Tito Vetúrio Crasso Cicurino

Tito Vetúrio Crasso Cicurino (em latim: Titus Veturius Crassus Cicurinus) foi um político da gente Vetúria nos primeiros anos da República Romana eleito decênviro em 451 a.C. no Primeiro Decenvirato. É possível que ele seja pai de Espúrio Vetúrio Crasso Cicurino, tribuno consular em 417 a.C.[1].

Tito Vetúrio Crasso Cicurino
Decênviro da República Romana
Decenvirato 451 a.C.

Decenvirato

editar

Tito Vetúrio, que aparece com o praenomen Tito em Dionísio[2] e Lúcio em Lívio[3] foi escolhido em 451 a.C. como membro do Primeiro Decenvirato, que criou a "Lei das Dez Tábuas", complementada depois no decenvirato seguinte e que deu origem à Lei das Doze Tábuas, destinada a regular daí em diante as relações entre patrícios e plebeus.

Terminado seu mandato, não participou mais da vida política romana.

Ver também

editar
Decênviro da República Romana
 
Precedido por:
Ápio Cláudio Crasso Inregilense Sabino

com Tito Genúcio Augurino

Tito Vetúrio Crasso Cicurino
451 a.C.

com Primeiro Decenvirato

Sucedido por:
Segundo Decenvirato


Referências

  1. Broughton 1951, p. 73.
  2. Dionísio, Antiguidades Romanas X, 56.
  3. Lívio, Ab urbe condita libri III, XXXIII, 3.

Bibliografia

editar
  • Lívio, Ab Urbe condita libri
  • Dionísio, Antiguidades Romanas
  • T. Robert S., Broughton (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas