma que "Stranger Things se transforma em uma viagem de verão fascinante e familiar que se aquece em sua nostalgia carregada de neon sem perder de vista os ricos relacionamentos que tornam a série tão cativante".[80] O Metacritic dá uma pontuação de 72 em 100, com base em 26 comentários, indicando "críticas geralmente favoráveis".[81]

Stranger Things 3 recebeu críticas positivas dos críticos, que elogiaram o visual, o humor, as performances (particularmente as de Harbour, Brown, Montgomery e Hawke) e o peso emocional, mas alguns criticaram a narrativa repetitiva e a marginalização de alguns personagens.

A atitude e comportamento do personagem Jim Hopper na terceira temporada foi criticado por alguns, devido a ele agir mais agressivo, com os críticos sentindo que seu personagem voltou a ser uma caricatura de si mesmo em comparação com as duas primeiras temporadas.[82]

ComentáriosEditar

 
Shannon Purser é a intérprete de Barb e recebeu boa atenção e aclamação dos fãs, Purser foi indicada para o Prêmio Emmy de Melhor Atriz Convidada em Série Dramática.

Logo após seu lançamento, Stranger Things ganhou uma base de fãs dedicada. Uma das áreas de interesse desses fãs foi a personagem Barb, a melhor amiga e colega de classe nerd de Nancy, que é capturada e morta pelo monstro no início da temporada. [83] De acordo com a atriz Shannon Purser, Barb "não deveria ser um grande negócio", e os irmãos Duffer não elaboraram a personagem, pois o foco era encontrar Will. No entanto, muitos fãs simpatizaram com a personagem, com Laura Bradley, da Vanity Fair, sugerindo que essas pessoas descobriram que Barb seria uma desajustada semelhante na sociedade e "é mais como alguém que você pode conhecer na vida real" em comparação com os outros personagens, particularmente Nancy, na série. Hashtags como "#ImWithBarb" (EstouComBarb) e "#JusticeforBarb" (JustiçaparaBarb) cresceram em popularidade após o lançamento da série, e vários sites de fãs e fóruns foram criados para apoiá-la. [84] Enquanto Purser não retornou para a segunda temporada, os irmãos Duffer usaram o movimento da vida real "Justice for Barb" como inspiração para a narrativa no início da segunda temporada, com Nancy abordando o fato de que "ninguém se importa" com Barb. Purser e vários meios de comunicação levaram sua indicação para Barb de Melhor Atriz Convidada em Série Dramática no 69º Prêmio Emmy do Primetime como "Justice for Barb", observando o quão bem seu personagem foi recebido.[85][86][87]

Outro impacto da série foi um aumento na demanda por waffles Eggo, já que eles se mostraram a comida favorita de Onze em vários episódios e são considerados uma representação do programa.[88] A Kellogg Company, que fabrica Eggo, não fazia parte da produção antes do lançamento da primeira temporada, mas reconheceu o impacto da série no mercado. Ela ofereceu um anúncio de TV Eggo dos anos 80 para a Netflix usar em seu comercial do Super Bowl LI e está procurando se envolver mais na promoção cruzada.[89]

ControvérsiasEditar

Em abril de 2018, o cineasta Charlie Kessler entrou com uma ação contra os irmãos Duffer, alegando que eles roubaram sua ideia por trás de seu curta-metragem Montauk, que apresentava uma premissa semelhante de um menino desaparecido, uma base militar próxima fazendo experimentos sobrenaturais e um monstro de outro mundo e dimensão. Kessler dirigiu seu filme e estreou no Hamptons International Film Festival de 2012. Durante o Tribeca Film Festival de 2014, ele apresentou seu filme aos irmãos Duffer e depois deu a eles "o roteiro, as ideias, a história e o filme" para fazerem um filme maior que ele chamou de The Montauk Project. Kessler argumentou que os irmãos Duffer usaram suas ideias para criar a premissa de Stranger Things e buscou um terço da renda que eles ganharam com a série.[90] O advogado dos irmãos Duffer afirmou que eles nunca viram o filme de Kessler nem falaram com ele sobre isso, e que Kessler não teve nenhuma contribuição em seus conceitos para Stranger Things.[91] O juiz negou o julgamento sumário dos irmãos Duffer em abril de 2019, permitindo que o processo de Kessler fosse a julgamento. Pouco antes do início do julgamento em maio de 2019, Kessler retirou sua ação depois de ouvir os depoimentos e ver documentos de 2010 que mostravam a ele que os Duffers haviam criado de forma independente o conceito de Stranger Things. Jornalistas notaram que a ideia de eventos sobrenaturais ao redor de Montauk se originou devido à lenda urbana do Projeto Montauk, que veio à tona no livro de 1992 The Montauk Project: Experiments in Time.[92][93][94]

Prêmios e indicaçõesEditar

Stranger Things recebeu inúmeros prêmios e indicações em toda a indústria do entretenimento, incluindo dez indicações ao Primetime Emmy Award e quatro indicações ao Globo de Ouro durante a segunda temporada. O elenco da série recebeu vários deles: o elenco da primeira temporada da série ganhou o Screen Actors Guild Award de Melhor Elenco em Série Dramática, enquanto os protagonistas da série Ryder, Brown e Harbour ganharam prêmios e indicações individuais.

Outras mídiasEditar

Beyond Stranger ThingsEditar

Com o lançamento da segunda temporada da série, a Netflix também lançou Beyond Stranger Things, um aftershow apresentado por Jim Rash. Os convidados do aftershow são compostos pelo elenco e equipe da série, incluindo os Duffer Brothers e as estrelas da série, para discutir o desenvolvimento e a produção dos bastidores da série e sua mitologia maior. Ao contrário dos aftershows anteriores criados pela Embassy Row, como Talking Dead e Talking Bad, Beyond Stranger Things deve ser assistido após uma exibição de toda a segunda temporada.[95] No Brasil, o aftershow foi intitulado como O Universo de Stranger Things. Nenhum aftershow foi criado para a terceira temporada.[96]

TítuloConvidadosConvidados em vídeoLançamento
1 "Mind Blown"
"Incrível"
Shawn Levy, The Duffer Brothers, Finn Wolfhard e Millie Bobby BrownDavid Harbour27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
2 "Mad for Max"
"Loucos por Max"
Shawn Levy, The Duffer Brothers, Caleb McLaughlin, Gaten Matarazzo e Sadie SinkNenhum27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
3 "Unlikely Allies"
"Aliados Improváveis"
Shawn Levy, the Duffer Brothers, Gaten Matarazzo e Joe KeeryNenhum27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
4 "Truth in Hawkins"
"A Verdade sobre Hawkins"
Joe Keery, Natalia Dyer, Charlie Heaton e Brett GelmanDavid Harbour e Shannon Purser27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
5 "The AV Club"
"O Clube Audiovisual"
Caleb McLaughlin, Gaten Matarazzo, Noah Schnapp, Randy Havens e Bill NyeSean Astin27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
7 "The New Class"
"Novos Personagens"
Sadie Sink, Brett Gelman, Dacre Montgomery e Linnea BerthelsenSean Astin e Paul Reiser27 de outubro de 2017 (2017-10-27)
7 "Closing the Gate"
"Fechando o Portal"
Shawn Levy, the Duffer Brothers, Millie Bobby Brown, Noah Schnapp e Natalia DyerDavid Harbour, Sean Astin e Eddie Tsang27 de outubro de 2017 (2017-10-27)

Publicações literáriasEditar

A Penguin Random House fez uma parceria com a Netflix para lançar uma série de livros relacionados a 'Stranger Things, começando no final de 2018. Estes incluem How to Survive in a Stranger Things World,[97] um livro infantil lançado em 13 de novembro de 2018, que oferece "conselhos, sabedoria e avisos" de Stranger Things. Eles também publicaram o livro de bastidores Stranger Things: World Turned Upside Down: The Official Behind-The-Scenes Companion[98] (lançado em 30 de outubro de 2018) e um volume dois em um de Hawkins Middle School Yearbook/Hawkins High School Yearbook, anuários escolares do ensino fundamental e médio da série (lançado em 26 de março de 2019).[99] Visions from the Upside Down: Stranger Things Artbook foi lançado em 15 de outubro de 2019[100] e Will Byers' Secret Files em 24 de setembro de 2019.[101] Stranger Things: The Official Sticker Album foi lançado em 15 de junho de 2021,[102] e Stranger Things: The Official Coloring Book será lançado em 28 de junho de 2022.[103] Um pequeno livro dourado com tema da série, Stranger Things: We Can Count on Eleven está programado para ser lançado em 5 de julho de 2022.[104]

No segundo trimestre de 2019, como parte de sua série Silver Archive, a editora britânica Obverse Books lançou um livro sobre a primeira temporada de Stranger Things do escritor Paul Driscoll.[105]

A Insight Editions lançará Stranger Things Tarot Deck and Guidebook em 16 de agosto de 2022,[106] seguido por Stranger Things: The Ultimate Pop-up Book em 30 de agosto de 2022.[107][108]

RomancesEditar

O romance Suspicious Minds de Gwenda Bond se passa antes da primeira temporada e se concentra na mãe de Onze, Terry Ives, e suas experiências com o Dr. Brenner no laboratório Hawkins em 1969.[109] O romance foi lançado em 5 de fevereiro de 2019 e logo seguido por Darkness on the Edge of Town do autor neozelandês Adam Christopher em 28 de maio de 2019. Em Edge, após os eventos da segunda temporada, Hopper relata detalhes de sua vida passada na cidade de Nova Iorque durante os anos 1970 para Onze.[110] Runaway Max, um romance para jovens adultos de Brenna Yovanoff, foi lançado em 4 de junho de 2019 e explorou o início da vida de Max Mayfield em San Diego antes de se mudar para Hawkins em 1984, além de oferecer uma recontagem de eventos da segunda temporada de sua história.[111] Rebel Robin, um romance para jovens adultos de A.R. Capetta foi lançado em 29 de junho de 2021, detalhando a luta de Robin Buckley para aceitar sua identidade antes dos eventos da 3ª temporada e será lançado em 3 de maio de 2022;[112] e Lucas on the Line de Suyi Davies Okungbowa, é um romance ambientado após os eventos da terceira temporada na perspectiva de Lucas, e será lançado em 26 de julho de 2022.[113]

Histórias em quadrinhosEditar

A Dark Horse Comics anunciou uma parceria com a Netflix para "uma linha de publicação de vários anos" de histórias ambientadas no mundo de Stranger Things. O título inicial era uma minissérie de quatro edições escrita por Jody Houser e arte interior de Stefano Martino. A história aconteceu durante os eventos da primeira temporada e tomou a perspectiva de Will enquanto ele ainda estava preso no Mundo Invertido.[114] A primeira edição da minissérie foi lançada em 26 de setembro de 2018.[115]

Em 4 de maio de 2019, a Dark Horse Comics publicou um quadrinho especial de Stranger Things como parte do evento Free Comic Book Day (FCBD). A história em quadrinhos da Dark Horse FCBD 2019 General continha uma história de Stranger Things intitulada The Game Master, ambientada alguns dias após os eventos da primeira temporada. Foi escrito por Jody Houser e ilustrado por Ibrahim Moustafa.[116]

O segundo título dos quadrinhos de Stranger Things é outra minissérie de quatro partes, escrita novamente por Jody Houser com arte interior de Edgar Salazar, intitulada Stranger Things: Six. A história em quadrinhos se concentra em um dos experimentos anteriores a Onze: uma garota chamada Francine, que possui poderes de precognição. A primeira edição foi colocada à venda em 29 de maio de 2019.[117]

Uma quadrinho original baseado na série chamada Stranger Things: Zombie Boys foi lançada em 19 de fevereiro de 2020. Foi escrita por Greg Pak, desenhada por Valeria Favoccia, escrita por Nate Piekos de Blambot, colorida por Dan Jackson, com arte da capa de Ron Chan. São 72 páginas e se passam após a primeira temporada.[118]

Uma terceira minissérie em quadrinhos, Stranger Things: Into the Fire, começou em janeiro de 2020. Também com duração de quatro edições, é uma sequência da minissérie Six ambientada antes da terceira temporada do programa. Ele é escrito por Jody Houser, desenhado por Ryan Kelly e pintado por Le Beau Underwood.[119]

Outra histótia curta de Stranger Things foi lançado como parte do Free Comic Book Day 2020. Foi escrito por Greg Pak e ambientado logo após a Batalha de Starcourt Mall retratada na terceira temporada da série.[120] Um segundo romance gráfico original de Stranger Things, intitulada Stranger Things: The Bully, foi lançada em 13 de outubro de 2020. Foi escrita por Greg Pak e ilustrada por Valeria Favoccia.[121] Em 18 de junho de 2020, foi anunciado que a IDW Publishing e a Dark Horse vão co-publicar uma minissérie Stranger Things and Dungeons & Dragons.[122][123]

Uma quarta minissérie da Dark Horse, intitulada Stranger Things: O Science Camp começou em setembro de 2020. Também teve quatro edições. Em 23 de julho de 2020, a Dark Horse anunciou um prequel de histótia curta intitulado Stranger Things: Halloween in Hawkins.[124] Um terceiro romance gráfico; Stranger Things: Erica, the Great!; foi programado para ser lançado em 26 de janeiro de 2022.[125]

Jogos eletrônicosEditar

A Netflix e a BonusXP desenvolveram um jogo móvel gratuito para Stranger Things, lançado para dispositivos iOS e Android em 4 de outubro de 2017. O jogo usa um estilo de arte retro-pixel, semelhante aos jogos para o Super Nintendo Entertainment System. O jogo é vagamente baseado na história de Stranger Things após a primeira temporada, com o jogador começando como chefe de polícia Jim Hopper procurando os meninos desaparecidos. Uma vez que esses personagens são encontrados, eles se tornam jogáveis ​​e possuem habilidades especiais que permitem ao jogador acessar mais áreas do jogo.[126][127] A BonusXP teve menos de um ano para completar o jogo. A equipe decidiu fazer o jogo em um estilo semelhante ao The Legend of Zelda porque "foi uma combinação perfeita porque tanto [Stranger Things quanto Zelda] são sobre exploração, e é uma espécie de encaixe misterioso que se encaixa no clima da série", de acordo com o presidente da BonusXP, Dave Pottinger. O mapa de Hawkins no jogo foi baseado em um mapa do Google Street View de Jackson, Geórgia, onde a série é filmada. Para ajudar a manter o jogo em segredo, a BonusXP não contratou testadores de jogos para garantir a qualidade, em vez disso, membros da família da equipe de design forneceram feedback; esse processo ajudou a criar os dois níveis de dificuldade do jogo.[128] Completar o jogo dá aos jogadores um clipe do primeiro episódio da segunda temporada da série.[129] O jogo foi baixado 3 milhões de vezes na primeira semana, tornando-se um dos principais downloads e recebendo elogios da crítica. Com o lançamento da segunda temporada, uma atualização do jogo adicionou Max como personagem jogável e um lançamento para o Amazon Fire TV, que incluiu suporte ao controle.[128] O jogo foi indicado para "Mobile Game" no 14º British Academy Games Awards.[130]

Um segundo jogo para celular da BonusXP, Stranger Things 3: The Game, foi anunciado durante o The Game Awards de 2018. Foi lançado como um tie-in para a terceira temporada de Stranger Things, lançada em 4 de julho de 2019.[131] Este jogo é um jogo de ação isométrica, onde os jogadores conduzem personagens selecionados do show, incluindo Joyce, Jim, Max e Onze, através de vários níveis, com jogabilidade inspirada em vários videogames da década de 1980. O jogo segue a narrativa da terceira temporada, já que o BonusXP tem alguma contribuição com os irmãos Duffer e fornece elementos adicionais da história que o programa não tem tempo para explorar.[132] O jogo não foi lançado apenas para plataformas móveis, mas também para computadores pessoais, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One.

Ambos os jogos móveis de Stranger Things foram usados ​​para lançar o serviço de videogames da Netflix para seu aplicativo móvel em novembro de 2021.[133]

Um terceiro jogo para celular, chamado Stranger Things: Puzzle Tales, foi desenvolvido pela Next Games. Foi anunciado inicialmente como um jogo baseado em localização com mecânica de jogo de RPG.[134] Em vez disso, quando foi lançado em 2021, era um jogo de RPG de quebra-cabeça baseado em histórias.[135]

PodcastsEditar

Em julho de 2019, um podcast de três episódios nos bastidores de Stranger Things 3 foi lançado, dando uma olhada na criação da terceira temporada do programa. Foi apresentado por Dan Taberski.[136][137][138]

Uma sequência de podcast com roteiro de seis episódios para o romance Rebel Robin, intitulado Rebel Robin: Surviving Hawkins, foi lançado em meados de 2021. Maya Hawke reprisa seu papel como Robin, Sean Maher interpreta seu professor favorito, Sr. Hauser, e Lauren Shippen escreve e dirige.[139]

OutrosEditar

A Lego introduziu um conjunto de Stranger Things chamado "The Upside Down", baseado em uma versão da casa dos Byers e sua réplica no Mundo Invertido, em maio de 2019.[140] Em 2020, o conjunto The Upside Down foi premiado como "Brinquedo do Ano" e também "Brinquedo Especializado do Ano" pela Toy Association.[141] A Netflix fez uma parceria com a Epic Games para incluir alguns elementos de Stranger Things como cosméticos em Fortnite Battle Royale nas semanas anteriores ao lançamento da terceira temporada da série. O DLC de Stranger Things para o jogo VR Face Your Fears também foi lançado.[142] Dentro de uma atualização de 17 de setembro de 2019 para o jogo de terror multiplayer assimétrico Dead by Daylight, o Demogorgon foi lançado como um dos assassinos, junto com sobreviventes baseados em Nancy e Steve.[143] Veículos e cosméticos com tema de Stranger Things foram adicionados ao Rocket League para seu evento do Dia das Bruxas de 2019.[144]

O representante dos Estados Unidos David Cicilline comparou o estado da nação durante a presidência de Donald Trump ao de Stranger Things durante um discurso proferido no Congresso em 16 de fevereiro de 2017, usando um sinal "Trump Things" no mesmo formato do título de abertura da série e dizendo "Como os personagens principais de Stranger Things, agora estamos presos no Mundo Invertido".[145]

O Google usou "adesivos" de realidade aumentada (AR) de personagens de Stranger Things para apresentar sua tecnologia ARCore anunciada ao lado de seu telefone Pixel 2 em outubro de 2017.[146] Vila Sésamo criou uma paródia de Stranger Things apropriada para o público jovem, chamada "Sharing Things", lançada em novembro de 2017; apresentava Cookie Monster como o "Cookiegorgon", Grover como Lucas, Ernie como Dustin, e incluiu várias referências à narrativa da segunda temporada.[147] O episódio dos Simpsons "Treehouse of Horror XXX", que foi ao ar em 20 de outubro de 2019, incluiu o segmento "Danger Things", uma paródia da série.[148] As bicicletas clássicas dos anos 80 usadas na série foram produzidas em tiragens limitadas que se esgotaram rapidamente.[149]

MúsicaEditar

A trilha sonora original de Stranger Things foi composta por Michael Stein e Kyle Dixon da banda eletrônica Survive.[150] Faz uso extensivo de sintetizadores em homenagem a artistas e compositores de filmes da década de 1980, incluindo Jean-Michel Jarre, Tangerine Dream, Vangelis, Goblin, John Carpenter, Giorgio Moroder e Fabio Frizzi.[151]

De acordo com Stein e Dixon, os Duffer Brothers eram fãs da música de Survive e usaram sua música "Dirge" para o trailer simulado que foi usado para vender a série para a Netflix.[150][152] Os Duffer Brothers descobriram a banda através do filme de 2014 The Guest, onde Survive aparece na trilha sonora.[153] Uma vez que a série recebeu sinal verde, os Duffer Brothers entraram em contato com a Survive por volta de julho de 2015 para perguntar se eles ainda estavam fazendo música; os dois forneceram à equipe de produção dezenas de músicas do passado de sua banda para ganhar seu interesse, ajudando a conseguir o papel.[150] Uma vez a bordo, os dois trabalharam com produtores para selecionar algumas de suas músicas mais antigas para retrabalhar para a série, enquanto desenvolviam novas músicas, principalmente com motivos de personagens.[152] Os dois foram contratados antes do processo de seleção de elenco, então suas demos foram usadas e tocadas sobre as fitas de audição dos atores, auxiliando na seleção do elenco.[152][154] O tema da série é baseado em um trabalho não utilizado que Stein compôs muito antes que acabou na biblioteca de trabalho que eles compartilharam com a equipe de produção, que pensou que com algumas reformulações seria bom para os créditos de abertura.[150]

O tema central de Stranger Things é considerado um dos melhores expoentes da produção musical no gênero synthwave eletrônico, que combina um grande número de acenos a recursos, sons e instrumentos também comuns nos anos 80. Um tutorial detalhado está disponível para recriar o tema central tema, publicado pela revista online Future Music Spain.[155]

Músicas não originaisEditar

Além das músicas originais, Stranger Things apresenta músicas de época de artistas como The Clash, Joy Division, Toto, New Order, The Bangles, Foreigner, Echo and the Bunnymen, Peter Gabriel e Corey Hart, bem como trechos de Tangerine Dream, John Carpenter e Vangelis.[156] Em particular, "Should I Stay or Should I Go" do Clash foi escolhida especificamente para tocar em momentos cruciais da história, como quando Will está tentando se comunicar com Joyce do Mundo Invertido.[157]

Stranger Things: Music from the Netflix Original SeriesEditar

Stranger Things: Music from the Netflix Original Series é a trilha sonora de composição não original que incluem canções populares dos anos 80 usadas na primeira e segunda temporadas. Foi lançado em 27 de outubro de 2017 pela Legacy Recordings para coincidir com o lançamento da segunda temporada.[158] O álbum foi indicado para Melhor Trilha Sonora de Compilação para Mídia Visual no 61º Grammy Awards, mas perdeu para o álbum da trilha sonora do filme The Greatest Showman.[159][160]

Lista de faixas

N.º TítuloIntérprete(s) Duração
1. "Introduction: Will Singing The Clash" (Diálogo)Noah Schnapp 0:27
2. "Every Breath You Take"  The Police 4:11
3. "Should I Stay or Should I Go"  The Clash 3:06
4. "Coffee and contemplation" (Diálogo)David Harbour 0:09
5. "Hazy Shade of Winter"  The Bangles 2:45
6. "Nocturnal Me"  Echo and the Bunnymen 4:55
7. "Bring him home!" (Diálogo)Winona Ryder 0:07
8. "Sunglasses at Night"  Corey Hart 3:53
9. "Girls on Film"  Duran Duran 3:28
10. "Just because people tell you..." (Diálogo)Charlie Heaton 0:04
11. "Atmosphere"  Joy Division 4:07
12. "Maybe I'm crazy..." (Diálogo)Winona Ryder 0:11
13. "Twist of Fate"  Olivia Newton-John 3:42
14. "Says logic" (Diálogo)Finn Wolfhard, Gaten Matarazzo 0:06
15. "The Ghost in You"  The Psychedelic Furs 4:15
16. "Africa"  Toto 4:56
17. "You Don't Mess Around with Jim"  Jim Croce 2:59
18. "Accident or not" (Diálogo)Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin 0:13
19. "Whip It"  Devo 2:38
20. "Runaway"  Bon Jovi 3:50
21. "Time After Time"  Cyndi Lauper 3:57
22. "Talking in Your Sleep"  The Romantics 3:55
23. "Mouthbreather" (Diálogo)Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown 0:22
24. "Back to Nature"  Fad Gadget 5:48
25. "She's our friend and she's crazy!" (Diálogo)Gaten Matarazzo 0:04
Duração total:
1:17:34

Stranger Things: Music from the Netflix Original Series, Season 3Editar

Stranger Things: Music from the Netflix Original Series, Season 3 é a trilha sonora de composição não original da terceira temporada. O álbum, que inclui quinze músicas populares combinadas com uma gravação original do elenco da terceira temporada, foi lançado em 5 de julho de 2019 pela Legacy Recordings para coincidir com o lançamento da terceira temporada.[161][162][163] Certas edições de vinil especiais variantes do álbum virão com um single adicional de 7 polegadas e outros recursos, como pôsteres, adesivos, quebra-cabeças e muito mais.[161][162][163]

Lista de faixas

N.º TítuloIntérprete(s) Duração
1. "Baba O'Riley" (ConfidentialMX Remix)The Who 2:34
2. "Things Can Only Get Better"  Howard Jones 3:54
3. "Material Girl"  Madonna 4:00
4. "Cold as Ice"  Foreigner 3:19
5. "She's Got You"  Patsy Cline 2:58
6. "R.O.C.K. in the U.S.A. (A Salute to 60's Rock)"  John Mellencamp 2:54
7. "Neutron Dance"  The Pointer Sisters 4:13
8. "Can't Fight This Feeling"  REO Speedwagon 4:53
9. "Wake Me Up Before You Go-Go"  Wham! 3:51
10. "My Bologna"  "Weird Al" Yankovic 1:59
11. "Moving in Stereo"  The Cars 4:42
12. "Never Surrender"  Corey Hart 4:54
13. "Lovergirl"  Teena Marie 4:21
14. "Workin' for a Livin'"  Huey Lewis & the News 2:39
15. "We'll Meet Again"  Vera Lynn 2:59
16. "Never Ending Story"  Gaten Matarazzo e Gabriella Pizzolo 2:05

Referências

  1. «Netflix Orders Mystery Series 'Montauk'». Hollywood Reporter. 2 de abril de 2015. Consultado em 3 de abril de 2015 
  2. «Netflix Orders Supernatural Drama Series From Matt & Ross Duffer, Shawn Levy». Deadline. 2 de abril de 2015. Consultado em 3 de abril de 2015 
  3. «Netflix Unveils Premiere Dates For 'Orange Is The New Black,' 'The Get Down,' 'Flaked' And Others». Deadline. 17 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  4. «New Netflix drama series 'Stranger Things' to shoot in Atlanta». Consultado em 27 de janeiro de 2016 
  5. «Netflix to premiere original series 'Montauk' in 2016». Reuters. 2 de abril de 2015. Consultado em 3 de abril de 2015. Cópia arquivada em 2 de abril de 2015 
  6. Foutch, Haleigh (21 de abril de 2018). «Exclusive: 'Stranger Things' Season 3 Starts Filming Monday; Andrew Stanton Not Returning». Collider. Consultado em 22 de abril de 2018 
  7. Ramos, Dino-Ray (9 de dezembro de 2018). «'Stranger Things' Teases Titles For Season 3». Deadline.com. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  8. Wigler, Josh (31 de dezembro de 2018). «Netflix Reveals 'Stranger Things' Season 3 Premiere Date». The Hollywood Reporter. Consultado em 1 de janeiro de 2018 
  9. Leeds, Sarene (13 de julho de 2016). «How Netflix's 'Stranger Things' Channels Steven Spielberg, John Carpenter and Stephen King». The Wall Street Journal. Consultado em 29 de julho de 2016 
  10. «Stranger Things: Season 1». Metacritic. Consultado em 27 de julho de 2016 
  11. «Stranger Things: Season 1». Rotten Tomatoes. Consultado em 27 de julho de 2016 
  12. Hayes, Dade (17 de fevereiro de 2022). «'Stranger Things' Renewed For Fifth And Final Season, Gets Premiere Dates For Split Season 4 As Duffer Brothers Tease Potential Spinoffs». Deadline Hollywood. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  13. Gallagher, Caitlin (15 de julho de 2016). «Is Hawkins A Real Town? 'Stranger Things' Will Make You Nostalgic For These Other '80s Classics». Bustle. Consultado em 5 de agosto de 2016 
  14. Stack, Tim (9 de fevereiro de 2017). «Stranger Things season 2: Who's in danger? Who's new? The plot revealed!». Entertainment Weekly. Consultado em 9 de fevereiro de 2017 
  15. Kilkenny, Katie (25 de março de 2018). «'Stranger Things': First Season 3 Details Revealed». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 26 de março de 2018. Cópia arquivada em 26 de março de 2018 
  16. McVey, Clara (5 de junho de 2018). «Noah Schnapp Teases 'Stranger Things' Season 3: "It's Very Different"». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 5 de junho de 2018. Cópia arquivada em 12 de junho de 2018 
  17. a b c Ausiello, Michael (15 de junho de 2015). «Scoop: Winona Ryder to Headline Untitled Netflix Supernatural Thriller». TVLine (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 16 de agosto de 2015 
  18. a b c d e f g h i Andreeva, Nellie (20 de agosto de 2015). «Duffer Bros. Netflix Supernatural Drama Series Sets Young Cast, Gets Title». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2015 
  19. a b Petski, Denise (1 de setembro de 2015). «Cara Buono Joins Netflix's 'Stranger Things'; Dean Cain In 'Lady Dynamite'». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 17 de julho de 2016. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2015 
  20. a b «Netflix's 'Stranger Things' Adds Matthew Modine to Cast (Exclusive)». TheWrap (em inglês). 27 de outubro de 2015. Consultado em 17 de julho de 2016. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2015 
  21. «'Stranger Things' executive producer confirms a major character's fate». Business Insider (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 16 de dezembro de 2017 
  22. Pedersen, Erik (9 de junho de 2016). «'Stranger Things' Trailer: First Look At Netflix's Supernatural Drama Starring Winona Ryder & Matthew Modine». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 8 de agosto de 2016 
  23. a b c d Petski, Denise (14 de outubro de 2016). «'Stranger Things' Netflix Series Adds Two New Regulars, Promotes Two For Season 2». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2016 
  24. Crossan, Ashley (31 de agosto de 2016). «EXCLUSIVE: 'Stranger Things' Actor Joe Keery on Season 2, Steve's Hair and Justice for Barb». Entertainment Tonight (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2016 
  25. a b Schwindt, Oriana (7 de novembro de 2016). «'Stranger Things' Season 2 Casts Sean Astin, Paul Reiser, Linnea Berthelsen». Variety (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 8 de novembro de 2016 
  26. a b Andreeva, Nellie (2 de março de 2018). «'Stranger Things': Priah Ferguson Promoted, Maya Hawke Added As New Regular In Season 3 Of Netflix Series». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 3 de março de 2018. Cópia arquivada em 3 de março de 2018 
  27. a b c d e f g h i j k l m n o p q «Stranger Things». Delart. Consultado em 18 de maio de 2022. Cópia arquivada em 10 de janeiro de 2020 
  28. Mellor, Louisa (15 de julho de 2016). «Netflix's Stranger Things spoiler-free review». Den of Geek. Consultado em 17 de julho de 2016 
  29. Grow, Kory (3 de agosto de 2016). «'Stranger Things': How Two Brothers Created Summer's Biggest TV Hit». Rolling Stone. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  30. Cohen, Finn (14 de agosto de 2016). «Matt and Ross Duffer Discuss 'Stranger Things,' a Nightmare on '80s Street». New York Times. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  31. «16 Things You NEVER Knew About Stranger Things». CBR (em inglês). 12 de novembro de 2017. Consultado em 23 de abril de 2018 
  32. Berkshire, Geoff (22 de julho de 2016). «'Stranger Things': Shawn Levy on Directing Winona Ryder, Netflix's Viral Model». Variety. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  33. a b Spangler, Todd (2 de abril de 2015). «Netflix Orders 'Montauk' Supernatural Drama Series from 'Wayward Pines' Duffer Twins». Variety. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 
  34. Andreeva, Nellie (2 de abril de 2015). «Netflix Orders Supernatural Drama Series From Matt & Ross Duffer, Shawn Levy». Deadline Hollywood. Consultado em 3 de abril de 2015 
  35. a b c d Miyamoto, Ken (26 de outubro de 2017). «How to Sell Your TV Series the Stranger Things Way». Screencraft. Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  36. Andreeva, Nellie (2 de abril de 2015). «Netflix Orders Supernatural Drama Series From Matt & Ross Duffer, Shawn Levy». Deadline Hollywood. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  37. a b c Fienberg, Daniel (1 de agosto de 2016). «The Duffer Brothers Talk 'Stranger Things' Influences, 'It' Dreams and Netflix Phase 2». The Hollywood Reporter. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  38. a b Giroux, Jack (2 de agosto de 2017). «'Stranger Things' Was Pitched as an Anthology Series». SlashFilm. Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  39. Smith, Nigel (28 de julho de 2016). «Stranger Things creators tease 'darker' second season». The Guardian. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  40. Jackson, Jasper (5 de agosto de 2016). «Stranger Things: Netflix boss says it would be 'dumb' not to do season two». The Guardian. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  41. Wagmeister, Elizabeth (31 de agosto de 2016). «Stranger Things Renewed at Netflix, Season 2 to Premiere in 2017». Variety. Consultado em 31 de agosto de 2016 
  42. a b O'Connell, Michael (12 de outubro de 2016). «The Duffer Brothers Are Reading Your 'Stranger Things' Reddit Theories». The Hollywood Reporter. Consultado em 13 de outubro de 2016 
  43. Stack, Time (13 de fevereiro de 2017). «Stranger Things: How many seasons will the Netflix series go?». Entertainment Weekly. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  44. Brinbaum, Debra (6 de junho de 2017). «Remote Controlled: 'Stranger Things' Creators Duffer Brothers on Going 'Big' in Season 2». Variety. Consultado em 7 de junho de 2017 
  45. Tim, Stack (27 de setembro de 2017). «Stranger Things 2 returns to Upside Down with new monster, bigger story». Entertainment Weekly. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  46. Connolly, Kelly (31 de agosto de 2016). «Stranger Things season 2 episode titles: What do they mean?». Entertainment Weekly. Consultado em 1 de setembro de 2016 
  47. Stack, Tim (10 de fevereiro de 2017). «Stranger Things creators discuss those new chapter titles». Entertainment Weekly. Consultado em 11 de fevereiro de 2017 
  48. Kurp, Josh (9 de outubro de 2017). «What Can We Learn From The 'Stranger Things' Season 2 Episode Titles?». Uproxx. Consultado em 9 de outubro de 2017 
  49. Collinson, Gary (1 de outubro de 2017). «Shawn Levy suggests that Stranger Things could run for 5 seasons». Flickering Myth. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  50. Lauren, Piester (30 de outubro de 2017). «Stranger Things Season 5? The Duffer Brothers Are Trying to Decide How Long the Show Will Last». Entertainment Online (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  51. Alexander, Julia (1 de dezembro de 2017). «Netflix officially renews Stranger Things for third season». Polygon. Consultado em 1 de dezembro de 2017 
  52. McClendon, Lamarco (26 de julho de 2016). «'Stranger Things': Winona Ryder Discusses First Major TV Role in Netflix Featurette». Variety (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2017 
  53. Wilstein, Matt (9 de agosto de 2016). «'Stranger Things' Star David Harbour's Long, Dark Road to Leading Man». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2017 
  54. a b Thrower, Emma (27 de julho de 2017). «Stranger Things: the Duffer brothers share the secrets of their hit show». Empire (em inglês). Consultado em 9 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2016 
  55. A., Jonathan (19 de julho de 2016). «Netflix's Atlanta Filmed 'Stranger Things' Looks Amazing». Project Casting (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2016 
  56. a b Gross, Dough (19 de julho de 2016). «New Netflix Show 'Stranger Things' Films in Georgia». TheWrap (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2016 
  57. «'Stranger Things' shoots on Jackson square». Jackson Progress-Argus (em inglês). 24 de novembro de 2015. Consultado em 11 de julho de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2019 
  58. Stamp, Elizabeth (4 de agosto de 2015). «Stranger Things's Filming Locations Are Just as Spooky in Real Life». Architectural Digest (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2016 
  59. a b «Georgia Locations for Netflix's 'Stranger Things'». Deep South Mag (em inglês). 28 de julho de 2016. Consultado em 1 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2016 
  60. «'Stranger Things' dismantling what's left of Starcourt Mall at Gwinnett Place Mall». ajc.com (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2020 
  61. Ausiello, Michael (29 de outubro de 2019). «Stranger Things Season 4: Here's How Many Episodes We're Getting». TVLine (em inglês). Consultado em 29 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2019 
  62. Khatchatourian, Maane (14 de fevereiro de 2020). «'Stranger Things 4' Teaser Reveals That Hopper's Alive and Imprisoned in Russia». Variety (em inglês). Consultado em 14 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2020 
  63. Auty, Dan (18 de fevereiro de 2020). «Stranger Things Season 4: New Behind-The-Scenes Images Revealed». IGN (em inglês). Consultado em 18 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2020 
  64. Thorne, Will (12 de março de 2020). «All the Shows and Movies Shut Down or Delayed Because of Coronavirus». Variety (em inglês). Consultado em 15 de março de 2020. Cópia arquivada em 14 de março de 2020 
  65. Spencer, Samuel (28 de setembro de 2020). «'Stranger Things' Season 4 expected to start filming today». Newsweek (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 7 de fevereiro de 2021 
  66. Holloway, Daniel (25 de agosto de 2016). «'Stranger Things' Ratings: Where Series Ranks Among Netflix's Most Watched». Variety. Consultado em 26 de agosto de 2016 
  67. Butler, Bethoine (23 de setembro de 2016). «'Stranger Things' won over most viewers in just two episodes, according to Netflix». Washington Post. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  68. Spangler, Todd (18 de agosto de 2017). «Netflix's 'Marvel's The Defenders' Poised for Binge-Viewing Pop, Data Indicates». Variety (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2017 
  69. «"Stranger Things" rompió récord de audiencia en Netflix con más de 40 millones de usuarios». Infobae (em espanhol). Julho de 2019. Consultado em 9 de julho de 2019 
  70. Rotten Tomatoes. Fandango, ed. «Stranger Things: Season 1» (em inglês). Consultado em 4 de setembro de 2016 
  71. Metacritic. CBS Interactive, ed. «Stranger Things: Season 1» (em inglês). Consultado em 16 de julho de 2016 
  72. Goldman, Eric (9 de julho de 2016). «Stranger Things: Review». IGN. Consultado em 26 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2016 
  73. Wiegand, Dave (12 de julho de 2016). «A thrilling echo of '80s sci-fi film in 'Stranger Things'». San Francisco Chronicle. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  74. Alston, Joshua (13 de julho de 2016). «Netflix's sci-fi throwback Stranger Things is yesterday's summer blockbuster today». The A.V. Club. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  75. Sepinwall, Alan (13 de julho de 2016). «Review: Netflix's 'Stranger Things' basks in '80s nostalgia, but doesn't drown in it». HitFix. Consultado em 15 de agosto de 2016 
  76. Nussbaum, Emily (22 de agosto de 2016). «"Stranger Things" and "The Get Down"». The New Yorker. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  77. McNamara, Mary (22 de agosto de 2016). «Earth tones, rotary phones and Winona Ryder: Netflix's 'Stranger Things' is totally '80s». Los Angeles Times. Consultado em 15 de setembro de 2016 
  78. «Stranger Things: Season 2 (2017)». Rotten Tomatoes. Consultado em 24 de junho de 2018 
  79. «Stranger Things: Season 2». Metacritic. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  80. «Stranger Things: Season 3» (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2020 
  81. «Stranger Things». Consultado em 21 de novembro de 2020 
  82. Chaney, Jen (12 de julho de 2019). «Why Is Hopper Such a Jerk-Ass in Stranger Things 3?». Vulture (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2020 
  83. Hogan, Michael (17 de dezembro de 2016). «Shannon Purser: 'People have actually had Barb's face tattooed on their bodies'». The Guardian. Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  84. Bradley, Laura (24 de agosto de 2016). «How the Internet Made Barb from Stranger Things Happen». Vanity Fair. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  85. Drysdale, Jennifer (13 de julho de 2017). «EXCLUSIVE: 'Stranger Things' Star Shannon Purser Reacts to First Emmy Nom and Finally Getting Justice for Barb». Entertainment Tonight. Consultado em 14 de julho de 2017 
  86. Bradley, Laura (13 de julho de 2017). «An Emmy Nomination Is Truly Justice for Barb». Vanity Fair. Consultado em 14 de julho de 2017 
  87. Jensen, Erin (13 de julho de 2017). «#JusticeForBarb: Stranger Things Shannon Purser receives Emmy nomination». USA Today. Consultado em 14 de julho de 2017 
  88. Hoffman, Ashely (24 de agosto de 2016). «Why Eleven From Stranger Things Is the Perfect National Waffle Day Mascot». Time. Consultado em 14 de fevereiro de 2017 
  89. Sloane, Garrett (6 de fevereiro de 2017). «Eggo's Role In 'Stranger Things' Turns Into Free Super Bowl Mention With More To Come». Advertising Age. Consultado em 14 de fevereiro de 2017 
  90. Evans, Greg (3 de abril de 2018). «Duffer Brothers Accused Of Lifting 'Stranger Things' From 2012 Short Film». Deadline Hollywood. Consultado em 3 de abril de 2018 
  91. Reyes-velarde, Alejandra (4 de abril de 2018). «'Stranger Things' creators respond to lawsuit alleging they stole the idea for the hit sci-fi series». The Los Angeles Times. Consultado em 4 de abril de 2018 
  92. Guerrasio, Jason (20 de setembro de 2016). «This Is The Crazy Government Conspiracy Theory That Inspired 'Stranger Things'». sciencealert.com. Consultado em 19 de julho de 2017 
  93. Schladebeck, Jessica (1 de setembro de 2016). «A look at 'Stranger Things' and the secret government experiments that inspired it». New York Daily News. Consultado em 19 de julho de 2017 
  94. Anderton, Ethan (6 de setembro de 2016). «'Stranger Things' Was Inspired By a Creepy, Supposedly Real Experiment Called The Montauk Project». /Film. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  95. Stedman, Alex (26 de outubro de 2017). «'Stranger Things' Aftershow to Launch on Netflix». Variety (em inglês). Consultado em 26 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2017 
  96. @ShawnLevyDirect (1 de julho de 2019). «Not this year, sorry!» (Tweet). Consultado em 9 de julho de 2019 – via Twitter 
  97. «How to Survive in a Stranger Things World (Stranger Things)». Penguin Random House (em inglês). Penguin Random House. Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  98. «Stranger Things: Worlds Turned Upside Down». Get Underlined. Consultado em 3 de maio de 2021 
  99. «Hawkins Middle School Yearbook/Hawkins High School Yearbook (Stranger Things)». Penguin Random House (em inglês). Penguin Random House. Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2019 
  100. «Visions from the Upside Down: Stranger Things Artbook by Netflix: 9781984821126 | PenguinRandomHouse.com: Books». PenguinRandomhouse.com (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  101. «Will Byers: Secret Files (Stranger Things) by Matthew J. Gilbert: 9781984894519 | PenguinRandomHouse.com: Books». PenguinRandomhouse.com (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  102. «Stranger Things: The Official Sticker Album (Stranger Things)». Penguin Random House (em inglês). Penguin Random House. Consultado em 11 de março de 2022 
  103. «Stranger Things: The Official Coloring Book». Penguin Random House. Penguin Random House. Consultado em 11 de março de 2022 
  104. Smith, Geof (5 de julho de 2022). Stranger Things: We Can Count on Eleven (Funko Pop!) (Little Golden Book). [S.l.: s.n.] ISBN 978-0593567210 
  105. «04 – Stranger Things: Season 1 | Obverse Books» (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 21 de junho de 2019 
  106. Gilly, Casey (16 de agosto de 2022). Stranger Things Tarot Deck and Guidebook. [S.l.: s.n.] ISBN 9781647227432. Consultado em 11 de março de 2022 
  107. «Stranger Things: The Ultimate Pop-Up Book». Book Depositionary. Book Depositionary. Consultado em 11 de março de 2022 
  108. Arizpe, Simon (5 de julho de 2022). Stranger Things The Ultimat Pop Up Book. [S.l.: s.n.] ISBN 9781647221263. Consultado em 11 de março de 2022 
  109. Evans, Greg (8 de junho de 2018). «'Stranger Things' Books Set For Fall Debut From Penguin Random House». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 8 de junho de 2018. Cópia arquivada em 9 de junho de 2018 
  110. «Stranger Things: Darkness on the Edge of Town». Penguin Random House (em inglês). Penguin Random House. Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  111. «Stranger Things: Runaway Max by Brenna Yovanoff: 9781984895950 | PenguinRandomHouse.com: Books». PenguinRandomhouse.com (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  112. «Hawkins Horrors (Stranger Things)». Penguin Random House (em inglês). Penguin Random House. Consultado em 11 de março de 2022 
  113. «Stranger Things: Lucas on the Line». Penguin Random House. Penguin Random House. Consultado em 11 de março de 2022 
  114. Holub, Christian (18 de junho de 2018). «Dark Horse launches line of 'Stranger Things' comics». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 20 de junho de 2018. Cópia arquivada em 18 de junho de 2018 
  115. McMillan, Graeme (25 de setembro de 2018). «'Stranger Things' Comic Trailer Explores Season 1 Mystery». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2018 
  116. «FREE COMIC BOOK DAY 2019 (GENERAL)». Dark Horse Digital (em inglês). Dark Horse Comics. Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 24 de julho de 2019 
  117. Holub, Christian (20 de fevereiro de 2019). «New Stranger Things prequel comic will introduce one of Eleven's fellow test subjects — exclusive». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 20 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2019 
  118. «Stranger Things: Zombie Boys TPB :: Profile :: Dark Horse Comics». www.darkhorse.com (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2019 
  119. «NYCC 2019: DARK HORSE COMICS AND NETFLIX TO RELEASE THIRD STRANGER THINGS COMIC SERIES». Dark Horse (em inglês). Dark Horse Comics, Inc. 30 de novembro de 2018. Consultado em 18 de março de 2020. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2018 
  120. «CBD 2020 STRANGER THINGS & MINECRAFT». Free Comic Book Day (em inglês). Consultado em 18 de março de 2020. Cópia arquivada em 18 de março de 2020 
  121. «Stranger Things: The Bully (Graphic Novel) By Greg Pak; Illustrated by Valeria Favoccia» (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2020. Cópia arquivada em 26 de março de 2020 
  122. Zub, Jim. «Stranger Things and Dungeons & Dragons Announced!». Zub Tales (em inglês). Zub Tales. Consultado em 19 de junho de 2020. Cópia arquivada em 19 de junho de 2020 
  123. Johnston, Rich (18 de junho de 2020). «Now We Are Getting a Stranger Things & Dungeons & Dragons Comic». Bleeding Cool (em inglês). Bleeding Cool. Consultado em 19 de junho de 2020. Cópia arquivada em 19 de junho de 2020 
  124. Dwyer, Theo (23 de julho de 2020). «Stranger Things Prequel, Halloween in Hawkins, Coming This October». Bleeding Cool (em inglês). Bleeding Cool. Consultado em 25 de julho de 2020. Cópia arquivada em 24 de julho de 2020 
  125. «Stranger Things: Erica the Great TPB (Young Adult) :: Profile :: Dark Horse Comics». Dark Horse. Consultado em 29 de dezembro de 2021 
  126. Webster, Andrew (4 de outubro de 2017). «This Stranger Things mobile game will help prepare you for the Upside Down». The Verge (em inglês). Consultado em 4 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2017 
  127. Yin-Poole, Wesley (4 de outubro de 2017). «There's an official Stranger Things video game and it looks retro cool». Eurogamer (em inglês). Consultado em 4 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2017 
  128. a b Gallagher, Danny (27 de outubro de 2017). «How an Allen Studio Won the Contract to Make the Top-Secret Stranger Things Game». Dallas Observer (em inglês). Consultado em 31 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  129. Makuch, Eddie (4 de outubro de 2017). «Beating The Stranger Things Game Reveals This Never-Before-Seen Clip From Season 2». GameSpot (em inglês). Consultado em 4 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2017 
  130. deAlessandri, Marie (15 de março de 2018). «Hellblade: Senua's Sacrifice at forefront of BAFTA Games Awards nominations». MCV (em inglês). Consultado em 16 de março de 2018. Cópia arquivada em 22 de março de 2019 
  131. Palladino, Valentina (7 de dezembro de 2018). «Stranger Things 3 mobile game will let you jump into new Hawkins madness». Ars Technica (em inglês). Consultado em 7 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 7 de dezembro de 2018 
  132. Crecente, Brian (28 de março de 2019). «How 'Stranger Things 3: The Game' Will Take Players Beyond the TV Show». Variety (em inglês). Consultado em 31 de março de 2019. Cópia arquivada em 31 de dezembro de 2019 
  133. Rivera, Joshua (2 de novembro de 2021). «Netflix officially has games now». Polygon. Consultado em 2 de novembro de 2021 
  134. Watts, Steve (12 de junho de 2019). «Netflix's E3 2019 Game News Includes A Fortnite Crossover». GameSpot (em inglês). Consultado em 12 de junho de 2019. Cópia arquivada em 12 de junho de 2019 
  135. Tanish, Botadkar. «Stranger Things: Puzzle Tales, a story-driven match-3, launches worldwide on Android and iOS». Pocket Gamer. Consultado em 11 de março de 2022 
  136. Bucksbaum, Sydney. «Behind the Scenes: Stranger Things 3 podcast reveals how puberty inspired the Mind Flayer's monster». Entertainment Weekly. Consultado em 29 de junho de 2021 
  137. Freeman, Lancer. «Behind The Scenes: Stranger Things 3 - Podcasts To Listen To». Primal Stream Media. Consultado em 29 de junho de 2021 
  138. Bucksbaum, Sydney. «Behind the Scenes: Stranger Things 3 podcast reveals secrets about Robin, Erica, Hopper, and more». Entertainment Weekly. Consultado em 29 de junho de 2021 
  139. «Can't Get Enough Of Stranger Things' Robin Buckley? There's A New Podcast For You». Bustle (em inglês). Consultado em 29 de junho de 2021 
  140. Hollister, Sean (14 de maio de 2019). «Stranger Things' amazing Lego set takes the Upside Down literally». The Verge (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2019. Cópia arquivada em 15 de maio de 2019 
  141. «2020 TOTY Winners». The Toy Association 
  142. «'Face Your Fears' Brings the Supernatural World of 'Stranger Things' to Gear VR». Oculus Blog (em inglês). Oculus Blog. Consultado em 30 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 18 de agosto de 2020 
  143. Marshall, Cass (19 de agosto de 2019). «Stranger Things is coming to Dead by Daylight in a new update». Polygon (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2019 
  144. Mejia, Ozzie (9 de outubro de 2019). «Stranger Things coming to Rocket League Haunted Hallows Event». Shacknews (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 9 de outubro de 2019 
  145. Bowerman, Mary (17 de fevereiro de 2017). «Congressman compares Trump administration to 'Upside Down' in 'Stranger Things'». USA Today (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2017 
  146. Robertson, Adi (4 de outubro de 2017). «Google is turning Stranger Things characters into adorable augmented reality stickers». The Verge (em inglês). Consultado em 4 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2017 
  147. Lenker, Maureen Lee (27 de novembro de 2017). «Sesame Street parodies Stranger Things with Cookiegorgon». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 1 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2017 
  148. Carris, Christi (15 de julho de 2019). «'The Simpsons' will scare up a 'Stranger Things' parody for Episode 666». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 15 de julho de 2019. Cópia arquivada em 16 de julho de 2019 
  149. Coulon, Jessica (2 de julho de 2019). «The Bicycles Behind Those Epic Escapes on 'Stranger Things'». Bicycling (em inglês). Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 14 de julho de 2019 
  150. a b c d Kaufman, Gil (29 de agosto de 2016). «Stranger Things Co-Composer Shares the Story Behind 2016's Most Unlikely Musical Sensation». Billboard (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2016 
  151. «Stranger Things: 10 eerie electronic gems to hear if you loved the Netflix show». FACT Magazine: Music News, New Music. (em inglês). 6 de agosto de 2016. Consultado em 5 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 13 de setembro de 2016 
  152. a b c Weingarten, Christopher (1 de agosto de 2016). «'Stranger Things': Meet the Band Behind Show's Creepy, Nostalgic Score». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2017 
  153. Gruttadaro, Andrew (2 de agosto de 2018). «How the Duffer Brothers Picked the Perfect Music for 'Stranger Things'». Complex (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 21 de outubro de 2018 
  154. Thomas, Helen (2 de agosto de 2016). «An Interview With S U R V I V E: The Mysterious Band Behind The Epic 'Stranger Things' Score». NME (em inglês). Consultado em 5 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2016 
  155. ModeAudio - FMCMstaff (15 de janeiro de 2018). «Stranger Things: Reconstruye paso a paso su tema musical principal en tu DAW» (em espanhol). sonicplug.com. Consultado em 15 de janeiro de 2018 
  156. Mylnar, Phillip (25 de julho de 2016). «Unpacking the '80s nostalgia of the 'Stranger Things' soundtrack». Mashable (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2017 
  157. Minsker, Evan (10 de agosto de 2016). «Netflix's Stranger Things Soundtrack Detailed». Pitchfork (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2016 
  158. «Stranger Things: Music from the Netflix Original Series». iTunes. Consultado em 4 de novembro de 2017 
  159. Holt, Kris (7 de dezembro de 2018). «'Stranger Things' compilation earns Grammy nomination for Netflix». Engadget (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  160. «2019 Grammy Awards: The Full List Of Winners». NPR (em inglês). 10 de fevereiro de 2019. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  161. a b Strauss, Matthew (6 de junho de 2019). «'Stranger Things' Season 3 Soundtrack Announced». Pitchfork. Consultado em 6 de junho de 2019 
  162. a b Aubrey, Elizabeth (6 de junho de 2019). «A new 'Stranger Things' soundtrack for season 3 is on the way». NME. Consultado em 6 de junho de 2019 
  163. a b «Legacy Recordings Announces Release of 'Stranger Things: Soundtrack' from the Netflix Original Series, Season 3». Legacy Recordings. 6 de junho de 2019. Consultado em 7 de junho de 2019 

Ligações externasEditar