Abrir menu principal

Suplemento Juvenil

(Redirecionado de Suplemento Infantil)
Suplemento Juvenil
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
Edição nº. 253 do Suplemento Juvenil publicado em 1936 com o clássico personagem Peter Pat na capa.
País de origem  Brasil
Editora(s) A Nação
Grande Consórcio Suplementos Nacionais
Formato de publicação Tabloide
Primeira publicação 1934

O Suplemento Juvenil (inicialmente Suplemento Infantil) foi uma revista em quadrinhos infanto-juvenil lançada em 1934 pelo pioneiro dos quadrinhos de aventura no Brasil, Adolfo Aizen.[1]

Foi a primeira publicação brasileira dedicada a quadrinhos de heróis e com personagens famosos das tiras de jornal norte-americanas como "Mandrake, o mágico", "Flash Gordon" (lançado em cores apenas dois meses depois do lançamento de suas pranchas dominicais), "Tarzan",[2] além de o "Pato Donald"[3] e vários outros que fizeram parte da "Era de Ouro dos Quadrinhos". Além dos quadrinhos era rico em textos infantis, históricos e contos. Seu sucesso foi imediato e com grande tiragem para aquela época. Com cerca de 200 mil exemplares liderou o mercado por bastante tempo até a chegada de seu maior concorrente, O Globo Juvenil do Roberto Marinho.[1]

Índice

PublicaçãoEditar

Em 1933, o jornalista Adolfo Aizen trabalhava em duas publicações: no jornal O Malho e no jornal O Globo. Em 1933, foi convidado pelo Comitê de Imprensa do Touring Club do Brasil a viajar para os Estados Unidos e numa visita ao Daily Mirror de Nova York conheceu os artistas de quadrinhos Alex Raymond, Milton Caniff e Bob Ripley e os suplementos dominicais de tiras de jornal. Ao voltar ao Brasil, Aizen tentou convencer seu patrão no jornal O Globo, o jornalista Roberto Marinho, a publicar algo semelhante. Marinho não aprovou a idéia mas Aizen não desistiu e resolveu procurar o jornal A Nação'.

No dia 14 de Março de 1934, o Suplemento Infantil foi lançado pelo jornal A Nação. A primeira edição trazia uma capa produzida por J. Carlos (já colaborador da revista O Tico-Tico) que ilustrou um conto do escritor Luiz Martins. Segundo a seção "Notícias em quadrinhos" publicada no verso da capa da revista da EBAL "Dimensão K" número 6 de março de 1968, nesse primeiro número havia a primeira história em quadrinhos brasileira (feita com a técnica americana dos seriados de cinema), que teve o título de "Os Exploradores da Atlântida" ou "As aventuras de Roberto Sorocaba", desenhada por A. Monteiro Filho. Foi o primeiro capítulo de um total de 12.[4] Apareceram também nesse número as histórias de "O cachorrinho Bob" e "O Boa Vida" (de C.D.Russel), "Louro, "A confusão do Louro" e "Papagaio Resfriado" (de Pat Sullivan) e "O casal Maneco Fanfarrão" (de Russ Westover). Outros desenhistas que se destacariam foram Fernando Dias da Silva, Antonio Euzébio, Sálvio Correia Lima, Celso Barroso e Alcyro Dutra.[5]

Com o sucesso, a partir do nº 15 consegue independência e muda então o nome para Suplemento Juvenil, publicando-o por editora do próprio Aizen, a Grande Consórcio Suplementos Nacionais.[1]

O Suplemento Juvenil era uma publicação em formato tablóide[6] e em papel-jornal, tinha 16 páginas a não ser em edições especiais como as de 7 de setembro e as de Natal com 100 ou 50 páginas.[1]

Ressalve-se que o Suplemento não foi o primeiro tabloide de histórias em quadrinhos. Em 1929, o jornal A Gazeta lançou a A Gazetinha.[1]

Teve 1726 números até novembro de 1945. Em seguida Adolfo Aizen fundou outra editora, a Editora Brasil-América Ltda (mais conhecida como EBAL).[1]

HomenagemEditar

Em 1984, em comemoração aos 50 anos do lançado da publicação, foi instituído pela Academia Brasileira de Letras e pela Associação Brasileira de Imprensa, que 14 de março seria o "Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos".[7][8]


Referências

  1. a b c d e f Gonçalo Júnior. Editora Companhia das Letras, ed. A Guerra dos Gibis - a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964. 2004. [S.l.: s.n.] ISBN 9788535905823 
  2. Toni Rodrigues (31 de março de 2005). «Ebal 60 anos: uma celebração». Universo HQ. Consultado em 6 de junho de 2010. 
  3. Roberto Elísio dos Santos (9 de Junho de 2004). «Pato Donald comemora 70 anos». Omelete. Consultado em 6 de junho de 2010. 
  4. «Mestres do Quadrinho Nacional: Monteiro Filho». Bigorna. 5 de outubro de 2005 
  5. Seção Notícias em quadrinhos - verso da capa da Revista Elektron número 7 de Março de 1968- Ebal - informações do jornalista Sérgio Augusto, autor de "Quadrinhos" do Jornal do Brasil, de 20/01/67
  6. Waldomiro Vergueiro (Julho de 1999). «A odisséia dos quadrinhos infantis brasileiros: Parte 1: De O Tico-Tico aos quadrinhos Disney, a predominância dos personagens importados». Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Consultado em 6 de junho de 2010. 
  7. Ivan Lima Gomes. «Uma breve introdução à história das histórias em quadrinhos no Brasil» (PDF). Universidade Federal do Rio Grande do Sul 
  8. Gonçalo Junior (14 de março de 2014). «A viagem que trouxe os quadrinhos de heróis ao Brasil». Universo HQ 

Ligações externasEditar