Abrir menu principal

TV Bandeirantes Porto Alegre

Emissora de televisão brasileira de Porto Alegre, RS
(Redirecionado de TV Difusora (Porto Alegre))
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Bandeirantes Porto Alegre
Rádio e TV Portovisão Ltda.
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 32 UHF
Virtual: 10 PSIP
Outros canais 10 / 510 HD (Claro TV)
519 (Vivo TV)
11 / 511 HD (TVN)
15 (Tubaron)
ver mais
Analógico
10 VHF (1969-2018)
Sede Bandeira de Porto Alegre.svg Porto Alegre, RS
Slogan Olhar de quem acredita
Rede Rede Bandeirantes
Fundador Ordem dos Frades Menores Capuchinhos
Pertence a Grupo Bandeirantes de Comunicação
Proprietário Johnny Saad
Antigo proprietário Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (1969-1980)
João Jorge Saad (1980-1999)
Administração Leonardo Meneghetti
Presidente Johnny Saad
Fundação 10 de outubro de 1969 (50 anos)
Prefixo ZYB 616
Nome(s) anteriore(s) TV Difusora (1969-1980)
Emissoras irmãs
Cobertura Estado do Rio Grande do Sul
Coord. do transmissor 30° 4' 47.2" S 51° 10' 56.2" O
Potência 10 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial band.uol.com.br/tv/rs

TV Bandeirantes Porto Alegre (conhecida também como Band RS) é uma emissora de televisão brasileira sediada em Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Opera no canal 10 (32 UHF digital) e é uma emissora própria da Rede Bandeirantes. Seus estúdios ficam localizados no bairro do Santo Antônio, onde sedia-se todo o holding do Grupo Bandeirantes de Comunicação no Rio Grande do Sul, e sua antena de transmissão está no Morro da Polícia.

HistóriaEditar

TV Difusora (1969–1980)Editar

A emissora surgiu da semente da Rádio Difusora que havia sido inaugurada em 27 de outubro de 1934 pela Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, num movimento de expansão missionária do projeto de evangelização da igreja católica proposto pelo Papa Pio XI na encíclica Rerum ecclesiae. Sensíveis a estes apelos e inspirados pelas encíclicas Evangelii praecones do Papa Pio XII e Princeps pastorum do Papa João XXIII, os frades inauguraram a TV Difusora em 10 de outubro de 1969. A data marcou a conclusão de um projeto iniciado em 1961, quando os freis conquistaram a concessão do canal junto ao Ministério das Comunicações. A ideia era criar uma emissora de programação genuinamente local que permitisse fazer de Porto Alegre um centro de produção cultural. Para isso, foram convidados os diretores Salimen Júnior e Walmor Bergesch, que deixaram a TV Gaúcha para trabalhar no projeto.

A inauguração da TV Difusora foi um evento muito bem organizado que contou com a presença do governador, Peracchi Barcelos, do cardeal Dom Vicente Scherer e do presidente Emílio Garrastazu Médici. Na oportunidade, Médici fez seu primeiro pronunciamento na televisão após ser escolhido o presidente da República. O mascote do canal era um leão, enquanto o logo parecia um leque em círculo, com todas as cores primárias e o número 10 no centro.

Em 19 de fevereiro de 1972, a TV Difusora foi a primeira emissora brasileira a realizar transmissão ao vivo, em cores, diretamente da solenidade da Festa da Uva, de Caxias do Sul. Foi uma transmissão histórica em todo o país, inaugurando um novo momento da televisão brasileira. No dia seguinte, para confirmar o êxito da iniciativa, a Difusora gerou, novamente ao vivo e com imagem colorida, o jogo entre Grêmio e Caxias, para emissoras de todo o país.

As atrações locais começava com um conselho de 5 minutos de um padre capuchinho. Logo depois, entravam séries infantis, como A Feiticeira e Os Monkees. Concorrendo com o Jornal do Almoço da TV Gaúcha, a emissora apresentava entre 11h30 e 14h30, o Portovisão, que estreou em 10 de outubro de 1974. Ele começava com o quadro de Fernando Vieira, que apresentava as novidades do mundo jovem. Logo depois vinha Tatata Pimentel, o primeiro homossexual assumido na televisão do Rio Grande do Sul, que contava o que estava acontecendo no mundo das discotecas, dos trends e do high society porto-alegrense. Seguia o quadro de José Antônio Daudt, que, em plena ditadura militar, teatralmente cobrava das autoridades que, por exemplo não usassem carros oficiais para fins particulares, inclusive dando no ar os números das placas "brancas" dos acusados. Ele batia com o punho na mesa e falava com voz de protesto. Depois de Daudt, era a vez do humorista Renato Pereira, que contava piadas no ar.

O comentário esportivo de Lauro Quadros antecedia ao noticiário do mundo dos esportes, seguido pelo comentário de Larry Pinto de Faria, enquanto Sérgio Jockymann vinha antes das notícias, que nas várias fases do programa, foram apresentadas por Sérgio Schüeller, José Fontela, Magda Beatriz, Clóvis Duarte, entre outros. O final da atração era preenchido por entrevistas voltadas ao público feminino, apresentado por Tânia Carvalho. O último Portovisão, desfalcado depois da debandada dos apresentadores para a TV Guaíba, foi ao ar em 1981, apresentado por Solange Bittencourt. A atração foi tão importante para a história da TV Difusora, que acabou virando, depois da compra pela Rede Bandeirantes, a razão social da emissora, Rádio e TV Portovisão Ltda.

A TV Difusora teve alguns programas infantis, como o Recreio, apresentado por Tia Bita e o menino Fabiano. Possuiu grande destaque educacional, a premiação "Aluno Nota Dez", onde eram distribuídos brindes como canetas com o selo "Eu sou nota Dez" para alunos que apresentassem o boletim com notas 10. As tardes eram preenchidas com filmes, séries e desenhos animados, e outras produções locais. No final dos anos 70 surgiu o Discoteca 78 (no ano seguinte, Discoteca 79), apresentado por Fernando Vieira, nos fins de tarde. Em 1980, o então diretor de programação Claro Gilberto lançou o Jornal da Mulher, apresentado por Maria Aparecida Vieira Souto e Tatata Pimentel, de segunda a sexta entre 16h e 17h.

As noites eram marcadas pelo noticiário Câmera 10, que teve apresentadores como Ana Amélia Lemos, a Miss Universo Ieda Maria Vargas, Sérgio Schueller, José Fontela e Magda Beatriz. O Camisa 10 era o programa esportivo da emissora, apresentado logo depois do noticiário. Teve vários apresentadores e comentaristas, como João Carlos Belmonte, Lauro Quadros, Kenny Braga e Larry Pinto de Faria. Durante seus primeiros anos, a TV Difusora também contou em seu casting com nomes como Walmor Chagas, Moacyr Scliar, José Fogaça, Carlos Bastos, Ayrton Fagundes, Adroaldo Streck, Cascalho Contursi, Geraldo José de Almeida, entre outros.

Na década de 1970, a TV Difusora tentou estabelecer sua programação nacionalmente, aliado ao plano de tornar Porto Alegre um centro de produção cultural, em oposição ao Eixo Rio-São Paulo, onde estavam baseadas as redes nacionais. Essa tentativa aconteceu em 1972, com a aquisição do controle acionário da TV Rio pela OFM. Porém, devido a problemas financeiros, a emissora foi extinta em 1977. Da mesma forma, a TV Difusora já não conseguia estabelecer uma programação eminentemente local, e em 1979, tornou-se afiliada à recém criada Rede Bandeirantes, que passou a responder por 30% da programação.

Emissora própria da Rede Bandeirantes (1980–presente)Editar

No ano seguinte, em 30 de junho de 1980, a OFM vendeu a TV Difusora e a Rádio Difusora para o Grupo Bandeirantes de Comunicação, que tinha interesse em ampliar seus investimentos no sul do País. A partir daí, a emissora passou a se chamar TV Bandeirantes Porto Alegre.

Em 1981, a emissora gaúcha lançou um programa infantil matutino com o mágico Tio Tony, chamado Carrossel Bandeirantes. As manhãs eram finalizadas com o policialesco TV Cidade, apresentado por José Antônio Daudt e Solange Bittencourt. Em meados da década de 1980, o diretor da emissora, Paulo Solano, criou uma nova versão do Portovisão, convidando Clovis Duarte, Tatata Pimentel, José Antônio Daudt, Renato Pereira, Carlos Alberto Pires de Miranda, Xicão Tofani, Rosa Helena e Bibo Nunes para apresentarem o Meio-Dia A Hora Local, que ia ao ar até as 13h30.

Com a extinção do programa para dar lugar ao noticiário Acontece, gerado em São Paulo, e o esportivo Esporte Total, também vindo da matriz, foi criada uma nova atração para as 13h, o Sul TV, apresentado por Vera Armando. A esposa do diretor Paulo Solano produziu um programa de variedades matinal de nome inusitado e curiosamente longo, apresentado por Rosa Helena, o Programa Feminino ou "Quando as mulheres podem falar o que bem entendem sem que os homens interrompam". Este era o nome da atração, provavelmente o mais longo da história da televisão brasileira.

No final dos anos 90 a emissora contratou a ex-apresentadora do Jornal do Almoço e ex-deputada estadual Maria do Carmo Bueno para apresentar o programa Lado a Lado, a partir das 13h. Outra atração local que marcou os anos 80 era o Bandeirantes Recebe, que ia ao ar aos sábados pela manhã, apresentado por Carmem Lucci.

Em 29 de agosto de 2016, após 32 anos no Grupo RBS, Paulo Brito passou a integrar o Grupo Bandeirantes, onde participava do esportivo Os Donos da Bola, além de ser narrador da Rádio Bandeirantes, mas ele deixou a emissora em 2018.

Em 23 de janeiro de 2017, o jornalista Sérgio Cóssio, que trabalhou por RBS TV e SBT Santa Catarina é anunciado como novo diretor geral da Band no Rio Grande do Sul. Ele substitui Leonardo Meneghetti, que irá para São Paulo para chefiar um núcleo que atuará junto a rede de emissoras próprias da Band. Em 2019, por causa de questões pessoais e de saúde, ele deixou a emissora, sendo substituído interinamente por Cláudio Giordani (diretor da emissora no interior paulista) até 10 de setembro, quando Leonardo Meneghetti retorna a Band RS.

Sinal digitalEditar

 
Sede da emissora no bairro Santo Antônio, em 2007
Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
10.1 32 UHF 1080i Programação principal da Band RS / Band

Em 3 de junho de 2010 a emissora inicia a transmissão do sinal digital para a região metropolitana de Porto Alegre no canal 32 UHF, em caráter experimental, sendo inaugurada oficialmente no dia 11 de junho, sendo a terceira emissora de Porto Alegre a transmitir a sua programação no sinal digital.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a Band RS, bem como as outras emissoras de Porto Alegre, cessou suas transmissões pelo canal 10 VHF em 14 de março de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[1] O switch-off aconteceu às 23h59, durante a exibição do filme Cruzada, na sessão Quarta no Cinema, que foi substituído por um slide do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

ProgramasEditar

Além de retransmitir a programação nacional da Rede Bandeirantes, atualmente a Band RS exibe os seguintes programas:

  • Os Donos da Bola RS: Jornalístico esportivo, com Gabriel Corrêa;
  • Band Cidade: Telejornal, com Sérgio Stock;
  • Band Entrevista: Programa de entrevistas, com Milton Cardoso;
  • Mais Saudável: Programa de variedades, com Laura Medina;
  • Entre Amigos: Programa de entrevistas, com Alejandro Malo;
  • Completamente Seu: Programa de variedades, com Helena Piaia
  • O Rio Grande que Dá Certo: Programa de entrevistas, com Osiris Marins;
  • Boca no Trombone: Jornalístico, com Paulo André Solano;
  • Band Motores: Programa sobre automobilismo, com Cezar Bresolin;
  • Ahazzy Para Maiores: Talk show, com Evandro Hazzy;
  • RS Acontece: Boletim informativo, durante a programação;
  • Cidadão Legal: Programete exibido durante a programação, com Max Corrêa

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

  • AgroBand
  • Bandeirantes Recebe
  • Boa Tarde RS
  • Brasil Urgente RS
  • Carrossel Bandeirantes
  • Câmera 10
  • Camisa 10
  • Esporte Revista
  • Esporte Total RS
  • Jogo Aberto RS
  • Jornal da Mulher
  • Jornal de Verão
  • Jornal do Rio Grande
  • Lado a Lado
  • Meio-Dia A Hora Local
  • Notícias da Redação
  • Portovisão
  • Preliminar
  • Programa Abraão Winogron
  • Programa Feminino ou "Quando as mulheres podem falar o que bem entendem sem que os homens interrompam"
  • Rede Cidade
  • Recreio
  • RS Acontece
  • Sul TV
  • Toque de Bola
  • TV Cidade

RetransmissorasEditar

Lista de retransmissoras
Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital
Agudo 06 - Ajuricaba 09 - Alegrete 11 -
Aratiba 05 39* Arroio Grande 08 - Bagé 09 32
Barra do Rio Azul 13 - Barracão 10 - Bento Gonçalves - 38 (39)
Caçapava do Sul 04 - Cachoeira do Sul 20 40 Cacique Doble 13 -
Camaquã - 08 (38) Camargo 06 - Campinas do Sul 05 -
Canela - 40 (39) Capão da Canoa 14 - Carazinho 13 -
Casca 02 - Catuípe 06 - Caxias do Sul - 43 (40)
Chapada 11 - Cruz Alta 05 38* David Canabarro 05 -
Dois Irmãos - 10 (32) Dom Feliciano 08 - Dom Pedrito 05 -
Encantado 11 - Encruzilhada do Sul 28 - Erechim 10 38*
Esmeralda 07 - Espumoso 04 - Garibaldi 32 -
Getúlio Vargas 23 - Gramado - 40 (32) Guaporé 22 -
Herval 13 - Horizontina 21 - Ibiaçá 06 -
Ibirubá 11 32* Ijuí 06 39 Iraí 10 -
Itaqui 25 - Jaguari 29 - Júlio de Castilhos 10 32*
Lagoa Vermelha 04 - Lajeado - 21 (38) Marau 36 -
Mata 11 - Maximiliano de Almeida 07 - Muçum 09 -
Nova Bréscia 04 - Nova Palma 13 - Nova Prata 10 -
Palmeira das Missões 11 39* Paraí 07 - Passo Fundo 11 39
Pelotas - 05 (32) Pinheiro Machado 11 38* Piratini 29 -
Porto Xavier 22 - Praia do Cassino (Rio Grande) - 05 (32) Putinga 04 -
Rio Grande - 34 (39) Rio Pardo 41 - Rondinha 06 -
Rosário do Sul 25 38* Salto do Jacuí 13 - Sananduva 13 -
Sant'Ana do Livramento 27 - Santa Cruz do Sul 08 38 Santa Maria - 10 (39)
Santa Rosa 02 32* Santa Vitória do Palmar 09 - Santiago 07 -
Santo Ângelo 07 - Santo Augusto 10 - São Borja 12 -
São Gabriel 07 - São José do Ouro 07 - Seberi 46 -
Serafina Corrêa 04 - Severiano de Almeida 10 - Soledade 10 32*
Tapera 09 - Tenente Portela 38 - Torres 10 38
Três Passos 12 32* Uruguaiana 09 - Vacaria 04 -
Venâncio Aires 28 39* Victor Graeff 04 -

* - Em implantação

Referências

  1. «Desligamento do sinal analógico vai até 14 de março em 117 cidades do Rio Grande do Sul». G1. 30 de janeiro de 2018. Consultado em 18 de novembro de 2019 

BibliografiaEditar

  • Ricco, Flávio; Vannucci, José Armando (2017). Biografia da Televisão Brasileira. 1. São Paulo: Matrix. p. 117 e 118. 928 páginas. ISBN 9788582304143 

Ligações externasEditar