Abrir menu principal
Tamborim de Ouro
Troféu Tamborim de Ouro.jpg
Logomarca da premiação.
Descrição Prêmio destinado aos segmentos que se destacaram nos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial e nos desfiles dos blocos carnavalescos do carnaval da cidade do Rio de Janeiro
Data Durante o carnaval
(Entre fevereiro e março)
Organização O Dia
Local Rio de Janeiro Município do Rio de Janeiro
País  Brasil
Primeira cerimónia 1998

Tamborim de Ouro é um prêmio extraoficial do carnaval do Rio de Janeiro, organizado e concedido anualmente pelo Grupo O Dia à profissionais que obtiveram destaque no carnaval carioca. A premiação foi criada em 1998, pelo Jornal O Dia, em parceria com a Rádio FM O Dia. Tem o objetivo de analisar os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro por uma ótica diferente do caráter técnico do julgamento oficial, priorizando critérios como emoção, alegria, criatividade e ousadia.[1]

A premiação é dividida em categorias específicas. Seus vencedores são escolhidos através da combinação de resultados dos votos do júri de especialistas e da votação popular.[2][3] Sua primeira edição foi realizada em 1998, quando a Unidos do Viradouro foi eleita a melhor escola de samba do ano. Em 1999, a premiação foi amplificada com o lançamento de novas categorias e a criação de um troféu a ser entregue aos vencedores. A votação popular é realizada no site do Jornal O Dia, durante o carnaval de cada ano. O resultado é divulgado na quarta-feira de cinzas.[1]

O bloco Cordão da Bola Preta é o maior vencedor do Tamborim de Ouro, com doze prêmios recebidos. Entre as escolas de samba, o Salgueiro é o maior vencedor da categoria principal, com sete conquistas. O casal de mestre-sala e porta-bandeira Claudinho e Selminha Sorriso, o intérprete Neguinho da Beija-Flor e a rainha de bateria Viviane Araújo estão entre os recordistas de prêmios individuais.

Índice

Antecedentes e criaçãoEditar

O Prêmio Tamborim de Ouro foi criado pelo Jornal O Dia, em parceria com a Rádio FM O Dia, a partir de uma votação que elegeu a Unidos do Viradouro como a melhor escola de samba do carnaval de 1998, sendo esta, considerada a sua primeira edição. Em 1999, a premiação foi amplificada com o lançamento de novas categorias e a criação de um troféu a ser entregue aos vencedores. Desde a edição de 2000, as categorias sofreram diversas renomeações a fim de se adequarem aos preceitos da premiação, que prioriza critérios como emoção, alegria, criatividade e ousadia em detrimento ao caráter técnico do julgamento oficial do carnaval. O Tamborim de Ouro se notabiliza por ter seus vencedores escolhidos através do voto popular, diferente da maioria das premiações extraoficiais do carnaval do Rio de Janeiro, onde, geralmente, o resultado é escolhido por meio de um júri especializado. Apesar de também contar com um júri especial, as categorias principais do Tamborim de Ouro são escolhidas pelo público.[1] Ao longo dos anos, a premiação teve diversos patrocinadores, como TIM[4], Golden Cross[5], Nestlé[6], Cintra e Bacalhau da Noruega[7], Chatuba e Carrefour.[8]

CategoriasEditar

A primeira edição do Tamborim de Ouro, em 1998, teve a eleição de uma única categoria, de melhor escola de samba, vencida pela Viradouro. A partir do ano seguinte, foram lançadas novas categorias, totalizando quinze prêmios entregues. Para a edição de 2000, algumas categorias foram extintas e as demais foram renomeadas. Desde então diversas categorias foram sendo criadas e extintas. Também é comum a renomeação das categorias.[1][9]

Ao longo dos anos, além das categorias fixas, também foram entregues prêmios e homenagens especiais, sendo esses prêmio, geralmente, escolhidos por um júri de especialistas. Na edição de 2007, uma premiação paralela, denominada Tamborim Nota 10, elegeu os destaques dos dez anos da premiação, através de votação popular.[7]

Vigentes

Categoria Descrição
Escola de Ouro (2018–presente)
Escola do Povo (2013–2017)
Escola da Alegria (2000–2012)
Melhor Escola (1998–1999)
A escola de samba que apresentar mais emoção e estabelecer a melhor comunicação com o público. É a categoria principal da premiação. O prêmio é entregue ao presidente, diretor ou outro representante da escola.[10][9][1]
Samba do Ano (2000–2012; 2014–presente)
Samba 'D' (2013)
Melhor Samba-Enredo (1999)
O samba-enredo que se destacar pela riqueza melódica e poética e que apresentar entrosamento perfeito da escola com o público. O prêmio é entregue aos compositores do samba.[10][1]
Bateria Show (2013–presente)
Batuque do Povo (2000–2012)
A bateria mais ousada, na diversidade rítmica e nos riscos que assume ao fazer paradinhas e coreografias. O prêmio é entregue ao diretor da bateria.[10][1]
Comissão Sensação (2013–presente)
Show de Abertura (2000–2012)
Melhor Comissão de Frente (1999)
A comissão de frente que apresentar o maior impacto no início do desfile. O prêmio é entregue ao coreógrafo(a) responsável pela comissão.[10][1]
Voz da Avenida (2002–presente)
Melhor Intérprete (1999)
O intérprete de samba-enredo que vai marcar a Sapucaí, com observância para os gritos de guerra.[10]
Casal Nota 10 (2000–presente)
Melhor Mestre-Sala (1999)
Melhor Porta-Bandeira (1999)
O casal de mestre-sala e porta-bandeira que apresentar o bailado mais bonito em movimentos conjuntos; e que, melhor, e da forma mais elegante, defender o pavilhão de sua escola.[10][1]
Musa da Sapucaí (2013–presente)
MusaXX (2000–2012)
Quem levar mais empolgação aos componentes e ao público. A eleita deve ser bonita, charmosa e elegante, representando a mulher brasileira.[10][1]
Roda, Baiana (2000–presente)
Melhor Ala de Baianas (1999)
A ala das baianas mais animada, entrosada e com as fantasias mais bonitas. O prêmio é entregue ao diretor(a) ou responsável pela ala.[10][1]
Os Donos da Rua (2013–presente)
Melhor Bloco de Rua (2004–2012)
O melhor bloco carnavalesco do Rio de Janeiro. O prêmio é entregue ao presidente, diretor ou outro representante do bloco[10]

Extintas

  • Personalidade do desfile (1999) / Eu sou o Samba (2000–2013)[1]
  • Melhor Escola da Série A (2013–2017)[10]
  • Melhor Enredo (2000–2017)[1]
  • Melhor Ala Mirim (1999) / GeraçãoXX (2000–2012) / Bambas do Amanhã (2013)[1]
  • Melhor Passista Feminino (1999) / Samba no Pé Feminino (2005–2010)[1]
  • Melhor Passista Masculino (1999) / Samba no Pé Masculino (2005–2010)[1]
  • Escola mais comunicativa (1999)[1]
  • Escola mais criativa (1999)[1]
  • Melhores Fantasias (1999)[1]
  • Melhores Alegorias (1999; 2014–2017)[10]

Regular

  • Prêmios Especiais[1]

Escolha dos premiadosEditar

Nos primeiros anos da premiação, a votação popular para a escolha dos premiados era realizada através de cupons publicados no jornal O Dia, telefonemas para a Rádio FM O Dia e via internet pelo site O Dia Online, com exceção dos prêmios especiais, escolhido por especialistas e jornalistas do 'Dia'.[11][5][12][6] Desde 2012, a votação ficou restrita ao site, sendo aberta na sexta-feira e carnaval e encerrada após a última escola de samba do Grupo Especial desfilar.[9][13] A partir de 2018, os vencedores passaram a ser escolhidos através da combinação de resultados dos votos do júri de especialistas e da votação popular. Os vencedores da votação popular recebem um voto, que é somado aos votos dos jurados.[14][15] O júri de especialistas assiste os desfiles no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, e depois votam em seus escolhidos. O resultado final é divulgado na quarta-feira de cinzas. A lista completa com os vencedores é divulgada no Jornal O Dia e em seu website na Internet.[1]

Cerimônia de premiaçãoEditar

A cerimônia de entrega dos prêmios acontece durante uma festa com a presença dos titulares premiados e a apresentação de diversos segmentos das escolas de samba.[12][6][7] A data de realização varia de ano para ano. A cerimônia recebe ampla cobertura da imprensa carnavalesca e do Grupo O Dia. A festa de premiação já passou por diversas casas de shows da cidade, como o Scala[5], Vivo Rio[16], Lapa 40 Graus[17], Imperator[8], Cidade do Samba[18] e até a quadra da Estação Primeira de Mangueira.[19] O troféu entregue aos vencedores consiste numa escultura de bronze de um corpo humano tocando tamborim.

Edições e vencedoresEditar

EstatísticasEditar

Escola de Ouro

A categoria Escola de Ouro, que também já foi denominada Escola do Povo (2013–2017); Escola da Alegria (2000–2012); e Melhor Escola (1998–1999), premia a melhor escola de samba do ano. É considerada a categoria principal da premiação.[9] Abaixo, as escolas de samba vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

 
Desfile do Salgueiro de 2016. Escola é a maior vencedora da categoria principal do Tamborim de Ouro.
 
Compositores da Mangueira recebem o Tamborim de Ouro 2010.
Escola de samba Prêmios Edições
Acadêmicos do Salgueiro 7 2005, 2007, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017
Beija-Flor 4 1999, 2004, 2008 e 2011
Estação Primeira de Mangueira 2000, 2003, 2006 e 2010
Unidos de Vila Isabel 2 2009 e 2012
Mocidade Independente de Padre Miguel 1 2002
Paraíso do Tuiuti 2018
Tradição 2001
Unidos do Viradouro 1998

Samba do Ano

 
A Bateria "Invocada" do Salgueiro é a maior vencedora do Tamborim de Ouro. Na imagem, Mestre Marcão comanda a bateria no desfile de 2009, ano em que recebeu seu segundo prêmio.

A categoria Samba do Ano, que também já foi denominada Samba 'D' (2013) e Melhor Samba-Enredo (1999), premia o melhor samba-enredo da primeira divisão do carnaval carioca. O samba vencedor é escolhido através do voto popular. Abaixo, as escolas de samba vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Escola de samba Prêmios Edições
Acadêmicos do Salgueiro 4 2003, 2014, 2016 e 2017
Beija-Flor 3 1999, 2005 e 2007
Estação Primeira de Mangueira 2000, 2002 e 2010
Acadêmicos do Grande Rio 2 2009 e 2011
Império Serrano 2004 e 2006
Portela 2012 e 2015
Imperatriz Leopoldinense 1 2008
Paraíso do Tuiuti 2018
Tradição 2001
Unidos de Vila Isabel 2013

Bateria Show

 
O intérprete Neguinho da Beija-Flor é o maior vencedor da categoria Voz da Avenida.
 
O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Claudinho e Selminha Sorriso, no desfile de 2014, ano em que receberam seu sétimo Tamborim de Ouro. O casal é recordista da categoria.

A categoria Bateria Show, que também já foi denominada Batuque do Povo (2000–2012), premia a melhor bateria do Grupo Especial do carnaval carioca. Abaixo, as escolas de samba vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Escola de samba Prêmios Edições
Acadêmicos do Salgueiro 4 2004, 2009, 2012 e 2014
Unidos do Viradouro 2000, 2001, 2006 e 2007
Acadêmicos do Grande Rio 3 2005, 2008 e 2010
Mocidade Independente de Padre Miguel 2003, 2013 e 2017
Estação Primeira de Mangueira 2 2011 e 2016
Beija-Flor 1 2002
União da Ilha do Governador 2018
Unidos da Tijuca 2015

Voz da Avenida

A categoria Voz da Avenida, que também já foi denominada Melhor Intérprete (1999), premia o melhor intérprete de samba-enredo do Grupo Especial do carnaval carioca. Abaixo, os intérpretes vencedores da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Intérprete Prêmios Edições
Neguinho da Beija-Flor 6 2002, 2005, 2006, 2013, 2014 e 2018
Dominguinhos do Estácio 2 2003 e 2004
Ito Melodia 2011 e 2015
Wantuir 2008 e 2009
Ciganerey 1 2016
David do Pandeiro 2010
Gilsinho 2012
Luizito 2007
Nêgo 2010
Tinga 2017

Casal Nota 10

A categoria Casal Nota 10 premia o melhor casal de mestre-sala e porta-bandeira do Grupo Especial do carnaval carioca. Em 1999, foram entregues dois prêmios individuais: um para o melhor mestre-sala e outro para a melhor porta-bandeira.[20] Desde a edição de 2000, a categoria foi unificada, com o casal recebendo um único prêmio. Abaixo, os mestres-sala e das porta-bandeiras que mais venceram na categoria, em rankings atualizados após a edição de 2018.

Mestre-Sala Prêmios Edições
Claudinho  8 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2013, 2014 e 2015
Sidclei Santos 4 2006, 2009, 2010 e 2018
Rogério Dornelles 3 2004, 2008 e 2016
Bira 2 2005 e 2007
Raphael Rodrigues 2011 e 2012
Phelipe Lemos 1 2017
Porta-Bandeira Prêmios Edições
Selminha Sorriso 8 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2013, 2014 e 2015
Marcella Alves 4 2008, 2011, 2012 e 2018
Lucinha Nobre 3 2004, 2005 e 2007
Squel Jorgea 2006, 2009 e 2010
Dandara Ventapane 1 2017
Rafaela Theodoro 2016
 
A Unidos da Tijuca é uma das escolas mais premiadas na categoria "Comissão Sensação". Na imagem, a comissão histórica do carnaval de 2010.

Comissão Sensação

A categoria "Comissão Sensação", que também já foi denominada "Show de Abertura" (2000–2012) e "Melhor Comissão de Frente" (1999), premia a melhor comissão de frente do Grupo Especial do carnaval carioca. Abaixo, as escolas vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

 
As Baianas da Mangueira são as maiores vencedoras da categoria Roda, Baiana. Na imagem, as baianas no desfile de 2017, ano em que conquistaram o quarto Tamborim de Ouro.
Escola de samba Prêmios Edições
Estação Primeira de Mangueira 4 2000, 2003, 2004 e 2014
Unidos da Tijuca 2005, 2006, 2010 e 2011
Mocidade Independente de Padre Miguel 3 1999, 2008 e 2017
Unidos de Vila Isabel 2007, 2009 e 2012
Beija-Flor 2 2001 e 2002
União da Ilha do Governador 1 2016
Acadêmicos do Grande Rio 2015
Acadêmicos do Salgueiro 2013
Paraíso do Tuiuti 2018

Roda, Baiana

 
Viviane Araújo no desfile de 2011 do Salgueiro, ano em que recebeu seu segundo Tamborim de Ouro. A rainha de bateria é a maior vencedora da categoria Musa da Sapucaí.
 
Desfile do Cordão da Bola Preta em 2009, ano em que o bloco conquistou seu terceiro Tamborim de Ouro. O Bloco é o recordista da categoria Os Donos da Rua.

A categoria "Roda, Baiana", que também já foi denominada Melhor Ala de Baianas (1999), premia a melhor ala de baianas do Grupo Especial do carnaval carioca. Abaixo, as escolas vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Escola de samba Prêmios Edições
Estação Primeira de Mangueira 4 2000, 2008, 2015 e 2017
Acadêmicos do Salgueiro 3 2013, 2014 e 2018
Beija-Flor 2001, 2002 e 2004
Imperatriz Leopoldinense 2003, 2005 e 2007
União da Ilha do Governador 2 1999 e 2012
Império Serrano 1 2009
Mocidade Independente de Padre Miguel 2006
Unidos da Tijuca 2016
Unidos de Vila Isabel 2011
Unidos do Viradouro 2010

Musa da Sapucaí

Abaixo, as vencedoras da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Personalidade Prêmios Edições
Viviane Araújo 8 2000, 2011, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018
Luma de Oliveira 4 2001, 2002, 2005 e 2009
Thatiana Pagung 2 2003 e 2010
Grazi Massafera 1 2007
Juliana Paes 2004
Mel Brito 2006
Natália Guimarães 2008
Renata Santos 2012

Os Donos da Rua

A categoria Os Donos da Rua, que também já foi denominada Bloco de Rua (2004–2012), premia o melhor bloco de rua do Rio de Janeiro. Seu vencedor é escolhido através de votação popular. Abaixo, os blocos vencedores da categoria, em ranking atualizado após a edição de 2018.

Bloco Prêmios Edições
Cordão da Bola Preta 12 2005, 2006, 2008, 2009, 2010, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018
Acadêmicos dos Arcos 1 2004
Bloco da Preta 2011
Simpatia É Quase Amor 2007

Eu sou o Samba

A categoria "Eu sou o Samba" premiou personalidades do carnaval carioca, como a carnavalesca Rosa Magalhães e o intérprete Neguinho da Beija-Flor; e também celebridades que desfilaram nas escolas de samba como o jogador Ronaldinho Gaúcho, o cantor Zeca Pagodinho e o empresário Silvio Santos, homenageado pela Tradição em seu desfile de 2001. Todos os vencedores foram escolhidos através do voto popular. Em 1999, o prêmio foi entregue com a denominação "Personalidade do desfile". Entre as edições de 2000 e 2013, o prêmio foi denominado "Eu sou o Samba". A categoria foi extinta em 2014. O cantor e compositor Martinho da Vila foi o maior vencedor da categoria, conquistando três prêmios, nas edições 2010, 2012 e 2013. Jamelão, intérprete oficial da Mangueira, foi premiado duas vezes, em 2002 e 2003. Abaixo, os vencedores da categoria.

 
O cantor e compositor Martinho da Vila é o maior vencedor da categoria "Eu sou o Samba".
 
Alegoria da Mocidade em 2003, ano em que conquistou o prêmio de melhor enredo, abordando um tema sobre doação de órgãos. A escola é recordista da categoria.
 
Alegoria da Imperatriz em 2017, ano em que a escola recebeu o Tamborim de Ouro de melhores Alegorias e Adereços.
 
Império Serrano é o maior vencedor do prêmio de melhor escola da Série A. Na imagem, o desfile de 2013 da agremiação.
Personalidade Escola de Samba Prêmios Edições
Martinho da Vila Unidos de Vila Isabel 3 2010, 2012 e 2013
Jamelão Estação Primeira de Mangueira 2 2002 e 2003
Aroldo Melodia União da Ilha do Governador 1 1999
Dona Dodô Portela 2004
Joãosinho Trinta Unidos do Viradouro 2000
Mestre Ciça Unidos do Viradouro 2008
Neguinho da Beija-Flor Beija-Flor 2009
Ronaldinho Gaúcho Desfilou em Grande Rio, Mangueira e Portela 2011
Rosa Magalhães Imperatriz Leopoldinense 2006
Silvio Santos Desfilou na Tradição 2001
Tia Surica Portela 2005
Zeca Pagodinho Desfilou na Grande Rio 2007

Enredo Maravilha

A categoria "Enredo Maravilha", outrora denominada "Beleza de Mensagem", foi criada em 2000 para premiar o melhor enredo do Grupo Especial do carnaval carioca, sendo extinta a partir da edição de 2018.

Escola de samba Prêmios Edições
Mocidade Independente de Padre Miguel 4 2000, 2001, 2003 e 2004
Estação Primeira de Mangueira 3 2009, 2016 e 2017
Portela 2 2008 e 2013
Unidos da Tijuca 2006 e 2012
Acadêmicos do Salgueiro 1 2014
Beija-Flor 2002
Imperatriz Leopoldinense 2015
Império Serrano 2007
Unidos de Vila Isabel 2010
Unidos do Porto da Pedra 2011
Unidos do Viradouro 2005

Alegorias e Adereços

Em 1999 foi entregue o prêmio de "Melhores Alegorias". A categoria "Alegorias e Adereços" foi criada em 2014 para premiar o melhor conjunto de carros alegóricos e adereços do Grupo Especial do carnaval carioca, sendo extinta a partir da edição de 2018.

Escola de samba Prêmios Edições
Acadêmicos do Salgueiro 1 2014
Imperatriz Leopoldinense 2017
Mocidade Independente de Padre Miguel 1999
Portela 2016
Unidos da Tijuca 2015

Melhor Escola da Série A

O prêmio para a melhor escola da Série A (segunda divisão da carnaval carioca) foi entregue entre 2013 e 2017. Império Serrano é o maior vencedor da categoria.

Escola de samba Prêmios Edições
Império Serrano 4 2013, 2015, 2016 e 2017
União do Parque Curicica 1 2014

Comparação com o concurso oficialEditar

O Tamborim de Ouro foi criado com a intenção de oferecer um resultado diferente do concurso oficial, sem o objetivo de concorrer com o mesmo.[1] Ainda assim, são comuns comparações entre a premiação extraoficial e o resultado oficial do concurso de escolas de samba. Os resultados, porém, são majoritariamente diferentes. O resultado da categoria principal (Escola do Povo) coincidiu apenas três vezes com o resultado oficial do carnaval. Nas três ocasiões, ocorridas em 2004, 2008 e 2011, o Tamborim e o carnaval foram vencidos pela escola de samba Beija-Flor. Na segunda divisão, ocorreu apenas uma coincidência, quando o Império Serrano venceu o Tamborim de Ouro e o campeonato da Série A, no ano de 2017.

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v «Tamborim de Ouro». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  2. «Tamborim de Ouro terá voto popular com peso de jurado». O Dia. Consultado em 17 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2018 
  3. «Júri e leitores elegem os melhores no 'Tamborim de Ouro'». O Dia. Consultado em 17 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2018 
  4. «O Dia promove entrega do Troféu Tamborim de Ouro». Website Propmark. Consultado em 8 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2017 
  5. a b c «Grupo O Dia elege destaques da avenida através de votação popular». Site Propmark. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  6. a b c «Scala lotado na entrega do Tamborim». Site O Dia. Consultado em 20 de março de 2005. Arquivado do original em 20 de março de 2005 
  7. a b c «O DIA entrega 10.º Troféu Tamborim de Ouro». Site Portal Imprensa. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2016 
  8. a b «Troféu Nota 10 2017». Site O Dia. Consultado em 22 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 22 de setembro de 2017 
  9. a b c d «Beija-Flor e Mangueira lutam pela hegemonia no Tamborim de Ouro». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  10. a b c d e f g h i j k «Tamborim de Ouro: a alegria em tempo real». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  11. «Tamborim de Ouro 2001». Site O Dia. Consultado em 21 de abril de 2001. Arquivado do original em 21 de abril de 2001 
  12. a b «Votação 2004». Site O Dia. Consultado em 20 de maio de 2004. Arquivado do original em 9 de abril de 2005 
  13. «Tamborim de Ouro 2012». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  14. «Tamborim de Ouro terá voto popular com peso de jurado». O Dia. Consultado em 17 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2018 
  15. «Júri e leitores elegem os melhores no 'Tamborim de Ouro'». O Dia. Consultado em 17 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2018 
  16. «Tamborim de Ouro 2011». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 5 de março de 2016 
  17. «Festa do Tamborim de Ouro reúne os melhores do Carnaval 2013». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  18. «Confira os ganhadores da 12.ª Edição do Troféu Tamborim de Ouro». Site Galeria do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2016 
  19. «Troféu Tamborim de Ouro 2016 na Quadra da Mangueira». Site O Dia. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  20. «Vencedores 1999». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar