Abrir menu principal

Taio de Saragoça (em latim: Taius Caesaraugustianus; em castelhano: Samuel Tajón ; c. 600ca.683 (83 anos)), também Taio, Tago, Tajo e Tayon, foi bispo de Saragoça (conhecida na época como César Augusta) durante o período visigótico entre 651 e 664, sucedendo seu professor, São Bráulio, no posto. Segundo Delisle, seu nome era "Samuel" (Samuhel).[1]

Índice

VidaEditar

Taio foi ordenado padre em 632 e em seguida serviu como abade, mas não se sabe em qual mosteiro[2]. A pedido de Quirino de Barcelona, Taio compilou uma coleção de trechos da obra de Gregório Magno entre 653 e 654, mas o progresso do trabalho foi atrapalhado pela revolta de Froia e uma invasão dos bascos.[3] Para cumprir esta missão, viajou em busca da terceira parte da "Moralia", de Gregório, que não existia na Hispânia, e acabou encontrando-a em Roma com o papa Martinho I.

Numa carta a Eugênio II de Toledo, explicou seu plano para terminar a obra e sua relação com o modelo de Gregório. Durante o cerco de Froia, Taio, incapaz de sair da cidade, trabalhou numa revisão da "Lex Visigothorum".

O resultado foi uma obra que foi depois considerada "pouco organizada"[4] chamada "Sententiarum libri V" ("Cinco Livros de Sentenças"), fortemente baseada nos textos de Gregório e Agostinho, sua única obra conhecida.[5]

Taio participou do oitavo, nono e décimo concílios de Toledo.[2]

Referências

  1. Léopold Delisle, Inventaire des manuscripts de la Bibliothèque nationale: Fonds de Cluny (H. Champion, 1884) (Digitized August 29, 2007) 111.
  2. a b Wilhelm Kohl: Taio de Saragoça. Em: Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon (BBKL). ]
  3. Collins, Visigothic Spain, 84.
  4. Joseph F. O'Callaghan, A History of Medieval Spain (Cornell University Press, 1975), 87
  5. «Cinco Livros de Sentenças: Caii, vel Taionis, Caesaraugustanae urbis episcopi, cognomento Saorohelis, vel Samuhelis [...] Sententiarum libri V, quibus praemittitur Epistola noncupatoria». World Digital Library (em Latin). Consultado em 28 de fevereiro de 2014 

BibliografiaEditar

  • Collins, Roger. Visigothic Spain, 409–711. Oxford: Blackwell Publishing, 2004. ISBN 0-631-18185-7.
  • García Villada, Z. “Fragmentos inéditos de Tajón.” RABM 30 (1914), 23–31.
  • Madoz, J. “Tajón de Zaragoza y su viaje a Roma.” Mélanges Joseph de Ghellink 1:345–60.
  • Palacios Martín, A. “Tajón de Zaragoza y la ‘Explicatio in Cantica Canticorum.’” AEF 3 (1980) 115–27.
  • Robles, L. “Tajón de Zaragoza, continuador de Isidoro.” Saitabi 21 (1971), 19–25.
  • Serratosa, R. “Osio de Córdoba. Tajón de Zaragoza.” Estudios 19 (1951), 85–95.
  • Vega, A. C. “Tajón de Zaragoza. Una obra inédita.” CD 155 (1943) 145–77.

Ligações externasEditar