Abrir menu principal

Terceiro ataque transjordano

campanha militar do Teatro do Médio Oriente da Primeira Guerra Mundial
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Terceiro ataque transjordano
Primeira Guerra MundialTeatro do Médio Oriente
Damaged section of the Jericho to Es Salt road.jpg
Uma unidade de artilharia da Força de Chaytor tentando passar num trecho destruído da estrada entre Jericó e Es Salt
Data 19 de setembro25 de setembro de 1918
Local Vale do Jordão, Jisr ed Damieh, Es Salt, Amã, linha ferroviária do Hejaz e Ziza
Desfecho Vitória do Império Britânico
Beligerantes
 Império Britânico

    Índia britânica

    Austrália

    Nova Zelândia

Império Britânico Índias Ocidentais Britânicas

 Império Otomano

 Império Alemão

Comandantes
Império Britânico Edmund Allenby

Império Britânico Edward Chaytor

Império Alemão Liman von Sanders

Império Otomano Mustafa Kemal

Império Otomano Mohammed Jemal Paxá
Unidades
Força de Chaytor 7.º Exército Otomano
  • 1.ª e 11.ª divisões do Corpo III
  • 24.ª, 26.ª e 53.ª divisões do Corpo XX

4.º Exército Otomano

  • Divisão de Amã e destacamentos de Hauran e de Ma'an do Corpo II
  • Brigada de Cavalaria do Cáucaso, 48.ª Divisão, Divisão Composta e Regimento Infantaria Montada do Corpo VIII
  • 3.ª Divisão de Cavalaria, 63.º Regimento, 146.º Regimento alemão
   

O terceiro ataque transjordano foi uma campanha militar da Força de Chaytor da Força Expedicionária Egípcia (EEF) do Império Britânico que ocorreu entre 21 e 25 de setembro de 1918 contra o 4.º e 7.º exércitos do Império Otomano e outras unidades do Grupo de Exércitos Yıldırım no Vale do Jordão, Jisr ed Damiye, Es Salt, Amã, linha ferroviária do Hejaz e Ziza.

As operações tiveram lugar durante a Batalha de Nablus, parte da Batalha de Megido que começou em 19 de setembro, durante os últimos meses da Campanha do Sinai e Palestina da Primeira Guerra Mundial. Os combates tiveram lugar no flanco direito e começou em direção a norte, com o assalto a Fasail. No segundo dia, uma parte da Força de Chaytor atacou e capturou a 53.ª Divisão do Sétimo Exército Otomano na linha principal de retirada em direção a leste das colinas da Judeia, na margem oposta do rio Jordão. As colunas do Grupo de Exércitos Yıldırım em retirada foram atacadas durante os combates para a tomada da ponte de Jisr ed Damieh e também foram tomados vários vaus, fechando aquela linha de retirada.

Deixando alguns destacamentos para defender a ponte e vaus capturados, a Força de Chaytor iniciou o avanço para leste, com o objetivo de tomar Es Salt pela terceira vez. No caminho, a guarnição do Quarto Exército em Shunet Nimrin foi atacada e capturada. Com o Corpo VIII do Quarto Exército em retirada, a Força de Chaytor prosseguiu o seu avanço para atacar e conquistar Amã em 25 de setembro, durante a Segunda Batalha de Amã.

As operações militares prosseguiram durante mais alguns dias, tendo cessado efetivamente quando o Corpo II do Quarto Exército otomano, que tinha feito a guarnição da parte sul da linha ferroviária do Hejaz, se rendeu em Ziza, a sul de Amã.

As vitórias britânicas durante o terceiro ataque transjordano resultaram na ocupação de muitos quilómetros de território otomano e na captura do equivalente a um corpo militar otomano. Entretanto, o que restou do Quarto Exército otomano foi forçado a retirar desordenadamente para Damasco, a norte, juntamente com o que restou dos sétimo e oitavo exércitos, depois das vitórias da Força Expedicionária Egípcia nas batalhas de Sarom e de Nablus. Os combates estenderam-se desde o Mediterrâneo durante os sete dias de batalha, resultando na captura de muitos milhares de prisioneiros e um vasto território. Depois de vários dias perseguindo as colunas que restavam, o Corpo Montado do Deserto conquistou Damasco em 1 de outubro. A parte do Grupo de Exércitos Yıldırım que logrou retirar de Damasco foi perseguida durante a perseguição até Haritan, durante a qual foram conquistadas Homs e Alepo pelas tropas xarifais do príncipe Faiçal. Pouco depois, em 30 de outubro, foi assinado o Armistício de Mudros, que pôs termo às hostilidades entre os Aliados e Império Otomano na frente do Médio Oriente.

NotasEditar

BibliografiaEditar

  • «2nd Light Horse Brigade War Diary». First World War Diaries AWM4, 10-2-45. Camberra: Australian War Memorial. Setembro de 1918 
  • «New Zealand Mounted Rifles Brigade Headquarters War Diary». First World War Diaries AWM4, 35-1-41. Camberra: Australian War Memorial. Setembro de 1918 
  • «Anzac Mounted Division General Staff War Diary». First World War Diaries AWM4, 1-60-31 Part 2. Camberra: Australian War Memorial. Setembro de 1918 
  • «Anzac Mounted Division Admin Staff, Headquarters War Diary». First World War Diaries AWM4, 1-61-31. Camberra: Australian War Memorial. Setembro de 1918 
  • Baly, Lindsay (2003), Horseman, Pass By: The Australian Light Horse in World War I, East Roseville, Sydney: Simon & Schuster, OCLC 223425266 
  • Blenkinsop, Layton John; Rainey, John Wakefield, eds. (1925), History of the Great War Based on Official Documents Veterinary Services, London: HM Stationers, OCLC 460717714 
  • Bou, Jean (2009), Light Horse: A History of Australia's Mounted Arm, ISBN 978-0-521-19708-3, Australian Army History, Port Melbourne: Cambridge University Press 
  • Bruce, Anthony (2002), The Last Crusade: The Palestine Campaign in the First World War, ISBN 978-0-7195-5432-2, London: John Murray 
  • Carey, Gordon Vero; Scott, Hugh Sumner (2011), An Outline History of the Great War, ISBN 978-1-107-64802-9, Cambridge: Cambridge University Press 
  • Carver, Michael, Field Marshal Lord (2003), The National Army Museum Book of The Turkish Front 1914–1918: The Campaigns at Gallipoli, in Mesopotamia and in Palestine, ISBN 978-0-283-07347-2, London: Pan Macmillan 
  • Cutlack, Frederic Morley (1941), The Australian Flying Corps in the Western and Eastern Theatres of War, 1914–1918, Official History of Australia in the War of 1914–1918, Volume VIII 11th ed. , Canberra: Australian War Memorial, OCLC 220900299 
  • DiMarco, Louis A. (2008), War Horse: A History of the Military Horse and Rider, Yardley, Pennsylvania: Westholme Publishing, OCLC 226378925 
  • Downes, Rupert M. (1938), «The Campaign in Sinai and Palestine», in: Butler, Arthur Graham, Gallipoli, Palestine and New Guinea, Official History of the Australian Army Medical Services, 1914–1918, Volume 1 Part II 2nd ed. , Canberra: Australian War Memorial, pp. 547–780, OCLC 220879097 
  • Erickson, Edward J. (2001), Ordered to Die: A History of the Ottoman Army in the First World War: Forward by General Hüseyiln Kivrikoglu, No. 201 Contributions in Military Studies, Westport Connecticut: Greenwood Press, OCLC 43481698 
  • Erickson, Edward J. (2007), Gooch, John; Reid, Brian Holden, eds., Ottoman Army Effectiveness in World War I: A Comparative Study, ISBN 978-0-203-96456-9, No. 26 of Cass Series: Military History and Policy, Milton Park, Abingdon, Oxfordshire: Routledge 
  • Falls, Cyril; Becke (maps), A. F. (1930), Military Operations Egypt & Palestine from June 1917 to the End of the War, Official History of the Great War Based on Official Documents by Direction of the Historical Section of the Committee of Imperial Defence, Volume 2 Part II, London: HM Stationery Office, OCLC 256950972 
  • Gullett, Henry S.; Barnet, Charles; Baker, David, eds. (1919), Australia in Palestine, Sydney: Angus & Robertson, OCLC 224023558 
  • Hill, Alec Jeffrey (1978), Chauvel of the Light Horse: A Biography of General Sir Harry Chauvel, GCMG, KCB, Melbourne: Melbourne University Press, OCLC 5003626 
  • Hughes, Matthew, ed. (2004), Allenby in Palestine: The Middle East Correspondence of Field Marshal Viscount Allenby June 1917 – October 1919, ISBN 978-0-7509-3841-9, Army Records Society, 22, Phoenix Mill, Thrupp, Stroud, Gloucestershire: Sutton Publishing 
  • Keogh, Eustace Graham; Joan Graham (1955), Suez to Aleppo, Melbourne: Directorate of Military Training by Wilkie & Co., OCLC 220029983 
  • Kinloch, Terry (2007), Devils on Horses: In the Words of the Anzacs in the Middle East, 1916–19, ISBN 978-0-908988-94-5, Auckland: Exisle Publishing 
  • Massey, William Thomas (1920), Allenby's Final Triumph, London: Constable & Co, OCLC 345306 
  • Maunsell, E. B. (1926), Prince of Wales' Own, the Seinde Horse, 1839–1922, Regimental Committee, OCLC 221077029 
  • Moore, A. Briscoe (1920), The Mounted Riflemen in Sinai & Palestine: The Story of New Zealand's Crusaders, Christchurch: Whitcombe & Tombs, OCLC 561949575 
  • Powles, C. Guy; A. Wilkie (1922), The New Zealanders in Sinai and Palestine, Official History New Zealand's Effort in the Great War, Volume III, Auckland: Whitcombe & Tombs, OCLC 2959465 
  • Preston, Richard Martin Peter (1921), The Desert Mounted Corps: An Account of the Cavalry Operations in Palestine and Syria 1917–1918, London: Constable & Co., OCLC 3900439 
  • Pugsley, Christoper (2004), The Anzac Experience: New Zealand, Australia and Empire in the First World War, ISBN 978-0-7900-0941-4, Auckland: Reed Books 
  • Wavell, Archibald (1968) [1933], «The Palestine Campaigns», in: Sheppard, Eric William, A Short History of the British Army 4th ed. , London: Constable & Co., OCLC 35621223 
  • Woodward, David R. (2006), Hell in the Holy Land: World War I in the Middle East, ISBN 978-0-8131-2383-7, Lexington: The University Press of Kentucky 
  Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.