Abrir menu principal
Thomas Skidmore
Nascimento 22 de julho de 1932
Troy, Ohio
Morte 11 de junho de 2016 (83 anos)
Westerley
Nacionalidade Estados Unidos Estadunidense
Ocupação historiador
Magnum opus Brasil: de Getulio a Castelo

Thomas Elliot Skidmore (Troy, Ohio, 22 de julho de 1932 — Westerley, Rhode Island, 11 de junho de 2016)[1] foi um historiador norte-americano especializado em História do Brasil (brasilianista).

Além de escrever sobre a América Latina, Skidmore especializou-se em temas brasileiros. Negou ter atuado como agente da CIA, suspeita de parte da intelectualidade brasileira.[2][3][4]

Dois momentos em sua carreira evidenciam sua relação próxima com o Brasil: um, em 1970, quando redigiu uma carta, com outros intelectuais norte-americanos, contra a prisão do historiador marxista brasileiro Caio Prado Júnior, por autoridades do governo militar;[1] o outro, em 1984, quando, após um seminário, foi intimado a depor no Departamento de Polícia Federal; ameaçado de deportação, foi defendido por diversos intelectuais brasileiros.[1]

Numa entrevista realizada em 2012, revelou que soube do golpe de 1964 com um dia de antecedência, informação que ocultou nos livros e também nos diários que escreveu sobre o Brasil - consultados pelo jornal Folha de S.Paulo dias antes da visita, na Universidade Brown.[3][4]

O historiador se retirou da vida pública em novembro de 2009, quando passou a viver em um asilo em Westerley, onde enfrentou o Alzheimer e a síndrome do pânico.[3]

Morreu aos 83 anos, em 11 de junho de 2016, dois dias depois de sofrer um ataque cardíaco.[5]

Principais obras publicadasEditar

  • Brasil: de Castelo a Tancredo (2ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. 608p.
  • O Brasil Visto de Fora (2ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001. 292p.
  • Brasil: de Getulio a Castelo (14ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007. 512p.
  • Preto no Branco: Raça e Nacionalidade no Pensamento Brasileiro (1870-1930). São Paulo: Companhia das Letras, 2012. 400p.
  • Uma História do Brasil (3ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000. 360p.

Referências

  1. a b c «Morre nos EUA aos 83 anos o brasilianista Thomas Skidmore». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de julho de 2016 
  2. Skidmore desperta feridas da ditadura. Por Luís Eblak. Folha de S.Paulo, 27 de novembro de 2010.
  3. a b c Aos 80 anos, Thomas Skidmore diz que soube do golpe militar um dia antes. Por Lucas Ferraz. Folha de S.Paulo, 5 de novembro de 2012.
  4. a b "Dilma é um tanque, tem instinto político". Entrevista de Thomas Skidmore à Folha de S.Paulo. Republicado no Jornal GGN, 5 de novembro de 2012.
  5. «Morre o brasilianista Thomas Skidmore». Pesquisa Fapesp. Consultado em 3 de julho de 2016 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Thomas Skidmore
  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.