Tania Malheiros

jornalista brasileira
Tania Malheiros
Nascimento 1955 (66 anos)
Niterói
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista
Prêmios Prêmio ExxonMobil de Jornalismo
Empregador O Globo, Folha de S.Paulo, O Estado de São Paulo
Página oficial
http://taniamalheiros.com.br

Tania Malheiros é uma cantora e jornalista brasileira.

BiografiaEditar

É autora de três livros sobre a questão nuclear no Brasil: Histórias Secretas do Brasil Nuclear e Brasil, a Bomba Oculta,[1] com prefácio de Janio de Freitas e revisão de Neri Victor Eich; este segundo livro foi lançado também na Alemanha[2] pelo Instituto de Análises Estratégicas (Institut für Strategieanalysen).[3] Em setembro de 2018, Tania lançou "Bomba atômica! Pra quê? Brasil e energia Nuclear", editora Lacre, edição atualizada de seus trabalhos anteriores, repleto de informações novas. Em fevereiro de 2018, lançou seu blog: https://taniamalheiros-jornalista.blogspot.com.

JornalismoEditar

Tania trabalhou nos jornais O Globo, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, e foi colaboradora do Jornal do Brasil. Pela reportagem Aramar teve acidentes radioativos (Jornal do Brasil, edição de 28 de dezembro de 1996)[4] ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo em 1997 na categoria Informação Científica, Tecnológica e Ecológica.[5] A repórter foi merecedora do Prêmio Esso por ter denunciado um vazamento de gás de urânio, que contaminou funcionários no complexo do Centro Experimental Aramar, no interior de São Paulo. Com chamada na primeira página a matéria teve grande destaque e repercussão.[6]

MusicidadeEditar

Tania Malheiros começou a cantar na infância, por influência do pai, Mucio de Sá Malheiros, cavaquinista. Cantou em festas, clubes, até ingressar no jornalismo. No ano de 2000, ela começou a cantar em redutos de grandes sambistas e não parou mais, sendo abençoada por Xangô da Mangueira, Wilson Moreira, Nelson Sargento, Noca da Portela, Vó Maria, ícones do samba. Tania não parou mais. Em 2010 lançou seu primeiro CD "Deixa eu me benzer", com a maioria dos arranjos e direção musical do genial maestro e pianista Gilson Peranzzetta. Em 2016, lançou "A moça no espelho", seu primeiro Cd autoral. Tania está no facebook . Como produtora, idealizou, produziu e realizou importantes shows temáticos no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), no Centro do Rio, tais como: 60 anos sem Geraldo Pereira, o Sambista Maior (2015); O Centenário do Samba (2016) e Trio Samba Bossa Breque (2017), com cantores e músicos convidados. Em 2019, apresentou show em homenagem a Billy Blanco e Dolores Duran.

Tania também produziu e realizou dois shows no município de Santa Maria Madalena, durante a Festa Literária da cidade, em 2016 e 2017.

As carreiras de jornalista, escritora, produtora cultural e cantora caminham em conciliação.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Malheiros, Tania. Brasil, a bomba oculta: O programa nuclear brasileiro. Rio de Janeiro: Gryphus, 1993.
  2. Malheiros, Tania. Brasiliens geheime Bombe: Das brasilianische Atomprogramm. Tradução: Maria Conceição da Costa e Paulo Carvalho da Silva Filho. Frankfurt am Main: Report-Verlag, 1995.
  3. http://www.strategieanalysen.at
  4. Tania Malheiros (28 de dezembro de 1996). «Aramar teve acidentes radioativos». Jornal do Brasil. Consultado em 2 de janeiro de 2015 
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 27 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2012 
  6. Tania Malheiros e Belisa Ribeiro. «Matéria de Prêmio Esso nasceu no meio de uma mudança». Consultado em 4 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 28 de dezembro de 2014