Titivillus

Diego de la Cruz, A Virgem da Misericórdia com os Reis Católicos e sua família. Monasterio de las Huelgas, Burgos. À direita, carregando um saco cheio de livros, Titivillus.

Titivillus é um demônio que, na Idade Média, acreditava-se, trabalhava empregado por Belphegor, Lúcifer ou Satanás para causar o erro dos amanuenses. A primeira menção atestada do nome Titivillus é a do Tractatus de Penitentia (c. 1285 ), de Johannes Galensis (João de Gales). Mas de acordo com alguns estudiosos, o primeiro a nomeá-lo foi o frade e escritor alemão Cesario de Heistenbach.[1]

O Monasterio de Santa María la Real de las Huelgas em Burgos, Espanha, abriga um painel pintado (ca. 1485 ), atribuído a Diego de La Cruz, onde acima do manto protetor da Virgem da Misericórdia estão dois demônios; um dos quais carrega um monte de livros no ombro, o que, para alguns estudiosos, representaria Titivillus.[nota 1][nota 2]

Notas

  1. Aragonés Estella, Esperanza, Visiones de tres diablos medievales , em De Arte , nº 5, 2006, pp. 15-27
  2. Esquivias, Óscar , Diabluras , em Diario de Burgos (Burgos), 15 de dezembro de 2014, p. 5

Referências

BibliografiaEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.