Suérquero II da Suécia

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Suérquero.

Suérquero II[1] (em sueco: Sverker II; em latim: Suercherus II; c. 116417 de julho de 1210), também conhecido como Suérquero, o Jovem (em sueco: Sverker den yngre) ou Suérquero Filho de Carlos (em sueco: Sverker Karlsson) foi rei da Suécia de ca. 1196 até sua deposição em 1208. Era filho de Carlos VII e sua esposa Cristina de Hvide. Sucedeu a Canuto I e foi sucedido por Érico X. Morreu na Batalha de Gestilren de 17 de julho de 1210 quando tentava retomar o trono de Érico.[2]

Suérquero II
Rei da Suécia
Reinado 1196 a 31 de janeiro de 1208
Antecessor(a) Canuto I
Sucessor(a) Érico X
 
Esposas Benedita da Suécia
Ingegerda de Bjelbo
Descendência Helena
Carlos
Cristina
Margarida
João I
Casa Suérquero
Nascimento c. 1167
Morte 17 de julho de 1210 (43 anos)
  Batalha de Gestilren
Pai Carlos VII
Mãe Cristina de Hvide
Religião Catolicismo

VidaEditar

Suérquero nasceu por volta de 1164,[3][4] filho do rei Carlos VII e sua esposa Cristina de Hvide Em 1167, seu pai foi assassinado e seu assassino sucedeu-o como Canuto I e o infante Suérquero fugiu à Dinamarca, onde viveu com sua família materna. No país, casou-se com Benedita em 1190. Quando Canuto faleceu em 1195, regressou à Suécia e com apoio de Birger, o Sorridente, foi feito rei em 1196 sem oposição, pois os filhos de Canuto eram menores de idade.[5] Em seu reinado, beneficiou a Igreja, concedendo em 1200 isenção de impostos e direito a tribunais eclesiásticos.[3][6][4] Além disso, enviuvou em 1199 e em 1200 desposou Ingegerda, filha de Birger.[7]

Em 1202, Birger morreu e em 1203 os filhos de Canuto, que ainda viviam na corte sueca, exilaram-se na Noruega. Em 1205, voltaram à Suécia armados e apoiados por soldados noruegueses, com a intenção de depor o rei, mas foram derrotados na Batalha de Elgaros, onde todos pereceram, exceto Érico, que fugiu.[5] Érico regressou em 1208, apoiado novamente por noruegueses e desta vez venceu o exército de Suérquero e os daneses na Batalha de Lena de 31 de janeiro e Suérquero fugiu à Dinamarca.[3][8] Com apoio do rei dano Valdemar II e do papa Inocêncio III, tentou recuperar a coroa, mas foi morto na Batalha de Gestilren de 17 de julho de 1210. [7][4][5][6][9]

DescendentesEditar

De seu matrimônio em 1190 com Benedita, teve quatro filhos, sobre os quais sabe-se muito pouco:

Ao casar pela segunda vez em 1200 com Ingegerda de Bjelbo teve apenas um filho:

Referências

  1. Neves 2019.
  2. Henrikson 1963, p. 104-105.
  3. a b c Larsson 1993, p. 33.
  4. a b c d Lagerqvist 2001, p. 386.
  5. a b c Melin 2006, p. 59.
  6. a b Melin 2006, p. 56-57.
  7. a b Harrison 2002, p. 8; 143-145.
  8. Lindkvist 2006, p. 33; 41.
  9. Harrison 2002a, p. 105-106.
  10. Norseng 2017.

BibliografiaEditar

  • Harrison, Dick (2002a). «Lena och Gestilren». Sveriges historia medeltiden (em sueco). Estocolmo: Liber. 384 páginas. ISBN 91-47-05115-9 
  • Harrison, Dick (2002). Jarlens sekel: En berättelse om 1200-talets sverige. Estocolmo: Ordfront 
  • Henrikson, Alf; Berg, Björn (1963). «Bråvalla slag». Svensk historia (em sueco). Estocolmo: Bonnier. ISBN 91-0-055344-1 
  • Lagerqvist, Lars O.; Orrling, Carin Orrling (2001). «Sverker d.y. Karlsson». Medeltidens ABC (ABC da Idade Média) (em sueco). Estocolmo: Museu Histórico de Estocolmo. 489 páginas. ISBN 91-518-3926-1 
  • Larsson, Lars-Ove (1993). «Sverker». Vem är vem i svensk historia (Quem é quem na história sueca). Från år 1000 till 1900 (em sueco). Estocolmo: Prisma. 208 páginas. ISBN 91-518-3427-8 
  • Lindkvist, Thomas; Sjöberg, Maria (2006). «Medeltiden;Sverkrar, erikar och folkungar 1130-1250». Det svenska samhället 800-1720 (em sueco). Lund: Studentlitteratur. ISBN 91-44-01181-4 
  • Melin, Jan; Johansson, Alf; Hedenborg, Susanna (2006). «Äldre medeltiden». Sveriges Historia. Koncentrerad uppslagsbok, fakta, årtal, kartor, tabeller (em sueco). Estocolmo: Prisma. ISBN 9789151846668 

Ver tambémEditar