Taça da Europa (atletismo)

A Taça da Europa é uma competição de atletismo já descontinuada, substituída em 2009 pelo Campeonato da Europa de Nações, que arrancam em Leiria, Portugal. A Taça da Europa contava com a participação da maioria dos países da Europa. Inicialmente conhecida por Taça Bruno Zauli, a Taça teve a sua primeira edição em Stuttgart (competição masculina) e Kassel (competição feminina), Alemanha, corria o ano de 1965. Começou por ser um evento bi-anual (tri-anual por uma vez) mas, desde 1993, passou a ter lugar todos os anos.

HistóriaEditar

A ideia da Taça foi desenvolvida por Bruno Zauli, presidente do Comité Europeu da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, International Association of Athletics Federations), pretendendo-se criar uma competição onde todas estas pudessem defrontar-se numa série de provas de atletismo. Embora Zauli tenha morrido escassos meses antes do lançamento da primeira Taça, a competição não mais deixou de se fortalecer.

A competição teve sempre divisões ou ligas (que decorriam em alturas distintas durante os primeiros vinte e dois anos), no seio das quais os países podem progredir. As nações com dimensões mais modestas, como o Luxemburgo e a Suíça, tinham de participar em rondas preliminares, enquanto os países de grande dimensão, como a Grã-Bretanha e a França, se lhes juntavam para as semifinais. Os dois países melhor classificados em três semifinais chegavam à final.

Esta fórmula teve bastante sucesso, todavia o número de competições em que os atletas são necessários elevou-se de tal forma que se tornou extremamente difícil aos países o envio dos seus melhores. O formato foi por isso alterado, 1983, de modo a que a participação de cada um dos países decorresse no mesmo dia.

A principal divisão ou liga foi designada por "Super Liga" e continha oito equipas masculinas e também oito equipas femininas, separadas (a equipa masculina de um país podia ser despromovida a uma liga inferior sem que a equipa feminina o fosse, bastando para tal que esta assegurasse pontos suficientes). Abaixo da Super Liga existem uma Primeira e uma Segunda ligas, onde encontramos os países com um desempenho que não lhes permite estar nas finais.

A competição assume o seu novo formato em 2009. Existem agora quatro divisões ou ligas, que acarretam vinte eventos para os homens e outros vinte para as mulheres. A Super Liga (Liga SPAR) e a Primeira Liga têm doze equipas cada, enquanto a Segunda e Terceira ligas juntam oito e, catorze equipas, respectivamente. As classificações das equipas serão apuradas considerando o conjunto dos pontos obtidos pelos atletas de ambos os sexos.

Para 2014 os países candidatos para a organização são a Alemanha, a Rússia e a República Checa e 2015 são a França, a Rússia e a República Checa. [1]

Sistema de classificação e despromoçãoEditar

Os países somam pontos pela sua performance em cada prova. O atleta vencedor recebe tantos pontos quantas as equipas em prova (oito), o segundo classificado recebe menos um ponto relativamente ao vencedor, o terceiro classificado um ponto menos relativamente ao segundo classificado e assim sucessivamente. Se um atleta não completar a prova, ou se for desclassificado, não soma qualquer ponto para o seu país.

Na Taça da Europa, a equipa masculina (a equipa feminina) com maior número de pontos é declarada vencedora. As quatro equipas melhor posicionadas na Super Liga (duas de cada sexo) acedem à Taça do Mundo de Atletismo. As equipas masculina e feminina que ocupam o último lugar da tabela são despromovidas, ou relegadas, para a Primeira Liga, sendo substituídas pelas melhor classificadas desta divisão. Processo similar para os movimentos entre a Segunda e a Primeira ligas. Este sistema permite a progressão das equipas nacionais e também que um leque mais vasto de atletas enfrente adversários que não encontraria em condições normais.

Ocupação das ligas em 2009Editar

As ligas para a competição de 2009 foram formadas pela combinação das performances dos homens e das mulheres de cada país no ano transacto. Sendo quarenta e seis o total de equipas, a vencedora recebeu 46 pontos, a segunda melhor 45 e assim sucessivamente. As novas ligas são:[2]

Super Liga Primeira Liga Segunda Liga Terceira Liga
País
Pts
País
Pts
País
Pts
País
Pts
  Rússia 1548   Bielorrússia 1217   Irlanda 971.5   Moldávia 722
  Reino Unido 1518   Eslovênia 1211   Bulgária 947   Israel 714
  Polónia 1512   Roménia 1182.5   Croácia 942   Dinamarca 709.5
  Alemanha 1472   Turquia 1166   Letônia 933   Bósnia e Herzegovina 555.5
  Itália 1455   Bélgica 1139   Eslováquia 901   Islândia 550.5
  Espanha 1426.5   Hungria 1133   Lituânia 839.5   Luxemburgo 399.5
  França 1423.5   Países Baixos 1118   Áustria 783   Geórgia 356
  Ucrânia 1412.5   Finlândia 1072.5   Chipre 749   Azerbaijão 332.5
  Grécia 1359.5   Estónia 1035.5   Montenegro 310.5
  Suécia 1309   Suíça 1032.5   Armênia 301.5
  Chéquia 1236   Sérvia 1028.5   AAPPE 280
  Portugal 1222   Noruega 974   Albânia 191
  Andorra 187
  Macedônia do Norte 164

VencedoresEditar

Ano Homens Mulheres Cidade Anfitriã País Organizador
1965   União Soviética   União Soviética Estugarda/Kassel   Alemanha Ocidental
1967   União Soviética   União Soviética Kiev   União Soviética
1970   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Estocolmo/Budapeste   Suécia/  Hungria
1973   União Soviética   Alemanha Oriental Edimburgo   Reino Unido
1975   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Nice   França
1977   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Helsínquia   Finlândia
1979   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Turim   Itália
1981   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Zagreb   Iugoslávia
1983   Alemanha Oriental   Alemanha Oriental Londres   Reino Unido
1985   União Soviética   União Soviética Moscovo   União Soviética
1987   União Soviética   Alemanha Oriental Praga   Tchecoslováquia
1989   Reino Unido   Alemanha Oriental Gateshead   Reino Unido
1991   União Soviética   Alemanha Frankfurt   Alemanha
1993   Rússia   Rússia Roma   Itália
1994   Alemanha   Alemanha Birmingham   Reino Unido
1995   Alemanha   Rússia Villeneuve d'Ascq   França
1996   Alemanha   Alemanha Madrid   Espanha
1997   Reino Unido   Rússia Munique   Alemanha
1998   Reino Unido   Rússia São Petersburgo   Rússia
1999   Alemanha   Rússia Paris   França
2000   Reino Unido   Rússia Gateshead   Reino Unido
2001   Polónia   Rússia Bremen   Alemanha
2002   Reino Unido   Rússia Annecy   França
2003   França   Rússia Florença   Itália
2004   Alemanha   Rússia Bydgoszcz   Polónia
2005   Alemanha   Rússia Florença   Itália
2006   França   Rússia Málaga   Espanha
2007   França   Rússia Munique   Alemanha
2008   Reino Unido   Rússia Annecy   França

Melhores desempenhosEditar

Abaixo apresenta-se uma listagem das provas incluídas, do respectivo recorde, do atleta que o atingiu, país representado e ano da concretização.

HomensEditar


100 m: 10.04 - Linford Christie, Grã-Bretanha 1996, 1997
200 m: 20.11 - Linford Christie, Grã-Bretanha, 1995
400 m: 44.75 - David Grindley, Grã-Bretanha, 1993
800 m: 1:44.28 - Wilson Kipketer, Dinamarca, 2002
1 500 m: 3:33.63 - José Manuel Abascal, Espanha, 1983
3 000 m: 7:41.08 - Dieter Baumann, Alemanha, 1997
5 000 m: 13:21.68 - Salvatore Antibo, Itália, 1991
10 000m: 27:32.85 - Fernando Mamede, Portugal, 1983
3 000 m obstáculos: 8:13.32 - Mariano Scartezzini, Itália, 1981
110 m barreiras: 13.10 - Colin Jackson, Grã-Bretanha, 1993
400 m barreiras: 47.85 - Harald Schmid, Alemanha Ocidental, 1979, 1985
4x100 m estafeta: 38.16 - Grã-Bretanha (Jason Gardener, Darren Campbell, Marlon Devonish, Julian Golding), 1999
4x400 m estafeta: 2:59.46 - Grã-Bretanha (Roger Black, Jamie Baulch, Ewan Thomas, Mark Richardson), 1997


Salto em altura: 2.40m - Patrik Sjöberg, Suécia, 1989
Salto à vara: 6.00m - Rodion Gataulin, Rússia, 1993
=Salto em comprimento: 8.38 - Robert Emmiyan, União Soviética, 1987
=Salto em comprimento: 8.38 - Kirill Sosunov, Rússia, 1998
Triplo salto: 17.77 - Khristo Markov, Bulgária, 1985
Lançamento do peso: 22.05 - Sergey Smirnov, União Soviética, 1985
Lançamento do martelo: 82.90 - Jüri Tamm, União Soviética, 1985
Lançamento do disco: 68.76 - Lars Riedel, Alemanha, 1995
Lançamento do dardo: 92.41 - Aki Parviainen, Finlândia, 2001

MulheresEditar


100 m: 10.77 - Ivet Lalova, Bulgária 2004
200 m: 21.99 - Silke Gladisch, Alemanha de Leste, 1987
=400 m: 48.60 - Marita Koch, Alemanha de Leste, 1979
=400 m: 48.60 - Olga Vladykina, União Soviética, 1985
800 m: 1:55.91 - Jarmila Kratochvílová, Checoslováquia, 1985
1 500 m: 3:58.40 - Ravilya Agletdinova, União Soviética, 1985
3 000 m: 8:35.32 - Zola Budd, Grã-Bretanha, 1985
5 000 m: 14:29.11 - Paula Radcliffe, Grã-Bretanha, 2004
10 000m: 31:03.62 - Kathrin Ullrich, Alemanha, 1991
3 000 m obstáculos: 9:35.95 - Cristina Casandra, Roménia, 2005
110 m barreiras: 12.47 - Cornelia Oschkenat, Alemanha de Leste, 1987
400 m barreiras: 53.38 - Yuliya Pechonkina, Rússia, 2002
4x100 m estafeta: 41.65 - Alemanha de Leste (Silke Gladisch, Marita Koch, Ingrid Auerswald-Lange, Marlies Göhr), 1985
4x400 m estafeta: 3:18.58 - União Soviética (Olga Nazarova, Nadezdha Olizarenko-Mariya Pinigina, Olga Vladykina), 1985


Salto em altura: 2.06m - Stefka Kostadinova, Bulgária, 1985
Salto à vara: 4.75m - Monika Pyrek, Polónia, 2006
Salto em comprimento: 7.42 - Tatyana Kotova, Rússia, 2002
Triplo salto: 14.98 - Tatyana Lebedeva, Rússia, 2000
Lançamento do peso: 21.56 - Natalya Lisovskaya, União Soviética, 1987
Lançamento do martelo: 76.50 - Tatyana Lysenko, Rússia, 2006
Lançamento do disco: 73.90 - Diana Gansky, Alemanha de Leste, 1987
Lançamento do dardo: 70.20 - Christina Obergföll, Alemanha, 2007


Referências

  1. Atleta-Digital (9 de outubro de 2012). «Os candidatos à Superliga=» 
  2. «Overall Qualification Ranking 2008» (em English). European Athletics. Consultado em 26 de junho de 2008. Arquivado do original em 26 de junho de 2008 

Ligações externasEditar