TV Gazeta (Rio Branco)

emissora de televisão brasileira de Rio Branco, AC

A TV Gazeta é uma emissora de televisão brasileira instalada no Rio Branco, capital do estado do Acre. Opera no canal 11 (36 UHF digital) e é afiliada à RecordTV. A emissora entrou no ar em 2 de fevereiro de 1990, e atualmente possui retransmissoras no interior do Acre, e o seu sinal chega a ser captado na cidade boliviana de Cobija (leia-se Cobirra), capital do Departamento de Pando, na fronteira do Acre com a Bolívia.

TV Gazeta
Rádio e Televisão Norte Ltda.
Rio Branco, Acre
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 36 UHF
Virtual: 11 PSIP
Outros canais ver mais
Analógico:
11 VHF (1990-2018)
Sede Rio Branco, AC
Rua Antonio da Rocha Viana, 1.559 – Vila Ivonete
MAPA
Rede RecordTV
Rede(s) anterior(es)
Fundador(es) Roberto Moura
Pertence a Grupo Recol
Proprietário(s) Roberto Moura
Antigo(s) proprietário(s) Roberto Moura (1990-2013)
Presidente Marcelo Moura
Fundação 2 de fevereiro de 1990 (30 anos)[1]
Prefixo ZYA 202
Nome(s) anterior(es) RD TV Norte[nota 1]
Emissora(s) irmã(s) Rádio Gazeta FM
Cobertura 80% do Acre
Coord. do transmissor 9° 57' 42.2" S 67° 49' 13.3" O
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial A Gazeta

A emissora é um dos mais arrojados projetos de mídia eletrônica da Região Norte do Brasil. Atualmente tem pretensões de alcançar cerca de 90% da população urbana do Acre e parte dos telespectadores do estado de Amazonas e da Bolívia.

HistóriaEditar

1990-1999: Rede MancheteEditar

O Ministério das Comunicações abriu a concorrência de novo canal em Rio Branco no canal 11 analógico. O empresário Roberto Moura e diversos sócios entraram na concorrência, que posteriormente foi vencedor e começou a investir alto na emissora. Foi na época que preocupado com informação confiável à população do Rio Branco e municípios adjacentes que chegariam às residências, Roberto Moura e seus sócios estavam com desafio a investirem com a qualidade das imagens e som.

Com missão de levar imagem e som fora à população do Rio Branco e municípios adjacentes, iniciou as transmissões com equipamentos da tecnologia U-matic (o que havia de mais moderno no mercado para se fazer televisão). A emissora também operou com equipamentos Betacam, embora por pouco tempo (também o mais moderno no mercado). Hoje em dia, o U-matic e a Betacam (ambas da marca Sony) não são mais utilizados por serem equipamentos de tecnologia ultrapassada com o avanço da TV digital, que são guardados em estúdio como acervo histórico da emissora.

Há poucos detalhes do início do canal 11 analógico, pois sabe-se que iniciou com o nome de RD TV Norte, mas por motivo desconhecido,[nota 1] o nome da emissora mudou para a TV Gazeta em 2 de fevereiro de 1990, mantendo a programação da Rede Manchete.[1] Nos primeiros anos como afiliada à Rede Manchete, a emissora sempre manteve fiel com a rede. Entre 1993 a 1998, no auge da audiência, a Gazeta passou alcançar em várias vezes a vice-liderança (perdendo apenas a TV Acre com a Globo) graças às novelas, desenhos animados (especialmente japoneses) e linhas de shows, enquanto isso tinha programação local. O telejornal Gazeta em Manchete (apresentado até o meio de 2017 por Mara Rocha) foi o primeiro programa jornalístico colocado no ar pela emissora, que mantém até hoje. Atualmente o telejornal é apresentado por Gabriel Rotta, que também exerce a função de diretor de jornalismo da emissora.

Tendo como forte suas transmissões ao vivo, a emissora registrou fatos importantes que mudaram o rumo da história do Estado: A população acompanhou o julgamento em Xapuri dos acusados pelo assassinato do ecologista Chico Mendes ocorrido em 1988;[1] transmitir o maior incêndio da história, ocorrido na Assembleia Legislativa do Estado do Acre, narrando todos os acontecimentos à sociedade;[1] embora de forma dolorosa, a população acompanhou as últimas homenagens ao governador Edmundo Pinto (assassinado em 17 de maio de 1992, em um hotel de luxo na cidade de São Paulo), crime de repercussão nacional;[1] as primeiras imagens de um massacre em um seringal localizado às margens do Rio Tarauacá, quando dezenas de pessoas foram assassinadas tendo à frente um fanático religioso, acusado de abuso sexual contra menores, que foi preso.[1]

1999-2001: Quatro redesEditar

Entre 1998 a 1999, com a crise da Manchete que levou a extinção da rede (quando foi vendida a novo grupo) a Gazeta acertou com novos proprietários com novo contrato de afiliação em maio de 1999 com a TV! que surgiu da transição da Manchete para a atual RedeTV! entre maio a novembro do mesmo ano.

No fim de 2000, a TV Gazeta deixa a RedeTV! e afilia-se à Central Nacional de Televisão (CNT).[1] Na época, a emissora considerou a programação da "nova Manchete" (expressão popular criada na época) ser inferior à Manchete, o que levou a Gazeta realizar troca de rede. No entanto, a afiliação com a CNT provocou polêmica, pois tinha como afiliada a TV Quinari da cidade de Senador Guiomard que é captada na capital (porém de sinal inferior), fazendo com que as cidades e a região tivessem duas CNTs.

Desde 2001: Rede RecordEditar

Em 2001, a TV Gazeta deixa a CNT e afilia-se à Rede Record,[1] fazendo com que a Quinari volte ser única afilia da CNT na região. A afiliação acontece quando a TV5 que era afiliada à Record por cinco anos, teve o seu contrato com a rede não renovada, enquanto Gazeta deixa a CNT no momento que a programação era afetada com o fim da parceria entre a rede e a CNT Gazeta em 2000. Com isso, a TV5 emissora se tornou afiliada da RedeTV! e a Gazeta com a Record.

Com nova rede afiliada e por ser geradora de TV (GTV), a emissora decide se expandir e entra na concorrência no Ministério das Telecomunicações, através da Anatel, para levar toda programação nos municípios do Acre, além de pedir aumento da potência da GTV. A concorrência da TV Gazeta foi vencedora e o ministério liberou as concessões nos oito municípios: Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Brasileia, Plácido de Castro, Acrelândia, Porto Acre, Tarauacá e Assis Brasil.[1] Com isso, as populações destas cidades terão acesso a tudo que está na grade de programação da emissora, inclusive Gazeta Alerta, Gazeta Entrevista e Geração Gazeta, além do sinal da Rede Record e as notícias mais atuais do Brasil e do mundo.[1]

Os programas e o jornal produzidos pela emissora na capital para o interior não estão retransmitidos ao vivo. Os diretores da Gazeta aguardam o resultado de um estudo de viabilidade técnica antes de anunciar a retransmissão simultânea aos municípios, o que será feito através de um UP link, a médio prazo.[1] Os representantes das sucursais enviarão as informações diárias a Rio Branco, onde são inseridas nos programas e no telejornal. Após serem editados, seguem na íntegra por malote, em fitas digitais, para cada um dos municípios onde há sucursal da TV Gazeta.[1]

Antes do aniversário de 14 anos da emissora em 2004 iniciou a primeira fase com a construção de prédios e as retransmissoras.[1] No dia 2 de fevereiro, aniversário da TV Gazeta, apresentou novidades:[1] nova logomarca com o mundo como símbolo de abrangência e destaca a América Latina, que tem cobertura total da Rede Record, passando a ideia de que Acre a partir de agora estará mais bem informado sobre tudo que se passa no planeta;[1] o projeto que prevê a regionalização das informações pode ser resumido no slogan e que também estreia: O Acre Se Vê Aqui, deixando bem claro que os habitantes do interior saberá com exclusividade, tudo que está acontecendo de mais importante nas cidades, seja no âmbito da política, economia, policial e outras informações de interesse social

No dia 2 de fevereiro, aniversário da TV Gazeta, após o Ministério das Comunicações autorizar aumento da potência, o sinal do canal 11 chega além do Rio Branco, os municípios do Bujari e Senador Guiomard (as três cidades já representam mais de 50% da população do Acre). No dia 14 de fevereiro, em comemoração pelo aumento de potência, foi realizada a festa de aniversário da emissora no Ginásio do Sesi, no Rio Branco com atrações e outros detalhes da festa, com o anúncio em breve das retransmissoras em principais municípios do Acre.[1]

No início de março, a emissora inaugura primeira retransmissora no município de Brasiléia como sucursal cobrindo além da cidade, parte do município de Epitaciolândia, chegando à cidade boliviana de Cobija (que integra o Departamento de Pando, na Bolívia).[2] De acordo com informações do diretor-geral da emissora, Raimundo Martins, a primeira fase do projeto foi finalizada. “A estrutura de equipamentos que nós usamos aqui é a mesma que será usada em todas as sucursais. Nossa qualidade de exibição no interior será idêntica à que os telespectadores de Rio Branco estão acostumados a assistirem todos os dias”, afirmou Martins.[2]

O superintendente da emissora, empresário e proprietário, Roberto Moura, havia se interessado em ampliar o sinal da Gazeta e integrar todo o estado do Acre há alguns anos.[1] Conseguido parcialmente em 2004, declarou à imprensa a disposição em levar o sinal da emissora que só até então os moradores tinham acesso às rádios e antenas parabólicas. Lembrou que os investimentos em tecnologia de ponta acontecem desde os primeiros passos da TV Gazeta, e a meta de duplicar a cobertura do sinal da Record sempre foi um objetivo incansável de seu grupo empresarial.[1]

Em junho, o sinal da TV Gazeta chega no aniversário dos 100 anos da cidade do Cruzeiro do Sul,[1] com a possibilidade de ampliar o sinal às cidades e partes dos municípios de Mâncio Lima e a amazonense de Guajará, beneficiando a população nos vales do Juruá e Acre.[1] No Vale do Juruá a correspondente é a jornalista Sandra Assunção e no Vale do Acre o correspondente é o jornalista Almir Andrade.[1]

Com reportagens inéditas, a TV Gazeta tem estado presente no cenário local e nacional.[1] Foi a primeira emissora de televisão a se aventurar pela BR-364, quando a rodovia ainda era um estreito caminho no meio da selva. Ousadia que lhe rendeu o Prêmio CNT de Telejornalismo.[1] Outras reportagens produzidas pela TV Gazeta também foram premiadas nacionalmente, como as imagens chocantes de um despejo ocorrido no seringal Belo Jardim, que renderam à emissora o prêmio Líbero Badaró, concedido pela revista Imprensa.[1]

Em 2005, a emissora apresenta o documentário sobre a situação de todos os 22 municípios do Estado através da série especial Municípios do Acre.[1]

Em 2007, a emissora apresenta novo slogan: “Com Você é Melhor”, substituindo “O Acre Se Vê Aqui”.

Em 22 de junho de 2008, houve alteração de fuso horário brasileiro no Acre e extremo-oeste e sudoeste do Amazonas, o que deixou o estado com apenas 1 hora a menos em relação ao Horário de Brasília. Com esta mudança, horários de programas locais foram alterados. Como o fuso horário do Acre retornou a 2 horas a menos em relação a Brasília conforme resultado de um plebiscito realizado em 2010, os horários dos programas locais foram alterados novamente sendo obrigada a retardar em 2 horas a programação do horário-nobre após o Cidade Alerta para adequar-se aos critérios de classificação indicativa.

No dia 14 de agosto de 2013, falece o empresário e fundador da TV Gazeta, Roberto Moura na cidade de São Paulo. Moura estava viajando a negócios na cidade, quando sofreu um infarto e morreu. A morte do empresário gerou grande repercussão entre os vários meios de comunicação do Acre.[3] A TV Gazeta exibiu um plantão especial apresentado por Alan Rick sobre a morte do fundador da emissora, mostrando a trajetória dele como empresário, e lendo mensagens deixadas por figuras importantes no estado. O falecimento também teve destaque nacional na Rede Record sendo noticiado no Jornal da Record do mesmo dia e no Fala Brasil do dia seguinte, além na programação da Record News.

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
11.1 36 UHF 1080i Programação principal da TV Gazeta / RecordTV

Em 31 de outubro de 2012, a TV Gazeta começou a transmitir o seu sinal digital para a cidade de Rio Branco e arredores.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Gazeta, bem como as outras emissoras do Acre, cessou suas transmissões pelo canal 11 VHF em 31 de outubro de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.

ProgramasEditar

  • Balanço Geral AC Manhã: Jornalístico, com André Santos;
  • Gazeta Alerta: Jornalístico, com Edvaldo Souza;
  • Cidade Alerta AC: segunda a sexta 16:00 Jornalistico policial, com Zezinho Kennedy;
  • Gazeta em Manchete: segunda a sexta 17:20 Telejornal, com Chrisna Lima;
  • Gazeta Entrevista: Programa de entrevistas, com Itaan Arruda;
  • Geração Gazeta: Programa de entretenimento, com Zezinho Kennedy e Jucianne Menezes;

RetransmissorasEditar

As cidades de Bujari, Porto Acre e o Senador Guiomard recebem sinal digital da TV Gazeta direto da capital Rio Branco (o que não aconteciam nessas cidades na época do analógico que cobria apenas a capital, Senador Guiomard e Bujari). As cidades recebiam apenas por meio das retransmissoras, cada uma de baixa potência no canal 4 analógico em Bujari e o Porto Acre (porém com melhores sinais do que o canal 11 analógico). Tecnicamente, o canal 36 digital é uma invasão de sinal vindo do Rio Branco.

Rio Branco
Outras retransmissoras


Notas e referências

Notas

  1. a b De acordo com o livro Rede Manchete. Aconteceu Virou História., escrito por Elmo Francfort (2008), a Manchete já era transmitida em mesmo canal por outro nome como "RD TV Norte" no mesmo canal como retransmissor, mas não diz qual o ano da emissora, o que supõe que o canal foi ao ar em 1988 ou 1989.

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y «TV Gazeta: há 15 anos o Acre se vê aqui» (htm). Página 20. 1º de fevereiro de 2005. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2008 
  2. a b «TV Gazeta faz 14 anos e entra na era da expansão» (htm). Página 20. 1º de fevereiro de 2004. Cópia arquivada em 8 de maio de 2004 
  3. Redação (14 de agosto de 2013). «Morre empresário Roberto Moura». G1 - Acre. Consultado em 15 de agosto de 2013 

Ligações externasEditar