The Moscow Times

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com The Moscow News.

The Moscow Times (TMT) é um jornal on-line[10] independente em inglês e em russo. Foi impresso de 1992 até 2017 e foi distribuído gratuitamente em locais frequentados por turistas e expatriados, como hotéis, cafés, embaixadas e companhias aéreas. O jornal também estava disponível por assinatura e era popular entre cidadãos estrangeiros residentes em Moscovo e russos que falam inglês.[11] Em novembro de 2015, o jornal mudou o seu design e tipo de diário para semanal (lançado todas as quintas-feiras) e aumentou o número de páginas para 24. Tornou-se apenas on-line em julho de 2017.

The Moscow Times
Periodicidade Diário
Sede Amesterdão, Países Baixos
Moscovo, Rússia (até 2022)[a]
Fundação 1992 (30 anos)
Fundador(es) Derk Sauer[5]
Proprietário Tiemti LTDA. (ООО Тиэмти),[6][7] apoiado pela fundação holandesa "Stichting 2 Oktober"
Editor Michele A. Berdy
Editor-chefe Svetlana Korshunova[8]
Editor de notícias Samantha Berkhead
Editor de fotografia Anna Savchenko
Orientação política Apartidário
Idioma Inglês
Russo (desde 2020)[a]
Término de publicação 2017 (edição impressa)
Circulação 35 000 (2015)[9]
Publicações irmãs The St. Petersburg Times (1993-2014)
ISSN 1563-6275
Sítio oficial The Moscow Times

O jornal publica regularmente artigos de proeminentes jornalistas russos como Yulia Latynina e Ivan Nechepurenko. Alguns correspondentes estrangeiros começaram as suas carreiras neste jornal, incluindo Ellen Barry, que mais tarde se tornou chefe do escritório do The New York Times em Moscovo.[12] O jornal lançou um serviço em língua russa em 2020, no entanto, foi bloqueado na Rússia em 2022 após a invasão da Ucrânia.

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

Derk Sauer, um editor holandês que viajou para Moscovo em 1989, fez planos para transformar o seu pequeno jornal publicado duas vezes por semana chamado Moscow Guardian em um jornal diário de classe internacional. Ele contratou Meg Bortin para ser a sua primeira editora em maio de 1992, e a equipa editorial usou um quarto no Radisson Slavyanskaya Hotel como sede.[13][14]

The Moscow Times foi fundado em 1992 por Derk Sauer para chegar a expatriados americanos e europeus que se mudaram para Moscovo após a queda do comunismo.[15] A primeira edição do The Moscow Times foi publicada em março de 1992.[16] Foi o primeiro jornal diário ocidental a ser publicado na Rússia,[17] e rapidamente tornou-se uma "fonte primária de notícias e opinião" citado na Rússia e no Ocidente.[14]

O jornal esteve sediado na antiga sede da Pravda de meados da década de 1990 até 2000.[18] Em 1997, o site moscowtimes.ru foi registado.[19]

ExpansãoEditar

Em 2003–2004, o jornal adicionou os apêndices Jobs & Careers e Real Estate e em 2005 os apêndice Moscow Guide (Guia de Moscovo) e Moscow Dining Guide (Guia Gastronómico de Moscovo).[19]

Até 2005, o jornal era propriedade da Independent Media, uma editora registada em Moscovo que também imprime os jornais diários Vedomosti, The St. Petersburg Times (o homólogo do The Moscow Times em São Petersburgo) e versões em língua russa de revistas populares de moda como FHM, Men's Health e Cosmopolitan Russia.[17] Naquele ano, a Independent Media foi adquirida pelo grupo editorial finlandês Sanoma por um valor empresarial de 142 milhões €.[20][21]

Em 2006, o jornal iniciou uma aliança com o International Herald Tribune, enquanto em 2009 viu o lançamento do site themoscowtimes.com. A primeira edição a cores foi publicada em 2010.[19]

Em 2009, publicou Russia for Beginners: A Foreigner's Guide to Russia (Rússia para Iniciantes: Um Guia de Estrangeiros para a Rússia), escrito por autores estrangeiros que oferecem conselhos baseados nas suas próprias experiências de vida na Rússia.[22] O jornal celebrou o seu 20º aniversário em 2012 com um jantar de gala no hotel Baltschug Kempinski, em Moscovo.[23]

Desenvolvimentos após 2014Editar

Em janeiro de 2014, anúncios maliciosos no site do jornal redirecionaram os visitantes para uma página de destino do kit de exploit.[24] Em dezembro de 2014, o The Moscow Times foi forçado a ficar offline por dois dias devido a um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS). Foi forçado a ficar offline pela segunda vez em fevereiro de 2015 por razões desconhecidas.[12]

Em abril de 2014, o editor-chefe de longa data Andrew McChesney renunciou e foi substituído por Nabi Abdullaev, um ex-repórter, editor de notícias e editor-chefe do The Moscow Times que tinha deixado em 2011 para chefiar o serviço de notícias em língua estrangeira da RIA Novosti.[25] Pouco depois da sua nomeação, Abdullaev argumentou no The Guardian que "o jornalismo tendencioso… rouba ao Ocidente a sua autoridade moral".[26] No outono de 2015, Abdullaev foi removido do seu posto e substituído por Mikhail Fishman, ex-chefe da edição russa da Newsweek.[27]

Em outubro de 2014, o The Moscow Times tomou a decisão de suspender temporariamente os comentários on-line após um aumento no excesso de trolling pró-russo.[28] O jornal disse que desativou os comentários por duas razões — era um inconveniente para os seus leitores, além de ser uma responsabilidade legal, porque sob a lei russa sites são responsáveis por todo o conteúdo, incluindo conteúdo gerado pelo usuário, como comentários.[29]

Em 2014, a publicação irmã The St. Petersburg Times deixou de publicar.[30] Em 2015, Sanoma vendeu a MoscowTimes LLC para Demyan Kudryavtsev, ex-diretor da Kommersant.[31][32][33] Em 6 de julho de 2017, foi publicada a última edição impressa do jornal.[34] Em julho de 2017, a edição impressa mudou para a empresa Stichting 2 Oktober, uma fundação sediada nos Países Baixos.[35][15]

The Moscow Times atualmente pertence a uma empresa de responsabilidade limitada que é 51 % de propriedade de Vladimir Djao, o diretor executivo de uma empresa de catering de companhias aéreas, 30 % de Svetlana Korshunova, diretora geral do jornal, e 19 % de Derk Sauer, o fundador original do jornal. Derk Sauer explicou à Kommersant que isso era apenas para cumprir uma lei russa que proíbe estrangeiros de controlar mais de 20 % de qualquer empresa de mídia com sede na Rússia, uma vez que Sauer é um cidadão holandês. Ele disse ainda que Vladimir Djao é um velho amigo dele, e que "ele não controla a edição, ele é um parceiro".[7][6][36]

Após a aprovação de uma lei que restringe a cobertura da invasão da Ucrânia em março de 2022, o The Moscow Times transferiu os seus funcionários para Amesterdão.[1][2] Em 15 de abril, o Roskomnadzor bloqueou o acesso ao website em russo do The Moscow Times na Rússia depois do jornal ter publicado o que as autoridades chamaram de um relatório falso sobre policiais russos que se recusaram a participar na invasão.[37][4]

Publicações separadas e projetos especiaisEditar

  • Anexos internacionais do The Moscow Times - Rússia-França, Rússia-Finlândia, Rússia-Reino Unido, etc. Essas edições são dedicadas a questões bilaterais de cooperação e promovem o estabelecimento de programas de interação entre os dois países. Eles concentram-se em questões económicas, comerciais e de investimento, bem como em questões interculturais e turísticas.
  • Catálogo Imobiliário e Imobiliário Trimestral – edições regulares de negócios especializados sobre o mercado imobiliário[19]
  • The Moscow Times GuideRussia for Beginners, Russia for the Advanced, Dining Guide, Travel Guide, Bar Guide, guias de estilo sazonal, tendências da moda e eventos culturais em Moscovo.[19]
  • Conferences: The Moscow Times – local de encontro de investidores, empresários e especialistas russos e estrangeiros na Rússia e no exterior também.[38]
  • Em março de 2020, o jornal on-line lançou uma edição em russo.[5]

Editores-chefesEditar

  • Matt Bivens, 1998 até 2001
  • Lynn Berry, janeiro de 2001 até junho de 2006[39]
  • Andrew McChesney, junho de 2006 até abril de 2014
  • Nabi Abdullaev, abril de 2014 até outubro de 2015[40]
  • Mikhail Vladimirovich Fishman, novembro de 2015 até julho de 2017[41]
  • Eva Hartog, 2017 até 2019[42]

Ver tambémEditar

Notas e referênciasEditar

Notas

  1. a b Em 2022, o The Moscow Times mudou de sede de Moscovo para Amesterdão[1][2] e suspendeu os serviços na Rússia durante uma semana devido às leis impostas na sequência da invasão da Ucrânia.[3] O site foi bloqueado na Rússia em 15 de abril.[4]

Referências

  1. a b «Moscow Times moves to Amsterdam in response to Russian media law». DutchNews (em inglês). 9 de março de 2022. Consultado em 14 de março de 2022 
  2. a b «Moscow Times relocating to Netherlands as Russia tightens media restrictions». NL Times (em inglês). 7 de março de 2022. Consultado em 14 de março de 2022 
  3. «Русская служба The Moscow Times приостанавливает работу в России» [Serviço russo do The Moscow Times suspende trabalho na Rússia]. The Moscow Times (em russo). 4 de março de 2022. Consultado em 8 de março de 2022. Arquivado do original em 8 de março de 2022 
  4. a b «Russia Blocks Websites Of The Moscow Times, Radio France International Over Ukraine War Coverage». RFE/RL (em inglês). 15 de abril de 2022. Consultado em 15 de abril de 2022 
  5. a b «A Letter to Our Readers». The Moscow Times (em inglês). Consultado em 24 de março de 2020 
  6. a b «The Moscow Times' new majority owner is a Russian catering company executive». Meduza (em inglês). 11 de outubro de 2017. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  7. a b Afanasyeva, Anna (11 de outubro de 2017). «The Moscow Times подпитали акционером» [The Moscow Times foi abastecido por um acionista]. Kommersant (em russo). Consultado em 6 de dezembro de 2018 
  8. «Роскомнадзор заблокировал сайт The Moscow Times» [Roskomnadzor bloqueou o website do The Moscow Times]. RTVI (em russo). 15 de abril de 2022. Consultado em 16 de abril de 2022 
  9. Hobson, Peter (30 de abril de 2015). «Russian Businessman Buys The Moscow Times». The Moscow Times (em inglês). Consultado em 29 de novembro de 2021 
  10. Luhn, Alec (6 de novembro de 2015). «Russia's last independent English newspaper ends daily edition». The Guardian (em inglês). Moscovo. Consultado em 7 de novembro de 2015 
  11. Richardson, Dan (2001). «Part One: Basics». The Rough Guide to Moscow (em inglês). Londres: Rough Guides. p. 56. ISBN 978-1-85828-700-3. OCLC 456413394 
  12. a b Luhn, Alec (5 de fevereiro de 2015). «Hackers target Russian newspaper site accused of being anti-Putin». The Guardian (em inglês). Moscovo. Consultado em 22 de abril de 2015 
  13. Kuper, Simon (10 de outubro de 2005). «Russian remodelling of a cosmopolitan theme» . Financial Times (em inglês). Consultado em 4 de junho de 2016 
  14. a b Bortin, Meg (5 de outubro de 2012). «To Moscow With News». The New York Times (em inglês). Paris. Consultado em 22 de abril de 2015 
  15. a b Cohen, Mischa (7 de junho de 2017). «De terugkeer van Derk Sauer in de Russische media». Vrij Nederland (em neerlandês). Consultado em 29 de agosto de 2017 
  16. Sauer, Derk (2012). «Derk Sauer: "20 Years Later"». The Moscow Times (em inglês). Consultado em 29 de novembro de 2012. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2013 
  17. a b Lawton, Anna M. (2004). «3: New Babylon». Imaging Russia 2000: Film and Facts (em inglês). Washington, D.C.: New Academia Publishing, LLC. p. 107. ISBN 978-0-9744934-3-5. OCLC 1265461198 
  18. Schreck, Carl (14 de fevereiro de 2006). «Fire Tears Through the Pravda Complex». The Moscow Times (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2015 
  19. a b c d e «The Moscow Times: 18 Years». imedia.ru (em inglês). 11 de outubro de 2017. Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  20. «SanomaWSOY acquires the leading Russian magazine publisher Independent Media». Sanoma Group (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  21. Henry, Mance (30 de abril de 2015). «Finland's Sanoma sells stake in Russian financial paper Vedomosti» . Financial Times (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  22. Russia for Beginners: A Foreigner's Guide to Russia (em inglês). Moscovo: The Moscow Times. 2009. 233 páginas. Consultado em 7 de março de 2009. Arquivado do original em 9 de março de 2009 
  23. «20 years with The Moscow Times». The Moscow Times (em inglês). Outubro de 2012. Consultado em 1 de junho de 2013. Arquivado do original em 2 de agosto de 2013 
  24. Segura, Jérôme (7 de janeiro de 2014). «Hard times on The Moscow Times». Malwarebytes (em inglês). Consultado em 22 de abril de 2015 
  25. «Nabi Abdullaev to Replace Andrew McChesney as MT Editor». The Moscow Times (em inglês). 14 de abril de 2014. Consultado em 22 de abril de 2015. Cópia arquivada em 17 de abril de 2014 
  26. Abdullaev, Nabi (4 de agosto de 2014). «Is western media coverage of the Ukraine crisis anti-Russian?». The Guardian (em inglês). Consultado em 22 de abril de 2015 
  27. «'The Moscow Times' hires a new chief editor». Meduza (em inglês). 5 de novembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  28. Collison, Chris. «Russia's Information War: Old Strategies, New Tools» (PDF). Escola de Estudos Internacionais Henry M. Jackson (em inglês). p. 41. Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  29. «Russian English-language newspaper The Moscow Times becomes latest victim in Kremlin info war». Ukraine Today (em inglês). 31 de outubro de 2014. Consultado em 22 de abril de 2015. Arquivado do original em 5 de março de 2016 
  30. «St. Pete's main English-language newspaper suspends operation». Russia Beyond the Headlines (em inglês). Interfax. 22 de dezembro de 2014. Consultado em 17 de maio de 2015 
  31. Roth, Andrew (30 de abril de 2015). «New Owner for The Moscow Times and Vedomosti». The New York Times (em inglês). Moscovo. ISSN 0362-4331. Consultado em 17 de maio de 2015 
  32. Hobson, Peter (4 de maio de 2015). «Russian Owner Wants Modernized Moscow Times, Not Kremlin Stooge». The Moscow Times (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2015 
  33. «Russia blocks sale of Russian Cosmopolitan, Esquire». The Moscow Times (em inglês). 16 de junho de 2015. Consultado em 4 de junho de 2016 
  34. «The Moscow Times Closes Print Edition». The Moscow Times (em inglês). 5 de julho de 2017. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  35. Bryzgalova, Ekaterina (7 de junho de 2017). «Дерк Сауэр вернется в The Moscow Times» [Derk Sauer voltará ao The Moscow Times]. Vedomosti (em inglês). Consultado em 29 de agosto de 2017 
  36. Filimonova, Olga (13 de outubro de 2017). «The Moscow Times подпитали акционером» [The Moscow Times foi abastecido por um acionista]. Kompromat1 (em russo). Consultado em 6 de agosto de 2020 
  37. «Moscow Times' Russian Service Blocked Over War Coverage». The Moscow Times (em inglês). 15 de abril de 2022. Consultado em 15 de abril de 2022 
  38. Korjova, Darya (14 de maio de 2020). «Кудрявцев прокомментировал расследование о связях владельцев «Ведомостей» с «Роснефтью»» [Kudryavtsev comentou sobre a investigação das ligações entre os proprietários da Vedomosti e da Rosneftyu]. Vedomosti (em russo). Consultado em 16 de abril de 2022 
  39. Greenslade, Roy (16 de junho de 2006). «New Editor for the Moscow Times». The Guardian (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  40. «Moscow Times chief editor says he's resigning because new Russian owner wants too much control». Meduza (em inglês). 28 de outubro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  41. «Meet the Media with Mikhail Fishman, Editor in Chief, The Moscow Times». Association of European Businesses (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2020 
  42. van Wijk, Kaira (5 de agosto de 2017). «Rusland door de ogen van de nieuwe 29-jarige hoofdredacteur Eva Hartog Skorobogatova van The Moscow Times». Vogue Nederland (em neerlandês). Amesterdão: Hearst Netherlands. Consultado em 3 de abril de 2018. Arquivado do original em 18 de setembro de 2020 

BibliografiaEditar

  • Michielsen, Dido (2013). Moscow Times: Het Russische avontuur van Derk Sauer en Ellen Verbeek (em neerlandês) 1ª ed. Amesterdão: Uitgeverij Nieuw Amsterdam. ISBN 9789046814727. OCLC 843321471 

Ligações externasEditar