Abrir menu principal

Túmulo de Damião de Góis

Igreja em Alenquer
Igreja de São Pedro de Alenquer onde se encontra o Túmulo de Damião de Gois

O Túmulo de Damião de Góis é um Monumento Nacional de Portugal, classificado como tal no ano de 1910.

Está situado na freguesia de Santo Estêvão, no concelho de Alenquer.

Este exemplo de arquitectura religiosa encontra-se na na capela da Igreja de São Pedro, em Alenquer.

HistóriaEditar

A atual capela tumular de Damião de Góis era a capela-mor da igreja de Santa Maria da Várzea, em Alenquer, igreja que o escritor mandou restaurar em 1560. No entanto, devido à ruína desta, toda a capela, que inclui o túmulo de Damião de Góis e de sua mulher, Joana van Hargen, foi transladada em 1940 para a igreja de São Pedro, da mesma vila, onde se encontra até hoje.[1]

DescriçãoEditar

A capela, coberta com abóbada de nervuras, cujos bocetes são decorados por florões, mantém o pavimento original da igreja da Várzea, em lajes de mármore branco e vermelho. No centro foi edificado um pequeno altar com uma imagem policroma do "Ecce Homo", proveniente da Flandres. Numa das paredes laterais foi inserida numa cartela a pedra com as armas de Damião de Góis, dadas ao escritor pelo imperador Carlos V, e as de Joana van Hargen. O conjunto é decorado por motivos grotescos e rematado por uma cabeça alada.[1]
Na parede fronteira foi colocado o curioso epitáfio tumular de Damião de Góis, escrito pelo próprio em 1560, cerca de quinze anos antes da sua morte, pelo que a data inscrita não corresponde à data de óbito. Encimado por um tondi com o busto do humanista, nele se inscreve o seguinte texto em latim: "Ao maior ótimo Deus. Damião de Goes, cavaleiro lusitano foi em tempos; corri toda a Europa em negócios públicos, sofri vários trabalhos de Marte; as musas, os princípes eos varões doutos amaram-me com razão; descanso neste túmulo em Alenquer, onde nasci, até que aquele dia acorde estas cinzas. Morreu no ano da salvação, 1560. Este jazigo não passa a herdeiros."[2] A laje sepulcral foi colocada no chão, no espaço fronteiro ao epitáfio.

BibliografiaEditar

  • AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de - Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa, 1963
  • MARKL, Dagoberto - Damião de Góis e a igreja de Nossa Senhora da Várzea in A Damião de Góis no IV centenário da sua morte, 1574-1974, Alenquer, 1974
  • BARRETO, Luís Filipe - Damião de Goes - os caminhos de um humanista, Lisboa, 2002
  • MELO, António de Oliveira, GUAPO, António Rodrigues - O concelho de Alenquer - subsídios para um roteiro de arte e etnografia, Alenquer, 1989

Referências

  1. a b 1ª Revisão do Plano Diretor Municipal de Alenquer, Volume 1 - Caracterização Territorial, pág. 40.
  2. Barreto, Luis F. (2002), pág. 123.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.