Abrir menu principal

Wikipédia β

Timișoara

(Redirecionado de Timişoara)
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página está em processo de expansão ou reestruturação durante um curto período.
Isso significa que o conteúdo está instável e pode conter erros que estão a ser corrigidos. Por isso, não convém editar desnecessariamente ou nomear para eliminação durante esse processo, para evitar conflito de edições; ao invés, exponha questionamentos na página de discussão. Caso a última edição tenha ocorrido há vários dias, retire esta marcação.
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo está a ser traduzido de «Timișoara» na Wikipédia em inglês (desde junho de 2018). Ajude e colabore com a tradução.
Romênia Timișoara

Temesvár • Temeswar

 
—  Município  —
Da esquerda para a direita e de cima para baixo: 1) Monumento a Santa Maria e São João Nepomuceno na Praça da Liberdade; 2) Teatro e Ópera Nacional Mihai Eminescu; 3) Praça da União e Catedral de São Jorge (católica); 4) Bastião Theresia; 5) Praça da Vitória (Timișoara) e Catedral Metropolitana (ortodoxa)
Da esquerda para a direita e de cima para baixo: 1) Monumento a Santa Maria e São João Nepomuceno na Praça da Liberdade; 2) Teatro e Ópera Nacional Mihai Eminescu; 3) Praça da União e Catedral de São Jorge (católica); 4) Bastião Theresia; 5) Praça da Vitória (Timișoara) e Catedral Metropolitana (ortodoxa)
Brasão de armas de Timișoara
Brasão de armas
Apelido(s):
  • Pequena Viena (Mica Vienă)
  • Cidade das Flores (Orașul Florilor)
  • Coração do Banato
  • (Inima Banatului)
Localização do município Timișoara no distrito de Timiș
Localização do município Timișoara no distrito de Timiș
Timișoara está localizado em: Roménia
Timișoara
Localização de Timișoara na Roménia
Coordenadas 45° 45' N 21° 13' E
Região histórica
Distrito Timiș
Primeira menção histórica 1177
Administração
 - Prefeito Nicolae Robu[1] (PNL, 2016)
Área
 - Município 130,5 km²
 - Metro 1570 km²
Altitude 90 m
População (2011) [2][3][4]
 - Município 319 279
    • Densidade 2 446,6 hab./km²
 - Estimativa (2016) 332 983
 - Metro 359 443
    • Densidade metro 228,9 hab./km²
Código postal 300001–300789
Sítio www.primariatm.ro

Timișoara (pronúncia em romeno: Loudspeaker.svg? [timiˈʃo̯ara]; em húngaro: Temesvár, Loudspeaker.svg? [ˈtɛmɛʃvaːr]; em alemão: Temeswar ou, antigamente Temeschburg ou Temeschwar; em iídiche: טעמשוואר; em sérvio: Темишвар; transl.: Temišvar; em eslovaco: Temešvár; em turco: Temeşvar) é um município e a maior cidade da região histórica do Banato (parte da Transilvânia), Roménia. É o principal centro económico e cultural da Roménia ocidental, a terceira cidade mais populosa do país e a capital do distrito de Timiș.

A cidade é servida pelo terceiro aeroporto mais movimentado da Roménia, o Aeroporto Internacional Traian Vuia, localizado 10 km a nordeste do centro da cidade. Em 2016 foi selecionada para ser a Capital Europeia da Cultura de 2021.[5]

Todos os nomes da cidade derivam do nome em húngaro Temesvár, que significa "castelo no rio Temes" (Timiș).

Índice

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História de Timișoara

O povoamento da área onde se encontra a cidade moderna remonta à Antiguidade. Embora não existam registos escritos anteriores a 1177 (embora alguns historiadores considerem que haja menções anteriores à fortaleza datadas de 1154 ou de 1019), há vários vestígios da presença humana. A primeira civilização identificável é a dos dácios e durante o período romano existiu um povoado na área, que persistiu durante as sucessivas ocupações (de ostrogodos, hunos, gépidas, ávaros) que se seguiram à retirada dos romanos. A partir de 630, a região pertenceu ao Primeiro Império Búlgaro e a partir do início do século X passou a ser dominada por húngaras. Foi parte do Reino da Hungria, do qual foi brevemente capital na primeira metade do século XIV, quando o rei Carlos I da Hungria ali se instalou entre 1315 e 1323, quando grande oarte do território do seu reino estava nas mãos de alguns tartományúrs (oligarcas feudais) que na prática lhe recusavam vassalagem.

Em meados do século XIV, Temesvár estava na linha da frente da guerra entre a Cristandade e os otomanos muçulmanos. Cruzados franceses e húngaros encontraram-se na cidade antes de partirem para a Batalha de Nicópolis, em 1396, onde foram derrotados. João Corvino (Ioan de Hunedoara), voivoda da Transilvânia, usou a cidade a partir de 1443 como um reduto militar contra os otomanos, tendo construído uma poderosa fortaleza e reconstruído o palácio real de Carlos I, atualmente conhecido como Castelo de Huniade, o monumento mais antigo da cidade.

Temesvár foi repetidamente cercada pelos otomanos em 1462, 1476, 1491 e 1522. Em 1514, a maior revolta de camponeses na história da Hungria foi derrotada numa batalha perto de Temesvár O seu líder sículo György Dózsa (Gheorghe Doja em romeno) foi torturado e executado, juntamente com 40 a 60 mil rebeldes. Em 1552, a cidade foi conquistada pelo Império Otomano e durante pouco mais de um século foi capital do eialete (província otomana) de Tımışvar.

Em 1716 foi conquistada pela Monarquia de Habsburgo e pouco depois recebia a primeira de várias vagas de colonos alemães (suábios do Danúbio). Ao longo do século XVIII os cursos dos rios Timiș e Bega foram regularizados e foi construído o Canal do Bega, que ligou a cidade a Budapeste, Viena e às principais vias fluviais da Europa. Em 1781 recebeu do imperador José II o privilégio de "cidade livre real". Em 1849, durante a revolução húngara, Temesvár foi cercada por tropas revolucionárias, que seriam esmagadas na Batalha de Temesvár, travada em 9 de agosto.

Na sequência do colapso da Áustria-Hungria após a Primeira Guerra Mundial, o Banato era disputado pela Sérvia e pelo Roménia. Timișoara foi ocupada em 15 de novembro de 1918 por tropas sérvias, que no entanto retiraram pouco depois. A 3 de dezembro desse ano chegam à cidade tropas coloniais francesas para evitar confrontos entre sérvios e romenos. Em 28 de julho de 1919 é instalada uma administração romena na cidade, que em 3 de agosto recebe tropas romenas. Nos termos do Tratado de Trianon de 1920, é formalizada a partição do Banato entre a Sérvia e a Roménia, com Timișoara nos dois terços da região que foram atribuídos à Roménia.

Foi em Timișoara que estalou a Revolução Romena de 1989, que poria fim ao regime comunista do ditador Nicolae Ceaușescu.

GeografiaEditar

Timișoara situa-se a cerca de 90 metros de altitude, no limite sudeste da planície do Banato, parte da planície da Panónia, perto do local onde os cursos dos rios Timiș e Bega divergem. As águas destes dois rios formam uma área pantanosa e frequentemente inundada. A cidade desenvolveu-se num dos poucos locais onde os pântanos podiam ser atravessados. Estes constituíram uma proteção natural em redor da fortaleza durante muito tempo e também favoreceram um clima húmido e insalubre, que contribuiu para a proliferação de epidemias de peste e de cólera, o que fez com que o número de habitantes permanecesse realtivamente baixo e impediu o desenvolvimento da cidade. No entanto, no século XVIII, os rios da região foram drenados, foram construídas barragens e modificado os seus cursos. Graças a esses projetos hidrográficos, a cidade deixou de ser banhada pelo Timiș e passou a estar à beira do Canal do Bega. Este canal, uma importante via de transporte, que ligou a cidade a Budapeste e a Viena por via fluvial, começou a ser construído em 1728. No entanto, apesar da completa drenagem da área da cidade, esta situa-se sobre um lençol freático com apenas 0,5 a 5 metros de profundidade, o que não permite a construção de edifícios altos. O rico solo negro e o lençol freático relativamente alto fazem com que a região seja muito fértil em termos agrícolas.[carece de fontes?]

A área tem alguma atividade sísmica e ao longo da história registaram-se sismos que atingiram o grau 6 da escala de Richter.[carece de fontes?]

ClimaEditar

O clima da região de Timișoara não apresenta grandes diferenças entre os períodos mais frios e mais quentes e a precipitação ocorre ao longo de praticamente todo o ano, sem que haja uma estação seca definida. A classificação de Köppen-Geiger do clima local é Cfb (temperado húmido e verões temperados).[6]

A temperatura mais alta registada foi 42 °C em 5 de agosto de 2017; a temperatura mais baixa foi -35,3nbsp;°C em 24 de janeiro de 1963. Em média há neve no solo durante 30 dias por ano. O mês mais chuvoso é junho (91 mm em média) e o mais seco é fevereiro (44,5 mm). O clima é muito irregular e variado. As massas de ar temperadas de origem marítima que são dominantes durante a primavera e verão causam elevada precipitação. As massas de ar húmido marítimo também são frequentes no inverno e trazem chuva e neve, mas não temperaturas muito baixas. De setembro a fevereiro, é frequente a presença de massas de ar continental polar vindas de leste. No entanto, o clima do Banato é também influenciado pela presença de massas de ar quente provenientes do mar Adriático e do Mediterrâneo. Esta combinação faz com que haja neve abundante durante o inverno e faça bastante calor no verão. As primeiras quedas de neve podem ocorrer no final de outubro, embora o mais comum seja que as quedas de neve mais significativas só ocorram a partir do final de novembro. As últimas quedas de neve geralmente ocorrem em março, mas por vezes acontecem no início de abril. A mediana das primeiras geadas é 22 de outubro e a das últimas é 15 de abril.[carece de fontes?]

Dados climatológicos para Timișoara
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 17,4 20,5 28,2 32,0 34,5 38,4 41,1 41,0 39,7 33,8 27,1 20,2 41,1
Temperatura máxima média (°C) 2,3 5,6 11,9 17,6 22,8 25,7 27,8 27,6 24,0 18,1 10,3 4,2 16,5
Temperatura média (°C) -1,6 1,2 5,8 11,2 16,3 19,4 21,1 20,4 16,5 11,0 5,6 0,8 10,6
Temperatura mínima média (°C) -4,8 -2,3 1,2 5,8 10,1 13,4 14,6 14,3 11,2 6,2 2,1 -1,7 5,8
Temperatura mínima recorde (°C) -35,3 -29,2 -20,0 -5,2 -5,0 2,2 5,9 5,0 -1,9 -6,8 -15,4 -24,8 -35,3
Precipitação (mm) 40 36 37 48 65 76 64 50 40 39 48 50 593
Neve (cm) 9,8 9,3 4,4 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 3,7 7,2 34,4
Dias com precipitação (1.0 mm) 7 7 7 8 9 10 7 6 6 5 8 9 89
Humidade relativa (%) 90 86 79 73 73 74 73 75 76 81 85 89 79
Horas de sol 72,1 92,2 155,4 186,4 242,4 262,3 300,6 280,2 217,5 177,3 86,4 56,9 2 129,7
Fontes: Instituto Nacional de Estatística da Romênia,[7] NOAA,[8] Deutscher Wetterdienst[9]

DemografiaEditar

População de Timișoara (1787 – 2016) [10][3][11]
1787 1847 1869 1880 1890 1900
9 479 18 103 32 725 33 694 39 884 53 033
    91%   80,8%   3%   18,4%   33%
1910 1920 1930 1941 1948 1956
72 555 82 689 91 580 110 840 111 987 142 257
  36,8%   14%   10,8%   21%   1%   27%
1966 1977 1992 2002 2011 2016
174 243 269 353 334 115 317 660 319 279 332 983
  22,5%   54,6%   24%   4,9%   0,5%   4,3%

O município tem 130,5 km² e a área metropolitana em projeto tem 1 570 km². Segundo o censo de 2011, o município tinha 319 279 habitantes[2] e em 2017 estimava-se que tivesse 332 983[3] (densidade: 2 551,6 hab./km²). Em 2017, a "área urbana alargada" definida pelo Eurostat tinha 359 443 habitantes.[4]

Em termos étnicos, segundo o censo de 2011, 81,4% da população era romena, 4,9% húngara, 1,5% sérvia, 1,3% alemã, 0,7% cigana e 0,2% ucraniana.[2] Em termos religiosos, 75% dos habitantes eram fiéis da Igreja Ortodoxa Romena, 7,1% católicos romanos, 5,1% protestantes de vários ramos (2% pentecostais), 1,1% greco-católicos e 0,8% ortodoxos sérvios.[12]

Entre 1990 e 2002 a população diminuiu, devida à emigração e ao declínio da taxa de natalidade. O declínio foi especialmente acentuado nas comunidades húngara e alemã — esta última decresceu cerca de 50% naquele período.[13] Em contrapartida, a comunidade ucraniana cresceu, em parte devido à existência de escolas de língua ucraniana. Nos primeiros anos do século XXI, o investimento local por parte de empresas italianas provocou o aparecimento duma comunidade italiana,[14] o que levou à criação dum centro cultural italiano.[15]

Segundo o censo austro-húngaro de 1910, Timișoara tinha 72 555 habitantes, dos quais 43,6% usavam como primeira língua o alemão, 39,4% o húngaro, 10,4% o romeno, 4,8% o sérvio e 1,8% outros idiomas.[16]

Distritos urbanos e bairrosEditar

Tradicionalmente, a cidade era dividida em 10 zonas, as quais não têm qualquer função administrativa atualmente.

Distrito Área (ha) Nome em romeno Nome em alemão Nome em húngaro Ano da criação
I 480 Cetate Innere Stadt Belváros 1718
II 1 017 Fabric Fabrikstadt Gyárváros 1718
III 668 Elisabetin Elisabethstadt Erzsébetváros 1890
IV 442 Iosefin Josefstadt Józsefváros 1744
V 205 Mehala Mehala Mehala 1910
VI 231 Fratelia Fratelia Újkissoda 1948
VII 156 Freidorf Freidorf Szabadfalu 1950
VIII 67 Plopi Kardos-Kolonie Kardostelep 1951
IX 72 Ghiroda Nouă Neu-Giroda Erzsébetpuszta 1951
X 102 Ciarda Roșie Rote Tscharda Vörös Csárda 1953
 
Mapa em húngaro dos distritos urbanos tradicionais de Timișoara
Principais bairros
  • Aradului vest
  • Badea Cârțan
  • Banat I
  • Blașcovici
  • Braytim
  • Bucovina
  • Calea Aradului
  • Calea Buziașului
  • Calea Girocului
  • Calea Lipovei
  • Calea Lugojului
  • Calea Șagului
  • Calea Torontalului I, II
  • Cetate
  • Chișoda
  • Ciarda Roșie
  • Circumvalațiunii I, II, III, IV
  • Complex studențesc
  • Complex
  • Crișan
  • Dacia
  • Dâmbovița
  • Elisabetin
  • Fabric
  • Fratelia
  • Freidorf
  • Ghiroda Nouă
  • Ion Ionescu de la Brad
  • Iosefin
  • Kuncz
  • Lunei
  • Matei Basarab
  • Mehala I, II
  • Mircea cel Bătrân
  • Modern
  • Noua Timișoară
  • Olimpia
  • Pădurea Verde
  • Plăvăț
  • Plopi
  • Polonă
  • Ronaț
  • Soarelui
  • Stadion
  • Steaua
  • Tipografilor
  • Traian
  • Zona Odobescu

EconomiaEditar

Timișoara é um centro económico importante a nível nacional desde o século XVIII, quando foi instalada a administração Habsburgo. Devido à colonização austríaca, à diversidade étnica e religiosa e leis inovadoras, a economia local começou a desenvolver-se. Os técnicos e artesãos que se fixaram na cidade fundaram guildas e ajudaram a desenvolver a economia. Em 1717, foi fundada em Timișoara a primeira fábrica de cerveja do Banato, da Timişoreana.[17]

Durante a Revolução Industrial foram introduzidas numerosas inovações. Foi nesse periodo que foi construído o Canal do Bega, o canal mais antigo em território romeno, que ligou Timișoara ao resto da Europa e ao mar Negro, o que fomentou ainda mais o comércio. Alegadamente, Timișoara foi a primeira cidade da Áustria-Hungria com iluminação pública e a primeira cidade da Europa continental a ter iluminação pública elétrica. No século XIX o caminho de ferro do Reino da Hungria chegou à cidade.[18][19][20]

Após a queda do comunismo em 1989, Timișoara foi a primeira cidade romena a receber grandes investimentos estrangeiros, nomeadamente no setores de alta tecnologia, que contribuiu decisivamente para um boom económico. Na imprensa internacional de meados da década de 2000, a cidade foi apresentada como um exemplo de sucesso económico da Roménia e o número crescente investimentos estrangeiros era apelidado de "segunda revolução". Em 2015 e 2016, a Forbes classificou a cidade como a melhor da Roménia para negócios.[21]

O investimento estrangeiro é originário sobretudo de países da União Europeia, com destaque para a Alemanha e a Itália. A empresa alemã Continental AG produz pneus em Timișoara desde que ali abriu uma fábrica em 1998. Posteriormente, a mesma empresa instalou na cidade uma divisão de software de automóveis.[22] Em 2015, a Continental tinha 8 000 empregados na cidade e continuava a expandir-se.[23] O Grupo Linde alemão tem fábricas que produzem gases e a Dräxlmaier alemã produz cablagens para automóveis da BMW e da Audi. A Kromberg & Schubert produz cablagens para a Volkswagen e outras marcas de automóveis.[carece de fontes?] A Flex norte-americana tem uma fábrica de componentes eletrónicos que em 2017 empregava mais 4 000 pessoas.[24] A Procter & Gamble norte-americana tem uma fábrica de produtos de lavagem e limpeza e a Smithfield Foods norte-americana, uma das maiores processadoras de carne de porco do mundo tem duas subsidiárias na região.[carece de fontes?]

Em meados da década de 2010, a cidade tinha dois grandes centros comerciais, além dum em construção e outro planeado. O Iulius Mall Timișoara abriu em 2005 e tem 350 lojas, 71 000  de área e 3 000 lugares de estacionamento.[25] O Shopping City Timișoara abriu em 2015 e tem 111 lojas, 70 000 m² e 2 700 lugares de estacionamento.[26] Em 2015 foi anunciada a construção do Timișoara Centrum, que terá 70 000 m².[27] Em 2016 foi anunciada a construção do Timișoara Plaza.[28]

TransportesEditar

A cidade dispõe dum sistema complexo de transportes regionais e tem boas ligações rodoviárias, ferroviárias e aéreas com as maiores cidades da Roménia e com a Europa.

Transportes públicosEditar

A rede de transportes públicos de Timișoara é constituída por 9 linhas de elétricos, 9 linhas de tróleis e 21 linhas de autocarros. É mantida e operada pela empresa municipal Societatea de Transport Public Timișoara (STPT) e cobre todas as áreas importantes da cidade além de ter ligações a algumas das comunas da área metropolitana. Em 2009 a STPT transportou 90 milhões de passageiros.[29]

Em 2015, Timișoara tornou-se a primeira cidade a ter um sistema de bicicletas públicas, o qual tem 25 estações e 300 bicicletas que podem ser usadas por locais e turistas gratuitamente.[30] No mesmo ano foi anunciado que iria ser estudada a viabilidade da construção duma linha de metropolitano na cidade, para ligar as estações ferroviárias Gare do Norte e Gare do Leste.[31] Em 2016 entrou em funcionamento um serviço de transporte por barco no Canal do Bega. Estava previsto que esse serviço fosse gratuito até 2021.[32]

EstradasEditar

Timișoara é servida por duas estradas europeias (a E70 e a E671, cujo percurso é o de estradas nacionais romenas) e quatro estradas nacionais (DN6, DN69, DN59 e DN59A). Quando a Autoestrada A1 estiver completa ligará a cidade a Bucareste, à parte oriental do país e à fronteira com a Hungria, a noroeste da cidade, tendo continuidade no lado húngaro com a Autoestrada M43. Os troços Lugoj—Timișoara e Timișoara—AradNădlac—Hungria já estão em serviço.

O terminal rodoviário de Timișoara (Autogara) é usado por várias empresas de autocarros que oferecem ligações para numerosos destinos em todo o país e no estrangeiro.[33]

Transportes aéreosEditar

A cidade é servida pelo terceiro aeroporto mais movimentado da Roménia, o Aeroporto Traian Vuia (IATA: TSR, ICAO: LRTR), situado 12 km a nordeste do centro da cidade. Em 2017 teve um movimento de 1 621 529 passageiros, mais 39,7% do que em 2016, mais 12,4% do que em 2011 e mais 46,5% do que em 2006.[34] Até 2014 foi o hub principal da companhia aérea romena Carpatair. Em 2018 era, desde há alguns anos, um hub da companhia de baixo custo Wizz Air.

FerroviaEditar

Timișoara é um polo ferroviário importante e tem ligações por caminho de ferro para todas a principais cidades romenas, bem como para destinos regionais, através da rede da Căile Ferate Române (CFR, "Caminho de Ferro Romeno"). Tem também serviços internacionais diretos para Budapeste, Belgrado e Viena. A principal estação da cidade, a Gara Timișoara Nord ("Gare do Norte"), tem um movimento diário de mais de 130 comboios. As outras três estações da cidade são usadas principalmente por comboios suburbanos ou regionais.

PolíticaEditar

À semelhança doutras cidades romenas, Timișoara é governada por um conselho local e um prefeito. Tanto estes órgãos como o conselho distrital são eleitos a cada quatro anos por sufrágio direto. O conselho local (consiliu local) de Timișoara é composto por 27 conselheiros (ou vereadores) eleitos.[35] Após as eleições locais de 2016, a distribuição dos conselheiros era a seguinte: 12 do Partido Nacional Liberal (PNL), 9 do Partido Social-Democrata (PSD), 2 do Partido Movimento Popular (PMP), 2 da União Democrática dos Húngaros na Roménia (UDMR/RMDSZ), 1 da Aliança dos Liberais e Democratas (ALDE) e 1 independente.

As primeiras eleições locais livres após a queda do regime comunista ocorreram em 1992, tendo sido ganhas por Viorel Oancea, do Partido da Aliança Cívica (PAC), que mais tarde se fundiu no PNL. Oancea foi o primeiro oficial que falou à multidão dos revolucionários reunidos na Praça da Ópera. As eleições seguintes, realizadas em 1996, foram ganhas por Gheorghe Ciuhandu do Partido Nacional Camponês Cristão Democrata (PNȚCD), que se manteve no cargo por quatro mandatos, tendo ganhado as eleições de 2000, 2004 e 2008. Em 2018, o prefeito de Timișoara era Nicolae Robu, que cumpria o seu segundo mandato, após ter ganho as eleições de 2012 e 2016. Os vice-prefeitos eram então Dan Diaconu do PNL e Farkas Imre da UDMR/RMDSZ.

Atrações turísticasEditar

Património arquitetónicoEditar

  • Catedral Ortodoxa de Timișoara
  • Ópera e Teatro Nacional
  • Catedral de São Jorge (cúpula)
  • Praça da Vitória (Piața Victoriei)
  • Sinagoga da cidade
  • Praça da Liberdade (Piața Libertǎții)
  • Palácio Deschan
  • Palácio Barroco
  • Praça da União (Piața Unirii)
  • Castelo Huniade
  • Câmara Municipal (Primǎria)
  • Complexo Piarista
  • Forte Bastião
  • Palácio Dicasterial
  • Canal Bega
  • Museu da Revolução de Dezembro de 1989
  • Igreja Millenium
  • Parques

MuseusEditar

  • Museu de Arte de Timișoara
  • Museu da aldeia Banat
  • Museu da Revolução de Dezembro de 1989
  • Museu Banat
  • Museu da Catedral Ortodoxa Metropolitana
  • Coleção de Arte do Episcopado Sérvio
  • Jardim Zoológico

Notas e referênciasEditar

  1. «Rezultate finale 5 iunie + 19 iunie 2016. Voturi si mandate de P obtinute pe localitati si partide» (em romeno). Biroul Electoral Central. www.2016bec.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  2. a b c «Rezultatele finale ale Recensământului din 2011: Tab8. Populația stabilă după etnie – județe, municipii, orașe, comune» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.recensamantromania.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  3. a b c «Populaţia României pe localitati la 1 ianuarie 2016» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.insse.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  4. a b «Cities (Urban Audit) > DataDatabase» (em inglês). Eurostat. ec.europa.eu. Consultado em 24 de março de 2018. 
  5. «Asociatia Timisoara Capitala Culturala Europeana» (em inglês). www.timisoara2021.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  6. «Timisoara, Romania». www.Weatherbase.com (em inglês). Canty and Associates LLC 
  7. «Air Temperature (monthly and yearly absolute maximum and absolute minimum)» (PDF). Romanian Statistical Yearbook: Geography, Meteorology, and Environment (em inglês). Instituto Nacional de Estatística da Romênia. 2007. Cópia arquivada (PDF) em 27 de setembro de 2007 
  8. «Timișoara Climate Normals 1961–1990» (em inglês). NOAA 
  9. «Klimatafel von Temeschburg (Temesvar, Timisoara), Banat / Rumänien» (PDF). Baseline climate means (1961–1990) from stations all over the world (em alemão). Deutscher Wetterdienst 
  10. «Populatia la recensamintele din anii 1948, 1956, 1966, 1977, 1992, 2002 si 2011 - categorii de localitati si judete» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.recensamantromania.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  11. Encyclopædia Britannica (edição de 1911)
  12. «Tab13. Populaţia stabilă după religie – judeţe, municipii, oraşe, comune» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.recensamantromania.ro. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  13. «Structura Etno-demografică a României» (em romeno). Centrul de Resurse Pentru Diversitate Etnoculturala. www.edrc.ro. 2002. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  14. «Timisoara, mina de aur pentru investitorii italieni» [Timisoara, a mina de ouro para investidores italianos] (em romeno). www.9am.ro. 1 de dezembro de 2004. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  15. «Timișoara este floarea de la butonieră a relațiilor româno-italiene" | Primaria Timișoara | Secțiuni suplimentare | Cooperare internațională și dezvoltare economică» (em romeno). www.primariatimisoara.ro. 19 de agosto de 1992 [ligação inativa] 
  16. Varga, E. Árpád. «Temes megye településeinek etnikai (anyanyelvi/nemzetiségi) adatai — 1880–2002» [Dados étnicos (língua materna / nacional) dos assentamentos do condado de Temes 1880–2002] (PDF) (em húngaro). Budapeste: Biblioteca da Fundação da Inovação Cultural. www.kia.hu. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  17. Bălulescu, Lavinia (2011). «Premierele Timişoarei: primul oraş cu străzi iluminate electric, cea mai veche fabrică de bere din România, întâiul oraş liber al ţării» (em romeno). www.historia.ro. Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2012 
  18. Ilieșu, Nicolae, Timișoara, monografie Istorică (em romeno) 
  19. Nica, Octavian (2002). «Timișoara, copilul răsfățat al familiei Timiș-Bega» (em romeno). www.agenda.ro. Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 13 de maio de 2003 
  20. Tutinoi, Karina; Sava, Lucian (2003). «Cartierul Iosefin a rotunjit 230 de ani de când Iosif II i-a dat nume imperial» (em romeno). Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2004 
  21. «Timisoara, the best city for business in Romania, in Forbes top 2016» (em inglês). www.swisspointgroup.ro. Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 18 de outubro de 2016 
  22. «Istoric Continental» (em romeno). www.continental-corporation.com. Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2016 
  23. Alecu, Bogdan (26 de março de 2015). «Grupul Continental vrea să recruteze 3.000 de noi ingineri în următorii doi ani» (em romeno). Ziarul Financiar. www.zf.ro. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  24. «Producătorul american de componente electronice Flex face angajări la fabrica din Timișoara» (em romeno). www.ziuadevest.ro. 12 de dezembro de 2017. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  25. «Iulius Mall Timișoara» (em romeno). iuliusmall.com. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  26. «Shopping City Timișoara» (em romeno). shoppingcitytm.ro. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  27. Marica, Irina (10 de dezembro de 2015). «New shopping center to be opened in Romania's Timisoara in 2017» (em inglês). www.romania-insider.com. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  28. «Plaza Centers partners with Auchan for mall in Romania's Timisoara» (em inglês). europaproperty.com. 29 de agosto de 2016. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  29. «Linii de tramvai reabilitate pe 9 trasee: peste 600 milioane de lei» (em romeno). www.agenda.ro. Consultado em 19 de junho de 2018.. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2017 
  30. «Velo TM – Timisoara Has The First Romanian Bike-Sharing System» (em inglês). alexandru.garboni.eu. 3 de junho de 2015. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  31. Marica, Irina (7 de janeiro de 2015). «Romania's western city of Timisoara» (em inglês). www.romania-insider.com. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  32. Marica, Irina (5 de janeiro de 2016). «Romania's Timisoara will provide free public transport by boat on the canal crossing the city» (em inglês). www.romania-insider.com. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  33. «Timisoara - Gara» (em romeno, inglês, francês, espanhol, e italiano). www.autogari.ro. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  34. «Evoluție Trafic» (em romeno, inglês, e sérvio). Aeroportul Timisoara Traian Vuia. aerotim.ro. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  35. «LEGE nr.215 din 23 aprilie 2001. Legea administraţiei publice locale» (em romeno). Câmara dos Deputados da Roménia. www.cdep.ro. 23 de abril de 2001. Consultado em 19 de junho de 2018. 

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre Geografia da Romênia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.