Teodoro (mestre dos ofícios)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Teodoro.

Teodoro (em latim: Theodorus), conhecido como Condóceres (κονδοχέρης) e Ztonúmio (Ζτονούμιος), foi um oficial bizantino do século VI que esteve ativo durante o reinado dos imperadores Justiniano (r. 527–565) e Justino II (r. 565–578).

Teodoro
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Oficial
Título
Religião Cristianismo
Soldo de Justino II (r. 565–578)

VidaEditar

Nativo de Solacão, na Mesopotâmia, era filho do patrício Pedro e talvez parente do cônsul homônimo.[1] Aparece pela primeira vez no final de 560, durante os tumultos de Constantinopla causados pelos rumores da morte de Justiniano. À época, Eugênio alegou que ele pretendia conspirar para tornar-se imperador, porém logo estas acusações foram vistas como infundadas. Mais adiante, em março de 562, Teodoro é novamente citado quando reprimiu motim de certos estudiosos da Trácia, que foram transferidos à Ásia Menor.[1]

Em sucessão de Anastácio de Samaria, foi nomeado no início do tempo de Justino II ao ofício de mestre dos ofícios. Apesar da data de sua nomeação ser incerta, é possível que ocorreu em 566. Outro ofício ao qual também foi nomeado em data incerta é o de conde dos tesouros sagrados. Em 576, quando já não exercia a função de mestre, foi nomeado patrício e envolveu-se numa embaixada ao Império Sassânida, na qual encontrou, junto de Pedro, João, Eudemão e Zacarias, o oficial Mebodes perto de Dara, na Mesopotâmia; possivelmente Teodoro foi o chefe da embaixada. Ela perdurou por um ano e nenhuma resolução foi alcançada.[2]

Referências

  1. a b Martindale 1992, p. 1255.
  2. Martindale 1992, p. 1256.

BibliografiaEditar

  • Martindale, John R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). «Theodorus 34». The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8