Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Tilikum
Tilikum (orca) (Shamu).jpg
Informações
Espécie
Sexo
Nascimento
Local de nascimento
Morte
6 de janeiro de 2017 (35 anos)
Altura
6,9 metros de comprimento [1]
Peso
5,4 toneladas
Período de atividade
19832016
Conhecido por
Matar 3 pessoas e protagonizar o documentário Blackfish
Treinador
Dawn Brancheau
Título
Orca Assassina

Tilikum era uma orca em cativeiro. Ele foi capturado na Islândia em 1983, na cidade de Hafnarfjörður, a cerca de 10 km ao sul de Reykjavík. [2]

Em 1992, foi transferido para o SeaWorld de Orlando, na Flórida. Tilikum tornou-se famoso ao se envolver na morte de três pessoas, o que o fez protagonizar o documentário da CNN Films Blackfish, de 2013.

Foi pai de 21 filhotes, dos quais 10 ainda estão vivos. [3]

Índice

NomeEditar

Tilikum é uma palavra no jargão Chinook do noroeste do Pacífico que significa pessoas, família, tribo e parentes.[4]

VidaEditar

OrigemEditar

Tilikum foi capturado quando tinha dois anos de idade, juntamente com duas outras jovens orcas. Logo após ser capturado ficou em cativeiro por um ano, e depois foi levado para o Sealand Of the Pacific, permaneceu lá, até que transferido para o SeaWorld, ele morava com duas orcas fêmeas mais velhas, chamadas Haida II e Nootka IV. Elas se comportavam de maneira agressiva com o mesmo, o ferindo gravemente. Esta situação fez com que ele habitasse em uma piscina menor, totalmente desproporcional.


FatalidadesEditar

- Enquanto ataques de orcas em humanos são raros, sendo que ainda não há dados de ataques de orcas em seu habitat natural a seres humanos[5], Tilikum esteve envolvido em três mortes.Editar

Primeira morteEditar

Segundo o documentário Blackfish, em 20 de fevereiro de 1991, num parque aquático do Canadá, Tilikum fez cair de um tanque uma treinadora, com a ajuda de Haida II e Nootka IV.[6]

Segunda morteEditar

Em 6 de julho de 1999, um homem de 27 anos, Daniel P. Dukes, foi encontrado morto sobre as costas de Tilikum. Ainda que a causa de morte tenha sido hipotermia, as autoridades revelaram que a Orca tinha atacado o homem. Dukes tinha visitado o SeaWorld no dia anterior, e ficou depois que o parque fechou, evitando a segurança para entrar no tanque de orca sem roupa.[7]

Terceira morteEditar

Em 24 de fevereiro de 2010, Tilikum fez sua terceira vítima: Dawn Brancheau, uma treinadora de 40 anos de idade. Este episódio o tornou mundialmente conhecido, e levantou o debate sobre atração com orcas. Segundo a versão oficial, Tilikum mordeu o braço da treinadora antes de arrastá-la para debaixo d'água, matando-a assim por afogamento.[8]

BlackfishEditar

Em 2013, foi lançado um documentário intitulado Blackfish, peixe negro em português, que conta como é a criação de orcas em cativeiro, nos parques aquáticos. E questiona: qual o limite entre a diversão e a violência contra os animais?[9][10]

Resposta do SeaWorldEditar

Em 2014, o SeaWorld lançou uma resposta oficial na web, onde acusa Blackfish de ser uma propaganda enganosa, e não um documentário. Entre os pontos abordados pelo documentário, está de que as baleias orcas que vivem no SeaWorld são prejudicadas, assim como os treinadores que trabalham com esses animais; e de que o SeaWorld tentou omitir informações sobre da trágica morte da treinadora Dawn Brancheau em 2010, assim como a história de Tilikum, a baleia envolvida no acidente. Segundo a nota do SeaWorld, tudo isso está muito longe de ser verdade.[11]

MorteEditar

Em 6 de janeiro de 2017, o SeaWorld anunciou que Tilikum havia morrido no início da manhã. A causa da morte foi infecção bacteriana.[12][13][14]


Referências