Teoria Geral do Esquecimento

Teoria Geral do Esquecimento é um romance de 2012 do autor angolano José Eduardo Agualusa.

Teoria Geral do Esquecimento
Capa do livro.
Autor(es) José Eduardo Agualusa
Idioma Português
País Angola
Editora Publicações Dom Quixote (Portugal e PALOP)
Lançamento 2012
Páginas 237
ISBN 978-972-20-4960-3

O romance conta a história de uma mulher angolana que se tranca no seu apartamento com o seu país à beira da independência. Ela tenta se afastar do mundo externo por três décadas até encontrar um jovem que a informa sobre as mudanças radicais que ocorreram no país nos anos que passaram.[1] O livro baseia-se nos eventos da vida real.[2]

Escrito na língua nativa do autor, o português, foi traduzido para o inglês por Daniel Hahn em 2015. O romance marcou a continuação da longa colaboração da Hahn com Agualusa. A versão inglesa do romance recebeu aclamação do público ocidental.[3]

O romance apareceu na lista curta para o Prémio Internacional Man Booker de 2016, perdendo para Chaesikju-uija, de Han Kang. O romance foi o vencedor do Prémio Literário Internacional IMPAC de Dublim de 2017,[4][5] o maior prémio literário do mundo (cem mil euros).[6][7]

EnredoEditar

O romance passa-se em Luanda, nas vésperas e logo após da independência de Angola de Portugal.[8][9] A guerra pela independência deixou a área num estado tumultuado e perigoso por mais de doze anos. Além disso, as tensões entre as forças anticoloniais[10] (financiadas pela União Soviética)[11] indicam que pode haver violência e terror continuados após a independência ser alcançada.

O romance gira em torno de Ludo, uma mulher portuguesa que vive na capital angolana. No meio de toda a violência e caos causados ​​pelos confrontos do movimento anticolonial com as autoridades portuguesas, ela decide isolar-se da sociedade, fechando-se no seu apartamento de cobertura. Ela fornece sustento para si mesma cultivando legumes e atraindo pombos para dentro do apartamento através de uma janela. Ela incinera os seus móveis para conseguir calor. A história é contada através da sua perspetiva ao longo de trinta anos. A única informação que ela recebe sobre o mundo exterior e a situação política que enfrenta vem das notícias no rádio, ou quando escuta as conversas dos vizinhos.[1]

Esta situação é alterada quando ela se encontra com Sabalu, um jovem que tenta assaltar o seu apartamento. Através das suas interações, ela descobre os eventos que abalaram Angola desde sua auto-ostracização três décadas antes.

Receção críticaEditar

O livro, devido ao seu conceito de restringir uma protagonista a uma sala específica, foi comparado ao livro O Quarto de Jack de Emma Donoghue.[12]

Os críticos elogiaram Agualusa pela temática escolhida, afirmando que ele era responsável por abrir "o mundo da África de língua portuguesa para a comunidade de língua inglesa".[13] Ele atraiu mais elogios críticos pela maneira como ele condensou um conflito complicado num pacote "sucintamente resumido e facilmente compreensível".[14]

O romance foi reconhecido nas listas longas e curtas para o Prémio Internacional Man Booker de 2016. Ele compete sob as regras revisadas, que colocam uma ênfase maior nas obras traduzidas. No entanto, o prémio final foi dado a Chaesikju-uija, de Han Kang.[15]

O romance foi o destinatário do Prémio Literário Internacional IMPAC de Dublim de 2017, que, com uma recompensa monetária de cem mil euros, é o maior prémio literário.[16] De acordo com as regras do prémio, Agualusa e Hahn compartilharão o prémio ao longo de uma divisão de 75:25, respetivamente.[17] Agualusa afirmou que pretendia usar parte da recompensa para "realizar um sonho de toda a vida" e construir uma biblioteca pública na ilha de Moçambique, a sua casa adotiva.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «A General Theory of Oblivion». Prémio Man Booker (em inglês). Man Group. Consultado em 23 de junho de 2017 
  2. Gurría-Quintana, Angel (17 de julho de 2015). «'A General Theory of Oblivion', by José Eduardo Agualusa». Financial Times (em inglês) 
  3. Soutar, Jethro (2 de julho de 2015). «A General Theory Of Oblivion by José Eduardo Agualusa; trans. Daniel Hahn, book review». The Independent (em inglês) 
  4. a b Kean, Danuta (21 de junho de 2017). «Angolan writer José Eduardo Agualusa wins €100,000 International Dublin literary award». The Guardian (em inglês) 
  5. Kelly, Aoife (21 de junho de 2017). «International Dublin Literary Award 2017: José Eduardo Agualusa wins for A General Theory of Oblivion». Irish Independent (em inglês) 
  6. «José Eduardo Agualusa vence prémio literário internacional de Dublin». Rádio e Televisão de Portugal. 22 de junho de 2017 
  7. Battersby, Eileen (21 de junho de 2017). «José Eduardo Agualusa wins €100,000 International Dublin Literary Award». The Irish Times (em inglês) 
  8. «A General Theory of Oblivion» (em inglês). Archipelago Books. Consultado em 23 de junho de 2017 
  9. Illingworth, Dustin (13 de dezembro de 2015). «A General Theory of Oblivion by José Eduardo Agualusa» (em inglês). The Quarterly Conversation 
  10. «UCDP — Uppsala Conflict Data Program» (em inglês). Universidade de Uppsala. Consultado em 23 de junho de 2017 
  11. Bervoets, Jeremy (11 de maio de 2011). «The Soviet Union in Angola» (em inglês). The School of Russian and Asian Studies. Consultado em 23 de junho de 2017. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2017 
  12. Forbes, Malcolm (17 de dezembro de 2015). «Book review: A General Theory of Oblivion is an enthralling tale of solitude, loneliness and memory». The National (em inglês) 
  13. Bradley, Jane (21 de junho de 2015). «Book review: A General Theory Of Oblivion». The Scotsman (em inglês) 
  14. Bursey, Jeff (12 de março de 2016). «Spare My Wrists : Review of A General Theory of Oblivion by José Eduardo Agualusa — Jeff Bursey». Numéro Cinq (em inglês). 7 (3) 
  15. Mon, Alice on (16 de maio de 2016). «The Vegetarian wins the Man Booker International Prize 2016». Prémio Man Booker (em inglês). Man Group 
  16. Keegan, Stephen (21 de junho de 2017). «Angolan novelist wins Dublin Literary Award». Hot Press (em inglês) 
  17. «Angolan writer José Eduardo Agualusa wins 2017 International DUBLIN Literary Award». CBC Books (em inglês). Canadian Broadcasting Corporation. 21 de junho de 2017 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.