Templo da Bona Dea

Templo da Bona Dea
Tipo Templo
Construção Século III a.C.
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localização XII Região - Piscina Pública
Coordenadas 41° 52' 52.69" N 12° 29' 16.64" E
Templo da Bona Dea está localizado em: Roma
Templo da Bona Dea
Templo da Bona Dea

Templo da Bona Dea (em latim: Aedes Bona Dea Subsaxana) era um templo da Roma Antiga dedicado à deusa Bona Dea e localizado no monte Aventino.

Localização e históriaEditar

O templo ficava na região setentrional do Aventino oriental, logo ao sul da extremidade oriental (circular) do Circo Máximo. O local — hoje ocupado pela Basílica de Santa Balbina — na época era conhecido como Saxum e, por isso, o templo era conhecido como "subsaxana"[1].

Aparentemente a antiga deusa romana Bona Dea Fauna[2] foi fundida com a deusa grega Damia, cujo culto provavelmente foi introduzido em Roma depois da conquista de Taranto (272 a.C.) ou pouco depois. Nesta época foi construído o Templo da Bona Dea, que depois foi restaurado por Lívia Drusila[3], a esposa do imperador Augusto (m. 14 d.C.), e pelo imperador Adriano (r. 117-138)[4]. Sabe-se que ele ainda existia no final do século IV[5], mas acabou sendo demolido depois sem deixar nenhum vestígio.

O culto da Bona Dea (e de Damia) era relacionado à curas e o templo era considerado um centro medicinal, o que era atestado pelas serpentes que se moviam intocadas pelo templo. Ali também ficavam armazenadas ervas medicinais de vários tipos[6]. O culto era exclusivamente feminino e os homens não podiam entrar no templo[6].

Referências

  1. Ovídio, Fastos V, 153; Notitia urbis Romae, XII.
  2. Macróbio, Saturnália I, 12.22.
  3. Ovídio, Fastos V.157‑158.
  4. História Augusta, Vida de Adriano XIX
  5. Notitia urbis Romae, XII.
  6. a b Macróbio, Saturnália I.12.25‑26.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar