TV Continental

extinta emissora de televisão brasileira do Rio de Janeiro, GB

TV Continental foi uma emissora de televisão brasileira sediada no Rio de Janeiro, antes capital federal e posteriormente estado da Guanabara. Operava no canal 9 VHF e foi a terceira estação de TV da cidade, inaugurada em 1959 pelo deputado estadual pelo então Distrito Federal Rubens Berardo. No início da década de 1970, encontrando-se em má situação financeira, a Continental encerrou suas atividades e teve sua concessão cassada.[1]

TV Continental
TV Continental Ltda.
Rio de Janeiro, Guanabara
Brasil
Tipo comercial
Canais 9 VHF analógico
Sede Rio de Janeiro, GB
Fundador(es) Rubens Berardo
Carlos Berardo
Murilo Berardo
Pertence a Organização Rubens Berardo
Fundação 30 de junho de 1959
Extinção dezembro de 1971
Emissora(s) irmã(s)

HistóriaEditar

Após a transmissão de um amistoso entre as seleções brasileira e inglesa de futebol como pré-estreia, em 13 de maio de 1959, ocorrido no Estádio Jornalista Mário Filho, a TV Continental do Rio de Janeiro foi inaugurada às 19 horas de 30 de junho, em solenidade que contou com a presença do então presidente da República Juscelino Kubitschek.[1] A emissora, de programação generalista, com diversos formatos, estava localizada em um espaço no bairro Laranjeiras utilizado pela produtora cinematográfica Flama, da qual Rubens Berardo também era proprietário, e um de seus estúdios era o maior do Brasil. Com um departamento de cinema, o canal contava com modernas condições técnicas para revelação de filmes.[2]

Seis meses após seu lançamento, a Continental foi a primeira estação de TV do país a utilizar videotape, por meio de uma demonstração no hotel Copacabana Palace apresentada por Carlos Pallut, seu diretor de jornalismo, e Riva Blanche, com direção de Haroldo Costa.[2]

 
Jornalista Heron Domingues ao lado de uma câmera da TV Continental; em 1966 chegou a ser arrendatário da emissora

A emissora contava com extenso departamento artístico, responsável, em sua grade, principalmente, por musicais e teleteatros. Alguns de seus atores provinham da TV Paulista, com a qual havia firmado um acordo. Porém, o quadro de funcionários no setor encolheu à medida em que o canal passava por problemas financeiros, resultando em greves por falta de pagamento. Em 1966, a Continental foi arrendada, por seis meses, ao jornalista Heron Domingues para reverter a má administração financeira em que se encontrava. Àquela altura, artistas migravam para outras estações que ofereciam melhores salários.[2]

No início da década de 1970, a emissora foi despejada de seu espaço e alocou-se em um imóvel no bairro Vila Isabel,[1] passando depois a gerar seu sinal direto de um caminhão de externas em frente ao Grajaú Tênis Clube.[3] Com programação de uma hora veiculando apenas filmes,[4] o canal saiu do ar em setembro de 1971,[5] retornando em 19 de novembro com a transmissão de programas educativos para o público infantil produzidos pelo Serviço de Televisão Educativa da Secretaria de Educação da Guanabara (na época estado localizado na antiga cidade do Rio) entre 19h e 21h, cuja foi interrompida em 17 de dezembro devido à descontinuidade das operações da emissora.[6]

Em 22 de fevereiro de 1972, o então presidente Emílio Garrastazu Médici assinou decreto cassando a concessão da Continental após sugestão do Conselho Nacional de Telecomunicações (CONTEL), que acompanhou a situação do canal e alegou que, além de estar fora do ar, teve pedido de falência deferido pela Justiça.[4]

Posteriormente, transmissor, torre e antena da Continental foram postos a leilão e arrematados pelo empresário e apresentador de televisão Silvio Santos para inaugurar em 1976 sua primeira emissora, a TVS, no Rio de Janeiro. Descobriu-se que o equipamento para transmissão do antigo canal já operava em cores, antes do sistema PAL-M ser lançada no Brasil em 1972.[7]

Referências

  1. a b c Elmo Francfort (1 de março de 2017). «A história da TV Continental». Museu da TV, Rádio & Cinema 
  2. a b c Tatiana Murilo. «TV CONTINENTAL». Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil 
  3. «Governo cassa TV Continental». Jornal do Brasil (n°271): pg. 13. 23 de fevereiro de 1972 
  4. a b «O ESTADO DE S. PAULO: PÁGINAS DA EDIÇÃO DE 23 DE FEVEREIRO DE 1972 - PAG. 10». O Estado de S. Paulo. Acervo Estadão. 23 de fevereiro de 1972. Ler "Médici cassa TV Continental" 
  5. «Um cemitério». Jornal do Brasil. TV-Pesquisa. 22 de dezembro de 1971 
  6. «Programação infantil só continua no Canal 9». Jornal do Brasil. TV-Pesquisa. 23 de dezembro de 1971 
  7. Thell de Castro (8 de maio de 2016). «Há 40 anos, Silvio Santos colocava no ar sua primeira emissora de televisão». Notícias da TV