Terra Fria (2005)

filme de 2005 dirigido por Niki Caro

North Country (bra: Terra Fria[3][4]; prt: North Country - Terra Fria[5] ou Terra Fria[6]) é um filme estadunidense de 2005, do gênero drama, dirigido por Niki Caro, estrelado por Charlize Theron, Frances McDormand, Sean Bean, Richard Jenkins, Michelle Monaghan, Jeremy Renner, Woody Harrelson, e Sissy Spacek. O roteiro de Michael Seitzman foi inspirado no livro de 2002 Class Action: The Story of Lois Jenson and the Landmark Case That Changed Sexual Harassment Law, de Clara Bingham e Laura Leedy Gansler.[7]

North Country
Cartaz promocional do filme destaca a atriz Charlize Theron
No Brasil Terra Fria
Em Portugal North Country - Terra Fria
Terra Fria
 Estados Unidos
2005 •  cor •  126[1] min 
Direção Niki Caro
Produção Nick Wechsler
Roteiro Michael Seitzman
Baseado em Class Action, de Clara Bingham e Laura Leedy Gansler
Elenco Charlize Theron
Frances McDormand
Sean Bean
Richard Jenkins
Jeremy Renner
Michelle Monaghan
Woody Harrelson
Sissy Spacek
Gênero drama
Música Gustavo Santaolalla
Cinematografia Chris Menges
Edição David Coulson
Companhia(s) produtora(s) Participant Productions
Industry Entertainment
Nick Wechsler Productions
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Canadá 12 de setembro de 2005 (Festival de Toronto)
Estados Unidos 21 de outubro de 2005
Idioma inglês
Orçamento US$35 milhões[2]
Receita US$25,2 milhões[2]
Site oficial

SinopseEditar

Em 1989, Josey Aimes foge de seu marido abusivo de volta para sua cidade natal, no norte de Minnesota, com seus filhos, Sammy e Karen, e se muda com seus pais, Alice e Hank. Hank tem vergonha de Josey, que teve Sammy quando adolescente por um pai desconhecido, e acredita que Josey é promíscua. Enquanto trabalhava como lavadora de cabelos, Josey se reconecta com um velho conhecido, Glory Dodge, que trabalha na mina de ferro local e sugere que Josey faça o mesmo, pois um trabalho lá paga seis vezes mais do que o que Josey está fazendo agora. A busca pelo trabalho de Josey prejudica ainda mais seu relacionamento com Hank, que também trabalha na mina e acredita que as mulheres não deveriam estar trabalhando lá, então ela e seus filhos vão morar com Glory e seu marido, Kyle.

Josey rapidamente faz amizade com várias outras trabalhadoras da mina e logo percebe que as mulheres são alvos constantes de assédio sexual e humilhação pela maioria de seus colegas de trabalho, que, como Hank, acreditam que as mulheres estão assumindo empregos mais apropriados para os homens. Josey, em particular, é alvo de Bobby Sharp, seu ex-namorado do ensino médio. Josey tenta conversar com seu supervisor, Arlen Pavich, sobre o problema, mas ele se recusa a levar suas preocupações a sério. As mulheres sofrem assédio adicional e até abuso em retaliação, e Bobby espalha boatos de que Josey tentou seduzi-lo, levando sua esposa a repreender publicamente e humilhar Josey no jogo de hóquei de Sammy. Sammy começa a se ressentir da maneira como as pessoas da cidade as tratam e passa a acreditar nas fofocas sobre a alegada promiscuidade de sua mãe.

Josey leva suas preocupações para o proprietário da mina, Don Pearson, mas, apesar das garantias anteriores de que ele está lá para ajudar, ela chega e descobre que ele convidou Pavich para a reunião, junto com vários outros executivos e se oferece para aceitar sua demissão imediatamente. Ela se recusa, e depois que Pearson sugere que ele acredita que os rumores sobre sua promiscuidade, ela sai devastada. Mais tarde, depois de ter sido agredida sexualmente por Bobby no trabalho, ela sai e pede a Bill White, um advogado de Kyle e Glory, que a ajude a abrir um processo judicial contra a empresa. Bill a aconselha a recrutar outras mulheres para formar uma ação coletiva, que seria o primeiro de seu tipo. As mineiras, no entanto, temem perder o emprego e enfrentar assédio adicional, então Josey tenta seguir em frente com o caso sozinha. Ela também descobre que Glory tem a doença de Lou Gehrig e sua saúde está diminuindo rapidamente.

Alice e Hank discutem sobre o processo de Josey, e quando Hank ainda se recusa a perdoar sua filha, Alice o deixa. Em uma reunião do sindicato, Josey tenta se dirigir aos mineiros e explicar seus motivos para processar a mina, mas eles constantemente a interrompem e insultam, levando Hank a defender sua filha e repreender seus colegas de trabalho pelo tratamento de Josey e todas as outras mulheres na mina. Ele e Alice então se reconciliam. No tribunal, o advogado da empresa de mineração tenta manter a história sexual de Josey contra ela, com base no testemunho de Bobby de que Sammy é o resultado de um relacionamento sexual consensual entre Josey e seu professor do ensino médio, Paul Lattavansky. Josey então revela que depois da escola um dia, onde ela e Bobby estavam cumprindo detenção juntos depois de serem pegos se beijando, ela foi estuprada por Lattavansky, o que a levou a engravidar de Sammy. Hank ataca o professor em questão e Bill fica em um recesso depois que Josey sai do tribunal.

Sammy ainda se recusa a acreditar em sua mãe e foge, até que Kyle pede que ele reconsidere, e ele e Josey se abraçam depois de uma conversa.

Bill examina Bobby e o faz admitir que testemunhou o estupro de Josey, mas estava com muito medo de fazer algo a respeito. Glory, que chegou ao tribunal em sua cadeira de rodas e não consegue falar, mandou Kyle ler uma carta dizendo que está com Josey, embora ainda não seja suficiente para se qualificar para um processo coletivo. Após uma pausa, muitas outras mulheres permanecem, seguidas por membros da família e até vários mineiros que não assediam as mulheres. A empresa de mineração é forçada a pagar as mulheres por seu sofrimento e a estabelecer uma política de assédio sexual histórica no local de trabalho.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Lois Jenson, em quem a personagem de Josey se baseia, começou a trabalhar na mina EVTAC (de "Eveleth Taconite") em Eveleth, Minnesota, em 1975, e iniciou seu processo em 1984, quatro anos antes do ano em que o filme começou. Sua linha do tempo estava condensada, mas, na realidade, levou quatorze anos para o caso ser resolvido. Jenson se recusou a vender os direitos de sua história ou a atuar como consultora do filme.[8]

O personagem Glory Dodge, interpretado por Frances McDormand, foi baseado em Pat Kosmach, uma das queixosas no processo de ação coletiva. Kosmach morreu no meio do caso, em 7 de novembro de 1994. Eveleth Mines foi condenada quatro anos depois, em dezembro de 1998, pagando a quinze mulheres um total de US$3,5 milhões.

O filme foi filmado nas cidades de Eveleth, Virgínia, Chisholm e Hibbing, no norte de Minnesota; Minneapolis; bem como Silver City e Santa Fé, no Novo México.

Trilha sonoraEditar

  1. "North Country" by Gustavo Santaolalla – 2:08
  2. "Girl of the North Country" by Leo Kottke – 3:33
  3. "Tell Ol' Bill" by Bob Dylan – 5:08
  4. "Werewolves of London" by Warren Zevon – 3:28
  5. "Bette Davis Eyes" by Kim Carnes – 3:49
  6. "If I Said You Had a Beautiful Body (Would You Hold It Against Me)" by The Bellamy Brothers – 3:17
  7. "Lay Lady Lay" by Bob Dylan – 3:19
  8. "A Saturday in My Classroom" by Gustavo Santaolalla – 3:46
  9. "Sweetheart Like You" by Bob Dylan – 4:37
  10. "Baby Don't Get Hooked on Me" by Mac Davis – 3:05
  11. "Do Right to Me Baby (Do Unto Others)" by Bob Dylan – 3:52
  12. "Standing Up" by Gustavo Santaolalla – 2:43
  13. "Paths of Victory" by Cat Power – 3:24

As músicas do filme que não estavam na trilha sonora incluem "Wasn't That a Party", do The Irish Rovers, "Shake the House Down", de Molly Hatchet, e versões de karaokê de "I Drink Alone", de George Thorogood, e "Hit Me with Your Best Shot" de Pat Benatar.

LançamentoEditar

O filme estreou no Festival Internacional de Cinema de Toronto em 2005 e foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Chicago antes de ser lançado nos EUA, onde arrecadou US$6,422,455 no fim de semana de estreia, ocupando o 5º lugar nas bilheterias.[9] Orçado em US$30 milhões, acabou arrecadando US$18,337,722 nos EUA e US$6,873,453 em mercados estrangeiros, para uma bilheteria mundial total de US$25,211,175.[2]

RecepçãoEditar

Resposta críticaEditar

No agregador de críticas Rotten Tomatoes, 69% dos críticos deram críticas positivas ao filme, com base em 174 críticas, com Theron e McDormand recebendo elogios da crítica por suas performances. O consenso do site declara: "Embora às vezes melodramático e formulado, North Country é, no entanto, uma história empolgante e poderosa de coragem e humanidade".[10] Em Metacritic, o filme tem uma pontuação média de 68 em 100, com base em 39 críticas.[11]

Prêmios e indicaçõesEditar

Prêmio Data da cerimônia Categoria Desinatário(s) Resultado
Academy Awards 5 de março de 2006 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Frances McDormand Indicado
Prêmios Globo de Ouro 16 de janeiro de 2006 Melhor Atriz - Drama Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante - Filme Frances McDormand Indicado
British Academy Film Awards 19 de fevereiro de 2006 Melhor Atriz Principal Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Frances McDormand Indicado
Screen Actors Guild Awards 29 de janeiro de 2006 Melhor atriz principal em cinema Charlize Theron Indicado
Melhor atriz secundária em cinema Frances McDormand Indicado
Critics' Choice Awards 9 de janeiro de 2006 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Frances McDormand Indicado
Prêmios Satellite 17 de dezembro de 2005 Melhor Atriz - Filme Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante - Filme Frances McDormand Indicado
Festival Internacional de Cinema de Chicago 20 de outubro de 2005 Prêmio Escolha do Público - Melhor Filme Niki Caro Venceu
Dallas-Fort Worth Film Critics Association 19 de dezembro de 2005 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado
Las Vegas Film Critics Society (Sociedade de Críticos de Cinema de Las Vegas) 19 de dezembro de 2005 Melhor Atriz Coadjuvante Frances McDormand Venceu
St. Louis Gateway Film Critics Association 8 de janeiro de 2006 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Frances McDormand Indicado
Vancouver Film Critics Circle 7 de fevereiro de 2006 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado
Washington D.C. Area Film Critics Association 12 de dezembro de 2005 Melhor Atriz Charlize Theron Indicado

Referências

  1. «NORTH COUNTRY (15)». British Board of Film Classification. 18 de outubro de 2005. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  2. a b c «North Country (2005)». Box Office Mojo. Internet Movie Database. 13 de janeiro de 2006. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  3. «Terra Fria». no AdoroCinema 
  4. Terra Fria no CinePlayers (Brasil)
  5. «North Country - Terra Fria». no CineCartaz (Portugal) 
  6. Terra Fria no SapoMag (Portugal)
  7. «North Country (2005)». American Film Institute. Consultado em 4 de agosto de 2020 
  8. "A victim rises up," ''St. Petersburg Times'', 20 de outubro de 2005 Arquivado em 7 de agosto de 2011 no Wayback Machine.. Sptimes.com. Acessado em 8 de julho de 2011.
  9. ''North Country'' at. Boxofficemojo.com (2005-10-21). Acessado em 8 de julho de 2011.
  10. ''North Country at Rotten Tomatoes.com. Rottentomatoes.com. Acessado em 6 de julho de 2020.
  11. ''North Country'' at. Metacritic.com. Acessado em 8 de julho de 2011.