Abrir menu principal

Taparuba

município brasileiro do estado de Minas Gerais

Taparuba é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.

Município de Taparuba
Bandeira indisponível
Brasão de Taparuba
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 21 de dezembro de 1995 (23 anos)
Gentílico taparubense
Padroeiro(a) São José[1]
CEP 36953-000 a 36954-999[2]
Prefeito(a) George Oliveira da Silva (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Taparuba
Localização de Taparuba em Minas Gerais
Taparuba está localizado em: Brasil
Taparuba
Localização de Taparuba no Brasil
19° 45' 32" S 41° 36' 57" O19° 45' 32" S 41° 36' 57" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2008[3]
Microrregião Aimorés IBGE/2008[3]
Municípios limítrofes Ipanema, Pocrane, Mutum, Conceição de Ipanema
Distância até a capital 362 km
Características geográficas
Área 193,081 km² [4]
População 3 137 hab. Censo IBGE/2010[5]
Densidade 16,25 hab./km²
Altitude 230 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,7 alto PNUD/2000[6]
PIB R$ 17 115,656 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 5 113,73 IBGE/2008[7]
Página oficial
Prefeitura www.taparuba.mg.gov.br
Câmara www.camarataparuba.mg.gov.br

EtimologiaEditar

O topônimo Taparuba, segundo algumas explicações locais, vem da língua tupi e significa "Ponte Nova".

HistóriaEditar

A história de Taparuba se acha ligada à de Ipanema. Os índios aimorés foram os primeiros habitantes da região onde hoje se situa o município de Ipanema. Por outro lado, segundo a tradição, foi José Pedro de Alcântara o primeiro europeu que conseguiu vencer as matas virgens da época e penetrar em seus domínios. Talhada em velha figueira ao lado do rio, encontrou-se a inscrição seguinte: “Até aqui chegou José Pedro”. Fala-se também de Manoel Francisco de Paula Cunha, desertor da guarda nacional e que encontrava-se fugido da Guerra de Santa Luzia.

Esses acontecimentos são atribuídos ao período que vai de 1840 a 1850. Em 1851, um aventureiro de nome Bernardes Leão também combateu os índios, tendo se demorado na localidade por algum tempo. Faz parte, ainda, da história da fundação de Ipanema o nome de Antônio José da Costa que, segundo a tradição oral, plantou 5 hectares de terra, com café e árvores frutíferas.

O primeiro nome dado ao lugar foi Povoado do Rio José Pedro, naturalmente referente à inscrição encontrada na velha figueira. Em 1872, o padre de Vermelho Novo, padre. Maximiliamo, celebrou a primeira missa no local. A capela foi edificada em 1873, pelo Padre Sócrates Colare, intelectual e historiador. O povoado de Rio José Pedro desenvolveu-se com relativo progresso, baseando a sua economia na agricultura e na pecuária. Em 1891 é elevado a distrito de paz, pertencente ao município de Manhuaçu, em 1911, e pela Lei nº566, de 30 de agosto, é elevado à categoria de município, instalando-se a 7 de setembro de 1912.

Em 20 de agosto de 1928, teve o seu topônimo alterado para Ipanema. É sede de comarca desde 1.º de janeiro de 1926. Pela Lei estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, a vila de Rio José Pedro tomou a denominação de José Pedro o distrito de São José da Ponte Nova a chamar-se Tuparuba. E pela Lei estadual nº 12030, de 2 1 de dezembro de 1995, desmembra do município de Ipanema o distrito de Taparuba. Elevado à categoria de município.

GeografiaEditar

Sua população estimada em 2007 era de 3.243 habitantes, conforme estatistica IBGE.[1]

Referências

  1. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 7. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externasEditar