Abrir menu principal

Tito Pompônio Antistiano Funisulano Vetoniano

Tito Pompônio Antistiano Funisulano Vetoniano
Cônsul do Império Romano
Consulado 121 d.C.

Tito Pompônio Antistiano Funisulano Vetoniano (em latim: Titus Pomponius Antistianus Funisulanus Vettonianus) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de maio a junho de 121 com Lúcio Pompônio Silvano[1]. Ele é conhecido apenas através de inscrições.

Índice

FamíliaEditar

O histórico familiar de Vetoniano é pouco conhecido. O historiador Bernard Rémy afirma que ele não é a mesma pessoa que Tito Pompônio Mamiliano Rufo Antistiano Funisulano Vetoniano, atestado como legado da Legio XX Valeria Victrix, mas concede que eles são parentes próximos. Além dos nomes similares, os dois são da mesma tribo (Galeria)[2] Anthony Birley speculates that the legionary commander may be the father of our Vettonianus.[3]. É claro também que os dois são de alguma forma aparentados do general flaviano Lúcio Funisulano Vetoniano, que, contudo, era de outra tribo (Aniensis)[2]. Além disto, nada mais se sabe sobre suas origens.

CarreiraEditar

Antes de seu consulado, tudo o que se sabe sobre Vetoniano é que ele foi governador da província imperial da Lícia e Panfília, provavelmente entre 117 e 120[4][5]. Depois disto, Vetoniano desapareceu do registro histórico.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Werner Eck & Andreas Pangerl, "Ein Consul Suffectus Q. Aburnius in drei fragmentarischen Diplomen", Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 185 (2013), pp. 239–247
  2. a b Rémy, Les carrières sénatoriales dans les provinces romaines d'Anatolie au Haut-Empire (31 av. J.-C. - 284 ap. J.-C.) (Pont-Bithynie, Galatie, Cappadoce, Lycie-Pamphylie et Cilicie) (Istanbul: Institut Français d'Études Anatoliennes-Georges Dumézil, 1989), p. 298
  3. Birley, The Fasti of Roman Britain (Oxford: Clarendon Press, 1981), p. 235
  4. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten der senatorischen Statthalter von 69/70 bis 138/139", Chiron, 13 (1983), pp. 148-152
  5. Rémy, ''Les carrières sénatoriales, p. 297