Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo(a) companhia teatro homônima, veja Teatro Oficina Uzyna Uzona.
Teatro Oficina
Tipo teatro
Inauguração 1993 (26 anos)
Website oficial
Geografia
Coordenadas 23° 33' 18.4572" S 46° 38' 28.4377" O
Localização São Paulo
País Brasil

O Teatro Oficina é um prédio tombado localidado na cidade de São Paulo e atual sede da companhia de teatro Teatro Oficina Uzyna Uzona, liderada por José Celso Martinez Corrêa, muito embora a companhia tenha tido outra sede, destruída durante um incêndio. No ano de 2015 o Teatro Oficina foi eleito, pelo jornal The Guardian, como o melhor teatro do mundo na categoria projeto arquitetônico.[1][2] O Teatro Oficina reuniu grandes artistas que passaram em seus palcos ao longo de suas décadas de existência, como Etty Fraser, Maria Alice Vergueiro (Tapa na pantera), Leona Cavalli.[carece de fontes?]

Índice

HistóricoEditar

 Ver artigo principal: Teatro Novos Comediantes

O prédio atual é resultado da reforma e estruturação do antigo Teatro Novos Comediantes. A reforma do Teatro Oficina foi projetada pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi em conjunto com Edson Elito, em 1991, e inaugurado no ano de 1993.[3][4][5]

O Teatro Oficina foi local de grande parte da experiência cênica internacional, que reuniu de Brecht, Sartre ao Living Theatre. Foi neste lugar que foi lançado um importante manifesto da cultura brasileira, o Tropicalismo, versão na década de sessenta do movimento antropofágico de Oswald de Andrade. Este influenciou músicos, poetas e outros artistas.[carece de fontes?]

IncêndioEditar

Houve um incêndio no Teatro Oficina, em 31 de maio de 1966. Depois desse episódio o espaço cênico mudou. Antes era chamado de Sanduíche, um palco, com plateia de um lado e do outro. Depois torna-se um palco italiano, com uma roda giratória grande. O Rei da Vela foi o primeiro espetáculo que estreou no novo espaço (Balbi, Marilia. Depoimento: Fernando Peixoto: Em Cena Aberta). Onde a o palco giratório desempenhou um grande papel na encenação. Seu formato foi finalmente transformado na década de 1990 onde foi transformado em um espaço passagem, como se fosse uma rua com a plateia dos dois lados, em duas fileiras de cadeiras, em andares.[carece de fontes?]

Nova sedeEditar

Este novo Oficina foi tombado pelo Condephaat em 1982, e foi projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, italiana radicada brasileira, transformando-o em um teatro-pista, com parede de vidro em um dos lados, teto retrátil, sendo sua arquitetura vencedora da Bienal de Praga em 1999. A mesma arquiteta desenhou dois edifícios emblemáticos na cidade de São Paulo. O famoso prédio do MASP - Museu de Arte de São Paulo, um edifício que parece flutuar no ar, devido seu imenso vão livre e o SESC Fábrica da Pompéia, onde buracos nas paredes nos andares superiores, e passarelas interligando andares, tentam amenizar qualquer sensação de claustrofobia que um edifício numa cidade como São Paulo pode causar.[carece de fontes?]

NotasEditar

Referências

  1. Moore, Rowan (11 de dezembro de 2015). «The 10 best theatres». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  2. «Projeto arquitetônico do Teat(r)o Oficina é melhor do mundo, diz jornal». Folha de S.Paulo 
  3. «Projeto do Teatro Oficina de Lina Bo Bardi é eleito o melhor do mundo pelo The Guardian». ArchDaily Brasil. 15 de dezembro de 2015 
  4. «arquitextos 188.00 patrimônio histórico: Teatro oficina: patrimônio e teatro | vitruvius». www.vitruvius.com.br (em inglês). Consultado em 26 de novembro de 2017 
  5. 1914-1992., Bardi, Lina Bo,; Martinez., Correa, José Celso (1999). Teatro Oficina = Oficina Theater : São Paulo, Brasil, 1980-1984. Lisboa, Portugal: Editorial Blau. ISBN 9728311478. OCLC 44607508 

Ligações externasEditar