Thylamys karimii


Como ler uma infocaixa de taxonomiaThylamys karimii[1]
Thylamys karimii.JPG
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Marsupialia
Ordem: Didelphimorphia
Família: Didelphidae
Subfamília: Didelphinae
Gênero: Thylamys
Espécie: T. karimii
Nome binomial
Thylamys karimii
(Petter, 1968)
Distribuição geográfica
Karimi's Fat-tailed Mouse Opossum area.png

Thylamys karimii, mais conhecido como rato-de-cauda-gorda[3], é uma espécie de marsupial da família Didelphidae. Restrita à porção sul da América do Sul[4], é endêmica do Brasil e sua localização geográfica é consideravelmente extensa, sendo que pode ser encontrada em nos biomas da Caatinga e Cerrado[2] , principalmente nos estados brasileiros de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Mato Grosso, Tocantins, Piauí e Goiás,[5] em regiões com altitudes de 300 a 1100 m[6]. É uma das espécies ameaçadas de extinção no estado da Bahia[7].

Dentre suas principais características morfológicas, encontram-se o tamanho da cauda (72 milímetros) menor do que a soma do comprimento da cabeça e do corpo (95 milímetros), o final da cauda não tem facilidade de preensão, adaptação a hábitos terrestres, em volta dos olhos, a pelagem forma um anel de coloração preta.[carece de fontes?]

A espécie foi inicialmente descrita em 1968 como Marmosa karimii a partir de indivíduos capturados em Exu, Pernambuco. O nome «karimii» é uma homenagem ao pesquisador iraniano Yournes Karimi que realizou pesquisas sobre a peste na região do Araripe, Nordeste do Brasil, entre 1967 e 1971[8][9].

Referências

  1. Gardner, A.L. (2005). Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.), ed. Mammal Species of the World 3 ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press. pp. 3–18. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494 
  2. a b Pires Costa, A; Patterson, B. (2008). Thylamys karimii (em Inglês). IUCN 2014. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2014 . . Página visitada em 10 de julho de 2014..
  3. «Karimi's fat-tailed mouse opossum videos, photos and facts - Thylamys karimii | Arkive». web.archive.org. 2 de setembro de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2019 
  4. Palma, R. Eduardo; Boric-Bargetto, Dusan; Jayat, J. Pablo; Flores, David A.; Zeballos, Horacio; Pacheco, Víctor; Cancino, Ricardo A.; Alfaro, Fernando D.; Rodríguez-Serrano, Enrique (1 de abril de 2014). «Molecular phylogenetics of mouse opossums: new findings on the phylogeny ofThylamys(Didelphimorphia, Didelphidae)». Zoologica Scripta. 43 (3): 217–234. ISSN 0300-3256. doi:10.1111/zsc.12051 
  5. Carvalho, Bianca de A; Oliveira, Luiz F. B; Mattevi, Margarete S (2009). «Phylogeny of Thylamys (Didelphimorphia, Didelphidae) species, with special reference to Thylamys karimii». Iheringia. Série Zoologia. 99 (4): 419–425. ISSN 0073-4721. doi:10.1590/s0073-47212009000400012 
  6. «The IUCN Red List of Threatened Species». IUCN Red List of Threatened Species. Consultado em 8 de agosto de 2019 
  7. «Lista vermelha da Bahia - Avaliação do Estado de Conservação da Fauna e Flora do Estado da Bahia». www.listavermelhabahia.org.br. Consultado em 8 de agosto de 2019 
  8. Karimi, Y.; RODRIGUES de ALMEIDA, C.; Petter, F. (1976). «NOTE SUR LES RONGEURS DU NORD-EST DU BRÉSIL». Mammalia. 40 (2). ISSN 0025-1461. doi:10.1515/mamm.1976.40.2.257 
  9. Aléssio, Filipe (17 de outubro de 2019). «Thylamys karimii». Portal de Zoologia de Pernambuco. Consultado em 18 de outubro de 2019 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Thylamys karimii
O Wikispecies tem informações sobre: Thylamys karimii