Abrir menu principal

The Adventures of Pluto Nash

filme de 2002 dirigido por Ron Underwood
The Adventures of Pluto Nash
Pluto Nash - O Homem da Lua (PRT)
Pluto Nash (BRA)
Pôster promocional
 Estados Unidos  Austrália
2002 •  cor •  95 min 
Direção Ron Underwood
Produção Martin Bregman
Michael Scott Bregman
Louis A. Stroller
Roteiro Neil Cuthbert
Elenco Eddie Murphy
Randy Quaid
Rosario Dawson
Joe Pantoliano
Jay Mohr
Luis Guzmán
James Rebhorn
Peter Boyle
Pam Grier
Burt Young
John Cleese
Gênero comédia
ação
aventura
ficção científica
fantasia
Música John Powell
Cinematografia Oliver Wood
Edição Alan Heim
Paul Hirsch
Companhia(s) produtora(s) Castle Rock Entertainment
Village Roadshow Pictures
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 16 de agosto de 2002
Austrália 22 de agosto de 2002
Portugal 23 de agosto de 2002
Brasil 30 de agosto de 2002
Idioma inglês
Orçamento US$100 milhões[1]
Receita US$7,103,973
Página no IMDb (em inglês)

The Adventures of Pluto Nash (br: Pluto Nash / pt: Pluto Nash - O Homem da Lua) é um filme estadunidense de 2002, dos gêneros comédia, ação, aventura, fantasia e ficção científica, dirigido por Ron Underwood e estrelado por Eddie Murphy como o protagonista-título. O filme é considerado uma das piores bombas de bilheteria,[2] arrecadando apenas cerca de $7.1 milhões em relação ao seu orçamento de $100 milhões.[3] Em 2009, a revista Hollywood Reporter listou The Adventures of Pluto Nash no topo dos dez maiores fiascos da década.[4] No Brasil, o filme foi lançado diretamente em vídeo.[5]

EnredoEditar

Lua, 2080. Pluto Nash (Eddie Murphy) é um ex-condenado que foi libertado recentemente. Ele vê Gino (Burt Young) e Larry (Lillo Brancato), dois mafiosos locais, se preparando para fazer Tony Francis (Jay Mohr), o dono e cantor de uma decadente boate, beber ácido para bateria. O motivo é que Tony deve uma alta soma em dinheiro, pelo fato de na prisão ter sido amigo do irmão de Gino. Pluto propõe pagar a dívida e se tornar dono da boate. Em 2087 a concentração de pessoas na Lua aumentou muito e isto fez a boate de Nash ser muito freqüentada. Ele conhece uma cantora, Dina Lake (Rosario Dawson), que veio de Salt Lake City para trabalhar lá, mas acontece que o clube noturno em que ela iria cantar foi vendido e, como ela só recebeu passagem de ida, não tem como voltar. Sua última esperança é que Pluto lhe dê um emprego. Ele nega inicialmente mas acaba cedendo, mas a emprega apenas como garçonete, o que após um certo tempo lhe dará dinheiro para voltar para casa. Nash então recebe a visita de Mogan (Joe Pantoliano), que representa Rex Crater, que quer comprar a boate por US$10 milhões. Nash recusa, dizendo que seu clube é muito lucrativo e se dependesse dele ninguém venderia nada a Rex, pois gosta da cidade do jeito como ela é. Mogan se despede dizendo que Crater não gosta de ser desapontado. Mais tarde, quando Dina foi levar uma bebida para Nash e agradecer pelo emprego, Mogan liga duas vezes pedindo que Pluto reconsidere sua posição. Ele simplesmente desliga, pois não pretende mesmo vender a boate. É quando uma grande explosão acontece, que destrói o clube. Se não fosse Dina, certamente Nash receberia um tiro na cabeça. Contando só com Dina e Bruno (Randy Quaid), um robô de tecnologia ultrapassada, Pluto precisa fazer algo para enfrentar os criminosos.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

A idéia do filme teve origem em meados da década de 1980. O roteiro passou por várias revisões e produção finalmente começou em abril de 2000, e foi concluída em setembro de 2000. Após a conclusão das filmagens, ele sentou-se na prateleira por dois anos, sendo finalmente lançado em agosto de 2002.[5]

O ator Eddie Murphy recebeu um salário de US$20 milhões para atuar em Pluto Nash.[5]

Em um ponto, Jennifer Lopez e Halle Berry estiveram cotadas para o papel de Dina neste filme, mas, eventualmente, Rosario Dawson foi escalada.[5]

RecepçãoEditar

The Adventures of Pluto Nash foi um fracasso de bilheteria; seu orçamento foi estimado em $100 milhões, com os custos de marketing de $20 milhões e conseguindo a bilheteria doméstica de apenas $4,420,080 e de $2,683,893 no exterior. Ele tinha um bruto total mundial de $7,103,973, tornando o filme uma bomba enorme de bilheteria.[7] Em 2014, o LA Times listou o filme como um dos maiores fracassos das bilheterias mais caras de todos os tempos.[8] O filme também foi um enorme fracasso em termos de recepção crítica, sendo muito criticado pelos críticos e cinéfilos também. Rotten Tomatoes classificou o filme na posição 79th de 100 da lista dos piores filmes da década de 2000, com uma classificação de 5% sobre o Tomatometer baseado em 87 opiniões.[9] A maioria dos críticos criticaram o filme por sua atuação, o diálogo, a falta de humor e efeitos especiais bruto. Por exemplo, Pedro Butcher da Folha escreveu, "Este filme com Eddie Murphy sequer chegou aos cinemas. Compreensível. Trata-se de uma salada que mistura gangsterismo, ação, musical e romance, mas com a ação situada em 2078, numa colônia na Lua chamada Little America. Na verdade, o futurismo, meio inexplicável para uma trama tão trivial, é o que garante uma ou duas piadas".[10] Quando foi lançado nos Estados Unidos, a Warner Bros. se recusou a realizar sessões fechadas do filme para a imprensa, devido a comentários negativos publicados sobre o filme na internet.[5] "Foi uma decepção. Vamos passar adiante", foi o comentário de Dan Fellman, presidente da Warner Bros., distribuidora responsável.[11]

Eddie Murphy, que não fez publicidade nenhuma do filme,[11] zombou de si mesmo em uma entrevista com Barbara Walters, dizendo: "Eu sei que as duas ou três pessoas que gostaram deste filme".

Prêmios e nomeaçõesEditar

Pluto Nash foi indicado para cinco prêmios do Framboesa de Ouro em 2003, incluindo Pior Filme, Pior Ator (Eddie Murphy), Pior Diretor, Pior Roteiro e Pior Casal na Tela (Murphy e seu clone), mas não conseguiu vencer nenhum, e mais tarde foi nomeado para Pior Comédia dos Nossos Primeiros 25 Anos na 25 edição dos prêmios Framboesa de Ouro em 2005, que perdeu para Gigli.

Home mediaEditar

O filme teve melhor desempenho em DVD, com o aluguel de DVD de $24,983,000.[12]

Referências

  1. Pluto Nash at Box Office Mojo
  2. The 15 Biggest Box Office Bombs at CNBC
  3. «"The adventures of Pluto Nash" já consta na coleção de fracassos de Eddie Murphy». Quem. Globo.com. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  4. «Eddie Murphy estrelou o maior fracasso da década, segundo revista». Rolling Stone Brasil. UOL. 30 de novembro de 2009. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  5. a b c d e «Pluto Nash». AdoroCinema. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  6. Jones, Beth (17 de agosto de 2002). «'Pluto Nash': The future isn't funny». The Roanoke Times. Roanoke, Virginia. Consultado em 9 de abril de 2012. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2003  |deadurl= e |urlmorta= redundantes (ajuda)
  7. «The Adventures Of Pluto Nash». Box Office Mojo. Consultado em 22 de novembro de 2007 
  8. Eller, Claudia,"The costliest box office flops of all time", Los Angeles Times (January 15, 2014)
  9. Worst of the Worst
  10. Pedro Butcher (7 de março de 2003). «Pluto Nash». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  11. a b «Vin Diesel lidera bilheterias fracas nos EUA no fim de semana». Reuters para a Folha de S.Paulo. UOL. 19 de agosto de 2002. Consultado em 23 de outubro de 2014 
  12. «Top United States DVD Rentals for the week ending 2 March 2003». Internet Movie Database. Consultado em 22 de novembro de 2007 

Ligações externasEditar