Tigre Branco (China)

O Tigre Branco (chinês: 白虎; pinyin: Bái Hǔ) é um dos Quatro Símbolos das constelações chinesas. Às vezes é chamado o Tigre Branco do Oeste (西方白虎, Xī Fāng Yên Hǔ), e também é conhecido como Byakko em japonês, Baekho em coreano e Bạch Hổ em Vietnamita. Ele representa o oeste e a estação do outono.

Escultura de Bái Hǔ em peça de beiral

Sete mansões do Tigre BrancoEditar

Como os outros três símbolos, existem sete mansões astrológicas, ou posições, da lua dentro do Tigre Branco. Os nomes e estrelas determinantes são:[1][2]

Mansão nº Nome (pinyin) Tradução Determinantes estrelas
15 奎 (Kuí) Pernas Eta Andromedae
16 婁 (Lóu) Vínculo Beta Arietis
17 胃 (Wèi) Estômago 35 Arietis
18 昴 (Mǎo) Cabeça Peluda Alcyone
19 畢 (Bì) Rede Ain
20 觜 (Zī) Bico de Tartaruga Meissa
21 參 (Shēn) Três Estrelas Alnitak

OrigemEditar

Na cultura Chinesa, o tigre é o rei dos animais e foi presenteado com um (wáng, ideograma para "Rei") em sua testa por séculos. Segundo a lenda, a cauda do tigre se tornaria branca quando atingisse a idade de 500 anos. Desta forma, o tigre branco tornou-se uma espécie de criatura mitológica. Dizia-se que o tigre branco só apareceria quando o imperador governasse com absoluta virtude, ou se houvesse paz em todo o mundo. Como a cor branca da teoria Wu Xing também representa o oeste, o tigre branco tornou-se um guardião mitológico do oeste.[carece de fontes?]

ReferênciasEditar

  1. «The Chinese Sky». Consultado em 10 de junho de 2018. Arquivado do original em 4 de novembro de 2015 
  2. Sun, Xiaochun. Helaine Selin, ed. Encyclopaedia of the History of Science, Technology, and Medicine in Non-Western Cultures. [S.l.: s.n.] ISBN 0-7923-4066-3 
  Este artigo sobre astronomia é um esboço relacionado ao Projeto Astronomia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.