Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura o livro de Jorge Amado, veja Tocaia Grande: a Face Obscura.
Tocaia Grande
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Duca Rachid
Mário Teixeira
Marcos Lazarini
Baseado em Tocaia Grande: a Face Obscura de Jorge Amado
País de origem  Brasil
Idioma original (português)
Produção
Diretor(es) Walter Avancini
Elenco
Tema de abertura "O Vento", Oswaldo Montenegro
Exibição
Emissora de televisão original Rede Manchete
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 16 de outubro de 199516 de setembro de 1996
N.º de episódios 236

Tocaia Grande é uma telenovela brasileira produzida pela extinta Rede Manchete exibida de 16 de outubro de 1995 a 16 de setembro de 1996, em 236 capítulos, substituindo 74.5: Uma Onda no Ar e sendo substituída por Xica da Silva.[1] Baseada no romance homônimo de Jorge Amado, a novela foi escrita por Duca Rachid, Mário Teixeira e Marcos Lazarini, com a supervisão de texto de Walter George Durst, sob a direção de Régis Cardoso, João Camargo, J. Alcântara e Jacques Lagôa e direção geral de Walter Avancini.

Contou com Roberto Bonfim, Taís Araújo, Victor Wagner, Giovanna Antonelli, Ana Cecília Costa, Tânia Alves, Leonardo Villar e Dalton Vigh nos papeis principais.

ProduçãoEditar

Tocaia Grande era a grande esperança da Rede Manchete para voltar a produzir grandes novelas e alavancar a audiência da emissora. A novela não obteve os resultados que a emissora esperava e Adolpho Bloch resolveu trocar o diretor da trama. Walter Avancini assumia o controle da novela e, de imediato, chamou Walter George Durst para escrever a história. Foi a estreia dos atores Dalton Vigh e Taís Araújo na TV. As primeiras providências do novo diretor foram rápidas e os resultados vieram rápido e a novela ficou com uma audiência de 10 pontos em média, com picos de 12.

A novela também significou a volta dos faturamentos e créditos ao canal. As cenas externas foram gravadas na cidade cenográfica de Maricá, onde a Itabuna dos anos 20 estava fielmente retratada. As internas eram geradas do Complexo de Água Grande, onde estavam montados mais de 80 cenários para a superprodução.

EnredoEditar

A história começa em Itabuna, interior da Bahia, onde os coronéis Boaventura Amaral (Carlos Alberto) e Elias Daltro (Leonardo Villar) travam uma rivalidade há décadas. É lá também que mora Natário (Roberto Bonfim), um jagunço cansado da pobreza que decide ir atrás de melhores condições de vida e, para isso, ingressa na cavalaria de Boaventura, onde se torna capitão. Após adquirir algumas terras nas partes mais distantes da cidade, ele passa a plantar cacau e prospera rapidamente, decidindo fundar uma nova cidade, Tocaia Grande, a qual se torna palco de conflito com os coronéis, que não aceitam que o pagamentos de impostos não seja feito à Itabuna, tão quão que haja outro plantador de cacau maiores que eles. Em Tocaia Grande logo chega a prostituta Júlia (Tânia Alves), que é perseguida pelos coronéis e encontra abrigo no local. Ela tenta se reaproximar de seus quatro filhos – Bernarda (Taís Araújo), Ressureição (Giovanna Antonelli), Sacramento (Gabriela Alves) e Aurélio (Jackson Costa) – os quais abandonou pequenos, deixando-os com o padre Mariano (Antônio Petrin), que distribuiu as crianças entre os moradores.

A única criada pelo padre, Ressurreição, vive um romance com o coronel Felipe (Victor Wagner), mas tem que disputá-lo com a dissimulada Marisca (Ana Cecília Costa), moça prometida como "prêmio" ao rapaz por ele ter se tornado o novo intendente de Itabuna. Criada por Nazário e Zilda (Ângela Leal), Bernarda sempre tentou seduzir o pai adotivo e, após a morte da esposa dele, fica livre para viver o romance proibido. Aurélio levou uma vida miserável e faz parte dos rebeldes que se rebelam contra os coronéis. Já mais jovem, Sacramento, foi criada por Boaventura e Ernestina (Miriam Pires), que ao morrer pede a Natário que se encarregue de fazê-la se tornar uma moça culta e com um bom casamento.

A morte de Boaventura, aliás, traz a Tocaia Grande o seu filho, Venturinha (Dalton Vigh), que é obrigado a largar de sua boa vida na Europa e assumir as finanças e a posição política da família. Ele se revolta ao descobrir que Natário não será seu parceiro político, uma vez que tinha um trato de cordialidade apenas com seu pai, se tornando seu grande rival.

ElencoEditar

Ator/atriz Personagem
Roberto Bonfim Natário da Fonseca
Taís Araújo Bernarda Saurê
Dalton Vigh Arthur Boaventura Andrade Filho (Venturinha)
Victor Wagner Coronel Filipe Sampaio
Giovanna Antonelli Ressurreição Saurê (Ressú)
Ana Cecília Costa Marisca
Tânia Alves Júlia Saurê
Leonardo Villar Coronel Elias Daltro
Gerson Brenner Pedro Cigano
Gabriela Alves Sacramento Saurê
Jackson Costa Aurélio Saurê
Antônio Petrin Padre Mariano
Miriam Pires Ernestina Andrade
Denise Del Vecchio Jacinta
Carla Regina Diva
Gabriel Gracindo Joca
José Dumont Né Cachorrão
Antônio Pompeo Robustiano
Edwin Luisi Enoch Morgado
Suely Franco Marcolina
Geórgia Gomide Ludmila
Isaac Bardavid Jamil Scaff
Patrícia Lucchesi Maria Mocinha
Regina Restelli Gringa
Joana Limaverde Buriti
Alexandre Zacchia Fadul Abdala
Nelson Freitas Adão
Marcelo Picchi Pif Paf
Domingos Montagner Celso
Tião D'Ávila João Lírio
Cinthia Rachel Alta Rosa
Roberto Frota Mestre Rosa
Suzana Pires Arusa
Maria Ceiça Rufina
Ivan de Almeida Tobias
Laerte Morrone Barão de Itauçu
Bárbara Fazzio Maria Claude Bourbon, Baronesa Itauçu
Benvindo Siqueira Lupicínio Larora
Vic Amor Militello Dora Pão-de-Ló
João Signorelli Agnaldo
Tina Ferreira Ana
Matheus Aguiar Justino
Lou Modesto Belinha
Luciana Palhares Morena
Marco Marcondes Terêncio

Participações especiaisEditar

Ator/atriz Personagem
Carlos Alberto Coronel Arthur Boaventura Andrade
Ângela Leal Zilda da Fonseca
Charles Rodrigues Índio Joá

Referências

  1. «Tocaia Grande». Teledramaturgia. Consultado em 5 de maio de 2016 

Ligações ExternasEditar

  Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.