The Girlie Show World Tour

Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo programa ficcional da série de televisão 30 Rock, veja The Girlie Show with Tracy Jordan.

The Girlie Show World Tour (também referido como simplesmente The Girlie Show) foi a quarta turnê da artista musical estadunidense Madonna, para a promoção do álbum Erotica. Composto por 39 datas, a turnê começou em Londres em 25 de setembro de 1993 e terminou em Tóquio em 12 de dezembro do mesmo ano. Estima-se que a digressão tenha arrecadado mais de US $ 70 milhões.[1][2] Além disso, tornou-se a primeira turnê de Madonna a passar pela América Latina em países como Argentina, Brasil, Porto Rico e México além da Ocenia mais especificamente na Austrália.

The Girlie Show
Pôster promocional da turnê.
Turnê mundial de Madonna
Locais
  • América do Norte
  • América Latina
  • Ásia
  • Europa
  • Oceania
Álbum associado Erotica
Data de início 25 de setembro de 1993 (1993-09-25)
Data de fim 19 de dezembro de 1993 (1993-12-19)
N.º de apresentações 7 na Europa
8 no Ásia
8 no América do Norte
8 na América Latina
8 na Oceania
39 no total
Receita US$ 70 milhões
Cronologia de turnês de Madonna
Blond Ambition World Tour
(1990)
Drowned World Tour
(2001)

A inspiração de Madonna para o nome da turnê foi uma pintura chamada "Girlie Show", de Edward Hopper.[3] O show consistiu em quatro seções: Dominatrix, Studio 54, Weimar Cabaret e um bis.[4]

Dois especiais de televisão separados foram transmitidos durante a turnê, um feito durante a etapa japonesa da turnê e exibido apenas na televisão japonesa; Madonna Live in Japan 1993 – The Girlie Show, e um especial Madonna Live Down Under – The Girlie Show da HBO, que mais tarde foi lançado em 1994 pela Warner Bros. Records em fita cassete.[5]

Antecedentes e desenvolvimentoEditar

 
Para a performance de "Vogue", Madonna usou uma roupa incrustada de miçangas, criada pela grife italiana Dolce & Gabbana.

Depois de sua turnê mundial de 1990, Blond Ambition World Tour, proclamando que ela "nunca mais sairia em turnê", levou apenas três anos para Madonn cair na estrada novamente. Depois disso, ela disse que se "você me ouvir dizer novamente 'nunca mais vou sair em turnê', não acredite mais em mim".[6]

The Girlie Show foi lançado em apoio ao álbum de 1992 de Madonna, Erotica. O show teve o tema visual central de um "circo sexual". Descrito como "uma mistura de um show de rock, um desfile de moda, uma apresentação de carnaval, um show de cabaré e um show burlesco", o show tinha um palco mais complexo do que os das turnês anteriores da cantora: tinha uma pista que levava do centro do palco principal para um palco menor, uma plataforma giratória elevada no meio do palco principal, varandas na parte traseira do palco e um letreiro gigante iluminado "Girlie Show" acima do palco, entre outros recursos. A turnê foi dirigida pelo irmão de Madonna, Christopher Ciccone; os trajes para o digressão foram desenhados pela casa de moda italiana Dolce & Gabbana.

Madonna tocou cinco vezes invulgarmente nos Estados Unidos. Especulou-se que isso estivesse relacionado às vendas particularmente baixas do álbum Erotica naquele país e à reação negativa extrema em torno do livro de Madonna, Sex e do filme Body of Evidence. A turnê foi narrada pelo livro fotográfico The Girlie Show , que incluía um CD com três faixas ao vivo: "Like a Virgin", "In This Life" e "Why's It So Hard".

A fotografia do material promocional, pôsteres e publicidade do show foi de Herb Ritts. A mesma imagem foi usada na capa do single "Bye Bye Baby", lançada durante a parte australiana da turnê e também em um EP promocional brasileiro, The Girlie Show, que incluiu as faixas "Erotica", "Deeper and Deeper", "Bad Girl", "Fever", "Rain" e "Bye Bye Baby".[7] Outras imagens da mesma sessão também foram incluídas no livro The Girlie Show, lançado em 1994 e também no single de 1993, "Rain".

Alguns locais proibiam a nudez, então a dançarina Carrie Ann Inaba usava um topzinho nesses shows. O alvoroço se desenvolveu em Porto Rico depois que Madonna esfregou a bandeira porto-riquenha entre as pernas no palco.[8] Ocorreram problemas em Israel quando judeus ortodoxos fizeram protestos para forçar o cancelamento do primeiro show da cantora naquele país. Os comícios não tiveram sucesso, pois o show esgotou e continuou como programado.[8]

Sinopse do concertoEditar

 
Madonna vestida como uma Dominatrix durante a apresentação de "Erotica".

The Girlie Show tem como base o álbum Erotica e alguns antigos sucessos da cantora. E os elementos principais para a turnê ser criada foram o circo, cabaré, androgenia e sexo.[9] A turnê foi dirigida pelo irmão de Madonna, Christopher Ciccone e tem o design da marca Dolce & Gabbana.

O show se inicia com a dançarina Carrie Ann Inaba de topless fazendo um tipo de pole dance, após isso Madonna aparece vestida de dominatrix e começa a performar "Erotica", depois ela começa a cantar "Fever" dançando apenas com dois bailarinos uma coreografia extremamente provocante, já "Vogue", sofreu grandes modificações e é a última música do bloco Dominatrix/Dança Árabe. A seguir, vem "Rain", que agora traz elementos de "Just My Imagination" e de "Singin' in the Rain".

No próximo bloco, Discoteca dos anos 70, que é praticamente o mais dançante, Madonna desce de um globo e começa a cantar "Express Yourself" com suas inseparáveis backing vocals Donna DeLory e Niki Haris. Logo após começa a cantar "Deeper and Deeper" que fez bastante polêmica pela parte onde os dançarinos e Madonna encenavam relação sexual,que tratou de introduzir Why's It So Hard, que também introduz In This Life e assim se encerra esse bloco.[10]

Logo após, vem a música The Beast Within, e é bem mais ousado, ao passo que Madonna não aparece nele. Já no bloco Noite de Gala/Circo/Cabaré de Berlim no início do século XX, Madonna vem vestida de smoking e traz diversos sucessos, começando com "Like a Virgin" que contém elementos de Falling in Love Again. Após essa canção, Madonna se faz de homem e se deixa seduzir pelas bailarinas, com a canção "Bye Bye Baby", a performance virou até videoclipe em alguns países e também foi executada no VMA de 1993. I'm Going Bananas, do álbum I'm Breathless vem depois acompanhada de "La Isla Bonita". "Holiday" tem agora elementos de Holiday for Calliope. Em "Justify My Love", Madonna apresenta uma coreografia diferente, como se fizesse parte de um tipo de realeza.

Já no bloco Final/Festa/Começo de Carreira, Madonna canta o primeiro single de sua carreira, "Everybody" com elementos de Everybody Is a Star, Dance to the Music e After the Dance.[11]

Todo o material promocional desta turnê foi feito por Herb Ritts. A imagem usada no single de "Bye Bye Baby" é a mesma que foi usada em cartazes na Austrália, bem como nos ingressos do Brasil, e outras imagens da turnê foram lançadas no single de "Rain" e também no tour-book da turnê que vinha com um CD contendo três músicas ao vivo: "Why's It So Hard", "In This Life" e "Like a Virgin".[12]

Recepção comercialEditar

 
Madonna e suas cantoras de apoio, Niki Haris (à direita) e Donna De Lory (à esquerda), durante a performance de "Rain".

O concerto único no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, atraiu 120,000 pessoas.[13][14] Continua sendo a terceira maior audiência de todos os tempos para uma artista feminina, depois da Break Every Rule World Tour de Tina Turner, de 1988, no mesmo local (180,000 pessoas) e da Who's That Girl World Tour de 1987 de Madonna, em Paris (130.000 pessoas).[15][16] Madonna estabeleceu o recorde de maior venda de ingressos na Austrália, com 360,000 ingressos vendidos, no valor de US$ 21,9 milhões. Essa façanha foi quebrada mais tarde pela Voodoo Lounge Tour dos Rolling Stone em 1995.[1] O show de Madonna no Adelaide Oval atraiu 40,000 pessoas, que permaneceram como a maior audiência do local por 17 anos até o show do AC/DC em 2010.[17]

Transmissões e gravaçõesEditar

A transmissão foi produzida em associação com a HBO e foi intitulada Madonna – Live Down Under: The Girlie Show. Inicialmente, o show de 20 de novembro, o segundo de dois encontros no Sydney Cricket Ground, deveria ser filmado e transmitido. No entanto, uma enorme tempestade forçou o cancelamento do programa, de modo que o programa de 19 de novembro, que havia sido filmado como "programa de segurança", foi transmitido nos EUA (HBO) e na Alemanha (Premiere). Um mês depois, uma versão editada desta transmissão original foi exibida na Sky, no Reino Unido. Uma versão reeditada deste concerto foi lançada mundialmente no VHS e LaserDisc em 26 de abril de 1994 como The Girlie Show: Live Down Under. Foi nomeado para o Grammy de Melhor Filme Musical em 1995.

Em 9 de dezembro, gravações em vídeo adicionais foram feitas durante a parte japonesa da turnê e exibidas apenas na televisão japonesa, Madonna Live in Japan 1993 – The Girlie Show e o show de 7 de outubro no Estádio Inonu em Istambul foram ao ar na ATV da Turquia. A estação de rádio do Reino Unido, a BBC Radio 1, transmitiu o segundo show inteiro no Estádio de Wembley em 26 de setembro e a rádio brasileira transmitiu o show no estádio do Maracanã , no Rio de Janeiro, Brasil com comentários ao vivo.

CançõesEditar

  1. Introdução/The Girlie Show Theme
  2. Erotica
  3. Fever
  4. Vogue
  5. Rain (contém elementos de "Just My Imagination" e "Singin' in the Rain")
  6. Express Yourself
  7. Deeper and Deeper (contém excertos de "It Takes Two" e "Love to Love You Baby")
  8. Why's It So Hard
  9. In This Life
  10. The Beast Within: Dancers Interlude
  11. Like a Virgin (contém elementos de "Falling In Love Again")
  12. Bye Bye Baby
  13. I'm Going Bananas
  14. La Isla Bonita
  15. Holiday (contém elementos de "Holiday for Calliope")
  16. Justify My Love
  17. Everybody (contém elementos de "Everybody Is a Star", "Dance to the Music" e "After the Dance")

Definir lista por lista oficial de faixas de DVD[18][19][20]

DataEditar

Europa[20]
Data Cidade País Local
25 de Setembro de 1993 Londres Reino Unido Wembley Stadium
26 de Setembro de 1993
28 de Setembro de 1993 Paris França Palais Omnisports de Paris-Bercy
29 de Setembro de 1993
1 de Outubro de 1993
Ásia[20]
4 de Outubro de 1993 Tel Aviv Israel Yarkon Park
Europa[20]
7 de Outubro de 1993 Istambul Turquia Inonu Stadium
América do Norte[20]
11 de Outubro de 1993 Toronto Canadá SkyDome
12 de Outubro de 1993
14 de Outubro de 1993 Nova Iorque Estados Unidos Madison Square Garden
15 de Outubro de 1993
17 de Outubro de 1993
19 de Outubro de 1993 Filadélfia The Spectrum City Hall
21 de Outubro de 1993 Auburn Hills The Palace of Auburn Hills
23 de Outubro de 1993 Montreal Canadá Le Stade Olympique
América Latina[20][21][22][23]
26 de Outubro de 1993 Bayamón Porto Rico Estádio Juan Ramón Lubriel
30 de Outubro de 1993 Buenos Aires Argentina Estádio Monumental de Núñez
31 de Outubro de 1993
3 de Novembro de 1993 São Paulo Brasil Estádio do Morumbi
6 de Novembro de 1993 Rio de Janeiro Estádio do Maracanã
10 de Novembro de 1993 Cidade do México México Autódromo Hermanos Rodríguez
12 de Novembro de 1993
13 de Novembro de 1993
Oceania[20][24]
19 de Novembro de 1993 Sydney Austrália Sydney Cricket Ground
24 de Novembro de 1993 Brisbane Queensland Sport Centre
26 de Novembro de 1993 Melbourne Melbourne Cricket Ground
27 de Novembro de 1993
29 de Novembro de 1993
1 de Novembro de 1993 Adelaide Adelaide Oval
3 de Dezembro de 1993 Sydney Sydney Cricket Ground
4 de Dezembro de 1993
Ásia[20]
7 de Dezembro de 1993 Fukuoka Japão Fukuoka Dome
8 de Dezembro de 1993
9 de Dezembro de 1993
13 de Dezembro de 1993 Tóquio Tokyo Dome
14 de Dezembro de 1993
16 de Dezembro de 1993
17 de Dezembro de 1993
19 de Dezembro de 1993

Shows canceladosEditar

Data Cidade País Local Motivo
2 de Outubro de 1993 Frankfurt Alemanha Festhalle Frankfurt Dificulades técnicas[25]

EquipeEditar

PrincipalEditar

  • Christopher Ciccone – designer de produção
  • Jai Winding – diretor musical
  • Jeffrey Hornaday – direção de palco
  • Peter Morse – designer de iluminação
  • Dolce & Gabbana – costume designer
  • Rob Saduski – figurinista
  • Alex Magno – coreógrafo
  • Keith Young – coreógrafo
  • Michelle Johnston – coreógrafo
  • Niki Haris – coreógrafo
  • Ungela Brockman – dançarino
  • Christopher Childers – dançarino
  • Michael Gregory – dançarino
  • Carrie Ann Inaba – dançarino
  • Jill Nicklaus – dançarino
  • Ruth Inchaustegui – dançarino
  • Luca Tommassini – dançarino
  • Carlton Wilborn – dançarino

BandaEditar

  • Madonna – vocal principal
  • Victor Bailey – baixo
  • Michael Bearden – teclados
  • Luis Conte – percussão
  • Donna DeLory – vocal de apoio
  • Niki Haris – vocal de apoio
  • Omar Hakim – bateria
  • Mike McKnight – teclados
  • Paul Pesco – guitarra
  • Jai Winding – teclados

Referências

  1. a b «Stones set to play Australia since '73» (em inglês). 107 (0006-2510). Billboard. p. 37. Consultado em 26 de março de 2020 
  2. Lenig 2010, p. 145
  3. «Two decades on the road with Madonna - The National» (em inglês). Consultado em 26 de março de 2020 
  4. https://www.amazon.com/Madonna-Girlie-Show-Book-Cd/dp/0935112227
  5. Pavlides, Dan (23 de março de 2006). «Madonna: The Girlie Show – Live Down Under > Overview». Allmovie. Rovi Corporation. Consultado em 26 de março de 2020 
  6. «The Girlie Show». Yahoo! (em inglês). Reocities. Consultado em 26 de março de 2020 
  7. Créditos do álbum {{{título}}} por Madonna. Warner Music Brazil.
  8. a b Smith, Neil (24 de maio de 2004). «Show-stealer Madonna on tour» (em inglês). BBC Music. British Broadcasting Corporation. Consultado em 26 de março de 2020 
  9. «The Girlie Show». Consultado em 26 de março de 2020 
  10. «Turnê "The Girlie Show" trouxe Madonna para o Brasil» (em inglês). Revista Veja. Consultado em 26 de março de 2020 
  11. «Fotos exclusivas» (em Português) 
  12. «MADONNA THE GIRLIE SHOW BOOK +CD UNRELEASED TRACKS» (em inglês). Consultado em 26 de março de 2020 
  13. Hatza Jr., George L. «Madonna packs in 120,000 in Rio» (em inglês). Reading Eagle. Consultado em 26 de março de 2020 
  14. «Madonna Concert Draws 120,000» (em inglês). The Buffalo News. Consultado em 26 de março de 2020 
  15. Bassets, Luis. «Madonna convocó en París a 130.000 personas» (em espanhol). Madrid: El País. Consultado em 26 de março de 2020 
  16. «A record 180,000 turn out for Tina» (em inglês). Chicago Sun-Times. Consultado em 26 de março de 2020 
  17. «UK singer Adele set to break the record for the largest Adelaide concert, with the crowd tipped to surpass 60,000» (em inglês). The Advertiser. Consultado em 26 de março de 2020 
  18. «The Girlie Show» (em inglês). Mad-Eyes (fansite). Consultado em 26 de março de 2020 
  19. «Madonna: The Girlie Show – Live Down Under» (em inglês). Play.com (UK). Consultado em 26 de março de 2020 
  20. a b c d e f g h «> Tours > The Girlie Show» (em inglês). Madonna.com. Consultado em 26 de março de 2020 
  21. «Assistir show da Madonna em São Paulo Morumbi AO VIVO Online Grátis – 05/12/2012língua=en». Consultado em 26 de março de 2020 
  22. «Reading Eagle – Nov 7, 1993língua=en». Consultado em 26 de março de 2020 
  23. Vandezande, Koenraad. «Maracanã Stadium» (em inglês). Consultado em 26 de março de 2020 
  24. McDonald, Patrick. «U2 to lead the charge» (em inglês). AdelaideNow... Consultado em 25 de março de 2020 
  25. «Madonna Cancels German Stop For Girlie Show» (em inglês). Philly.com. Consultado em 25 de março de 2020