Abrir menu principal
São Teótimo de Tomis
Bispo de Tomis
Nascimento século IV
Morte c. 407
Veneração por Igreja Católica, Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 20 de abril
Gloriole.svg Portal dos Santos

O santo católico Teótimo foi um escritor e amigo de João Crisóstomo, bispo da diocese Cítia de Tomis (atual Constança, na Romênia), na costa do Mar Negro, em 392-403 dC (ou 407 dC, quando ele morreu), e que tentou converter os hunos. Ele publicou curtos tratados epigramáticos, em forma de diálogos, no estilo antigo. Ele estava vivo quando São Jerônimo biografou-o em De Viris Illustribus (cap. 131[1]).

Seu nome em grego, Theotimos deriva de theos ("deus") e timè ("presente de honra / honorável"). A forma latinizada é Theotimus.

Vida e obraEditar

Sozomeno conta sobre a vida de Teótimo em sua obra História Eclesiástica (livro 8, capítulo 26):

A igreja de Tomis e, de fato, todas as igrejas da Cítia, estiveram neste período sob o governo de Teótimo, um cita. Ele foi educado nas práticas da filosofia e suas virtudes lhe ganharam tamanha admiração dos bárbaros hunos, que moravam nas margens do rio Íster, que eles o chamavam de "deus dos romanos, pois eles tinham experimentado atos divinos realizados por ele. Conta-se que um dia, quando Teótimo estava viajando para o país dos bárbaros, ele percebeu alguns deles avançando em direção à Total. Seus atendentes desandaram a lamentar e logo se consideraram perdidos. Ele apenas desceu de seu cavalo e rezou. A consequência foi que os bárbaros passaram sem vê-lo, nem seus atendentes ou os cavalos que eles tinham desmontado.

Como estas tribos frequentemente devastavam a Cítia em suas incursões predatórias, ele tentou subjugar a ferocidade de sua disposição presenteando-os com comida e presentes. Um dos bárbaros logo concluiu que ele era um homem rico e, determinado a fazê-lo prisioneiro, apoiou-se no seu escudo como era o seu costume quando negociando com seus inimigos. O homem ergueu sua mão direita para atirar uma corda, que ele agarrava com força, sobre o bispo, pois ele pretendia arrastá-lo para seu país, mas na tentativa, sua mão permaneceu estendida no ar e o bárbaro não foi liberado de sua horrível situação até que seus companheiros imploraram a Teótimo que intercedesse a Deus em seu favor.

Conta-se também que Teótimo sempre manteve o cabelo longo que ele vestia quando ele se devotou à prática da filosofia. Ele era muito moderado, sem horas certas para suas refeições, mas comia e bebia quando compelido a fazê-lo pela fome ou sede. Eu considero isto o papel de um filósofo ceder a estes desejos pela necessidade e não pelo amor à gratificação sensual.

 

No capítulo 17, livro VIII do mesmo livro, Sozomeno também diz:

Teótimo, bispo da Cítia, fortemente contra os procedimentos de Epifânio, que persuadiu alguns dos bispos que moravam em Constantinopla a aprovar os decretos que ele tinha emitido contra os discursos de Orígenes, e contou-lhe que não era correto lançar insultos sobre a memória de alguém que há tanto tempo estava morto. E que também não seria livre de blasfêmia atacar a conclusão que os antigos já tinham chegado sobre o assunto e desconsiderar suas decisões. Enquanto discursava sobre o assunto, ele sacou um livro de Orígenes que trazia consigo e, após lê-lo em voz alta uma passagem sobre a educação da Igreja, ele lembrou que os que condenavam sentimentos assim agiam de forma absurda, pois estariam sob o risco de insultar os próprios assuntos sobre os quais as palavras tratavam.
 

Sua festa é no dia 20 de abril.

Referências

  1.   "De Viris Illustribus - Theotimus the bishop", em inglês.
  2. «26». História Eclesiástica. St. Donatus, Bishop of Eurœa, and Theotimus, High-Priest of Scythia. (em inglês). VII. [S.l.: s.n.]  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. «14». História Eclesiástica. Perversity of Theophilus. St. Epiphanius: his Residence at Constantinople and Preparation to excite the People against John. (em inglês). VIII. [S.l.: s.n.]  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)