TV Gazeta (Rio Branco)

emissora de televisão brasileira de Rio Branco, AC

TV Gazeta é uma emissora de televisão brasileira sediada em Rio Branco, capital do estado do Acre. Opera no canal 11 (36 UHF digital) e é afiliada à Record. Pertence ao Grupo Recol, que também controla o portal Agazeta.net e vários empreendimentos de outros setores, como a Recol Distribuidora, Recol Veículos, Recol Motors, Recolfarma e a rede de distribuição de bebidas Acrebeer.

TV Gazeta
Rádio e Televisão Norte Ltda.
TV Gazeta (Rio Branco)
Rio Branco, Acre
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 36 UHF
Virtual: 11 PSIP
Outros canais 16 (Claro TV+)
ver mais
Analógico:
11 VHF (1990-2018)
Sede Rio Branco, AC
Rede Record
Rede(s) anterior(es) Rede Manchete (1990-1999)
TV! (1999)
RedeTV! (1999-2001)
CNT (2001-2002)
Fundador(es) Roberto Moura
Pertence a Grupo Recol
Proprietário(s) Marcello Moura
Antigo(s) proprietário(s) Roberto Moura (1990-2013)
Presidente Renata Moura Rotta
Fundação 2 de fevereiro de 1990 (34 anos)
Prefixo ZYP 320
Prefixo(s) anterior(es) ZYA 202 (1990-2018)
Cobertura Cerca de 80% do estado do Acre
Coord. do transmissor 9° 57' 42.2" S 67° 49' 14.9" O
Potência 2,5 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial agazeta.net

História

editar

O canal 11 VHF de Rio Branco iniciou suas operações em meados de 1989, com o nome provisório de TV Norte, apenas retransmitindo a programação da Rede Manchete, e havia sido implantado pelo Grupo Recol, pertencente ao empresário Roberto Moura. Na mesma época, Moura associou-se aos empresários Silvio Martinello e Roberto Vaz, que dirigiam o jornal A Gazeta do Acre e a rádio 93 FM (atual Gazeta FM), formando a Rede Gazeta de Comunicação, e migrou os veículos para a futura sede da TV, que estava sendo construída no bairro de Vila Ivonete.[1] A poucos dias da sua inauguração, em 21 de janeiro de 1990, o presidente José Sarney outorgou concessão de geradora para o canal 11,[2] o que possibilitou anos depois a expansão do seu sinal para outras regiões do Acre.

A TV Gazeta foi inaugurada oficialmente em 2 de fevereiro de 1990, em solenidade que contou com a presença de várias autoridades, como o governador do estado, Flaviano Melo, e o bispo Dom Moacyr Grechi, que abençoou as instalações da emissora. Em seus primeiros anos no ar, manteve forte atuação no jornalismo local e destaque em rede nacional, cobrindo fatos como o julgamento dos responsáveis pelo assassinato do ambientalista Chico Mendes, ainda em 1990, além do incêndio ocorrido na Assembleia Legislativa do Acre e o assassinato do governador Edmundo Pinto, ambos em 1992. O seu primeiro telejornal, Gazeta em Manchete, se mantém no ar até os dias atuais com a mesma nomenclatura, apesar das trocas de afiliação.[1][3]

Com a falência da Rede Manchete em 1999, a TV Gazeta foi uma das afiliadas remanescentes que acompanhou a transição para a RedeTV!. Mas em 2001, foi uma das primeiras emissoras a deixar a rede, migrando para a CNT, sendo essa a primeira de uma série de trocas de afiliação envolvendo os canais de televisão de Rio Branco no início da década de 2000. Com cerca de um ano de afiliação, a TV Gazeta deixou a CNT em 2002 e migrou para a Rede Record, que não havia renovado o contrato de afiliação que possuía desde 1996 com a TV5 (que por sua vez, tornou-se afiliada da RedeTV!, e um ano depois, da Rede Bandeirantes).[3]

Em fevereiro de 2004, quando completou 14 anos no ar, a TV Gazeta investiu na ampliação do seu sinal, com a implantação de retransmissoras que aumentaram sua cobertura para 80% do estado do Acre, chegando a alcançar inclusive partes da Bolívia em suas regiões fronteiriças com o Brasil.[4] Em 2008, com as mudanças de fuso horário no estado do Acre e as novas regras de classificação indicativa para os programas de televisão, a TV Gazeta deixou de exibir a programação da Record em tempo real, passando a atrasar a programação diária em cerca de uma ou duas horas em relação à rede.

Em 14 de agosto de 2013, morreu aos 60 anos o fundador e proprietário da TV Gazeta, Roberto Moura, vítima de um infarto enquanto viajava a negócios em São Paulo.[5] A morte do empresário foi destaque em um plantão especial exibido pela emissora, com a apresentação de Alan Rick, que mostrou detalhes de sua trajetória empresarial e leu mensagens de pesar deixadas por figuras importantes do estado. Após a morte de Roberto, seu filho, Marcello Moura, tornou-se o novo proprietário da emissora e do Grupo Recol.[6]

Sinal digital

editar
Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
11.1 36 UHF 1080i Programação principal da TV Gazeta / RecordTV

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 31 de outubro de 2012, através do canal 36 UHF para Rio Branco e áreas próximas. Ao mesmo tempo, também passou a produzir toda a sua programação local em alta definição.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Gazeta, bem como as outras emissoras de Rio Branco, cessou suas transmissões pelo canal 11 VHF em 31 de outubro de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[7]

Programas

editar

Além de retransmitir a programação nacional da RecordTV, atualmente a TV Gazeta produz e exibe os seguintes programas:

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

  • Acre Rural
  • Gazeta Esporte
  • Geração Gazeta

Retransmissoras

editar

Referências

  1. a b «TV Gazeta: uma estreita relação com a história do Acre». Agazeta.net. 3 de fevereiro de 2014. Consultado em 16 de junho de 2022 
  2. «Decreto nº 98.975, de 21 de janeiro de 1990». Planalto. Consultado em 16 de junho de 2022 
  3. a b «TV Gazeta: há 15 anos o Acre se vê aqui». Página 20. 3 de fevereiro de 2005. Consultado em 16 de junho de 2022. Arquivado do original em 1 de outubro de 2008 
  4. «TV Gazeta faz 14 anos e entra na era da expansão». Página 20. 1 de fevereiro de 2004. Consultado em 16 de junho de 2022. Arquivado do original em 8 de maio de 2004 
  5. «Morre empresário Roberto Moura». G1. 14 de agosto de 2013. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  6. Farias, Thais (27 de junho de 2021). «Há 8 anos, Marcelo moura encara sucessão do pai e gere o Grupo Recol em três estados». Acre 24 Horas. Consultado em 16 de junho de 2022 
  7. Oliveira, Luizio; Melo, Quésia (26 de outubro de 2018). «Sinal analógico será desligado em 6 dias em Rio Branco, Bujari e Senador Guiomard». G1. Consultado em 16 de junho de 2022 

Ligações externas

editar