Teodoro II de Constantinopla

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Teodoro II.
Teodoro II de Constantinopla
Selo de Teodoro Irênico da época em que ele era o hípato dos filósofos, c. 1208–1214
Nascimento Século XII
Morte 31 de janeiro de 1216
Cidadania Império Bizantino
Ocupação sacerdote
Religião cristianismo ortodoxo

Teodoro II de Constantinopla, dito Irênico (em grego: Θεόδωρος Β' Εἰρηνικός; em latim: Eirenicus), também conhecido como Teodoro Copas (em grego: Κωπάς),[1] foi o patriarca grego ortodoxo de Constantinopla (no exílio) entre 1214 e 1216. Teodoro era um funcionário de alto escalão no Império Bizantino e o principal ministro durante a maior parte do reinado de Aleixo III Ângelo (r. 1195-1203). Após a conquista de Constantinopla pela Quarta Cruzada, ele fugiu para o Império de Niceia e se tornou um monge antes de ser alçado ao patriarcado.

CarreiraEditar

Um homem inteligente e bem educado, Teodoro ascendeu ao poder após a desgraça e o exílio do funcionário preferido de Aleixo até então, Constantino Mesopotamita, no outono de 1197. Irênico o sucedeu como seu confidente e assumiu a importante função de cartulário do canícula ("secretário do tinteiro imperial") e como seu primeiro ministro. Ele também detinha a função sênior de pansebasto sebasto.[1][2] De acordo com o relato do historiador contemporâneo Nicetas Coniates, Irênico temia ter o mesmo destino que Mesopotamita e, por isso, exercia o poder de forma bastante cautelosa. Ele tentava não se indispor com a aristocracia hereditária que dominava a corte imperial e que minou a posição de Mesopotamita. Para conseguir este objetivo, ele terminou não levando adiante as reformas que o Império tanto precisava.[3]

Exílio e carreira eclesiásticaEditar

Em abril de 1204, Constantinopla foi tomada pelos soldados da Quarta Cruzada e, como muitos outros líderes bizantinos, Teodoro fugiu da cidade e buscou refúgio na Ásia Menor. Lá, ele foi tonsurado e se tornou um monge.[1] Em 1209, o recém-proclamado imperador de Niceia Teodoro I Láscaris o nomeou para a função de cartofílax do patriarcado de Constantinopla, re-fundando-o no exílio em Niceia. Láscaris também o agraciou com o título de hípato dos filósofos,[1] o prestigioso título reservado ao reitor da cadeira de filosofia na Universidade de Constantinopla.[4]

Em 28 de setembro de 1214, Irênico foi eleito patriarca de Constantinopla pelo sínodo patriarcal. Seu governo foi marcado pela confrontação direta com a Igreja Católica, especialmente sobre a legitimidade dos patriarcas latinos de Constantinopla e do controle católico sobre a população grega ortodoxa pelas mãos dos príncipes latinos.[5]

Teodoro Irênico morreu em 31 de janeiro de 1216.[5]

Ver tambémEditar

Teodoro II de Constantinopla
(No exílio em Niceia)

(1214 - 1216)
Precedido por:  

Patriarcas grego ortodoxos de Constantinopla

Sucedido por:
Miguel IV 127.º Máximo II

Referências

  1. a b c d Vougiouklaki (2003), Chapter 1 Arquivado em 10 de novembro de 2013, no Wayback Machine.
  2. Brand (1968), pp. 143, 146–147
  3. Brand (1968), p. 147
  4. Kazhdan (1991), p. 964
  5. a b Vougiouklaki (2003), Chapter 2 Arquivado em 10 de novembro de 2013, no Wayback Machine.

BibliografiaEditar