Tetrá de Teffé

escritora brasileira

Tetrazzini de Almeida Nobre de Teffé, mais conhecida como Tetrá de Teffé, foi uma escritora e intelectual brasileira. Nascida no Rio de Janeiro em família aristocrática, era filha de Francisco de Almeida Nobre e Maximina Joaquina de Camargo. Foi a segunda esposa de Álvaro de Teffé. Com grande prestígio durante as primeiras décadas do século XX, seu romance Bati à Porta da Vida venceu o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras em 1941.[1]

Bati à Porta da Vida, publicado pela editora Pongetti, retratava a sociedade carioca através dos perfis de trẽs irmãs: Dorinha, uma jovem moderna, porém fútil e leviana; Heloísa, viúva e austera; e Marta, uma mulher divorciada e desencantada.[2] Os temas do matrimônio, traição, separação, aborto e emancipação das mulheres são trabalhados através das personagens. O romance foi elogiado por Jorge Amado como o único de real interesse entre as novidades literárias do ano de 1940.[3]

Referências

  1. Revista Travessias: Tetrá de Teffe, a primeira romancista premiada pelos imortais
  2. GRECO, Gabriela de Lima. Los Libros de la Nación: premios literarios en Brasil durante la ditacdura de Getúlio Vargas (1937-1945). In: Revista de Estudios Brasilenos. v.5. n.9. Primer semestre 2018.
  3. GRECO, Gabriela de Lima. Levemos à Mulher à Academia Brasileira de Letras. In: Revista Travessias. v. 12. n. 1. jan/abr 2018.
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.